terça-feira, 24 de junho de 2008

libertação

líria porto

quando eu morrer não fiques triste
consola-te assim –– ela agora é pensamento
rompeu todos os limites

(e não guardes as cinzas
mandarei um mandarim
trazer notícias)

*

Um comentário:

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Líria!

Passando para ler...

Besos,

*CC*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog