domingo, 30 de junho de 2013

a banana

líria porto

puxo-lhe
a casca
e de_vagar
desvisto-a

explícita
desvirgina-me
os lábios
(ah)

*

farol

líria porto

o sol que me aturde é o da tarde
o da manhã convida-me ao verso
a reparar que o universo
conspira por nós
e por laços

*

lenha

líria porto

depois do amor soçobramos
brasas cobertas de cinza

(ao leve sopro outro fogo
e o corpo todo faísca)

*

sábado, 29 de junho de 2013

despecado

líria porto

não desejo a mulher do próximo
desejo o próximo

*

avalanche

líria porto

promessas são pedras na encosta
se não forem removidas despencam
sobre nós

*

in_tolerância

líria porto

a dor por certo alivia
quando mudamos
de (o)posição

*

marionete

líria porto

faz e acontece
pelas mãos de outro
sem vontade própria

*

do golpe

líria porto

o susto a rasteira
o punhal nas costas
o medo de tudo
não vai mais à rua
a casa é uma cela
os muros são altos
não abre as janelas
:
fechou-se a tramela
da liberdade

*

o egoísta

líria porto

sofá – um espaço democrático
onde alguém se deita e ocupa
todos os lugares

*líria porto

sexta-feira, 28 de junho de 2013

d'efeitos

líria porto

gás de efeito imoral
câmara de gastos
holocaustos

*

eucaristia

líria porto

tens fome e estás por_vir
tomara te alegres com a ceia
:
teus gostos – sei-os
dar-te-ei também
de beber-me

*

fartura

líria porto

formigas arrasam o terreno
as sementes resistem e teimam
em frutificá-lo

*

quinta-feira, 27 de junho de 2013

overdose

líria porto

provou bebidas amargas azedas salgadas insossas
mas a que pode matá-lo
é doce

*

barranqueiro

líria porto

garimpava garimpava
catava o cascalho no raso do rio
peneirava –– só vez por outra
um xibio
:
bamburrar que é bom
nunca

*

quarta-feira, 26 de junho de 2013

negociata

líria porto

quis vender a alma pro capeta
mas ouviu ali – na lata – comprava se fosse boa
não vale meia pataca

*

vigília

líria porto

o sono fugiu pra longe e olhos arregalados
vagueiam dentro do escuro – teimam em saltar
das pálpebras

*

projeto

líria porto

ninguém quer tutela
ninguém quer bengala
precisa é do verso

prossegue na vida
e voa pra morte
de cabeça erguida
:
de pé ou deitado?

*

pessoal

líria porto

viver é tão impreciso
poetar – então – nem se fala
escrevo mesmo sem rima
sem bússola rota
                     e sem mapa

*

movimentos

líria porto

o sol sai detrás da serra
solta um raio outro e outro
depois sobe para o céu
com sua bola de fogo
atravessa o azul as nuvens
vai descer do outro lado
lá é dia aqui é noite
:
a terra – moça bonita
gira gira em seu entorno
com sua saia de roda
e sua cara de noiva

*

terça-feira, 25 de junho de 2013

assédio

líria porto

apalpa-lhe as tetas a bunda as coxas
e pergunta – dás-me uma coisa
marieta?

o quê?

um gole de café

*


entrevero

líria porto

boliu-se no brio
o brilho apagou
já não tem idade
para bate-boca
:
não é vaidade
é pudor

*

borderline

líria porto

uma gota e o caldo entorna
alegria por um tris(te)
quem se_deu fez-se menor
:
quem foi que disse?

*

segunda-feira, 24 de junho de 2013

vendas

líria porto

heróis gurus deuses ídolos
não sigo nenhum
:
já vi alguém cegar de olhar
o eclipse

*

estiagem

líria porto

portanto
por nada
o que ganho
perco
:
sempre-vivas morrem
e chove pedra

*

pecados

líria porto

tenho alergia pela ausência de poeira
pelas coisas que tão limpas
permaneçam estéreis

(ponho pés e mãos na terra)

*

ardil

líria porto

visto por este ângulo – o da esquina
tudo o mais é amplo

até o beco

*

arraia

líria porto

numa linha imaginária
dou pequenos solavancos
ergo a lua lá no alto
por onde eu ando ela anda
vai atrás qual papagaio
de papel rendado
branco

*

domingo, 23 de junho de 2013

curiosidade


líria porto

para saber o que há no fundo do escuro
a luz se enfia no furo

*

rico

líria porto

recolhe o que acha
o canto de um pássaro
o som do riacho
um cheiro de flor
um raio de sol
um naco de azul
os ventos do sul
uma pedra
uma concha
entrega-os à mãe

*

sexta-feira, 21 de junho de 2013

pedrada

líria porto

o lucro arrasta tudo
empurra o verde pro ralo
e o corpo nosso
sem alma
é só assalto

*

cabeça de prego

líria porto

penso penso penso
não consigo compreender
meu pensamento

fico tão confuso
chego a invejar parafusos
as suas rotas traçadas

*

recuerdos

líria porto

passava pelo retorno
só pra me lembrar de ti
de nós dois a rolar morro
sempre abraçados e nus

*

quinta-feira, 20 de junho de 2013

aproveita_dores

líria porto

rondam a chama das velhas
das cinzas das fumaças e fingem
são brasas

*

migalhas

líria porto

uma moeda
um falso brilhante
uma esparrela?

e se o rio for somente
uma enxurrada?

*

cara a cara

líria porto

olha-me não fala comigo – só reflete
e pensa o que penso

(espelhos não fingem nem mentem)

*

quarta-feira, 19 de junho de 2013

gana

líria porto

ciumento é bicho bambo – põe-se a vasculhar gavetas
fuçar bolsos bolsas carteiras farejar roupas e lenços
para encontrar vestígios de outras pessoas
:
púrpura insegurança

*

inútil

líria porto

eu só faço versos 
e esta des_ocupação me toma
todo o tempo

se eu meu canso? fico podre
com a sensação de um revólver
no coldre

*

utopia

líria porto

se a pedra virar pão
a razão da raiva some
a gente come vai pra rua
para a praça para a escola
pro trabalho
:
vai a pé ou vai de ônibus
que a passagem
é grátis

*

terça-feira, 18 de junho de 2013

voo

líria porto

ainda vou me acabar
num lugar assim
repleto de passarim
de liberdade no ar

*

quem?

líria porto

ando em meu encalço
persigo todas as pistas
ainda assim que estranha
sei de mim menos
                      que o ínfimo

*

inconsciente

líria porto

em nossos sonhos
todas as chaves secretas
para entender quem nós somos
e desvendar os mistérios

(a minha alma é mundana
talvez por isso eu me feche)

*

segunda-feira, 17 de junho de 2013

do além

líria porto

fiquei em cima do muro
perdi oportunidades
de lá eu não tive vida
aqui a morte é tão chata

*

domingo, 16 de junho de 2013

coma

líria porto

o mais perto da morte que se pode chegar
ali – com um pé lá outro cá eu tentei e consegui
dar um passo atrás

*

cheia de vontades

líria porto

sou avó de mim
trato bem a menina
que embirra e pirraça
aqui dentro

sou mãe de mim
corrijo-me obedeço-me
revolto-me se não
me contento

sou filha de mim
rebelde atrevida
mistura de novo
e antigo

sou carrasco e vítima

*

sábado, 15 de junho de 2013

debaixo da mesa do bar

líria porto

passava a mão na minha coxa
e eu ficava tão vermelha que tornava público
o que precisava ser ocultado

*

perfil

líria porto

contas – débito automático
compras – pago-as à vista
o mais adio postergo procrastino
empurro com a barriga

(só o verso tem urgência)

*

sexta-feira, 14 de junho de 2013

rajada

líria porto

resisto sobre o penhasco
no derredor há crateras
se o vento ficar mais forte
desabo e arrasto o céu

eu tenho um rombo na goela
padeço de tosse seca
os corpos nossos – tão frágeis
quem não cede é a natureza

*

quinta-feira, 13 de junho de 2013

fissura

líria porto

comichão nas partes baixas
pecado não deve ser
faz tempo que tu não choves
à porta da minha casa

*

fezinha

líria porto

santantõe
sô ateia mais tamém sô sortera
no sinhô eu crei
manda pr'eu um home bão
pra mode eu num passá friage

*

aderência

líria porto

reencontrar-nos
abraçar-nos demoradamente
impregnar-nos um do outro
qual num invólucro
num envelope lacrado

*

quarta-feira, 12 de junho de 2013

combate

líria porto

competir comigo mesma
uma peleja terrível
de um lado sou uma lesma
do outro sou um corisco

decido ir mas não vou
porém se fico arrependo-me
não é possível voar
com uma asa capenga

então encaro o espelho
e reitero a disputa
a cara fica vermelha
quem me encoraja?

a loucura

*

terça-feira, 11 de junho de 2013

sintonia

líria porto

primeiro instante um olhar
segundo instante um sorriso
terceiro instante e os seguintes
desde então até agora
uma alegria uma paz
que aumenta a cada dia
e nos faz muito felizes
agradecidos à vida
por nos ter aproximado
sem que a ela pedíssemos
por esta nem esperávamos
:
a amizade é bem-vinda

*

segunda-feira, 10 de junho de 2013

elástico

líria porto

ele é casado
(não comigo)
e a mim
não me importa
que tenha
amante
(eu)

(se fosse o contrário
eu matava)

*

significados

líria porto

cristalino opaco
no centro do olho
é catarata?

*

domingo, 9 de junho de 2013

canteiro

líria porto

assim como a terra precisa de adubação
folha em branco só floresce quando às letras semeadas
injetamos nosso sangue

*

feitiço

líria porto

sonho e realidade se misturam
e viver nesses dois mundos
é uma grande aventura

*

mágica

líria porto

minha mão é uma aranha
a tecer a sua trama
de tinta ou grafite

as letrinhas como moscas
assim presas uma às outras
formam fileiras

(e fica pronto
o poema)

*

sexta-feira, 7 de junho de 2013

blecaute

líria porto

dentro do caixão o morto
ponto final de uma história
não manda mais não decide
pra onde vai pouco importa

*

quinta-feira, 6 de junho de 2013

pêndulo

líria porto

estes anos que nos restam
serão dias serão horas
tão somente uns minutos
uns segundos?

quem saberá?

*

cúmulo

líria porto

o céu é pródigo
pinga chuva no meu olho
como se fora colírio

*

terça-feira, 4 de junho de 2013

protelação

líria porto

e nesse chove não molha
a vida pinga se esgota

finges que ainda me queres
digo que somos afins

adiamos por alguns dias
a pá de cal

*

cópula

líria porto

mulher sobre o corpo do homem
a nuvem cobre a pica
do itacolomi

*


hipnose

líria porto

confiscas olhares eu nem pisco
mas me lasco pois não tenho olhos
para mais ninguém

*

pé d'água

líria porto

as nuvens se estranham trombam-se umas nas outras
trovões retumbam soltam faíscas e a chuva espalha
raios e relâmpagos

*

segunda-feira, 3 de junho de 2013

duração

líria porto

a musa descobre o poeta
e faz frio – ele treme arrepia-se
ela arranha-lhe a pele e tatua-a
:
por agora sou tua
                      não para sempre

*

escafandro

líria porto

isso de superfície
quero mesmo é um mergulho
poesia mo permite
mas porém não tenho
fôlego

*

maldição

líria porto

além da rima pobre
assaz sina a dor
do amor

*

miragem

líria porto

a freira grávida
parece que foi castigo
parir assim tão difícil
trazer à luz uma pedra
desconfio aquela mesma
no caminho do poeta

*

cama boa

líria porto

tem fama de sem-vergonha
fronhas macias cobertas de lã
lençóis com pelo de homem

*

domingo, 2 de junho de 2013

absoluto

líria porto

eu te dei meus quartos as minhas metades
a totalidade de tudo que pude

*

do silêncio

líria porto

um grito calado fala mais
que palavras rudes

*

sábado, 1 de junho de 2013

libertas quae sera tamen

líria porto

o mineiro das minas
tem que cavoucar co'as unhas
encontrar brilho em cascalho
batear sentimentos

o mineiro das gerais
precisa esticar os braços
desdobrar campos e pastos
desbaratar a neblina

(ainda que à tardinha)

*

ajustes

líria porto

a corda rebenta
quando se é obrigado
a suportar o indizível
:
achei o amigo tenso
queria tê-lo à vontade
a dizer-me o que sente

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog