terça-feira, 21 de agosto de 2012

móvel

líria porto

a cama antiga
balouçava igual jangada
oscilava pelos cantos
mal suportava
os amantes

a cama moderna
madeira de demolição
firme como as caravelas
navega sono adentro
sem balanço

(bom é dormir na rede
acima o céu –– abaixo
a grama)

*

Nenhum comentário:

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog