domingo, 26 de novembro de 2017

restos

líria porto

definham-se os desejos
sobram-nos o espinho da rosa
e a espinha do peixe

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

artifício

líria porto

bebo sol
(cápsula gelatinosa)
para proteger os ossos
e ficar mais forte

(d'ouro a pílula
bebo vitamina)

*

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

eva's

líria porto

morde-a
conhece o sabor da fruta
estala a língua e agora
sabe o que adão sentiu

(a culpa foi da cobra)

*

laboratório

líria porto

uma e outras vezes
na busca do acerto
cometi muitos erros
virei-me do avesso
e esse jeito arcaico
quase imperdoável
de quebrar a cara
levou-me ao buraco
pra catar os cacos
fazer um mosaico
das experiências

*

terça-feira, 21 de novembro de 2017

demora

líria porto

a espera
do que flor
dura mais
que a prima
vera

*

prematuramente

líria porto

pichei as paredes do útero da minha mãe
(palavras de protesto na placenta)
e nasci aos berros

a palmada no traseiro
foi só o começo

*

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

logro

líria porto

sempre-viva morreu
senti-me enganada
fui ao procon
e nada

*

grafite

líria porto

as paredes têm-me ouvido
já os muros dizem tanto
que os proibiram

*

linda

líria porto

feita de ébano
sorriso de marfim
assim é melanina
:
belíssima

*

haicai

líria porto

gotinhas de chuva
trêmulas –– presas às plantas
janela da sala

*

gari

líria porto

depois da chuva
o sol vem de sola
passa rodo –– seca
a rua

*

farol

líria porto

a poesia nos ajude
a reencontrar a liberdade
ainda que à tardinha

*

machismo

líria porto

o sol esconde o brilho
da estrela dalva

*

domingo, 19 de novembro de 2017

jurássica

líria porto

sou do tempo da pedra lascada
do nabucodonosor do matusalém
e doutros brotinhos

*

perversidade

líria porto

decepar-lhe as asas
com foice sem corte

condená-lo à sorte
da vida sem voos

proibir-lhe o canto
sequestrar-lhe a voz

forçá-lo a partir
de uma vez por todas

sem direito a nada
sem olhar pra trás

*

abrigo

líria porto

útero placenta
cordão d'umbigo
líquido amniótico
:
primeiro território

*

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

desdém

líria porto

fosses ficasses –– pouco mudaria
tuas presenças ausentes não são
companhia

*

juventude

líria porto

cor perfume orvalho e espinhos
como as rosas

*

terça-feira, 14 de novembro de 2017

eixo

líria porto

percorre-me a coluna
uma dor aguda
com seus pés de pedra
:
esfacela-me as vértebras
e o orgulho

*

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

tanto

líria porto

menos que o máximo
mais que o mínimo
o necessário

*

perenes

líria porto

homens são como antúrios
podem cair-lhes as folhas
não a florescência

*

operário

líria porto

trilho caminhos difíceis
nasci para quebrar pedras alargar atalhos
cobri-los com paralelepípedos

*

pressão

líria porto

precisamos parecer felizes
mesmo quando o caos se instala e o mundo
vem abaixo?

*

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

descrédito

líria porto

verdadeira_mente 
quem diria –– o que ela sente 
toda a gente desconfia

*

sombra

líria porto

na ânsia de encontrar um amor
desdenhou o amor-próprio

*

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

tigre de bengala

líria porto

preciso pretendo
não tenho vigor

o tempo governa meu corpo
põe freio nas pernas reduz
minhas forças

(não me esperes)

*

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

mulher

líria porto

a lua atrás da cerca
metida dentro das galhas
a lua de tantas lendas
passava por entre as fendas
com sua luz emprestada

*

bagagem

líria porto

sonhei que perdera amá-la
e comia tamarindo

sabores azedo e amargo
enquanto levava a vida

(nem pensava em desistir)

*

fartura

líria porto

haja sal onde a língua
homens e gado tenham pasto
e o capim viceje

*

bagagem

líria porto

sonhei que perdera amá-la
e comia tamarindo

sabores azedo e amargo
enquanto levava a vida

(nem pensava em desistir)

*

di_vagar

líria porto

terceira idade
melhor idade
e nem bobagens
desse calibre
:
velhice mesmo
nenhum disfarce
e nem neblina
para o meu tempo
de liberdade
de ir comigo
para a fronteira
e de mãos dadas
com a bengala
da própria vida

(eu não sou vítima)

*

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

in_coerências

líria porto

lá no miolo do sonho
entre fatos muito antigos
e aflições do momento
medos desconhecidos
cacos do inconsciente

começo a puxar o fio
associar os detalhes
e tudo salta tão vivo
como se fosse num filme
da sessão da tarde

*

domingo, 5 de novembro de 2017

cu

líria porto

minério não dá duas safras
uns poucos colhem a riqueza
e a nós nos resta
o buraco

*

pá de cal

líria porto

já se escreveu sobre tudo
sobre nada
em prosa verso canção
então por que não desisto
insisto em buscar a palavra
que me leve às galáxias
à implosão do infinito
ao auto-extermínio?

*

sábado, 4 de novembro de 2017

deuso

líria porto

tornei-me meu personagem –– sou ficção verdadeira
acredito piamente em toda e qualquer bobagem
que invento sobre mim

*

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

páreo

líria porto

para justificar o embate
rival tem que ter cabedal
estar preparado pra luta
:
ganhar ou perder é do jogo
vencer fraco é covardia

*

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

puta velha

líria porto

tão bruta essa vida
essa luta insana
por sobrevivência

uns vendem o corpo
uns vendem a alma
(não tem salvação)

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog