sexta-feira, 29 de janeiro de 2021

barra da saia

líria porto


quem avisa amigo édipo
é a mamãe

* 

entrementes

líria porto


naquele tempo
quando éramos férteis
num intervalo de vinte e oito dias
brotava das grutas cercadas de mato
um caldo quente semelhante
ao molho de tomates

*

separação

líria porto


tu eu
tão parecidos
mas porém como um hiato
eu aqui
tu noutra sílaba

*

di_vagar

líria porto


estou velha pra correr
vou no compasso dos pés
(entre o passo e o galope)
paro reparo respiro
espio
boto sentido
quem quiser que vá com deus
o diabo é mais divertido

*

quinta-feira, 21 de janeiro de 2021

ventre livre

líria porto

das uvas pisoteadas
o vinho

do sumo do povo
a pátria

*

atenção

líria porto

é hora de agarrar o diabo
pelo rabo pelos chifres
pelos cascos

*

pandemia

líria porto


tenho estado triste
tenho tido medo
tenho lido menos
tenho escrito pouco
tenho desvivido
e tem sido longo
todo esse período

*

urros

líria porto


as noites se sucedem
minhas pálpebras recusam-se
a abrigar a escuridão
(então não durmo)
acumulam-se os dias
sobre o corpo velho
cada vez mais lúcido
(malditos os que estupram
o meu país)

*

domingo, 10 de janeiro de 2021

triângulo

líria porto


uma era a intrusa
a outra por direito
e o alvo da disputa
o bonitão da fita
fazia-se de neutro
(o agente duplo)

*

a dor

líria porto


monta-me o lombo
estala o chicote
fere com espora
o meu pobre corpo
sobre a minha sombra
atravesso a ponte
e do outro lado
o diabo fala
:
welcome

*

terça-feira, 5 de janeiro de 2021

órbita

líria porto


meu pai era o sol –– minha mãe
um planeta a girar sobre o eixo imaginário
de si mesma
:
eu era um satélite

*

passarinho

líria porto


meu namorado
aquele bico doce
um canário

(um canalha?)

*

primeiro do ano

líria porto

vi-o em alto mar
a perseguir uns golfinhos
desejei que o bote virasse
que os golfinhos se tornassem
tubarões

*

haicai

líria porto


sol nuvens mormaço
outra pancada de chuva
trovões e relâmpagos

*

surreal

líria porto


uma cabeça de vaca
num corpo de jacaré
um anjo olha-a abismado
o céu é um grande cenário
as nuvens dão espetáculo
o palco é minha janela

*

assim

líria porto

com o nervo exposto
não posso ver o maldito
ou ele corre o risco
de não morrer
de velhice

*

rua

líria porto


moro onde moro
onde o mito mata
e há gente perversa
:
cadê meu sono?

*

modinha

líria porto


a moita de pentelhos caiu em desuso
e a perereca careca habita o corpo
da musa

*

ataque

líria porto

só a derrubada da árvore
dá sentido à existência do machado

*

renascimento

líria porto


bubu
cece
tata
viva
a vulva
fulva

a vulva

líria porto


pelas pernas da fêmea
a fenda o portal a passagem
o entra e sai

*

mulheres

líria porto

entre suas coxas
a cratera de um vulcão
o berço do mundo

*

a gruta

líria porto

todos entraram ou saíram
dos primeiros aos filhos
da última

*

guaxo

líria porto


de pernas pra cima
de cabeça pra baixo
a rotina

*

brecha

líria porto


a vulva é quase um vício
quem entra acordado
sai adormecido

*

sexual

líria porto


a vida é muito mais
que o triângulo das bermudas
ou o fio dental

*

dádiva

líria porto

a diva dava
mas tinha uma dúvida
devia ou não doar-se?

*

sábado, 2 de janeiro de 2021

primeiro do ano

líria porto


vi-o em alto mar
a perseguir uns golfinhos
desejei que o bote virasse
que os golfinhos se tornassem
tubarões

*

haicai

líria porto

sol nuvens mormaço
outra pancada de chuva
trovôes e relâmpagos

*


surreal

líria porto


uma cabeça de vaca
num corpo de jacaré
um anjo olha-a abismado
o céu é um grande cenário
as nuvens dão espetáculo
o palco é minha janela

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog