sábado, 31 de janeiro de 2009

devaneio

líria porto

calças masculinas tremulam no varal
as pernas balançam como varas verdes
nenhum mal que as veja e pense
no vizinho
:
nas rolinhas voadoras

*

Um comentário:

Ramon Alcântara disse...

Que gostoso esse poema. As rolinhas, tadinhas. Verde amadurece e ficam marrom-lama e caem do varal. Mas nada como uma boa água sanitária e um omo.

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog