sábado, 10 de setembro de 2011

irreconhecível

líria porto

eu tinha uma canoa –– minha
boa
com ela atravessava o rio
ria
ia
beirava o horizonte
e debaixo do arco-íris
virava homem
:
a barba crescia eu voltava
bebia com os pescadores
contava vantagem

*

2 comentários:

Fred Caju disse...

Sempre fantástico!

Unknown disse...

MARAVILHA, Líria!

Uma pérola de poema!

Beijos

Mirze

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog