domingo, 29 de setembro de 2013

duble face

líria porto

os meus olhos d'água
teus olhos barrentos
e o amor cachoeira
a inundar nosso leito
transbordar nossas margens
oceano de gozos
e prazeres

os teus olhos d'água
meus olhos barrentos
e o amor pantanoso
a espalhar-se na cama
derramar tantas lágrimas
ausências tristezas
e sofrimento

*

genealógica

líria porto

minha raízes são árabes
o meu tronco português
das minhas galhas mestiças
nasceram frutos saudáveis
cujas sementes brotaram
na américa do sul

*

sábado, 28 de setembro de 2013

roda

líria porto

o tempo das lembranças
de saber-me os passos recordar quem fomos
evocar histórias segredos amores
recônditos

*

vampiro

líria porto

pudesse
ele me bebia
direto da jugular
e com canudinho

desde então
amarro um lenço
embebido
em água-benta

quando vem
nem me desvio

*

atabalhoado

líria porto

eu meto os pés pelas mãos
desarrumo até a alma para encontrar
meu rumo

*

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

desilusório

líria porto

faz de conta que me ama – finjo que acredito
e fica o dito pelo inaudito

será o benedito?

*

tipos

líria porto

carioca

maneiro
qual mineiro descansado
com um pão de açúcar dentro
muito mar e muita
praia

*

paulistano

terno
gravata
corro corro
morro
entre a garoa
e a fumaça

*

baiano

uns se espetam de pé
outros esperam sentados
eu espero na rede

(o violão
do meu lado)

*

mineiro

da falta de mar
só queijo me consola
:
ele um pito
e uma cachaça

*

gaúcho

um chimarrão um churrasco
uma prenda um chapéu
umas bombachas

*

entremeio

líria porto

nós
que vivemos bons e maus bocados
sabemos que alegrias e tristezas
intercalam-se

*

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

a esmo

líria porto

muros paredes
estilhaços vidraças
vislumbro sombras
fantasmas
bruxas

perambulo pelo casarão

*

líria porto

não sei se rio se largo
ai que sinuca de bico
eu fico dentro é amargo
eu saio fora trumbico-me

*

parênteses

líria porto

(ai moço
quando tuas rimas internas
fincam-se entre as minhas pernas
aí então é o gozo)

*

pacote

líria porto

ninguém vai desfazer meu riso
controlar minhas palavras nem dosar
meu  bom-humor
:
em nome do amor meu bem
só posso ser como sou

(ou tudo ou nadas)

*

folga

líria porto

quem eu peço não me impede
e por isso eu deito e enrolo

*

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

futilidade

líria porto

não me deixei cair
ao desabar segurei-me
rasguei a mão no arame
não esgarcei minha meia

*

autocrítica

líria porto

saio de mim
viro bicho
:
inseto
dos mais
nojentos

*

percurso

líria porto

velozes ou vagarosos – uns e outros
os passos percorrem caminhos
de ida volta e retorno

subidas descidas obstáculos
vencidos com muito esforço
são das estradas da vida

ao final estamos
os mortos

*

terça-feira, 24 de setembro de 2013

tapete

líria porto

não quero pisar as flores
magoar as suas pétalas
elas se impõem enfiam-se
debaixo dos nossos pés

*

da experiência

líria porto

passado é passado
mas para tentar ir em frente
prevenirmo-nos dos apuros
manter os olhos na estrada
e nos retrovisores

(tendemos a repetir
os mesmos erros
descuidos)

*

troco

líria porto

ao moço
que me ensinou beijo de língua
eu mando um verso

ao outro
que estourou meu hímen
eu mando um beijo de língua

aos bacanas
que só me olharam de longe
eu mando uma banana

*

caramujo

líria porto

eu sou um ser arredio
um rio oculto na mata
um bicho que se esquiva
atrás da moita das galhas
o meu verso é caudaloso
porém não vou a saraus
:
a timidez é uma crosta
a disfarçar o orgulho

a timidez é o caos

*

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

plenitude

líria porto

espreguiçar
alongar a alma
e que ela preencha
os recônditos do corpo
até roçar os poros
as unhas
as pontas dos pelos

*

domingo, 22 de setembro de 2013

prenhez

líria porto

a gravidez permanente
amamenta enquanto
espera
:
poesia não tem regra

*

sábado, 21 de setembro de 2013

sádico

líria porto

apunhalas-me e me olhas pelas gretas
frestas buracos de fechadura para assistir
a minha morte

*

seletivo

líria porto

vovô – surdo por conveniência
barbeiro por precisão
só dava ouvidos aos netos
e aos fregueses

às lamúrias de vovó
vovô impunha
um muro

*

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

corcova

líria porto

cintura fina
as pernas bem torneadas
a boca carnuda vermelha
eu era outra

com tanto tempo nas costas
enruguei fiquei corcunda
afinei os lábios

ninguém mais mira-me os olhos

*

egoísta

líria porto

amor para dar alegria e conforto apenas a um
o outro que se dane – não passa
de coadjuvante

*

abalo

líria porto

sequer
preservo
a fachada

era forte
não tenho mais
estrutura

desabo
poeira cacos
entulho

*

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

a lombriga

líria porto

aprendiz de sopro e bailarina
beatriz tocava flauta nos saraus
morava na barriga de luís quinze
um homem de saltos
e baixos

*

fúria

líria porto

depois da ferroada
dei de endoidar
trepar nas paredes
falar impropérios
engrossar a voz
destilar veneno

*

mando

líria porto

zangão que se cuide
quem fecunda morre
é a lei da colmeia

*

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

urgência

líria porto

nem antes nem depois – agora
que o amor é inadiável como a sede
e a fome

*

terça-feira, 17 de setembro de 2013

baque

líria porto

esta atração por abismos
é de maior gravidade

*

reações

líria porto

ferida eu seco
chovo é quando coço
a cicatriz

*

renascer

líria porto

despencar do penhasco
transformar penas em asas
não há escolha

*

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

após o após

líria porto

a luz a escuridão
apenas terra por cima
caminhos a percorrer?

*

monstruosidades

líria porto

descarnar uma galinha
sem desfazer-lhe a carcaça
conservar seu bico a crista
preservar as suas vísceras
decepar-lhe os pés as asas
entregá-la morta em vida
fazer dela alma penada

*

domingo, 15 de setembro de 2013

boca suja

líria porto

pimenta curtida no azeite
para as bocas das crianças
que falassem palavrão

puta que me pariu – padeci
carne viva

*

combustão

líria porto

arde nu meu peito
qual uma pimenta
com o teu tempero
:
meu temperamento

*

malandra

líria porto

a lua atrás da montanha
a lua fora de foco
sorve a beleza c'os olhos
dança tango valsa
samba
come homens
e meninos

*

sábado, 14 de setembro de 2013

sísifo

líria porto

eu me levava nas costas
sentia imenso o cansaço
eu tropeçava caía
deixava-me ficar à margem
:
eu reduzi-me
à metade

*

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

persuasão

líria porto

a culpa é convincente
faz-nos fazer o que nós não faríamos
nem por desencargo de consciência

*

poema de época

líria porto

num tempo de flores e frutos
antes de me caírem as folhas
abria as galhas com facilidade
:
hoje doem-me os quartos

*

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

sonhos

líria porto

uma parte do meu corpo
acorda enquanto eu durmo
é lá que tudo acontece
o fantástico o absurdo

*

pela culatra

líria porto

desprezo-te olho
preso ao olhar
do ferrolho

*

bote

líria porto

tal como fosse serpente
letal veneno o da morte

*

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

asno

líria porto

não não me bastas
posso fingir-me de besta
mas esta bosta de vida
é um embuste
                   um abismo

*

conchavo

líria porto

visito palavras
palavras me visitam
juntas fazemos coisas
que até deus duvida

*

incomunicáveis

líria porto

tu aqui
e eu com saudades
de ti

não do que és – do que foste
da alegria que havia
em teu rosto

*

terça-feira, 10 de setembro de 2013

folga

líria porto

sol fogoso
salta a janela do quarto
e solta o corpo
na cama

*

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

o neném

líria porto

quem pariu embale-o para presente
ou aguente madrugadas mal dormidas

(o sorriso compensa-nos)

*

modéstia

líria porto

anjo toca trombeta
tem eco de estampa
vaidade camuflada

(ninguém é santo)

*

domingo, 8 de setembro de 2013

amado

líria porto

sou o atalho o desvio
não a estrada que te leva
ao paraíso

*

sábado, 7 de setembro de 2013

a viúva

líria porto

cama larga confortável e tem uma vaga
quem quiser pode ocupá-la sem compromisso
casamento e minério não dão duas safras

*

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

tremor

tremor

o arrepio por dentro
é como um sopro da alma
areia embaixo da pele

*

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

nau frágil

líria porto

esbarrou na dor
e para não naufragar
jogava pelo caminho
parte da carga

de novo teve outro baque
partiu-se o casco
o capitão foi a pique
salvou-se o mar

*

broto

líria porto

a chuva chegou mansinha
tirou-lhe o peso dos ombros

floresce e se frutifica
sem muito esforço

*

terça-feira, 3 de setembro de 2013

pressão

líria porto

se precisar
se houver necessidade
eu retiro o sal do mar
pras marés ficarem baixas

*

a fera adormecida

líria porto

beijei a boca da morte
ela me olhou e cuspiu
:
nunca mais me incomodes
quem gosta de beijo
é a vítima

*

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

setembro

líria porto

soldadinho camuflado
boina verde fuzil ao ombro
ouve o hino canta rouco
:
em posição de senti-lo
eu me calo baixo os olhos
emoção é minha pátria

salve a terra
salve o povo

*

domingo, 1 de setembro de 2013

fatal

líria porto

tentas parecer que não tens idade
pintas os cabelos usas creme
cílios postiços maquiagem
não adianta

atrasa

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog