quarta-feira, 31 de julho de 2019

aporrinhação

líria porto

a cloaca da galinha
arrombada por um ovo

coitadinha coitadinha
todo dia um parto novo

vem o galo –– ideia fixa
pra mais uma rapidinha

todo galo
é um estorvo

(todo machista)

*

espasmos

líria porto

um leão ruge em meu ventre
estraçalha-me as tripas
parece que estou enferma
revolução das lombrigas

*

.cardápio

líria porto

um dia veio o marido
quis fazer filho comigo
recusei-me

vi o vizinho na esquina
e ele me olhou de um jeito
sorri e desde esse dia
só penso nisso

*

chifre na cabeça de cavalo

líria porto

não sei quando não sei como
nem ao menos sei porquê
mas se procurar
tenho chance

*

potência

líria porto

mulher nunca foi sexo frágil
jamais precisou de ereção
esse desespero

*

ruína

líria porto

imenso o desmonte
e sob os escombros
a prata da casa

(não haverá amanhãs)

*

mulher maravilha

líria porto

doutor
se torcida valer
vou parir uma rosa

para alegria da mãe
a cria nasceu
sem saco

*

descarga

líria porto

tal como
a água
que gira
no fundo
do vaso
e empurra
a merda
pro esgoto
a morte
se limpa
da vida

*

involução

líria porto

a gente nasce
cresce envelhece
vira criança de novo
volta pra dentro do ovo
e se aninha no colo
dos filhos

*

hipertenso

líria porto

se ele infartasse na minha cama
ia ser um vexame pra mim
e pra madame

*

ermitão

líria porto

o que não espero de mim
não posso esperar de ninguém
eu sou de pouca visita

*

(im)potência

líria porto

poder eu posso
porém não devo e não vou
expor as tuas fraquezas

*

baba

líria porto

pior que tosco
pior que rude
pior que grosso
pior que tudo
o boquirroto
que não segura
os perdigotos
da sua saliva

*

sexta-feira, 26 de julho de 2019

. eficácia

líria porto

maridos são homens bons
pelo menos no começo

com o passar dos anos
usamo-os como remédio
pra aplacar a solidão

funcionam como placebo

*

quinta-feira, 25 de julho de 2019

. paroquianos

líria porto

comer hóstia
e beber da água benta
para aplacar o desejo
que nos tira a paz
de espírito

*

. confissão

líria porto

eu teria sido puta
na maior boa vontade
faltaram-me os atributos
e também alguma audácia

(sempre achei as putas lindas
mas só faço amor de graça)

*

segunda-feira, 22 de julho de 2019

rabo entre as pernas

líria porto

pela porta que entrei eu saio
e há a porta dos fundos
por onde fogem os trânsfugas
os que desertam
e têm culpa

*

oportunistas

líria porto

assim são uns patriotas
quais aves de arribação
se faz bom tempo eles vêm
(comem filé mignon)
na tempestade se vão

(e de longe nos criticam)

*

domingo, 21 de julho de 2019

companhia

líria porto

um bailinho à tarde
a saia de roda
a blusa de cor
xalinho nos ombros
perfume batom
sapatos de salto
e um cavalheiro
só para dançar

(não pise no calo
não pegue no pé)

*

oferendas

líria porto

dê_lírios à amada
abraços beijos
orgasmos

*

debilidade

líria porto

com os anos
tão diferentes das máquinas
que têm vontade de ferro
os ossos ficam mais frágeis
as engrenagens se emperram
alguma peça se quebra
e capengamos

*

delícia

líria porto

trancinhas de queijo
de boas lembranças
lambuzam-me a infância
em doces de leite

*

em outubro

líria porto

vou precisar da banqueta
para estirar minhas pernas
depositar o cansaço
das setenta e quatro velas
e espero que as almofadas
também me aqueçam
as canelas

a bengala eu já tenho
herdei-a do velho pai
que há de ancorar-me
os passos

*

sábado, 20 de julho de 2019

haicai

líria porto

nas malhas do inverno
a lua sangrava amarelo
e o sol de resguardo

*

subterrâneos

líria porto

debaixo da pele
nos recônditos do corpo
vontades secretas
desejos
incômodos

*

viagem (concurso)

líria porto

aprendi a ler sozinha
(mulheres não deveríamos)
e tudo que descobri
era maior que minhas pernas
meu coração
meus olhos
:
sentada
livro no colo
num pulo só
do polo sul
ao polo norte

(ao infinito)

*

fuga

líria porto

dormir cedo acordar tarde
espichar o sono de tal forma
que a extensão da noite se pareça
à duração da morte

*

drible

líria porto

dei-me um bolo
e qualquer dia desses
pulo fora de mim

*

quinta-feira, 18 de julho de 2019

arminha

líria porto

o braziu
foi encoberto
]sumiu do mapa[
em primeiro
de janeiro
de dois miu
e dezenove
:
moves
moves fora
assauto

*

labirinto

líria porto

zumbidos e silvos
abelhas e cobras
o grilo no ouvido
o mundo que gira
e o voo sem volta
revolve-me as tripas

(sou um caracol
um ser esquisito
carrego nas costas
o rito da vida
o peso da carga
e a gosma)

*

segunda-feira, 15 de julho de 2019

lua crescente

líria porto

um caiaque uma canoa
uma boca sorridente –– abertura
de um parêntese

*

esconderijo

líria porto

no paiol do inconsciente
ferramentas de defesa
e acusação

*

domingo, 14 de julho de 2019

o sonho

líria porto

esta nossa outra vida paralela
revela-nos quem nos tornamos
nossos desejos e anseios
de um jeito simbólico
sem precisar referir-se
aos fatos recentes

*

. transição

líria porto

ao tirar o sutiã tirava os peitos
o recheio todo feito de algodão
precisava ser mulher de qualquer jeito
o seu corpo foi fazer revolução

começou por arrancar aqueles pelos
que habitavam suas pernas sua cara
e deixou que lhe crescessem os cabelos
e vestiu roupa de flor –– a que sonhara

já não era decassílabo o soneto
muito menos o heroico alexandrino
travestiu-se de mulher algo divino

caminhava pelos becos pelo gueto
como fosse a mais bela das rainhas
e ostentasse uma coroa com espinhos

*

aurora

líria porto

o sol não apareceu
mas caminha –– o céu
apagou as estrelas

*

.preliminares

líria porto

percorrias-me a pele
com os dedos
a língua
eu fechava os olhos
flutuava
encorpava-me como a nuvem
que iria chover em breve

*

sábado, 13 de julho de 2019

excrescências

líria porto

que um fantasma tenha asma
é verossímil
no entanto se ele fala esperanto
quem acredita?

*

sobrevivência

líria porto

rir em tempos medonhos
pode parecer cinismo
não é
é um esforço sobre-humano
para resistir
para não se deixar morrer de tristeza
e desespero

*

terça-feira, 9 de julho de 2019

ca(n)gaço

líria porto

enfrento leões dragões
obstáculos
co'as calças borradas
e tem mais
pálida e trêmula

(ô diacho
confessar as fraquezas
a vida é uma caixa
de suspenses)

*

astro rei

líria porto

o sol encontra uma brecha
faz a nuvem evaporar
reaparece lampeiro
igual ferro no braseiro
avermelhado de raiva
:
invernos não são empecilhos
no reino da majestade

*

a_coitados

líria porto

no interior das galhas
todos os voos todos os trinados
que o rigor do inverno maltrata

*

segunda-feira, 8 de julho de 2019

desamparo

líria porto

pequena feia miudinha
e embora fosse outubro
e já fizesse calor
embrulharam-na em cobertas
ficou igual um casulo

presos os braços as pernas
só os seus olhos voavam
iam das tetas ao teto
tudo era imensidão
acostumara-se ao útero

berrava como um bezerro

*

apoio

líria porto

foste pedra em meu caminho
porém não nego –– tive onde me sentar
durante o cansaço

*

sexta-feira, 5 de julho de 2019

na vida

líria porto

tive a entrada
o prato principal
e o vinho

ainda espero
o arroz-doce
o pudim
e um cafezinho

(depois o repouso eterno)

*

final

líria porto

nem tu soubeste
(e isso já nem importa)
o quanto gostaste dela
:
agora inês é morta

*

virose

líria porto

dói-me o corpo e mais pareço
almofada de alfinetes –– uma agulha
em cada poro

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog