quinta-feira, 4 de novembro de 2010

esqueleto

líria porto

no tempo do amor
não fiz versos
:
alegria só me inspira
quando finda

*

3 comentários:

ragi moana disse...

melhor assim, tempo de alegria lá é pra perder com escrita?

Mai disse...

Quando no amar falta o ar, a poesia é uma reserva de oxigênio.

besos

Letícia disse...

E mesmo quando não tem dor, finge ser dor a dor que deveras sente. E viva Pessoa.
Adoro suas poesias!

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog