terça-feira, 23 de dezembro de 2008

a nuvem balofa

líria porto

vivia aluada
não tinha juízo
qualquer vento fraco
jogava-a de um lado
a outro

um dia essa fofa
tão triste tão triste
chorou um bocado
e de lágrima em lágrima
chuviscou

*

Um comentário:

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Te indiquei ao Prêmio Dardos.

Grande abraço,

*CC*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog