quarta-feira, 11 de setembro de 2019

mosqueteiros

líria porto

um não me atraía
outro me trairia
e o outro
eu cheguei tarde

(ainda bem havia o quarto)

*

absoluta

líria porto

todo bolha é meio pulha
mas não abala nem pilha
a abelha

(zangões que se cuidem)

*

quimeras

líria porto

achamos que perdemos
e nunca foi nosso
iludíamo-nos

(chegam
roçam-nos
deixam-nos cheiros
arranhões
e vão-se
sem despedidas)

*

segunda-feira, 9 de setembro de 2019

haicai

líria porto

qual fosse papoula
essa lua no horizonte
uma flor laranja

*

agressões

líria porto

eu sei tu sabes eles ignoram
o que nós mulheres sofremos
na pele

*

o peso

líria porto

quem vai transportar-me a carcaça
para outra dimensão
quem vai segurar minhas alças
à última morada
quem vai me elevar aos píncaros
e por lá me soltar?
:
eu nomeio os quatro genros

*

guimbas

líria porto

as palavras que trago
na ponta do lapso
ou viram poema
ou fracasso

*

domingo, 8 de setembro de 2019

ingenuidade

líria porto

da meninice
apenas vestígios
dos voos que eu dava
à sombra da árvore
dos sonhos que eu tinha
de um dia ser grande
e que a felicidade
estivesse ao alcance
de todos os homens

*

sexta-feira, 6 de setembro de 2019

miscelânea

líria porto

vira e mexe
a gente amarrota o passado
e embrulha o presente

o futuro?
sei lá

*

sexta-feira, 30 de agosto de 2019

sangue

líria porto

doo-me em cada quina
em cada esquina
doo-me do verbo doer

*

loucos

líria porto

quem vive à beira da luxúria
precisa da cumplicidade
de outros

*

compromissos

líria porto

mais que o amigo
o antigo elo de um outro tempo
em que nossos corpos se pediam
e havia impedimentos sérios

(vontades reprimidas magnificam o desejo)

*

segunda-feira, 26 de agosto de 2019

rebojo

líria porto

moinhos de vento
moinhos de ventre
moinhos de dentro
remoinhos
:
rastilhos
vestígios
de sempre

*

terça-feira, 20 de agosto de 2019

sádico

líria porto

com uma pinça
capinava os meus pentelhos
vez por outra eu gemia
ai ai
ele dava uma lambida
:
meu amor achava um meio
de brincar com a dor alheia

*

sábado, 17 de agosto de 2019

mundana

líria porto

perdeu os seus sonhos nas sombras da noite
perdeu a pureza no covil dos homens

*

domadores

líria porto

igual égua insubmissa
quem quiser montar meu dorso
prepare o corpo pra queda

*

transparência

líria porto

tão bela
quanto a palavra
libélula

*

os primos

líria porto

havia um clima
(no ar nos olhares)
e também tinha uma placa
(imaginária)
onde estava escrito "pare"
(antes que fosse tarde)
e um dos dois perdesse
o freio

*

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

foro íntimo

líria porto

uns homens preferem homens
mulheres querem mulheres
e todos –– homos ou héteros
temos direitos deveres
pagamos taxas impostos
e merecemos
respeito

*

quinta-feira, 15 de agosto de 2019

traste

líria porto

assim chegou nesse mundo
pequena frágil indefesa
igual filhote de rato

a mãe olhou-a assustada
embrulhada num farrapo
a abocanhar sua teta

o pai resmungou –– mulher
eu queria um filho macho
tu me dás outra maria

*

formigueiro

líria porto

eu vou prender num pen drive
a sanha da minha pena –– tanta letrinha pequena
a sonhar asas de águia

*

condenação

líria porto

entre minhas pernas
cabelos x pentelhos
acendia os cigarros
fazia anéis de fumaça
e eu –– fumante passiva
enchia os pulmões de vício
amarelava os joelhos

(de amor também se morre
de amor e de porre)

*

. fendas

líria porto

os plurilábios das mulheres
(grandes pequenos médios)
entreabertos como pétalas
para as formas oblongas
dos batons dedos
línguas pênis
e demais objetos
penetrantes

*

ruços

líria porto

as dores que atacam os flancos dos velhos
não têm piedade dos nervos dos músculos
nem das vísceras

os ossos se esbarram uns nos outros e os gases
fazem barulho

somos todos pangarés

*

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

sismos

líria porto

a lua treme
sim –– na lua tem lunamotos
e nenhuma gravidade
:
a lua tem certos modos
e destroços que flutuam

*

trash

líria porto

em dias de ir à privada
o homem de vida pública
(baixo clero)
manda avisar à cambada
que coma pouco
e faça o 02
às terças quintas
e sábados

(o 01 co'as milícias
o 03 na baixada)

*

maldade

líria porto

governo cruel
mina a alegria do povo
a porca miséria

*

aninha

líria porto

a sainha de anarruga
uma blusinha de malha
vestiam-lhe a juventude
e aquela simplicidade
somada à sua alegria
às belas formas do corpo
atraíam os olhares
dos homens velhos
e moços

*

pele

líria porto

cetim seda
algodão anarruga
linho rústico e em breve
para o forro do meu corpo
tão somente
o couro

*

reentrâncias

líria porto

grandes e pequenos lábios
emolduram a gruta
que as mulheres resguardam
e os homens disputam

*

segunda-feira, 12 de agosto de 2019

.abandono

líria porto

a pior solidão é a da viúva
de marido vivo

*

quinta-feira, 8 de agosto de 2019

torturador

líria porto

ele não ilustra nada
pelo contrário –– ultraja a história
do nosso país
:
ulstra é um crápula
como quem o reverencia

*

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

a sete chaves

líria porto

tu que me sabes de cor e salteado
não conheces nem metade
do que sou (in)capaz

(escondemos
até de nós mesmos
nossas lacunas
e inconsistências)

*

equação

líria porto

o passado já se foi
o futuro ainda virá
e agora é sempre agora
embora já não seja

*

anoitece

líria porto

nos mil céus da minha janela
aparece a chuva que apaga o sol
que espera a lua pendura as estrelas
e escurece a tela

*

haicai

líria porto

barcaça de luz
navega na escuridão
a lua crescente

*

miragem

líria porto

como um camelo atravesso
o deserto da existência

alegria e tristeza
sobem-me às corcovas
e conduzem as rédeas

a passos lentos
com areia nos olhos
busco um oásis

(rumino os dias
e os pensamentos)

*

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

. bis_coito

líria porto

falo para uma
falo para todas

*

quarta-feira, 31 de julho de 2019

aporrinhação

líria porto

a cloaca da galinha
arrombada por um ovo

coitadinha coitadinha
todo dia um parto novo

vem o galo –– ideia fixa
pra mais uma rapidinha

todo galo
é um estorvo

(todo machista)

*

espasmos

líria porto

um leão ruge em meu ventre
estraçalha-me as tripas
parece que estou enferma
revolução das lombrigas

*

.cardápio

líria porto

um dia veio o marido
quis fazer filho comigo
recusei-me

vi o vizinho na esquina
e ele me olhou de um jeito
sorri e desde esse dia
só penso nisso

*

chifre na cabeça de cavalo

líria porto

não sei quando não sei como
nem ao menos sei porquê
mas se procurar
tenho chance

*

potência

líria porto

mulher nunca foi sexo frágil
jamais precisou de ereção
esse desespero

*

ruína

líria porto

imenso o desmonte
e sob os escombros
a prata da casa

(não haverá amanhãs)

*

mulher maravilha

líria porto

doutor
se torcida valer
vou parir uma rosa

para alegria da mãe
a cria nasceu
sem saco

*

descarga

líria porto

tal como
a água
que gira
no fundo
do vaso
e empurra
a merda
pro esgoto
a morte
se limpa
da vida

*

involução

líria porto

a gente nasce
cresce envelhece
vira criança de novo
volta pra dentro do ovo
e se aninha no colo
dos filhos

*

hipertenso

líria porto

se ele infartasse na minha cama
ia ser um vexame pra mim
e pra madame

*

ermitão

líria porto

o que não espero de mim
não posso esperar de ninguém
eu sou de pouca visita

*

(im)potência

líria porto

poder eu posso
porém não devo e não vou
expor as tuas fraquezas

*

baba

líria porto

pior que tosco
pior que rude
pior que grosso
pior que tudo
o boquirroto
que não segura
os perdigotos
da sua saliva

*

sexta-feira, 26 de julho de 2019

. eficácia

líria porto

maridos são homens bons
pelo menos no começo

com o passar dos anos
usamo-os como remédio
pra aplacar a solidão

funcionam como placebo

*

quinta-feira, 25 de julho de 2019

. paroquianos

líria porto

comer hóstia
e beber da água benta
para aplacar o desejo
que nos tira a paz
de espírito

*

. confissão

líria porto

eu teria sido puta
na maior boa vontade
faltaram-me os atributos
e também alguma audácia

(sempre achei as putas lindas
mas só faço amor de graça)

*

segunda-feira, 22 de julho de 2019

rabo entre as pernas

líria porto

pela porta que entrei eu saio
e há a porta dos fundos
por onde fogem os trânsfugas
os que desertam
e têm culpa

*

oportunistas

líria porto

assim são uns patriotas
quais aves de arribação
se faz bom tempo eles vêm
(comem filé mignon)
na tempestade se vão

(e de longe nos criticam)

*

domingo, 21 de julho de 2019

companhia

líria porto

um bailinho à tarde
a saia de roda
a blusa de cor
xalinho nos ombros
perfume batom
sapatos de salto
e um cavalheiro
só para dançar

(não pise no calo
não pegue no pé)

*

oferendas

líria porto

dê_lírios à amada
abraços beijos
orgasmos

*

debilidade

líria porto

com os anos
tão diferentes das máquinas
que têm vontade de ferro
os ossos ficam mais frágeis
as engrenagens se emperram
alguma peça se quebra
e capengamos

*

delícia

líria porto

trancinhas de queijo
de boas lembranças
lambuzam-me a infância
em doces de leite

*

em outubro

líria porto

vou precisar da banqueta
para estirar minhas pernas
depositar o cansaço
das setenta e quatro velas
e espero que as almofadas
também me aqueçam
as canelas

a bengala eu já tenho
herdei-a do velho pai
que há de ancorar-me
os passos

*

sábado, 20 de julho de 2019

haicai

líria porto

nas malhas do inverno
a lua sangrava amarelo
e o sol de resguardo

*

subterrâneos

líria porto

debaixo da pele
nos recônditos do corpo
vontades secretas
desejos
incômodos

*

viagem (concurso)

líria porto

aprendi a ler sozinha
(mulheres não deveríamos)
e tudo que descobri
era maior que minhas pernas
meu coração
meus olhos
:
sentada
livro no colo
num pulo só
do polo sul
ao polo norte

(ao infinito)

*

fuga

líria porto

dormir cedo acordar tarde
espichar o sono de tal forma
que a extensão da noite se pareça
à duração da morte

*

drible

líria porto

dei-me um bolo
e qualquer dia desses
pulo fora de mim

*

quinta-feira, 18 de julho de 2019

arminha

líria porto

o braziu
foi encoberto
]sumiu do mapa[
em primeiro
de janeiro
de dois miu
e dezenove
:
moves
moves fora
assauto

*

labirinto

líria porto

zumbidos e silvos
abelhas e cobras
o grilo no ouvido
o mundo que gira
e o voo sem volta
revolve-me as tripas

(sou um caracol
um ser esquisito
carrego nas costas
o rito da vida
o peso da carga
e a gosma)

*

segunda-feira, 15 de julho de 2019

lua crescente

líria porto

um caiaque uma canoa
uma boca sorridente –– um parêntese
aberto

*

esconderijo

líria porto

no paiol do inconsciente
ferramentas de defesa
e acusação

*

domingo, 14 de julho de 2019

o sonho

líria porto

esta nossa outra vida paralela
revela-nos quem nos tornamos
nossos desejos e anseios
de um jeito simbólico
sem precisar referir-se
aos fatos recentes

*

. transição

líria porto

ao tirar o sutiã tirava os peitos
o recheio todo feito de algodão
precisava ser mulher de qualquer jeito
o seu corpo foi fazer revolução

começou por arrancar aqueles pelos
que habitavam suas pernas sua cara
e deixou que lhe crescessem os cabelos
e vestiu roupa de flor –– a que sonhara

já não era decassílabo o soneto
muito menos o heroico alexandrino
travestiu-se de mulher algo divino

caminhava pelos becos pelo gueto
como fosse a mais bela das rainhas
e ostentasse uma coroa com espinhos

*

aurora

líria porto

o sol não apareceu
mas caminha –– o céu
apagou as estrelas

*

.preliminares

líria porto

percorrias-me a pele
com os dedos
a língua
eu fechava os olhos
flutuava
encorpava-me como a nuvem
que iria chover em breve

*

sábado, 13 de julho de 2019

excrescências

líria porto

que um fantasma tenha asma
é verossímil
no entanto se ele fala esperanto
quem acredita?

*

sobrevivência

líria porto

rir em tempos medonhos
pode parecer cinismo
não é
é um esforço sobre-humano
para resistir
para não se deixar morrer de tristeza
e desespero

*

terça-feira, 9 de julho de 2019

ca(n)gaço

líria porto

enfrento leões dragões
obstáculos
co'as calças borradas
e tem mais
pálida e trêmula

(ô diacho
confessar as fraquezas
a vida é uma caixa
de suspenses)

*

astro rei

líria porto

o sol encontra uma brecha
faz a nuvem evaporar
reaparece lampeiro
igual ferro no braseiro
avermelhado de raiva
:
invernos não são empecilhos
no reino da majestade

*

a_coitados

líria porto

no interior das galhas
todos os voos todos os trinados
que o rigor do inverno maltrata

*

segunda-feira, 8 de julho de 2019

desamparo

líria porto

pequena feia miudinha
e embora fosse outubro
e já fizesse calor
embrulharam-na em cobertas
ficou igual um casulo

presos os braços as pernas
só os seus olhos voavam
iam das tetas ao teto
tudo era imensidão
acostumara-se ao útero

berrava como um bezerro

*

apoio

líria porto

foste pedra em meu caminho
porém não nego –– tive onde me sentar
durante o cansaço

*

sexta-feira, 5 de julho de 2019

na vida

líria porto

tive a entrada
o prato principal
e o vinho

ainda espero
o arroz-doce
o pudim
e um cafezinho

(depois o repouso eterno)

*

final

líria porto

nem tu soubeste
(e isso já nem importa)
o quanto gostaste dela
:
agora inês é morta

*

virose

líria porto

dói-me o corpo e mais pareço
almofada de alfinetes –– uma agulha
em cada poro

*

quinta-feira, 27 de junho de 2019

declínio

líria porto

a vida verga
vai de bengala
e desce morro
e cai na escada

*

despenhadeiro

líria porto

ainda que eu quebre a ampulheta
arranque os ponteiros do relógio
impossível deter o tempo
que vai como um rio
rumo à foz

*

na marra

líria porto

a vida tem mão pesada
aplica o tempo em nosso corpo
qual fosse injeção ou poção
boca abaixo

*

dourados

líria porto

nós poetas criamos poemas
que a poesia ela mesma se faz
e nem sempre se doa às nossas
bijuterias

*
líria porto

vou no domingo
voo de vassoura
e levo o corvo

*

da igualdade

líria porto

o esqueleto que mora em mim
saúda o esqueleto que mora dentro
de todo mundo
:
poderosos e mendigos

*

desassossego

líria porto

a poesia
não tem meio-termo
ou gruda na gente
ou desaparece

*

sábado, 15 de junho de 2019

invernal

líria proto

no tempo dos cabelos sem cor
homens e mulheres
desfolham-se

*

duração

líria porto

o dia pode parecer-nos longo
porém a vida é curtíssima

*

sexta-feira, 14 de junho de 2019

maricota

líria porto

ganhei de presente
a boneca que fala que canta
e protesta
:
queremos escola
e cachorro-quente

*

o menino

líria porto

zezim tinha asas
(tem duas pintas nas costas
marcas do lugar)
preferiu se entortar em meu neto
e é passarim
:
um anjo do avesso

*

quinta-feira, 13 de junho de 2019

haicai

líria porto

na noite de outono
um barco na escuridão
a lua crescente

*

terça-feira, 11 de junho de 2019

ama_zona

líria porto

meu coração
plantado na floresta
afogado no rio
morre e brota
todo dia

*

fuga

líria porto

vou-me embora pra saturno
viver cercada de anéis
ter ao menos sete luas
uns quatro ou cinco arco-íris
e treze estrelas vermelhas
:
vens comigo?

*

segunda-feira, 10 de junho de 2019

arruaceiro

líria porto

corro empurro espalho –– sou o vento
um ser sem cabimento um rebelde
sem calça

*

gaiola

líria porto

na troca das penas
passarinho fica mudo
cárcere privado

*

secura

líria porto

no sertão do meu ser
esse jeito de ser tão árido
desprovido de verde
(e amarelo)

*

zumbi

líria porto

quando me obrigo a fazer versos
(a poesia sumiu do mundo)
cavouco palavras co'as unhas
dou passos incertos
qual um viciado
cuja abstinência
transforma-o em trapo
em farrapo humano

*

precisão

líria porto

quando desplugo o desejo
sequer te preciso ver

porém se o deixo ligado
a tua ausência é um fardo

e quase morro de fome
e quase morro de sede

*

combate

líria porto

embora haja flores passivas e humildes
como as margaridas e as violetas
os girassóis são valentes as orquídeas resistem
e as rosas têm unhas pontudas
(não se negam à luta)
:
ainda mais as vermelhas

*

domingo, 9 de junho de 2019

tempos sombrios

líria porto

essa gente tosca
não gosta de povo
quer matar-nos todos
jogar-nos no abismo
da fome e do frio

a lei trabalhista
a da previdência
as suas propostas
atiram no ralo
o nosso destino

não tem mais saída
é greve geral
é gente na rua
a única força
capaz de contê-los

à luta
que a vida
é curta
e eles
não são deuses

* líria proto

terapia

líria porto

escrivaninha é divã
onde deito frustrações
e encantamentos

(enquanto escrevo
capino-me –– separo trigo
de umbigo

*

cloaca

líria porto

o poema é ovo
redondo e perfeito
não tem outro jeito
o poeta é ave

penoso ter asas
(a dor é no cu)

*

mulher

líria porto

menina –– flor em botão
abre pétala por pétala
e em pouco desabrocha
abre as pernas abre a mente
conquista louros diplomas
transforma o mundo
até que um dia desfolha
e vira adubo

*

sábado, 8 de junho de 2019

féretro

líria porto

eu vi a noiva morta
num ataúde de nuvem
o buquê em suas mãos
os cabelos soltos
:
quem a transporta?
o vento

*

brrrrrrr

líria porto

no frio
tomo banho todo dia
mas chio

quisera hibernar
dizer solenemente –– não vou
tal fosse um urso polar

*

quinta-feira, 6 de junho de 2019

percepção

líria porto

o que é a poesia
senão um momento
de espanto e emoção

*

quarta-feira, 5 de junho de 2019

haicai

líria porto

no meio da praça
fria polida de pedra
sem alma –– uma estátua

*

sem drama

líria porto

num dia ou noutro
sem mais nem menos
damo-nos conta
ficamos velhos

a gente esconde
pinta os cabelos
preenche as rugas
estica a pele

por algum tempo
isso funciona
porém a morte
ninguém engana

leva um amigo
algum parente
e a qualquer hora
quem vai?
:
a gente

*

terça-feira, 4 de junho de 2019

lupa

líria porto

detetive é o cara
que acha chifre em cabeça
de casal

*

segunda-feira, 3 de junho de 2019

paixão

líria porto

matéria explosiva
entre as costelas e as vértebras
nitroglicerina

*

lavoura

líria porto

cavouco versos co'as unhas
algum cavaco me fere
no barro de sangue e terra
há uma espécie de húmus
poemas à flor da pele

*

entrega

líria porto

de ti de tantos de todos
de mão em mão
que o corpo é generoso
a matar-nos a fome
a sede
o desejo

*


o pai

líria porto

sensível
fama de durão
família grande
(nove rebentos)
não iria desvaler-se 
sair dos trilhos
a isso se propôs 
:
morreu em paz

*

momento

líria porto

hora de orar a chuva
só depois tecer o verso
:
enquanto chorar a nuvem
deixar sangrar todo o resto

*

haicai

líria porto

uma bola branca
o cãozinho serelepe
seu corpo de nuvem

*

domingo, 2 de junho de 2019

dominical

líria porto

ao picadinho de carne
gostoso
bem temperado
juntar suco de tomate
uma colher de açúcar
champignons creme de leite
depois servir com arroz
batatas fritas
e vinho

*

quinta-feira, 30 de maio de 2019

em órbita

líria porto

a terra em volta do sol
a lua em torno da terra
e no mundo da lua
os românticos
os poetas

*

futuro

líria porto

um dia a gente descobre
nada nos cai do céu
quase tudo que nós temos
é resultado da luta
dos que nos antecederam

os nossos filhos
os netos
terão orgulho de nós?
:
em qual mundo viverão?

*







em qual mundo viverão?

segunda-feira, 27 de maio de 2019

nós e laços

líria porto

zezinho dorme tranquilo
ao lado de sua avó
ele o início ela o fim
de um encontro bonito
entre uma velha e um menino
que se querem muito bem
e contam boas histórias

*

domingo, 26 de maio de 2019

distração

líria porto

saiu por aí
voou descuidado
pousou no telhado
cantou solfejou
despertou o gato
que num pulo só
inhoc
:
era uma vez
um canário

*

sábado, 25 de maio de 2019

autoria

líria porto

parir um texto demanda
gestação paciência
e dor

*

uvas verdes

líria porto

corro atrás do que desejo
persigo-o até me cansar –– só então
dou-me uma trégua
:
não sou de malhar em ferro

*

quinta-feira, 23 de maio de 2019

destino

líria porto

um dia qualquer
à espera de alguém
tu bem sabes quem
porém ignoras
o seu sentimento
os seus pensamentos
o cheiro que tem

(que demora)

*

quarta-feira, 22 de maio de 2019

xô tristeza

líria porto

em dias de muita chuva
dou vazão às lágrimas
:
a viuvez e as nuvens
correm juntas pra enxurrada
mergulham no córrego
no rio
e dessalgam o mar

(raramente poças d'água)

*

terça-feira, 21 de maio de 2019

centímetros

líria porto

entre as pernas das mulheres
chegam minhocas com a sanha das cobras
e retornam ao estado de origem

*

bravura

líria porto

com uma adaga
vencia a espada
do valentão

*

poetar

líria porto

desembainhar a palavra
com a precisão da katana
de um samurai

*

segunda-feira, 20 de maio de 2019

opressão

líria porto

na cela do alazão –– uma baia apertada
só cabe seu corpo sem sela
o cocho de feno
e um balde d'água

(nenhum sonho de liberdade
nenhum pinote)

*

a nova política

líria porto

quase um batalhão
oitenta balaços
e um artista negro
a tingir de sangue
o chão da sua pátria

o que fazia ele
o mártir?

levava a família
comemoravam a vida
de um menino negro
que um dia será vítima
do mesmo preconceito

*

borboletas

líria porto

estas nuvens que nos cobrem
grávidas de tempestade
precisamos vento forte
para abortá-las
:
empunhemos nossos leques
agitemos nossas asas

*

à man'cheia

líria porto

minha janela são muitas
e tantos passam por ela
os reis vassalos
as putas bruxas e fadas
cavaleiros e cavalos
sapos peixes
astronautas
:
minhas janelas é única

*

quarta-feira, 15 de maio de 2019

insossas

líria porto

há pessoas que parecem flor de plástico
não são feias –– porém não fedem
nem cheiram

*

...

líria porto

o dia começa chocho
o vento não move palha
por dentro esse marasmo
sequer o gosto amargo
dos cabos de guarda-chuva
e o sol fosco
nada diz
:
quem morre hoje
quem nasce
alguém faz aniversário
algo há que nos anime
a botar o pé na lua?

homens de bem

líria porto

em nome de deus e do lucro
professam suas virtudes

(e todo o mais
que se exploda)

*

segunda-feira, 13 de maio de 2019

inundação

líria porto

amar lua sol estrela
é fácil pra qualquer um
quero ver amar a nuvem
que nunca parece a mesma
vai-se com qualquer vento
e quando vem pra valer
é choradeira é lama
relâmpago raio
e trovão

*

admiração

líria porto

o sol olho-o de relance
porém firmo o olhar na lua
as mulheres mais que os homens
suportam olhares profundos

*

domingo, 12 de maio de 2019

injustiças

líria porto

a vida tem um peso
e muitas medidas

*

anatomia

líria porto

ele tem dois lados esquerdos
coração em dobro e seu corpo
não fabrica bílis

*

sábado, 11 de maio de 2019

restrições

líria porto

ofertaste-me o belo
aceitarias a_penas
plumas?

*

desigualdade

líria porto

a vida tem um peso e muitas medidas
(a isso chamo injustiça)

*

líria porto

tinha/tenho
muito pouca
paciência

tudo nada
muda cega
surda

passada

*

haicai

líria porto

orelhas de abano
os silêncios da savana
o elefante escuta

*

sexta-feira, 10 de maio de 2019

sonho

líria porto

mar vinha mar ia
todo o balanço das ondas
no colo materno

*

sacana

líria porto

poesia me esculhamba
manipula me domina
depois parte –– vai embora
pro puteiro
ao bar da esquina
enche a cara vai em cana
sai e diz que ainda me ama
eu a levo para a cama
e assim a gente vive
:
e morre
e vive

*

quinta-feira, 9 de maio de 2019

rédeas

líria porto

mulheres alargam os passos
minorias avançam –– assumem
o comando
:
o phoder não se conforma
inventa leis casuísmos
mas porém perde
terreno

*

aborrecimento

líria porto

muita vez exagerada
quase sempre irreverente
maria recorre ao silêncio
pra dizer tudo que sente

*

a sorte na palma da mão

líria porto

um dia chegavam
sem qualquer aviso
montavam as tendas
moravam sob lonas
aquelas famílias

as donas casadas
de saias de roda
estampas babados
lenços nos cabelos
brincos de medalhas

as moças solteiras
suas tranças compridas
os braços o pescoço
cobertos por joias
correntes de ouro

os homens morenos
fortes torso nu
forjavam o cobre
fabricavam os tachos
vendiam-nos nas ruas

bebiam dançavam
tocavam violino
depois iam embora
que não tem parada
a vida dos zíngaros

(eu era pequena
temia os ciganos
pensava que eles
roubavam crianças
levavam-nas das mães)

*

ampulheta

líria porto

o tempo que já passou
o tempo que ainda tenho
o tempo que faltará
e não me resta mais tempo
para matar o tempo

*

terça-feira, 7 de maio de 2019

la muerte

líria porto

não sei como não sei onde
sequer sei quando ou por quê
só sei que inevitável

*

estranhamento

líria porto

meu verso era alegre
ficou taciturno
eu sinto saudades
de quando as palavras
chegavam até mim
e sorriam

(que tempos são esses
sou eu ou são eles?)

*

segunda-feira, 6 de maio de 2019

áspero

líria porto

o lençol em desalinho
não é cetim nem percal
sequer tem cento e cinquenta fios
são quatro sacos de farinha
(algodão cru)
encardidos remendados
sobre o colchão de capim
onde a gente dorme
e come mal

*

roleta

líria porto

marés de sorte de azar
os ventos contra
a favor
e a vida sempre à mercê
do faz ou não faz
de conta

*

tromba d'água

líria porto

o tempo que a chuva
deixou de chover
choveu de uma vez

do jeito que os deuses
acertam as contas
com o povo miúdo

é tudo
ou nada

*

domingo, 5 de maio de 2019

ui

líria porto

trepei no muro
comi o conde

quando? onde?
nos velhos temp(l)os

*

nudez

líria porto

poetar é adormecer na geleira
e acordar na lava do vulcão

*

acessório

líria porto

o vento é o leque
desta madame chiquérrima
chamada natureza

*

sábado, 4 de maio de 2019

olhar

líria porto

ser poeta
e ver uma reta e escrever
sobre um circo

*

embriaguez

líria porto

a boca é grande
mastiga mastiga mastiga
mas não engole
e o bolo na garganta
(espécie de rolha)
misturado com saliva
cospe ou vomita
:
bebe outro copo
de vodka

*

haicai

líria porto

sexta-feira santa
a lua feita a compasso
mais cheia impossível

*

autoconhecimento

líria porto

pelos caminhos transversos
vim ao encontro de mim
e para isso fiz versos
e comi muito capim

*

haicai

líria porto

as gotas de orvalho
dentre as folhas do gramado
pequenos brilhantes

*

haicai

líria porto

a vista não passa
a neblina é uma muralha
cortina de tule

*

laços

líria porto

o velho a velha
rumo à pracinha
para a ginástica
conversam riem
falam do tempo
e do passado
:
uns movimentos
logo se cansam
retornam à casa
vão de mãos
dadas

(parece pouco?
pois é o máximo)

*

rédeas

líria porto

mulheres alargam os passos
minorias avançam –– assumem
o comando
:
o phoder não se conforma
inventa leis casuísmos
(perde terreno)

*

antecipadamente

líria porto

sabia da fama dos homens
não iria traí-los por vingança
mas por precaução

*

análise

líria porto

pra dormir bem e melhor
obter sonhos tranquilos
precisou matar os monstros
amansar todos os grilos

*

cócegas

líria porto

se o mar ficasse parado
quieto igual um espelho
meteria meu bedelho
cutucava-lhe a pança

quando a alegria voltasse
qual balanço de criança
eu iria numa prancha
à crista do azul

*

sumidouro

líria porto

doar os seus beijos
deixar que se insurjam
dentre os travesseiros
dos homens maduros
que saibam o sabor
do amor e da dúvida
e não tenham medo
de um dia perdê-los
pois os sentimentos
por fortes que sejam
não duram pra sempre
um dia diluem-se
e deixam um travo
na boca

*

sexta-feira, 3 de maio de 2019

consequentes

líria porto

eu não sei se vale a pena
arriscar todas as fichas
num projeto tão pequeno
no resumo de uma vida

se pensamos um no outro
eu começo continuas
e qual elo da corrente
outra mão segura a tua

*

quinta-feira, 2 de maio de 2019

calma

líria porto

um passo após outro
sem atropelar as palavras
os acontecimentos
:
devagar
de vagar
divagar
sem relógio
nem bússola

*

proibido pisar

líria porto

nem que eu poça
cheia de lama
deixava esses porcos
chafurdarem-me
a alma
:
aqui não
violão

*

incapacidade

líria porto

nenhum(a) personagem escolheu-me
para escrever sua história
(sacanagem preconceito
falta de compaixão)
dar-lhe-ia páginas palavras
coragem romance
e meu sangue
em troca

[que a culpa dele(a)]

*

magnânimo

líria porto

nosso avô
imperador dom elias porto das arábias
comunista de carteirinha
soberano e vassalo do meu coração
vivia cercado de netos
fazia-nos todos os gostos
governava-nos com amor
e bondade

*

quarta-feira, 1 de maio de 2019

mulher bomba

líria porto

para explodir os malditos
o meu corpo envelhecido
envolto em pólvora
e dinamite

*

rapinagem

líria porto

juan verde era um ratinho
que –– com vara curta
cutucava o gato maduro
moreno e bigodudo
chamado nicolás

outros roedores
o topete e o pé de chinelo
botavam pilha
queriam roubar o ouro negro
do quintal do meu vizinho

(tá ruço)

*

segunda-feira, 29 de abril de 2019

receita caseira

líria porto

beijo de mãe e colo de avó
têm poder de cura

*

domingo, 28 de abril de 2019

jornada

líria porto

maria acorda cedo
bem mais cedo que os santos
lustra o sol limpa o céu
varre as nuvens
deixa tudo azul
um brinco
:
à tarde os anjinhos
e o menino jesus
bagunçam o paraíso

(josé
na oficina)

*

sábado, 27 de abril de 2019

galinha

líria porto

o céu lhe deu asas
a_penas consegue
voos rasantes

*

quinta-feira, 25 de abril de 2019

cu doce

líria porto

poesia não me procura
deixo-a de lado –– questão
de orgulho
porém quando me acene
abano-lhe o rabo

*

quarta-feira, 24 de abril de 2019

revolução

líria porto

fazia xixi na cama
e aquele cheiro de mijo
a urina solta entre as colchas
deu-lhe pavor
e prazer

o grito de rebeldia
(silencioso)
um dia abriu-se com força
soltou um berro
causou ferrugem no ferro
e corrompeu os grilhões

*

passageiras

líria porto

minhas certezas
são como nuvens
basta um ventinho
tornam-se dúvidas

*

freudiana

líria porto

linguiças fritas
mortas dentro da gordura
trans_formavam-se em aranhas
cabeludas
:
e iam à luta

*

neurose

líria porto

seis passos à frente
cinco para trás
depois três ou quatro
no mesmo lugar

e existe o cansaço
o esforço a insistência
as grades as cercas
correntes e algemas

(por mais que se faça
por mais que se tente)

*

segunda-feira, 22 de abril de 2019

da ingratidão

líria porto

mãos repletas voltam vazias
e o coração pleno de mágoa

*

covardes

líria porto

atos extremos
só com os fracos
:
quem os enfrenta
puxam o saco

*

quinta-feira, 18 de abril de 2019

caminhantes

líria porto

sem data para acabar
no cardápio alguma dor
o sol a lua as estrelas
idas e vindas ao bar
:
nossas vidas duradouras
os invernos os verões
os jardins
toda a colheita
companheiros de viagem

tu e eu
levo a maleta
ainda subo os degraus
porém não desço a ladeira
sem o apoio da bengala

*

quarta-feira, 17 de abril de 2019

fuzilamento

líria porto

ao matar-se um homem
com oitenta balas
quem faz os disparos
(quem os autoriza)
tem sede de sangue
fome de vingança
ou alguma tara

*

sábado, 13 de abril de 2019

assim

líria porto

camisa vermelha
bandeira vermelha
e sem maquiagem

*

oração

líria porto

santo anjo do senhor
tão zeloso e guardador
deixa os senhores de lado
e protege os servos

*

prece

líria porto

senhora desatadora de nós
suplico-vos –– mantende-nos
unidos

*

segunda-feira, 8 de abril de 2019

pântano

líria porto

eu tenho dois córregos
nascidos nos olhos
que sempre transbordam
encharcam-me e alma
e o corpo

*

flecha

líria porto

existe um caminho
começa no peito
não tem outro jeito
eu chego em você

*

das inutilidades

líria porto

a poesia
está a serviço
de porra nenhuma

*

amálgama

líria

eu tenho uma ideia
tu tens outra ideia
a gente se junta
e liberta o lula

*

curitiba

líria porto

três metros por cinco
quinze metros quadrados
o tamanho da masmorra

*

lula

líria porto

apartaram-no do povo
e escolheram um parvo
cercado de loucos
fardas e togas
para destruir as conquistas
dos trabalhadores
e transformar seu país
em esgoto

*

redenção

líria porto

cordeiro de deus
que atirais pecadores ao mundo
rogai por vós

*

casulo

líria porto

a pena da águia
quinze metros quadrados
duas horas de sol

(bom dia
boa tarde
boa noite)

*

terça-feira, 2 de abril de 2019

31 de março

líria porto

de mortos vivos 
de zumbis
      de caricatos

*

visagens

líria porto

eu vejo gatos nas nuvens
criaturas entre as cobertas
poesia no fundo das xícaras
sabedoria nas pedras
porém homens tão vazios
que deles eu só enxergo
os ocos e os abismos
que os atraem
aos infernos

*

lambança

líria porto

abril abriu-se
tripas repletas
tanta sujeira
tanta meleca
sobre a bandeira
verde amarela

*

primeiro de abril

líria porto

a mentira de amanhã
sobre a verdade de ontem
(e vício inverso)

*

passageiro

líria porto

acima das nuvens
dentro de um pássaro de aço
qual fosse lombriga

*

pragmatismo

líria porto

traiu-me
perdoei-o
vai me trair de novo
mas agora
pouco importa
dei-lhe o troco
muitas vezes
e ficamos quites

*

sábado, 23 de março de 2019

simples

líria porto

a felicidade cabe
em duas sacolas de plástico
(um pouco de arroz
um quilo de feijão
um de farinha
carne moída
ovos
um punhado de jiló e o leite
dos meninos)

*

quinta-feira, 21 de março de 2019

por quê?

líria porto

nas pupilas da infância
pontos de interrogação

*

reacionários

líria porto

no submundo da direita
acumulam-se ódios preconceitos
violência intolerância egoísmo
maldade ignorância
ambição
e um jeito de fazer política
que privilegia os ricos
e dá cobertura
a bandidos

*

quarta-feira, 20 de março de 2019

involução

líria porto

os pobres ficam mais pobres
os tristes muito mais tristes
os homens de bem
bem piores

*

finitude

líria porto

puta que me pari
eu não sou de ferro
nem de pedra nem de aço
:
e carne apodrece

*

terça-feira, 19 de março de 2019

vassalagem

líria porto

abrir as pernas
rastejar lamber as botas
essa é nova ordem

*

ansiedades

líria porto

dorme e come
mais do que precisa
mas às vezes
perde o sono
:
já a fome
esta aumenta
desmedidamente

(todo obeso
é um tanto depressivo
alimenta as carências
com petiscos
guloseimas)

*

segunda-feira, 18 de março de 2019

malcriadez

líria porto

o galinho garnizé
canta grosso em sua casa
mas aqui pia fininho
depenei as suas asas

*

sábado, 16 de março de 2019

dúbia

líria porto

sem vocação para esposa
sem audácia para amásia
pintou e bordou debaixo
dos panos

nunca foi santa –– sequer foi diaba
(jogou nos dois campos)

*

haicai

líria porto

nos dias chuvosos
o sol chega de pantufas
pisa de_vagar

*

neguinha

líria porto

de tanto sol nos cambitos
as canelas da menina
parecem gravetos

*

osmose

líria porto

o passarinho
na hora do bote
deu asas à cobra

*

sexta-feira, 15 de março de 2019

vovó

líria porto

sem a embalagem original
exposta ao vento à poeira
peças bambas e gastas
fissuras na base
calos nas extremidades
funcionamento precário
:
uma antiguidade

*

quinta-feira, 14 de março de 2019

haicai

líria porto

a hora da angústia
quando sobe a escuridão
e o sol desaparece

*

haicai

líria porto

o batalhão marcha
todo ele de uniforme
mugido de gado

*

haicai

líria porto

no meio do mato
o canto da seriema
num dia de março

*

cuidados

líria porto

na juventude
seguimos distraídos
no piloto automático

na velhice
assumimos o comando
pois até acaso
puxa-nos o tapete

*

haicai

líria porto

a lua crescente
na beirada do horizonte
papoula amarela

*

quarta-feira, 13 de março de 2019

coitadinhos

líria porto

apropriam-se da dor
não consideram que todos sofremos
uns mais uns menos

*

do pau oco

líria porto

apontam nos outros suas próprias taras
e acoitam bandidos debaixo da toga
e do martelo

*

renovação

líria porto

igual cobra e cigarra
vez por outra mudo
a casca

*

lobisomem

líria porto

qual fosse um cachorro
farejava-lhe as nádegas
as costas a nuca
depois penetrava-a
e uivava para a lua

*

de onde menos se espera

líria porto

quando o céu desabou
e deus ficou sem teto
nenhum santo o acolheu
nenhum devoto
:
deus só encontrou abrigo
no quinto dos infernos

*

superação

líria porto

engolir o choro
engasgar-se com o soluço
perder o ar por instantes
mas depois dormir
de bruços

*

feminicídio

líria porto

foi moça muito bonita
as pernas eram colunas
as seios iguais colinas
os cabelos –– cachoeira
e seus olhos de topázio
cor das águas cristalinas
fecharam-se para sempre
:
violência masculina

*

janela

líria porto

eu sou a minha morada
é nela que me encantoo
e vejo passar a banda

*

terça-feira, 12 de março de 2019

machão

líria porto

chama a mulher de patroa
trata-a como empregada

*

fidelidade

líria porto

não foram tantos os homens
teve um mais um mais um
mais um mais outro
e cada um deles
único

*

baco

líria porto

o bico no beco
a boca no buraco

*

trampo

líria porto

careço de um banho
pra sem correria
de cabeça fria
peitar a chefia
matar o leão

*

haicai

líria porto

último suspiro
passarim deitou as asas
para descansar

*

foice

líria porto

tal como um dia ela veio
a poesia se foi
abandonou-me à deriva
sem norte ou rumo
sem rima
à mercê de ideias fixas
de só fazer ironia
escrever versos por vício
evitar morrer à míngua

*

segunda-feira, 11 de março de 2019

haicai

líria porto

último suspiro
passarim deitou as asas
para descansar

*

sexta-feira, 8 de março de 2019

resistência

líria porto

eu tinha os dias contados
vivi bem mais que podia
dei navalhada na morte
passei rasteira na vida

*

deslize

líria porto

o que fizermos agora
(sem compromisso)
será assunto só nosso
:
não contarei ao marido
não contarás à senhora

*

maria da penha

líria porto

quem sei de mim só eu dentro
desse corpo tão cansado
de lavar passar varrer
cozinhar cuidar da casa
e ter que abrir as pernas
para quem não me respeita
e me espanca e me trai
e ainda me ameaça
se eu disser qualquer palavra
ou mesmo contar pro padre

(basta)

*

noli me tangere

líria porto

romeu romeu
eu sou minha
tu és teu
e nem a cobra me leva
a comer a maçã
que eva comeu
a menos
que eu esteja
afim

(e a fim)

*

quarta-feira, 6 de março de 2019

recuerdos

líria porto

de mim / de ti
dos nossos laços
:
de nós nem tanto
não houve amarras

*

sexta-feira, 1 de março de 2019

caríssimo

líria porto

se não queres que eu seja quem sou
o incômodo é teu e não meu
resolve contigo as pendências
que não me pertencem
:
depois volta
(ou não)

*

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

ideologias

líria porto

(de uns tempos pra cá
e daqui por diante
dentre os parentes
desconfianças)

*

sexo forte

líria porto

o menino que eu gerava
nos recantos do meu útero
recusou-se a vir ao mundo
enforcou-se com o umbigo
e outros dois
da mesma forma
sangraram antes da hora
:
as meninas foram quatro
estas sim –– vieram à luta

*

faro

líria porto

podia ter te beijado mais
cheirado a tua boca
farejado teus pés
tuas mãos
a nuca a virilha as axilas
teu sexo teus pelos
impregnado a lembrança
com o teu suor
qual fosse a tua esponja
toalha fronha
                 ou lençol

*

uterina

líria porto

a lua menstrua leite
de quatro em quatro semanas
enquanto esvazia as tetas
(o úbere?)
a lua fica minguante

*

alicate

líria porto

wilmondes tinha
as pernas tortas

da cintura para cima
wilmondes era bonito
era boa a sua voz

a sua baixa estatura
e um arco entre as pernas
afastava-o das moças

no bordel
era feliz

*

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

luto

líria porto

o substantivo me cobre de preto
o verbo me tinge de vermelho

*

blefe

líria porto

tornei-me poeta fajuto
sem poesia
:
charlatei-me aos poucos

(luto pela liberdade
luto pelo brasil)

sou poeta
tarja preta

*

domingo, 24 de fevereiro de 2019

haicai

líria porto

no fundo do armário
a bengala do meu velho
à minha espera

*

ser mulher é sangrar além das regras




sábado, 23 de fevereiro de 2019

haicai

líria porto

as nuvens gorduchas
cachorrinho serelepe
com seu pelo fofo

*

ledoca

líria porto

uma espécie de rainha midas
tudo que ela toca vira ouro
pedaços de tecido ou linha transmudam-se em renda
qualquer punhado de farinha é pão de ló

*

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

percepção

líria porto

a presença do ausente
é bem mais notada
que a do assíduo

*

força

líria porto

já fui mais tu
hoje sou muito mais eu
e não peço desculpa

*

grave

líria porto

o verso em greve
tem o gosto agridoce / agrotóxico
das agruras

*

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

granizo

líria porto

na noite que mamãe virou estrela
era lua cheia e fazia frio
toquei suas mãos seus dedos
e o gelo que me cobriu
jamais derreteu

*

terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

recato

líria porto

a viúva
o fecho eclair na vulva
só abre de vez em quando

*

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

rabicho

líria porto

onde eu vou a lua vai
tal qual fosse a minha sombra
eu tropeço a lua cai
vai no vácuo do meu tombo

*

sábado, 9 de fevereiro de 2019

desnaturada

líria porto

tive um menininho que não chorava
então eu me esquecia dele
não lhe dava de mamar

das raras vezes que o trouxe ao seio
não sabia ao menos se o leite secara

(um dia
vi-o abocanhar a verruga
do corpo doutra mulher
uma dona estéril
:
sobreviveu lambendo
a própria baba)

o nome dele?
não lembro

*

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

barragem

líria porto

pensamentos me escravizam
martelam minha cabeça
talvez por isso os escreva
pra que desaguem qual rio
para que não me enlouqueçam

*

lagarta

líria porto

assim eu me anulo
encarcero asas e cores
dentro do casulo

*

adn

líria porto

a pilha de genes
todos nós –– uns sobre os outros
traços de família

*

dolorosa

líria porto

mágoa é uma ferida
que a gente cavouca
e não cicatriza

*

canetada

líria porto

a justiça do momento
ela é surda e fala fino
só escuta as testemunhas
de acusação
:
pra quê provas meu amigo
se a sentença já era tida
como certa e líquida?

(ninguém ouve a voz dos pobres)

*

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

cifrão

líria porto

barrar a lama
conter o barro
ninguém se engane
gana por lucro
isso é que vale
:
isso é que mata

*

mariana

líria porto

coveiros sepultam cadáveres
quem enterra gente viva
é a vale

*

decolagem

líria porto

dar um passo atrás
dimensionar o caminho
e depois tomar impulso

*

vale tudo

líria porto

um lucro a mais
um descuido a menos
e a gente morre na lama

*

mudança

líria porto

minha filhinha
raspa do tacho
maior que eu
vai pr'alemanha
e a saudade
antes da hora
cava buraco
desse tamanho
na minha entranha

*

sucursal

líria porto

cerca viva nos separa
(tua mulher os teus filhos)
não tens vergonha na cara
e nem eu tenho juízo

*

miúdos

líria porto

as abelhas colhem pólen
fazem mel de graça

(os homens fazem cera
e cobram os olhos
da cara)

*

tropeço

líria porto

a pedra no meu caminho
e sou eu a atrapalhá-la

á quem de fato acredite
que viemos a esse mundo
apenas pra criar caso

*

condição

líria porto

quando o sol baixar a bola
inicio a caminhada

*

pantanal

líria porto

nada ali é só aquilo
tudo é muito mais

(um olho no peixe
outro no jacaré
ou no tuiuiú)

*

lambança

líria porto

lavai a lama
sobre mariana
sobre brumadinho
:
lá vai a lama
no rio

*

tpm

líria porto

enquanto a lua menstrua
o sol vê estrelas

*

movimento

líria porto

tenho a cabeça
repleta de redemunhos
ideias que dançam soltas
ao sabor do pé de vento

*

ovo virado

líria porto

aqui nasci cresci e morrerei
mesmo que não queiram
(sou brasileira da gema
e da clara)

*

confidências

líria porto

a laranjeira
não revela ao limoeiro
segredos de doçura

*

cãs

líria porto

chumaços de algodão
alguma espécie de nuvem
cabelos de neve

*

cadavérica

líria porto

a manequim segue rija
olhos fixos –– inumana
qual estátua que caminha
com balanço no quadril
e cara de morta-viva

*

linhagem

líria porto

vovó tinha os pés no chão
sabia coisas terrestres

vovô cavalgava nuvens
laçava a lua as estrelas

o tio –– pobre o meu tio
apenas a ver navios

(eu sou
um nobre
plebeu
fazedor
de versos)

*

domingo, 27 de janeiro de 2019

haicai

líria porto

numa perna só
passarinho manquitola
salta para o voo

*

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

hippie

líria porto

lá atrás da goiabeira
tinha um macho lindo de olhos azuis
que confundi com jesus

*

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

enjoo

líria porto

doçura
demais
causa
náusea

*

perturbação

líria porto

o ruído cobre as palavras
e o silêncio

*

ramalhete

líria porto

dias a mais
dias amenos
amai-vos
amemo-nos
nunca é demais
cristais
crisântemos
minas gerais

*

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

duração

líria porto

quanto mais é pouco
ainda assim é vida

*

pressa

líria porto

calcar espora no lombo de pégaso
atravessar o azul no galope
chegar ao céu

*

domingo, 13 de janeiro de 2019

necessidades

líria porto

o que o dinheiro compra
supre o corpo –– não a alma
tão dada a exigências

*

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

perigos

líria porto

não tenho medo da morte
e também não tenho pressa
eu temo mesmo é a vida
que nos esfola
atropela
dia e noite
noite e dia

*

...

líria porto

não acredito no poder de fogo
mas creio fielmente no poder
do afago

*

perdição

líria porto

os olhos movediços do amor
são labirintos

*

pancada

líria porto

aos meninos tudo azul com bolinhas
da mesma cor

às meninas
a cor do hematoma?

*

miau

líria porto

para não acordar o gato
ao levantar-me cortei
a ponta da coberta

*

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

operação

líria porto

a bolsa é federal
e quando o sul não funciona
a cabeça definha

*

cangote

líria porto

a outra face da lua
(os chineses a conhecem)
tão repleta de crateras
a face oculta
não mira a terra
fica a olhar o infinito
e no mar
mergulha o brilho

*

seleção

líria porto

tem gente boa no mundo
muito melhor do que nós
tem gente ruim nesse mundo
muito pior

*

ceia

líria porto

caviar filé mignon
castanhas champanhe vinhos
na mesa de muita gente
que sequer vale
o que come

(ao povo trabalhador
arroz feijão com farinha
churrasquinho de linguiça
macarrão
sangue de boi)

*

intimidade

líria porto

só mesmo no travesseiro
enxugo todas as lágrimas
derramo sonhos inteiros

*

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

amor

líria porto

rabisco teu nome nos muros
nas portas vãos e paredes
escrevo-o com pregos agulhas
ou com pontas de alfinetes
:
teu nome são garatujas

*

domingo, 6 de janeiro de 2019

harmonia

líria porto

o líder
como um maestro
manuseia a batuta
e sem tocar instrumentos
movimenta o som das ruas
com a perícia e a beleza
das orquestras
sinfônicas

*

importâncias

líria porto

um avô pobre
um tio rico

amávamos o nosso avô
o tio não frequentávamos
era bruto desprezível
abusador de crianças
valentão com as mulheres

(na verdade
rico era o avô
o tio era paupérrimo)

*

sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

guia

líria porto

ainda que a lua míngue
há de restar-nos a estrela

*

enquanto

líria porto

vestidos de arco-íris
espada e flores nas mãos
meninos / meninas caminham
direitos iguais é o limite
antes depois
e durante

*

prudência

líria porto

eu jogo todas as fichas
na poesia e no verso
não sou de prosa compadre
comigo as palavras falam
a_penas o necessário

*

bacacheri

líria porto

caminho por aqui
não sei bem onde
as ruas são bonitas
arborizadas
enquanto suportar
esse cansaço
as pernas seguirão
até o parque

*

fases

líria porto

no jogo do perde e ganha
mantenho-me do lado certo
não chego nem perto daqueles
que ora são vencedores

(a lua míngua
mas enche)

*

fantoche

líria porto

a dona do dono da bola
move os cordéis quanto phode
e faz carinha de santa

*

plural

líria porto

uma 
outra
tantas
branca 
morena
preta
índia
mestiças
:
todas

*

ao zangão

líria porto

disse-lhe a fêmea
não me venhas com palavras melosas
isso eu faço de cor

*

pretensiosos

líria porto

não queiram agradar a todos
já nos disse um velho lobo –– a unanimidade
é burra

*

guia

líria porto

ainda que a lua míngue
há de restar-nos a estrela

*

bijus

líria porto

nas primeiras horas
a lua a estrela –– as joias
da aurora

*

ego

líria porto

o poeta –– esse crápula
nem a palavra o contenta
nem a ins_piração

*

azul rosa azul

líria porto

atenuo a tristeza
com esquecimentos
apagões
distrações momentâneas

fatos recentes
envolvem-se em nuvens
neblina
morte súbita

(eu tenho a cor do hematoma)

*

boxe

líria porto

meu santo é fraco
forte é o meu diabo

*

esferográficos

líria porto

os pobres têm sangue azul
como a tinta da caneta bic

*

olheiras

líria porto

as pintas do panda
em torno dos olhos
cansaços da vida
enormes
enormes

*

sub judici

líria porto

o soldadinho de chumbo
defendia a pátria e na guerra
perdeu uma perna

julgaram-no
:
esse saci de farda
vai cumprir prisão perpétua
amargar na solitária

*

haicai

líria porto

os oportunistas
da cor do camaleão
e da lagartixa

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog