sábado, 23 de abril de 2016

cada qual

líria porto

morreu meu pai como um lord
de pé

a morte mirou seu peito
um tiro só

espero a mesma sorte
meu coração –– sem alarde
rebente a corda

(mamãe lutou bravamente
ficou dez anos no leito
sua trincheira
e quase matou a morte
de impaciência)

*

Nenhum comentário:

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog