quinta-feira, 30 de abril de 2020

beco

líria porto

saio da avenida
para cair na esbórnia

quarta-feira, 29 de abril de 2020

confinamento

líria porto

levei tão ao pé da letra
isso de ficar em casa
a rua é outro planeta
irei só paramentado
(armadura emu escafandro)
pra evitar a mortalha

*

sexta-feira, 24 de abril de 2020

farda

líria porto

o vírus veste verde
tem ventosas cor-de-rosa
patente de capetão

*

vagalhão

líria porto

os velhos os avós as viúvas
e o vírus voraz a vogar suas veias
a vergar-lhes as vértebras

*

quinta-feira, 23 de abril de 2020

tantã

líria porto

faltam-lhe parafusos
ou talvez sobrem minhocas
naquela caraminhola

*

quarta-feira, 22 de abril de 2020

apagão

líria porto

tão ocos quanto a cabeça
os fios dos seus cabelos
sem pigmento

*

terça-feira, 21 de abril de 2020

luxo

líria porto

o arco-íris sobre os ombros
vez em quando enrolo-o ao pescoço
faço um turbante serve-me de canga
cubro minhas vergonhas

quem tem um arco-iris
pode sentir-se
afortunado

*

domingo, 19 de abril de 2020

pílulas

líria porto

poesia também é remédio
ora doce ora amargo
pra quem lê
pra quem escreve

*

coleta

líria porto

caetana bate à porta
eu lhe digo –– vai-te embora
teu lugar não é aqui
daqui não saio nem morta
vai buscar o indevido
que deve estar lá na rua
a espalhar epidemia

*

sexta-feira, 17 de abril de 2020

viagem

líria porto

se eu pudesse
botava o pé na lua
andava entre as crateras
da face oculta

*

quinta-feira, 16 de abril de 2020

indigesta

líria porto

sonhei que era a baronesa
servida à mesa do barão
:
ele me comia e lambia os beiços
sugava dos meus peitos
suco de limão

*

pores de sol

líria porto

as janelas da minha juventude
da maturidade e da velhice –– todas elas viram
o crepúsculo

*

quarta-feira, 15 de abril de 2020

poda

líria porto

a ponta da minha pena
mais parece um bisturi

*

desembarque

líria porto

evito-a mas não fujo dela
nem me agarro demais à vida
irei quando chegar a hora
porém acho um desperdício

*

aperto

líria porto

minha vida
um fusquinha vermelho
que eu mesma dirijo
:
sou tantas em mim
que mal nos cabemos
no espaço restrito

(necessito limusine
ou trem nos trilhos)

*

horizontal

líria porto

a cama me acolhe me acalma
em seu aconchego é que chego
lá dentro da alma
:
em sonho

*

terça-feira, 14 de abril de 2020

papai

líria porto

luana é a rosa
luana é a flor de abóbora
luana é a menina dos olhos
do poeta babão

*

nudistas

líria porto

o casal de velhos
a jogar peteca
o bilau e a mama
não paravam quietos

*

domingo, 12 de abril de 2020

puto

líria porto

não posso pisar na poça
nenhum passo
meu pai – possesso
impõe-se
portanto preciso
de uns pés de pato
e paciência

*

sábado, 11 de abril de 2020

oral

líria porto

quem tem boca vai a roma
mas também vai a paris
ao subúrbio ao dentista
ao restaurante
ao bar da esquina
ou simplesmente sorri
fala canta lambe declama
beija
boceja
pragueja
xinga cospe
mostra a língua

*

óbito

líria porto

morte matada ou morrida
nas gripezinhas da estrada

*

noz

líria porto

coração é castanha
e a pele
            casca dura

*

tromba-d'água

líria porto

para não chorar
rio-me
oceano-me
evaporo-me
desabo
cúmulo-nimbo
temporal

*

noz

líria porto

coração é castanha
e a pele
casca dura

*

quinta-feira, 9 de abril de 2020

falta

líria porto

menino
tua ausência
faz barulho
principalmente
aos domingos

*

noitada

líria porto

dei de perder o sono
porém de olhos fechados
eu permaneço na cama
engano o anjo da guarda
:
ele adormece eu escapo
vou vadiar co'os diabos

*

segunda-feira, 6 de abril de 2020

infelizes

líria porto

quem eu quero não me serve
quem espero não me alcança
e assim seguem os que se julgam
superiores

*

domingo, 5 de abril de 2020

desapontamento

líria porto

a vida se tornou
uma frustrante esteira
elétrica

a gente anda corre
sua cansa e não sai
do lugar

*

nariz

líria porto

vulcão de lava homicida
carregada de vírus

*

eleva_dor

líria porto

a caixa que me sobe
do térreo ao nono andar

a caixa que me desce
do céu para o inferno

a caixa é uma escada
sem degrau

(a caixa federal)

*

duração

líria porto

nasceu homem / alma de homem
nasceu mulher / alma de mulher

nasceu homem / alma de mulher
nasceu mulher / alma de homem

nasceu sem alma
quis ser a mulher do rei
o homem da rainha
quis ser mais do que era
ter mais do que tinha

nasceu
tem que morrer

*

sexta-feira, 3 de abril de 2020

estranha

líria porto

moro de parede meia com dona esquisita
eu de cá do espelho –– ela de lá

*

passatempo

líria porto

eu olho a nuvem passar
as suas formas humanas
uma cabeça sem corpo
um velho parece morto
o perfil de uma mulher

eu olho a nuvem passar
e ela aos poucos se encorpa
fica cinzenta disforme
em pouco cai –– chuvarada
fecho a janela e a porta

escuto a chuva chover

*

providência

líria porto

quando o diabo aparece
é um deus nos acuda

*

confinamento

líria porto

meu olhar pula a janela
circula entre nuvens ruas e avenidas

os olhos acomodam-se nas órbitas
ocultam-se detrás das pálpebras
consolam-se pelas páginas dos livros
já não olham noutros olhos

*

quinta-feira, 2 de abril de 2020

limpos

líria porto

prafrentex moderninha
(minissaia batom rímel)
namorava todo mundo
mas fumante –– impossível
a cabeça tonteava
o estômago dava embrulhos
tinha inveja das amigas
das irmãs que conseguiam
baforadas de fumaça
elegância de atrizes

(no vexame do passado
os pulmões sem nicotina)

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog