quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

ideologias

líria porto

(de uns tempos pra cá
e daqui por diante
dentre os parentes
desconfianças)

*

sexo forte

líria porto

o menino que eu gerava
nos recantos do meu útero
recusou-se a vir ao mundo
enforcou-se com o umbigo
e outros dois
da mesma forma
sangraram antes da hora
:
as meninas foram quatro
estas sim –– vieram à luta

*

faro

líria porto

podia ter te beijado mais
cheirado a tua boca
farejado teus pés
tuas mãos nuca virilha axilas
teu sexo teus pelos
impregnado a lembrança
com o teu suor
como fosse esponja
toalha fronha
                 ou lençol

*

uterina

líria porto

a lua menstrua leite
de quatro em quatro semanas
enquanto esvazia as tetas
(o úbere?)
a lua fica minguante

*

alicate

líria porto

wilmondes tinha
as pernas tortas

da cintura para cima
wilmondes era bonito
era boa a sua voz

a sua baixa estatura
e um arco entre as pernas
afastava-o das moças

no bordel
era feliz

*

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

luto

líria porto

o substantivo me cobre de preto
o verbo me tinge de vermelho

*

blefe

líria porto

tornei-me poeta fajuto
sem poesia
:
charlatei-me aos poucos

(luto pela liberdade
luto pelo brasil)

sou poeta
tarja preta

*

domingo, 24 de fevereiro de 2019

haicai

líria porto

no fundo do armário
a bengala do meu velho
à minha espera

*

ser mulher é sangrar além das regras




sábado, 23 de fevereiro de 2019

haicai

líria porto

as nuvens gorduchas
cachorrinho serelepe
com seu pelo fofo

*

ledoca

líria porto

uma espécie de rainha midas
tudo que ela toca vira ouro
pedaços de tecido ou linha transmudam-se em renda
qualquer punhado de farinha é pão de ló

*

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

percepção

líria porto

a presença do ausente
é bem mais notada
que a do assíduo

*

força

líria porto

já fui mais tu
hoje sou muito mais eu
e não peço desculpa

*

grave

líria porto

o verso em greve
tem o gosto agridoce / agrotóxico
das agruras

*

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

granizo

líria porto

na noite que mamãe virou estrela
era lua cheia e fazia frio
toquei suas mãos seus dedos
e o gelo que me cobriu
jamais derreteu

*

terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

recato

líria porto

a viúva
o fecho eclair na vulva
só abre de vez em quando

*

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

rabicho

líria porto

onde eu vou a lua vai
tal qual fosse a minha sombra
eu tropeço a lua cai
vai no vácuo do meu tombo

*

sábado, 9 de fevereiro de 2019

desnaturada

líria porto

tive um menininho que não chorava
então eu me esquecia dele
não lhe dava de mamar

das raras vezes que o trouxe ao seio
não sabia ao menos se o leite secara

(um dia
vi-o abocanhar a verruga
do corpo doutra mulher
uma dona estéril
:
sobreviveu lambendo
a própria baba)

o nome dele?
não lembro

*

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

barragem

líria porto

pensamentos me escravizam
martelam minha cabeça
talvez por isso os escreva
pra que desaguem qual rio
para que não me enlouqueçam

*

lagarta

líria porto

assim eu me anulo
encarcero asas e cores
dentro do casulo

*

adn

líria porto

a pilha de genes
todos nós –– uns sobre os outros
traços de família

*

dolorosa

líria porto

mágoa é uma ferida
que a gente cavouca
e não cicatriza

*

canetada

líria porto

a justiça do momento
ela é surda e fala fino
só escuta as testemunhas
de acusação
:
pra quê provas meu amigo
se a sentença já era tida
como certa e líquida?

(ninguém ouve a voz dos pobres)

*

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

cifrão

líria porto

barrar a lama
conter o barro
ninguém se engane
gana por lucro
isso é que vale
:
isso é que mata

*

mariana

líria porto

coveiros sepultam cadáveres
quem enterra gente viva
é a vale

*

decolagem

líria porto

dar um passo atrás
dimensionar o caminho
e depois tomar impulso

*

vale tudo

líria porto

um lucro a mais
um descuido a menos
e a gente morre na lama

*

mudança

líria porto

minha filhinha
raspa do tacho
maior que eu
vai pr'alemanha
e a saudade
antes da hora
cava buraco
desse tamanho
na minha entranha

*

sucursal

líria porto

cerca viva nos separa
(tua mulher os teus filhos)
não tens vergonha na cara
e nem eu tenho juízo

*

miúdos

líria porto

as abelhas colhem pólen
fazem mel de graça

(os homens fazem cera
e cobram os olhos
da cara)

*

tropeço

líria porto

a pedra no meu caminho
e sou eu a atrapalhá-la

á quem de fato acredite
que viemos a esse mundo
apenas pra criar caso

*

condição

líria porto

quando o sol baixar a bola
inicio a caminhada

*

pantanal

líria porto

nada ali é só aquilo
tudo é muito mais

(um olho no peixe
outro no jacaré
ou no tuiuiú)

*

lambança

líria porto

lavai a lama
sobre mariana
sobre brumadinho
:
lá vai a lama
no rio

*

tpm

líria porto

enquanto a lua menstrua
o sol vê estrelas

*

movimento

líria porto

tenho a cabeça
repleta de redemunhos
ideias que dançam soltas
ao sabor do pé de vento

*

ovo virado

líria porto

aqui nasci cresci e morrerei
mesmo que não queiram
(sou brasileira da gema
e da clara)

*

confidências

líria porto

a laranjeira
não revela ao limoeiro
segredos de doçura

*

cãs

líria porto

chumaços de algodão
alguma espécie de nuvem
cabelos de neve

*

cadavérica

líria porto

a manequim segue rija
olhos fixos –– inumana
qual estátua que caminha
com balanço no quadril
e cara de morta-viva

*

linhagem

líria porto

vovó tinha os pés no chão
sabia coisas terrestres

vovô cavalgava nuvens
laçava a lua as estrelas

o tio –– pobre o meu tio
apenas a ver navios

(eu sou
um nobre
plebeu
fazedor
de versos)

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog