sábado, 31 de outubro de 2015

sem rococó sem floreio

líria porto

não pode ter erro
no direito nem no avesso
:
simples é mais difícil

*

da casa

líria porto

a morada com dois gatos
e o corrimão da escada

nas janelas cor-de-rosa
posso debruçar os sonhos

entro e saio
                 sem rapapés

*

contribuição

líria porto

o chão seria um tapete
se dependesse do ipê

mesmo com espinhos
a rosa espalha beleza

a água da chuva
pinta o pasto de verde

o que podemos fazer
pelo nosso planeta?

*

ambiental

líria porto

o mundo roda roda
roda
continuará a girar
conosco ou sem nós
e um dia será
das baratas

(já foi dos dinossauros)

*


sexta-feira, 30 de outubro de 2015

o professor j.

líria porto

miúdo pequena estatura
puritano católico fiel
casado com dona g.
na copa do mundo do méxico
debaixo de um poncho e um sombrero
perdeu o rumo

no retorno para casa
tirou o terno a gravata
vestiu jeans e camiseta
largou dona g. dois meninos
cantou todas as mulheres
até nós – suas alunas

(nunca mais foi à igreja)

*

gula

líria porto

compro queijo
na casa da rapadura
depois eu faço o melado
ponho num prato fundo
e me mato

(mineiro da gema)

*

indócil

líria porto

montei a vida em pelo
sem arreio sem esporas
levei uns tombos
quebrei uns ossos
e aprendi que às vezes
é ela que impõe cabresto
que faz uso do chicote

*

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

(in)visibilidade

líria porto

segunda filha
sumida entre os demais
fez da vida o que bem quis
foi anjo e foi demônio
bailarina puta
atriz

*

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

nascimento

líria porto

chegou a hora
a lua virou
viva a maria
seja boa e bela
a sua passagem
pelo planeta

maria
a sobrinha-neta
tantas são as bênçãos
tantos são os olhos
à sua volta

*

vocabular

líria porto

nem flor na lapela
nem espinho na goela
palavra é expressão
significância
:
palavra é silvo
e é rosnado

*

inspiração

líria porto

dorme acorda
a folha branca nem pisca
mantém-se alerta à espera
dos novos versos

*

do barro

líria porto

cada homem
uma legião de anjos
e demônios

(ninguém é santo)

*

diariamente

líria porto

a rotina
não me dá trégua
monta-me o lombo
e com seu chicote
com suas esporas
fere o meu couro
força meu galope
até quando choro
no meio da treva

(arre égua
viver sempre
às cegas)

*

terça-feira, 27 de outubro de 2015

empáfia

líria porto

nada que alguém fizesse
tu ou eu –– qualquer pessoa
teria valor para ele
sequer olhava não via
achava-se o bom
o melhor
o rei da cocada

(o cocô)

*

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

estratégia

líria porto

à torcida organizada
que vibra pelo meu time
vou sugerir uniforme
vamos nos vestir de nada
e assim quase invisíveis
olhares fixos na bola
enviar as energias
pra marcar um gol de placa
surpreender o impossível

*

traumas

líria porto

tantas as cicatrizes
não apenas as da pele
as outras as indeléveis
as lesões dentro da alma

*

o especialista

líria porto

a mulher do meu amante
tem boa pele
belo sorriso
ele faz com ela o que faz comigo
ela nem se importa
não é egoísta

conosco é amor e paz
) corpo não tem cerca (

*

fora do padrão

líria porto

usara barba bigodes
raspara-os depois de anos
e os seus netos menores
não foram para o seu colo
tiveram medo do estranho

(vovó ficou uma arara)

*

domingo, 25 de outubro de 2015

do perdão

líria porto

palavras o vento leva
palavras o vento traz
as más a gente releva
:
das boas fazemos velas
acendemo-las ao diabo

*

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

o canal

líria porto

a boca aberta
ela cutuca-o
dá agulhadas
mata meu dente

ai que vontade
morder-lhe o dedo
falar palavras
dessas de ofensa

porém a moça
tão educada
faz seu trabalho
com competência

*

modorra

líria porto

atrasaram os relógios
surrupiaram a fatia
mais gostosa
do meu dia
:
a recheada com sonhos

*

de mal a pior

líria porto

cheiro de chuva
alarme falso
gotas minúsculas
poucas – esparsas
viram fumaça
sobre o asfalto
:
o inferno é aqui?

*

demoras

líria porto

espero sentada
preferia uma cama
posição confortável
embora admita
sentada é melhor
que a fila de ônibus
da periferia

*

terça-feira, 20 de outubro de 2015

preocupação

líria porto

a triturar-nos o coração o cérebro
mantê-los sob pressão causar-nos desassossego
qual mão de ferro

*

algazarra

líria porto

nem bem o sol nasce
fuzuê de maritacas
muito blá blá blá

*

dona dona

líria porto

por amar a humanidade
entregou-se a todos
que a procuraram

(homens e mulheres)


a eles abriu o peito
portas janelas
e pernas


*

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

perfeccionista

líria porto

o vento varreu o azul
não ficou uma nuvenzinha
pra contar o que era chuva

*

a colina a coluna

líria porto

subi subi fui ao topo
agora enfrento a encosta
desço-a em passos miúdos

na mala as pedras e a bengala
minha terceira perna

*

sábado, 17 de outubro de 2015

a invenção da noite

líria porto

quem raspou o azul as nuvens
guardou o sol na gaveta

deu duas demãos no escuro
pendurou lua e estrelas

replantou postes nas ruas
acendeu todas as luzes

distraiu nosso cansaço
fez dormir nossa tristeza

*

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

pulmonar

líria porto

querer não quer mas precisa
bem sabe o quanto faz mal
(fumaça filha da puta)
então pergunto o que é isso
compulsão vício
mania
ou só instinto suicida?

*

estio

líria porto

sem a proteção da nuvem
o sol fura a atmosfera
o chão seca
o fogo queima a floresta
e o rio morre
de sede

*

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

alimento

líria porto

felicidade inclui comida
faz-se necessário mitigar a fome
do corpo do espírito

*

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

cobre

líria porto

mesma fórmula para todos
fez-se assim a massa humana

uns pularam do esquadro
para encontrar sua forma

forjei-me numa bigorna
uma pancada após outra

*

terça-feira, 6 de outubro de 2015

pedrada

líria porto

proparoxítona
grávida de letras
com acento agudo
minha predileta
:
paralelepípedo

*

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

desnorteio

líria porto

muita vez flutuo
vou voar co'os pássaros
tropeço na nuvem
despenco em teus braços

muita vez afundo
vou dormir co'os peixes
acordo a teu lado
um anzol no peito

muita vez caminho
rumo ao horizonte
encontro contigo
debaixo da ponte

muita vez eu rolo
caio no abismo
cabeça na pedra
onde o meu juízo?

*

implacáveis

líria porto

o pai general
a mãe sargento de ordens
os meninos soldados rasos
treinados para continências
e funções menores

*

domingo, 4 de outubro de 2015

ilusão de ótica

líria porto

aos setenta anos
ultrapassadas as bordas
a pele não nos contém
despencamos sobre os ossos
necessitamos escoras
a memória tem espasmos
os olhos ficam aquém
porém velhos são os outros
aqueles que já sopraram
oitenta noventa velas
e perderam o fôlego

(estou velha –– não me tratem por idosa
não empurro o tempo co'a barriga)

*

sábado, 3 de outubro de 2015

das variações do mesmo

líria porto

o meu bem
é o maior sossego
quando está na rede

porém o meu bem
ele se esmera
em caras de fera
quando arranja emprego
:
volto pro batente
o amor é cego

*

prenúncio

líria porto

nuvens carregadas
trazem no seu bojo
também novo alento
promessa de chuva
de boa colheita
de que a poeira
o calor a sede
ir-se-ão em breve

*

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

cúmulo

líria porto

maria tem mania de caixas caixinhas estojos gavetas armários estantes
roupas sapatos livros revistas jornais brincos (objetos de toda espécie)
e mantém tudo tão arrumadinho que nem parece acumular coisas
que a impedem de abrir portas e janelas
:
sai de casa pela chaminé

*

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

no meio da noite

líria porto

palavras antigas me puxam o pé
(quiprocó chapoletada fuzarca
chumbrega supimpa marmota
carraspana ceroula sirigaita
safanão)
:
palavras mais moças
pegam-me pela mão

*

o chefe

líria porto

poderia ser cozido assado
até mesmo frito ou no vapor
para quê ater-nos a um só modo
se há mil maneiras de fazê-lo
e variados gostos?

(prefiro-o ao espeto
nas profundas do inferno)

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog