segunda-feira, 30 de outubro de 2017

despeito

líria porto

quem nunca pulou a cerca
atire a primeira pétala

*

de_floração

líria porto

hímen complacente
eternamente virgem (e pecadora)
assim a poesia

*

imbróglios

líria porto

palavras que encolho
palavras que me escolhem
como garfo colher
uma faca

*

estigma

líria porto

as mulheres velhas
com os peitos murchos
anulam o sexo
ou quaisquer vestígios
de libido

cuidam dos netos
honram o falecido
frequentam as missas
rezam ladainhas
fazem crochê

e engordam a bunda

*

duas voltas

líria porto

maria vai co'as ostras
e seus colares
de pérolas

*

domingo, 29 de outubro de 2017

dependência

líria porto

quando às vezes perco os óculos
(na verdade perco os olhos)
eu –– mais cega do que nunca
vagueio pelos escuros
descarrilho
perco o rumo
do próprio pensamento

*

sábado, 28 de outubro de 2017

longevidade

líria porto

azeitar as engrenagens
massagear sentimentos

*

valores

líria porto

já vi cachorro e menino
fuçavam latas de lixo
dormiam sob a marquise

(gatos se viram sozinhos
perambulam nos telhados
caçam pássaros e ratos)

bezerros porcos cavalos
esses têm letras no couro
os donos não se descuidam

*

paralela

líria porto

perdi a mão para o verso
ando dispersa vazia
sequer escuto o chamado
que me faz a poesia

*

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

fantasia

líria porto

às vezes penso
sou ilusão miragem
invenção do pensamento

*

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

identificação

líria porto

pensei-me lua
(romântica etérea estéril)
mudei de ideia –– eu sou a terra
(suas circunstâncias de fauna flora
altas temperaturas seca devastação
e conflito)
:
eu sou o mundo

*

domingo, 22 de outubro de 2017

antiguidade

líria porto

motor à manivela pintura avariada
assim devagarinho igual
um calhambeque
:
venci
a estrada

*

príncipes

líria porto

os sapos vêm para o beijo
os sapos voltam pro brejo

*

sábado, 21 de outubro de 2017

meninice

líria porto

largo do quebra pedra
quarteirão de terra batida
onde os circos erguiam a lona
montava-se a roda-gigante
meninos brincavam
(futebol finca bola de gude)
papagaios coloriam o céu
andávamos de bicicleta
e éramos felizes

*

banzo

líria porto

qual coisa
(mercadoria)
sem pertences sem parentes
(apenas as correntes que o prendiam)
obrigaram-no a nove voltas
ao redor da árvore do esquecimento

(a áfrica na pele
a saudade e a tristeza
nas vísceras)

*

latrina

líria porto

capetal federal
os três poderes mais sujos
que pau de galinheiro

*

mar aberto

líria porto

perto a retumbância das ondas
longe o horizonte passa a régua
(nem culote nem calombo)
:
o oceano prossegue

*

contração

líria porto

crases indevidas desperdiçadas
espinhos na minha língua
cuspidas ao deus dará

*

sertão

líria porto

a terra vira farelo
o verde fica amarelo
não nasce feijão
nem milho

*

nervos

líria porto

fios desencapados
por onde escapam
nossas frustrações

*

complexo

líria porto

não sou eu quem não gosta de ti
és tu que não te aceitas pões a culpa em mim
e te fazes de vítima

(compreendo teu sofrimento
mas não vou me desculpar
pelo que não fiz)

*

redução

líria porto

de pequena se torce a menina
até que ela vire sombra

(não corras
fala baixo
fecha as pernas
obedece)

princesinhas são mulheres fracas

*

batismal

líria porto

todo piá é santo
(do pau oco –– bem se diga)
e isso inclui as gurias
que longe dos nossos olhos
também aprontam das suas

o diabo já foi anjo
(barroco)
e até fez xixi
na pia

*

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

pânico

líria porto

ao filho o que tenho
e o que será dele
se eu nada tenho
se o ânimo que havia
sumiu na neblina
do tempo?

a poesia que vejo
em seu corpo pequeno
poderia secar
ou ser arrancada
por mãos invisíveis?

(é que sou infeliz)

*

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

à deriva

líria porto

sem remo sem bússola
procuro o rumo não acho
perdi-me na escuridão
não sei do cruzeiro do sul
nem pra que lado
o sol nasce

*

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

carniça

líria porto

tempos bicudos –– de tucanos
patos aves de rapina e togas
de urubu

*

antigamente

líria porto

houve um tempo que eu usava purpurina
reticências logo após alguma rima

*

espacial

líria porto

pintadinha
a noite tem sardas
estrelinhas

*

abajur

líria porto

lua na janela
igual bola de cristal
com luz de vela

*

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

capenga

líria porto

eu tenho um lado forte
e um lado fraco
o forte segue em frente
o fraco cai no buraco

*

?

líria porto

luz de poste
embaça estrela
e meteoro

*

o preço

líria porto

em nome da harmonia
ceder é omissão
ou covardia?

(culpa remorso
têm peso maior
que a morte)

*

infame

líria porto

setenta e dois anos
de esquerda
sangue tipo a negativo
hipertensa
com excesso de peso
rugas celulite
e estrias
:
bomba-relógio
de efeito tardio

*

haicai

líria porto

crianças na praça
iguais bando de andorinhas
o ruflar das asas

*

terça-feira, 3 de outubro de 2017

luxenta

líria porto

nuvem cinzenta
trovões e raios
a chuva densa
acho que pensa
ser temporal

e chora
e embirra
e encharca
a tarde

*

domingo, 1 de outubro de 2017

fortunata

líria porto

primeiro dos pensamentos
depois teve sorte –– ele era alegre
cavalheiro um lord
gostou do cheiro dos olhos
da cor da pele dos bigodes
amou-o de corpo inteiro
:
e era impotente
o seu homem

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog