sexta-feira, 30 de agosto de 2019

sangue

líria porto

doo-me em cada quina
em cada esquina
doo-me do verbo doer

*

loucos

líria porto

quem vive à beira da luxúria
precisa da cumplicidade
de outros

*

compromissos

líria porto

mais que o amigo
o antigo elo de um outro tempo
em que nossos corpos se pediam
e havia impedimentos sérios

(vontades reprimidas magnificam o desejo)

*

segunda-feira, 26 de agosto de 2019

rebojo

líria porto

moinhos de vento
moinhos de ventre
moinhos de dentro
remoinhos
:
rastilhos
vestígios
de sempre

*

terça-feira, 20 de agosto de 2019

sádico

líria porto

com uma pinça
capinava os meus pentelhos
vez por outra eu gemia
ai ai
ele dava uma lambida
:
meu amor achava um meio
de brincar com a dor alheia

*

sábado, 17 de agosto de 2019

mundana

líria porto

perdeu os seus sonhos nas sombras da noite
perdeu a pureza no covil dos homens

*

domadores

líria porto

igual égua insubmissa
quem quiser montar meu dorso
prepare o corpo pra queda

*

transparência

líria porto

tão bela
quanto a palavra
libélula

*

os primos

líria porto

havia um clima
(no ar nos olhares)
e também tinha uma placa
(imaginária)
onde estava escrito "pare"
(antes que fosse tarde)
e um dos dois perdesse
o freio

*

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

foro íntimo

líria porto

uns homens preferem homens
mulheres querem mulheres
e todos –– homos e héteros
temos direitos deveres
pagamos taxas impostos
e merecemos
respeito

*

quinta-feira, 15 de agosto de 2019

traste

líria porto

assim chegou nesse mundo
pequena frágil indefesa
igual filhote de rato

a mãe olhou-a assustada
embrulhada num farrapo
a abocanhar sua teta

o pai resmungou –– mulher
eu queria um filho macho
tu me dás outra maria

*

formigueiro

líria porto

eu vou prender num pen drive
a sanha da minha pena –– tanta letrinha pequena
a sonhar asas de águia

*

condenação

líria porto

entre minhas pernas
cabelos x pentelhos
acendia os cigarros
fazia anéis de fumaça
e eu –– fumante passiva
enchia os pulmões de vício
amarelava os joelhos

(de amor também se morre
de amor e de porre)

*

. fendas

líria porto

os plurilábios das mulheres
(grandes pequenos médios)
entreabertos como pétalas
para as formas oblongas
dos batons dedos línguas pênis
e demais objetos penetrantes

*

ruços

líria porto

as dores que atacam os flancos dos velhos
não têm piedade dos nervos dos músculos
nem das vísceras

os ossos se esbarram uns nos outros e os gases
fazem barulho

somos todos pangarés

*

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

sismos

líria porto

a lua treme
sim –– na lua tem lunamotos
e nenhuma gravidade
:
a lua tem certos modos
e destroços que flutuam

*

trash

líria porto

em dias de ir à privada
o homem de vida pública
(baixo clero)
manda avisar à cambada
que coma pouco
e faça o 02
às terças quintas
e sábados

(o 01 co'as milícias
o 03 na baixada)

*

maldade

líria porto

governo cruel
mina a alegria do povo
a porca miséria

*

aninha

líria porto

a sainha de anarruga
uma blusinha de malha
vestiam-lhe a juventude
e aquela simplicidade
somada à sua alegria
às belas formas do corpo
atraíam os olhares
dos homens velhos
e moços

*

pele

líria porto

cetim seda
algodão anarruga
linho rústico e em breve
para o forro do meu corpo
tão somente
o couro

*

reentrâncias

líria porto

grandes e pequenos lábios
emolduram a gruta
que as mulheres resguardam
e os homens disputam

*

segunda-feira, 12 de agosto de 2019

.abandono

líria porto

a pior solidão é a da viúva
de marido vivo

*

quinta-feira, 8 de agosto de 2019

torturador

líria porto

ele não ilustra nada
pelo contrário –– ultraja a história
do nosso país
:
ulstra é um crápula
como quem o reverencia

*

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

a sete chaves

líria porto

tu que me sabes de cor e salteado
não conheces nem metade
do que sou (in)capaz

(escondemos
até de nós mesmos
nossas lacunas
e inconsistências)

*

equação

líria porto

o passado já se foi
o futuro ainda virá
e agora é sempre agora
embora já não seja

*

anoitece

líria porto

nos mil céus da minha janela
aparece a chuva que apaga o sol
que espera a lua pendura as estrelas
e escurece a tela

*

haicai

líria porto

barcaça de luz
navega na escuridão
a lua crescente

*

miragem

líria porto

como um camelo atravesso
o deserto da existência

alegria e tristeza
sobem-me às corcovas
e conduzem as rédeas

a passos lentos
com areia nos olhos
busco um oásis

(rumino os dias
e os pensamentos)

*

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

. bis_coito

líria porto

falo para uma
falo para todas

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog