terça-feira, 9 de agosto de 2011

editora lê - assoreamento

líria porto

ou rio da vida ou ela me encharca
e viro uma esponja uma sonda uma draga
a sugar toda mágoa toda lágrima
toda tristeza que haja

então vou pescar e fisgo
uma botina

*

Um comentário:

MIRZE disse...

Que lindo!

Vire rio. Eu já sou esponja.

Beijos

Mirze

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog