sexta-feira, 22 de junho de 2018

de espuma

líria poro

aba marítima
cheia de garças
bendita sois
entre as mais belas
bendito é o mar
o céu a brisa
e as águas

*

o maestro

líria porto

procurei-o por toda banda
ele tocava a orquestra

*

intimidade

líria porto

em toda a sua extensão
(do focinho ao rabo)
os cães são sensíveis
a afagos

*

ioiôs

líria porto

as nuvens que o vento leva
as nuvens que o vento traz
tais quais esses pensamentos
que vão e voltam
e não param

há nuvens que evaporam
há pensamento esquecido
e nuvens de tempestade
e pensamento suicida

*

pretextos

líria porto

em nome de deus faz-se as guerras
em nome de deus
o diabo

*

afins

líria porto

melhor amiga é a irmã
nascida doutra barriga

melhor amigo é o amor
com quem jamais
casaremos

*

goooooooolpe

líria porto

e não é bola
é bala
camisa verde amarela
pedra quadrada
que invade como petardo
e abala
a democracia

*

dividida

líria porto

pode ficar com a bola
eu sei brincar de outra coisa

*

quinta-feira, 21 de junho de 2018

na escuridão

líria porto

as estrelas brilham
como piscam os vagalumes
:
quem acende as luzes?

*

domingo, 17 de junho de 2018

quem?

líria porto

então eu pergunto
quem vai traduzir a minha alma
se não para o sânscrito
para o português
da padaria

*

ultimátum

líria porto

entre ti e ela
escolhi a cadela

*

contrassenso

líria porto

o corredor
ilhado por paredes e portas
permanece parado

*

sábado, 16 de junho de 2018

na moita

líria porto

a lua –– sorriso de monalisa
está a aprontar alguma

*

sexta-feira, 15 de junho de 2018

a viagem

líria porto

um astronauta
eu irei com ele
de raio ou cometa
para algum lugar
em outra galáxia
onde estão meu pai
minha mãe
vovó
e todos aqueles
que viraram
estrelas

*

quinta-feira, 14 de junho de 2018

...

líria porto

que mundo bisonho
os pesadelos soltos
e o sonho preso

*

terça-feira, 12 de junho de 2018

marido

líria porto

pega outra faca e colabora
pica o chuchu descasco a abóbora
e a gente chega junto

*

à foz

líria porto

vou-me como um rio
que sabe o percurso
de memória

*

haicai

líria porto

o galo madruga
arromba o portão do dia
com muito barulho

*

segunda-feira, 11 de junho de 2018

a_deuses

líria porto

uma partida a mais
um parto a menos
quiçá um aborto

*

êxtase

líria porto

bêbada
sem uma gota de álcool
de vida mesmo de espanto
do labirinto descompensado
que é a existência

*

domingo, 10 de junho de 2018

sintonia

líria porto

a vida
canal de te ver
saiu do ar

(perdemos a concessão)

nem voz nem imagem
de ti eu só tenho
um ruído

(e o chuvisco)

*

sintonia

líria porto

a vida
o canal de te ver
saiu do ar

(perdemos a concessão)

nem voz nem imagem
de ti eu só tenho
um ruído

(e o chuvisco)

*

quinta-feira, 7 de junho de 2018

do mato

líria porto

ganhei uma pena verde
para escrever meu verso
não careço de caneta
a tinta tiro da veia
:
eu sou contra o progresso
contra o comércio
e o dinheiro

*

fingimento

líria porto

quero crer que o crocodilo
sente como crocodilo
coisas muito diferentes
das coisas que a gente sente
:
crocodilo é crocodilo
gente eu não sei
quem é

*

desperdício

líria porto

elas têm tudo
muito mais que tudo
e não acho justo
(têm boa índole)
que elas se tornem
seres insensíveis
de coração duro
:
todas as crianças
podem ser levadas
ao bem e ao mal

*

fuzuê

líria porto

a passarada alvoroça
as madrugadas
na roça

*

o déspota

líria porto

acusa julga e prende
e nem precisa haver crime

*

cadeado

líria porto

amor és a senha
contigo entro saio –– abro e fecho
o cadeado

*

haicai

líria porto

primeiro de junho
um avião risca o céu
rastros de fumaça

*

surrupio

líria porto

há mãos que dão
mãos que tiram

a que assina os decretos
é a mão do larápio

*

censura

líria porto

tenho estado
tenho sido
abduzido pelo sistema
que me faz calar o bico
abafar meu sentimento

*

vício

líria porto

há quem lute para escrever
eu luto para não escrever
isso é uma cachaça

*

rodízio

líria porto

quando a água se evapora
ela sobe forma a nuvem
e o bom da novidade
é que um dia a nuvem chove
rega o chão e enche o rio

o sol volta –– recomeça
seca o excesso de umidade
e remoça a floresta

*

quarta-feira, 30 de maio de 2018

na ponta do lapso

líria porto

já vivi mais de três quartos
na verdade quatro quintos
sei que a parte derradeira
(por certo a mais difícil)
pode ser interrompida
a qualquer momento

*

terça-feira, 29 de maio de 2018

ceticismo

líria porto

entre minhas coxas
cochichas o nome das outras
não me incomodo
:
todo amor é provisório

(se durar muito tempo
então é carma)

*

salvo-conduto

líria porto

se não para a morte
necessito um passaporte
para a loucura

*

segunda-feira, 28 de maio de 2018

umbigo

líria porto

dei de matutar
entregue a milhões de grilos
de falar com meus mamilos
que o centro da barriga
é o poço da vaidade
frequentado por lombrigas
e por egos incapazes

*

cuidados

líria porto

na casa da bisavó
debaixo do filtro de barro
uma bacia esmaltada
aparava os pingos d'água

*

ranhuras

líria porto

nesta altura dos meus dias
não me permito frescuras

ciscam em torno dos meus olhos
milhões de pés de galinha

*

ru(s)gas

líria porto

as garras do tempo
afundam as ranhuras
na pele dos homens
e das mulheres

*

domingo, 27 de maio de 2018

estações

líria porto

na primavera
a infância

no verão
a juventude

no outono
homens maduros

no inverno
arribação

*

sexta-feira, 25 de maio de 2018

revisão

líria porto

meu amor gostava dela
e deve ser gente boa
a moça que eu desprezo

confesso minha fraqueza
por defeito do meu ego
detestar uma pessoa

*

pulguenta

líria porto

a cachorra chama vida
e é vira-lata –– a cadela

de me ver abana o rabo
lambe-me as mãos

(vez em sempre
rosna comigo)

*

suspiros

líria porto

não vou engordar –– eu me proponho
e talvez até emagreça
se conseguir estancar a agonia
que me faz devorar
guloseimas

*

quinta-feira, 24 de maio de 2018

delator

líria porto

índio pinto pequeno
usa dedo indicador
para constranger
a tribo

*

quarta-feira, 23 de maio de 2018

leve

líria porto

voar como um pássaro
suportar o peso do corpo
não –– melhor borboleta
apenas bater as pétalas
mesmo que o voo não atinja
as alturas

hoje 
como um leque
só quero
abanar as flores

segunda-feira, 21 de maio de 2018

ser_tão

líria porto

deus é o próprio mandachuva
fosse justo olhava todos igualmente
não haveria seca nem miseráveis
:
deus é o patrão
o que protege os b(r)ancos

*

domingo, 20 de maio de 2018

elite

líria porto

brancos de almas pardas
cagam e disfarçam seu ranço
com perfume francês

*

sexta-feira, 18 de maio de 2018

equívocos

líria porto

de costas para a luz
projeta-se a sombra
e não se vislumbra
o porvir

*

quinta-feira, 17 de maio de 2018

dádiva

líria porto 

a vida
esse visgo
a gente se apega
ainda que doa
a vida é bela

*

quarta-feira, 16 de maio de 2018

deprimidos

líria porto

a tristeza que perdura
ela mina nossas crenças
reduz-nos a temperatura
transforma-nos em molambos
(mortos-vivos)
atirados para os cantos
sem presente
sem futuro

*

terça-feira, 15 de maio de 2018

contágio

líria porto

quando a vontade de nada
domina a mente e o corpo
a gente fica doente
exposta às bactérias

(e não adianta remédio
onde há indiferença)

*

segunda-feira, 14 de maio de 2018

cognome

líria porto

chamavam-me sardinha
(as pintinhas no nariz)
e eu lavava o rosto
com água de arroz
na esperança de apagar
o apelido

*

domingo, 13 de maio de 2018

dona mundina

líria porto

minha mãe
filha de árabe
submissa ao marido
(um português das arábias)
um dia teve alzheimer
não obedeceu mais ninguém
nem doutor
nem enfermeira
e até falou palavrões

(meu pai
revirou
na cova)

*

distribuição de renda

líria porto

aos pobres
escola casa comida
e sobretudo
um casaco de lã
para o inverno

*

sábado, 12 de maio de 2018

chantagem

líria porto

a vida é submissa
ao bordão da morte
:
ou dá
ou desce

*

sicrano

líria porto

passou e me deu garupa
seguimos à encruzilhada
apeei tomei meu rumo
ele foi pra outro lado
:
jamais o esquecerei
onde estará?

*

sexta-feira, 11 de maio de 2018

oblíquo

líria porto

igual a torre de pisa
eu tombo até certo ponto
mas não desabo

*

terça-feira, 8 de maio de 2018

movimento

líria porto

faço graça tiro sarro
mas sou tímida
e sou triste

isso não muda nada
a terra gira

*

extermínio

líria porto

tudo nos conformes
não haverá nenhum pobre
no tucanistão

serão removidos
ossos destroços e co'as cinzas
serão pintados os muros

(câmaras de gás
bananas de dinamite
o inferno é o limite)

*

boca suja

líria porto

comprei pimentas
malagueta e de cheiro
mais pela cor
que pela ardência

(ardidas me lembram
palavrão)

*

apaga_dor

líria porto

quando meu pai morreu
mamãe ficou apática
quando minha irmã morreu
(sua filha caçula)
mamãe se esqueceu de tudo
(até de quem era)
e mergulhou
na própria
finitude

*

decorativo

líria porto

furtivo –– o traidor
não vale um real furado
mas acumula milhões

*

predição

líria porto

a trombeta anuncia liberdade
será este um anjo enganador
a passar mel na boca
dos incautos?

*

poetinha

líria porto

o sol é farol a lua lanterna
eu vejo esse mundo com duas antenas
a interna e a externa

(igual um menino)

*

domingo, 6 de maio de 2018

sombra

líria porto

aporto
tu cais
eu rio
me aterras
eu sonho
despertas-me
:
por amor
deixa-me
em paz

*

inexorável

líria porto

a velhice tem cheiro de mofo
aparência do que é descartável
todos querem a presença do novo
ao velho lhe resta
a eternidade

(o destino da musa
é o museu)

*

sábado, 5 de maio de 2018

mulherada

líria porto

vovó maria
mãe da minha mãe
disse à minha irmã
–– minha neta
dê cá tua neta ––
a na festa de oitentanos
entraram enfileiradas
cinco gerações

*

sexta-feira, 4 de maio de 2018

crepuscular

líria porto

beber teu sangue até te deixar azul
beijar teu sol na boca –– sujar-me
de batom

*

reino animal

líria porto

nem pobre nem rica
mulher branca –– classe média
dependente do marido
tratada como titica
a oprimir negros e índios
e assimilar as maldades
das quais ela própria
é vítima

*

madame mim

líria porto

nem anjo nem santa
tampouco diaba
mulher como tantas
não manda recado

*

pressão

líria porto

coração de mulher bate
coração de homem espanca
melhor seria tentassem
recordar qual o compasso
do coração das crianças

*

no ringue

líria porto

um vírus pôs-me a nocaute
ainda farejo a lona
(golpe baixo)
de longe escuto a contagem
porém acabou meu fôlego

(jesus me abane)

*

quarta-feira, 2 de maio de 2018

os carrascos

líria porto

mataram dona marida
depois enjaularam o urso
(nossa aurora boreal)
numa cela solitária
(espécie de sepultura)
no polo norte
onde qualquer convívio
é quase impossível
e a noite dura
seis meses

*

terça-feira, 1 de maio de 2018

testículo (pequeno teste)

líria porto

olho no olho –– de igual para igual
machão não tolera atrevimentos

*

mordaças

líria porto

a palavra presa
o grito calado
o berro na goela
a dor de garganta
o pé no pescoço
a vida de servo

*

quinta-feira, 26 de abril de 2018

tio sam

líria porto

melânia é mulher constrangida
pudera –– topou passar sua vida
do lado de um imbecil

*

terça-feira, 24 de abril de 2018

pouco

líria porto

eu não te basto
não nasci para isto
nem para secar teus caminhos
nem para alagá-los
cada um tem sua sina

*

cólica

líria porto

a dor vem do sul
passa pelo útero e chega
na cacunda

*

>>>>

líria porto

não sei quem oi
não sei quem ai
só sei que ou
que im
que irás

*

haicai

líria porto

o guarda de trânsito
o som agudo do apito
fere nosso ouvido

*

sexta-feira, 20 de abril de 2018

aposentadoria

líria porto

não rio tanto
tu deságuas chegas à foz
eu sou temporário

*

persuasão

líria porto

se eu perder a fé no poder das palavras
eu –– que estraçalho vírgulas e reticências
entrego os pontos

*

preso político

líria porto

e ao sepultá-lo
numa solitária
tentam apagar
a luz que alumia
a voz que acende
a esperança

*

quinta-feira, 19 de abril de 2018

banzo

líia porto

a tristeza alaga os olhos
basta piscar ela pinga
uma gota
outra
outras
misturam-se à coriza

(saudade
é sal
na saliva)

*

quarta-feira, 18 de abril de 2018

sou maria vai co'as ostras e co'as pérolas

obstinação

líria porto

podem me furar os olhos
tapar-me a boca os ouvidos
cortar-me as asas
uma coisa não consigo
saber preso meu amigo
(vítima de injustiça)
e não fazer nada

*

domingo, 15 de abril de 2018

haicai

líria porto

aurora e crepúsculo
portais do dia e da noite
entrada e saída

*

combate

líria porto

poesia me perdoe
nesse momento de angústia
ameaça sacrifícios
só posso encontrar beleza
nas ações da resistência
porquanto palavras vãs
são disfarce covardia
de pessoas coniventes
com a barbárie
a injustiça

*

sexta-feira, 13 de abril de 2018

vermelha

líria porto

cabeça ruça coração russo
sou toda maiakovski

*

execução

líria porto

a mão do juiz é a mão do algoz
que puxa o gatilho

*

quinta-feira, 12 de abril de 2018

tesouro

líria porto

guardei dentro do porquinho
uma fortuna

não –– não eram moedas
era a infância

*

ainda que à tardinha

líria porto

quando a corja forja um crime
incrimina um inocente
inocenta os criminosos
acorda quem não concorda
com a corda no pescoço

*

quarta-feira, 11 de abril de 2018

inquietação

líria porto

cabeça no travesseiro
e lá vem o pesadelo ocupar lugar
do sonho

*

terça-feira, 10 de abril de 2018

descabimentos

líria porto

quem matou marielle
deixou pólvora deixou rastro e continua
impune

coondenaram o presidente lula
sem provas e sem crime –– prenderam-no
numa solitária

(assim a justiça a polícia a política
a canalha do brasil)

*

segunda-feira, 9 de abril de 2018

picadeiro

líria porto

ando em círculo
e ao fechar-se o cerco
desse minicirco
sou palhaço e mágico
:
eu sou brasileiro
e desequilibro
sangro e sobrevivo
na própria desgraça

*

domingo, 8 de abril de 2018

uvas verdes

líria porto

deitava comigo e eu sabia
ele amava a sua mulher

por mim tudo bem –– eu não tinha ninguém
nem queria

*

guerrilha

líria porto

tornei-me a mulher-bomba
explosivos no peito –– no coração
tic-tac-tic-tac-tic-tac

*

sábado, 7 de abril de 2018

piedosamente

líria porto

sinos tambores
a pele preta da terra
santa efigênia
senhora do rosário
são benedito
áfrica
moçambique
ervas ancestrais
saravá
meu pai

(eu –– ateu
rezo por lula
pelo brasil)

*

quarta-feira, 4 de abril de 2018

relacionamento

líria porto

folgo em saber que o fogo continua aceso
a rotina –– quando muita –– reduz
a labareda

*

a cama

líria porto

em minha canoa
atravesso a noite
os sonhos na proa

*

terça-feira, 3 de abril de 2018

direitas

líria porto

mulheres
mirem-se no espelho de amélias marcelas
carminhas
respaldem o grande
o rico homem branco
e nem pensem nas marielles nas beneditas
nas jandiras
estas devem ficar nas senzalas
caladas e debaixo de relho

(as que falem por pobres e pretos
silenciamos à bala)

*

maré

líria porto

da favela –– mulher
e viram a cor da pele?

a metidinha
atreveu-se a fazer leis
a denunciar
falar alto

pensou que seria fácil?
não foi
não é

mas não se preocupem
a negrinha já não existe
:
e não se fala mais nisso

*

haicai

líria porto

de manhã a lua
tresnoitada esmorecida
igual mulher dama

*

spiritus

líria porto

sinto saudades de mim
dum tempo que não havia
eu era outra pessoa
e uma ancestral antiga
descendente da avó símia
trouxe-me ao século vinte
para acertar comigo
umas pendengas
umas dívidas

*

segunda-feira, 2 de abril de 2018

lacre

líria porto

por mais que te abras
escondes de ti e do mundo
as tuas vergonhas

*

do amante

líria porto

se me perguntares
o que faço em tua cama
não saberei responder
eu amo a minha mulher
mas aqui é meu oásis

*

o fracasso

líria porto

michael trêmulo
golpista e sem habilitação
com sua bagagem de quinhentas merrecas
assume o volante do furgão verde amarelo
repleto de boias frias
e sem condições para dirigi-lo
freia nas retas
derrapa nas curvas
invade os barrancos
e joga o furgão
no abismo

*

domingo, 1 de abril de 2018

pólen

líria porto

não tenho concentração
vivo bambo das pernas
sem miolo
perdido entre as pétalas
e o perfume
de seres efêmeros

*

sexta-feira, 30 de março de 2018

marielle

líria porto

morreu duplamente
(tiro e calúnia)
e haverá outras mortes
se não se punir
os assassinos

(muita gente na mira
muitos combatentes)

quinta-feira, 29 de março de 2018

a_corda

líria porto

o homem –– animal irracional
caminha a passos largos
para o autoextermínio

*

segunda-feira, 26 de março de 2018

indiferença

líria porto

a lua cresce
(muda de fase de forma)
e o sol
que nem olha para ela
não sabe o que está perdendo
ela –– uma grande mulher
ele um velho rabugento

*

futrica

líria porto

ao invés de falar da pessoa
falo com a pessoa –– sem
diz-que-diz

(ou então me silencio)

*

da obra

líria porto

pelo avesso do crivo
avalio a bordadeira

*

mea maxima culpa

líria porto

esse tal de facebook
é uma casa de caboclo
uma grande arapuca
e o pior é que vicias
perdes tempo e tu podias
realizar tantas coisas

(mas tu te inutilizas
viras massa de manobra
precisas só das curtidas
não da importância
das horas)

*

sábado, 24 de março de 2018

do amor

líria porto

então me perguntas
como ousas e eu te digo
quem ousa é meu coração
:
só lhe ouço as batidas

*

quinta-feira, 22 de março de 2018

utopia

líria porto

tu ele eu e nós todos
condenados a morrer
(é um desígnio)
viveríamos melhor e mais felizes
se além de respeitar as diferenças
lutássemos por sonhos
coletivos

*

quarta-feira, 21 de março de 2018

a infância

líria porto

a inocência a pureza
deixadas ao deus-dará
voltaram com outras roupas
mas não perderam
a essência

*

caluniar é matar com palavras

terça-feira, 20 de março de 2018

haicai

líria porto

a lua embaçada
aquela réstia de luz
coberta de nuvem

*

segunda-feira, 19 de março de 2018

implacável

líria porto

a cada dia uma baixa
em nossa tropa de amigos
igual estátua de sal –– não vou
nem fico

*

sexta-feira, 16 de março de 2018

tocaia

líria porto

de morte morrida
seria duro aceitar
porém de morte matada
bem na metade da vida
a alma fica à deriva
até que prendam
os culpados

*

quinta-feira, 15 de março de 2018

ponteiros

líria porto

acordo repleta de boas intenções
(as más aparecem após o crepúsculo)

*

escrita

líria porto

na ponta da flecha a palavra
na mira teus olhos teus óculos
tuas lentes teu cérebro tua pele
teu sangue
as pontas dos teus dedos
e o peito aberto

*

digitais

líria porto

sou o que escrevo e o que fica
nas entrelinhas

*

apatia

líria porto

sem força ou ação
sentada no banco
só pega no tranco
movida a empurrão

*

terça-feira, 13 de março de 2018

a crista

líria porto

galos brigam mandam trepam –– divertem-se com outras frangas
galinhas botam chocam cacarejam e cuidam dos pintos
:
é a lei do galinheiro e não são coincidências
todas as semelhanças

(o justo é folgado?)

*

quarta-feira, 7 de março de 2018

integridade

líria porto

metade da laranja sou eu
a outra metade também
inclusive sementes casca
azedume

*

terça-feira, 6 de março de 2018

bodas

líria porto

no início são rosas
que se despetalam
ficam os espinhos

(muitos se separam)

os resignados
põem flores de plástico
até no jardim

(e a morte os junta
no mesmo jazigo)

*

segunda-feira, 5 de março de 2018

olhares

líria porto

a lua lá
o sol ali

ela mais linda
que o girassol

o sol é bi?

*

óbito

líria porto

romantismo ou pieguice
eu quero morrer o coração
(falhei e disse)

*

após

líria porto

dou mole dás duro
depois desmilingues-te
e viras pro canto
e me ignoras

*

domingo, 4 de março de 2018

competição

líria porto

daqui pra longe
de lá pra cá
perguntas onde
eu te esclareço
lá na distância
não tem parada
(só tem estrada)
a gente anda
a gente corre
a gente cansa
e quando chega
tem que voltar

*

barro e pedra

líria porto

tem gente doída
que chora e reage
qual fosse ferida
e ainda sangrasse
sob a cicatriz

tem gente durona
não verte uma lágrima
nem em carne viva

*

quinta-feira, 1 de março de 2018

tobogãs

líria porto

nasci em terras planas
mas sou montanhosa
gosto das grutas das curvas
dos aclives declives penhascos
precipícios
dos segredos dos mistérios
do que existe debaixo dos panos
dentro das minas das grotas
do percurso entre o topo
e o fundo

*

da transparência

líria porto

não sei do começo
da sequência
do que veio antes ou depois
do que há no momento
e o que vejo é vão é opaco
é o buraco
é um zero à esquerda do cifrão
e não fede nem cheira

*

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

chita

líria porto

tecido pano fazenda
dá no mesmo dá na mesma
meio metro faço o laço
metro e meio –– a vestimenta

*

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

mistérios

líria porto

da vida sei pouco da morte ainda menos
só sei que uma e outra agem combinadas
o que uma começa
                                 a outra arremata

*

domingo, 25 de fevereiro de 2018

é osso

líria porto

para não se apaixonar
arranjou um e mais um
e mais outros
deitou-se com todos
e no fim
enfarada de homens
arranjou um cachorro
que só come
filé mignon

*

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

a abelha

líria porto

reina
cuida da colmeia
produz mel e cera –– precisa de ferrão

(dane-se o zangão)

*

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

culinária

líria porto

a clara ficou morena
a gema quase marrom
eu taco fogo no ovo
e tudo muda de tom

*

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

dor

líria porto

sina de galinha
botar ovo é penoso
um parto por dia

*

barcarola

líria porto

a lua afunda
vai carregada de nuvem
naufraga na escuridão

*

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

feijão com arroz

líria porto

poucos adjetivos
nenhuma pontuação ou letras maiúsculas
(quando muito um travessão)

(rimas em ão dão-me alergia
rimas em ar –– nem pensar)

*

sábado, 3 de fevereiro de 2018

resistência

líria porto

rocei seu braço
achei-o fino
de homem fraco
:
engano meu
era mais forte
que eu

*

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

monogamia

líria porto

periquito e periquita
um namoro do barulho
tanto apego tanto arrulho
tanto apupo
e as bicadas tão maciças
doem mais que traição

*

frígida

líria porto

a cor azul cinza
no tom dos olhos gelados
da mariazinha
:
em seu corpo teso
nenhum ai nenhum gemido
nenhum arrepio

*

limiar

líria porto

entre a vida e a fantasia
a linha tênue
–– espécie de corda bamba ––
por onde vai o poeta
com a sombrinha
de frevo

*

domingo, 28 de janeiro de 2018

bi

líria porto

periquita quer periquito
periquito procura outro galho
pensa em mudar de vida
dessa vez quer
papagaio

*

no cu do mundo

líria porto

dezembro m'irrita
desencapa-me os nervos
a chuva maciça as ruas lotadas
a grana tão curta
(compras induzidas)
não saio da toca
por nada

*

paraíso

líria porto

eva comeu a cobra
adão comeu
a maçã

*

invisibilidade

líria porto

o nosso
o couro da parede do muro
do quarteirão do bairro da cidade
do estado do país do continente
e por fim
a crosta do mundo

(nós
dentro do bulbo
como a gema da cebola
na réstia do universo)

*

cratera

líria porto

o que o verso insinua
está no inverso –– no avesso
da lua

*

o sovina

líria porto

a olhar para baixo
cerzir meias vigiar moedas
evitar buracos prevenir-se da chuva
jamais viu estrelas ou mirou
horizontes

*

escambo

líria porto

ofereci-lhe meus quartos
meus terços metades
e não pude negar
nem cu e nem nádegas
a quem me deu tudo
sem nada pedir
ou cobrar

*

serralheria

líria porto

o esmeril come o ferro
o ferro –– macho –– resiste
chega a soltar faísca
e geme
:
fica afiado o espeto
perfeito para o churrasco
a queima da carna
a brasa

*

abandono

líria porto

insustentável solidão
a das viúvas de marido
vivo

*

sede

líria porto

a pressa do rio
vontade de (a)mar
seguir aos tropeços
livrar-se das margens
vagar noutras plagas
lambuzar-se de sal
sumir de si mesmo
deixar-se beber
naufragar

*

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

linda

líria porto

a mamãe
bem mais doce que papaia
a sua pele de pêssego
ou de maçã
como queiram
a mamãe é fera livre
quando se trata
dos filhos

*

in_tranquilidade

líria porto

minha cabana de taipa
não tem tranca não ter cerca
tão somente a vira-lata
(ótima companhia)
e eu

a mansão do magnata
tem muralha tem guarita
câmeras de segurança
quatro pitbuls
dois buldogues
carros blindados
motoristas
guarda armado até os dentes
e gente trêmula

*

moreno

líria porto

esperavas-me no saguão
e tua camisa branca
tive ímpetos de manchá-la
com batom

*

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

soberano

líria porto

o corpo –– qual gaiola –– trancafia
toda a nossa dor e sofrimento
só o pensamento voa livre
e não há polícia nem juízes
que o condenem ao cárcere
ao exílio
:
nosso pensamento é quem governa
nosso pensamento é quem preside

*

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

fruta

líria porto

cravo os dentes
e nem precisava
de força
:
a polpa é macia

*

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

desejo

líria porto

tentávamos não nos trair
nós nos atraíamos –– havia algo nos corpos
alguma espécie de imã

*

domingo, 21 de janeiro de 2018

haicai

líria porto 

a lua crescente
qual foice no firmamento
ceifa a escuridão

*

novos tempos

líria porto

nossas verdades e dúvidas
antes gravadas na testa
são tatuadas na nuca

*

sábado, 20 de janeiro de 2018

perseguição

líria porto

os vãos do desespero
espero não nos alcancem

*

oportunista

líria porto

nem direita
nem esquerda
(aí que mora o perigo)
ele é coluna
do meio

*

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

dos donos do apito

líria porto

a justiça não é cega
nem surda
nem muda
é mouca vesga arbitrária
faz que não vê 
que não ouve
fala mais que o necessário
protege os apaniguados
e persegue o povo

(de olho na mídia)

*

domingo, 14 de janeiro de 2018

bigode

líria porto

meu amor parece um cacto
é espinhento e dá flor
o seu recato um disfarce
a rondar a minha boca

*

códigos

líria porto

o son(h)o vem de pantufas
passa ferrolho nas pálpebras
caminha olhos adentro
percorre nossos lugares
de montanhas tão disformes
repletas de espinheiros
o córrego
(massa cinzenta)
e o dialeto
que ninguém entende

*

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

con_traste

líria porto

o pai era fraquinho
fraco da cabeça
fraco dos ossos
fraco das pernas
(falava grosso)

a mãe –– fortíssima
levava nas costas
o casamento
(instituição falida)
a família
e um sobrenome
que não era seu
(piava fino)

*

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

baque

líria porto

na curva do vento
aposto no abismo e atiro no espaço
o que nem era vida

(precipito-me)

*

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

salto

líria porto

na curva do vento
cotovelo no barranco
frio na barriga
:
por pouco eu morria

*

barranco

líria porto

água dura em terra mole
tanto bate que desaba

*

gajo

líria porto

hás de ter um meio
de partir o quarto
sem rezar o terço
ou ficar de quinta
para sexta-feira

*

cena

líria porto

último ato
da peça que a vida nos prega
ao soprar as vel(h)as e cerrar
as cortinas

*

chagas

líria porto

coração imenso –– culpa
do barbeiro

*

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

novelo

líria porto

quem nos enrola
aparentemente em silêncio
mas com todo o seu palavrório
é o pensamento

*

politicagem

líria porto

acordos conchavos
de deus e o diabo
governam o mundo

corrompem subornam
prometem não cumprem
(e nós somos cúmplices)

*

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

palavrão

líria porto

a forma da palavra
a quantidade das letras
não o conteúdo

(mal intencionados
mudam o sentido das coisas)

*

braveza

líria porto

enfrento o medo
olho-o no fundo do olho
até lhe faço careta
:
chego a tremer
a sentir as pernas bambas
mas fico firme
não deixo que me domine
que me esmague a cabeça

*

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

cadentes

líria porto

comovê-las como as velas
que choram enquanto
iluminam

*

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

simplórios

líria porto

sem glória reconhecimento
sequer à espera da morte
vivem porque nasceram
e sem pretensões maiores

*

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

afável

líria porto

o fato é que a vida é fogo
o fato é que a vida é afago afeto
aflição

*

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

dicionário

líria porto

pedacinhos encaixados uns nos outros
as letras as palavras
páginas inteirinhas sem parágrafos
sem espaços entre uns e outros
um calhamaço um volume
denso

*

cara e coroa

líria porto

diante de um de outro
eu dizia as mesmas coisas
amava os dois igualmente

porém um deles se foi

por incrível que pareça
perdi completo o interesse
pelo amor que me sobrou

domingo, 17 de dezembro de 2017

despenhadeiro

líria porto

a carga pesa nas curvas
engorda o arquivo das mortes
por descuido

*

poluídos

líria porto

consumimos água potável
vertemos água salobra
:
assim é o corpo

*

critério

líria porto

a trégua da chuva
(chão fofo macio)
a capina

(capim tão bonito
esse fica)

*

agronegócio

líria porto

ao separarmos o joio do trigo
apartamos inimigos ou favorecemos
o lucro?

*

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

no copo

líria porto

ali no jardim
abelhinha bebe leite
café da manhã

*

pança

líria porto

quatro mulheres habitaram-me a barriga
mais o menino enforcado
e os dois que sangraram ainda
sem sexo

(o útero os ovários
joguei-os aos cachorros
e dei de parir versos
–– palavras minúsculas ––falar bobagem
e  meter-me
              na política)

*

haicai

líria porto

quais saias rodadas
penduradas no varal
as flores de abóbora

*

sábado, 9 de dezembro de 2017

suporte

líria porto

amante é uma espécie de escora
aquela tabua_zinha atrás dos porta-retratos
nas fotos da família

*

trincheira

líria porto

olho na mira
dedo no gatilho
tiro de letra

*

praga

líria porto

tucano depenado
foi com muita sede
ao pó

*

domingo, 3 de dezembro de 2017

jeitos

líria porto

o melhor o pior
e o que fazemos
por comodismo

*

sábado, 2 de dezembro de 2017

poderes

líria porto

os cães ladram
os ladrões como cachorros
comem o osso e a carne

*

mimetismo

líria porto

pois que dona lagartixa
fica da cor do ambiente
é verde quando convém
(por enquanto tece a rede)
porém se alia a golpista
faz discurso oportunista
e tenta enganar as gentes
:
quem cai na teia é mosquito
ou turista na política
não sou cobaia
meu bem

(que a carapuça lhe sirva)

*

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

divergências

líria porto

a perfeição tem defeito
é desumana com o resto
por mais que eu faça
que eu queira
ela me aponta algum erro
faz-me sentir incompleta

*

domingo, 26 de novembro de 2017

restos

líria porto

definham-se os desejos
sobram-nos o espinho da rosa
e a espinha do peixe

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

artifício

líria porto

bebo sol
(cápsula gelatinosa)
para proteger os ossos
e ficar mais forte

(d'ouro a pílula
bebo vitamina)

*

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

eva's

líria porto

morde-a
sente o sabor da fruta
estala a língua e agora
sabe o que adão sentiu

(a culpa foi da cobra)

*

laboratório

líria porto

uma e outras vezes
na busca do acerto
cometi muitos erros
virei-me do avesso
e esse jeito arcaico
quase imperdoável
de quebrar a cara
levou-me ao buraco
pra catar os cacos
fazer um mosaico
das experiências

*

terça-feira, 21 de novembro de 2017

demora

líria porto

a espera
do que flor
dura mais
que a prima
vera

*

prematuramente

líria porto

pichei as paredes do útero da minha mãe
(palavras de protesto na placenta)
e nasci aos berros

(levei tapa na bunda)
foi assim que vim à terra

*

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

logro

líria porto

sempre-viva morreu
senti-me enganada
fui ao procon
e nada

*

grafite

líria porto

as paredes têm-me ouvido
já os muros dizem tanto
que os proibiram

*

linda

líria porto

feita de ébano
sorriso de marfim
assim é melanina
:
belíssima

*

haicai

líria porto

gotinhas de chuva
trêmulas –– presas às plantas
janela da sala

*

gari

líria porto

depois da chuva
o sol vem de sola
passa rodo –– seca
a rua

*

farol

líria porto

a poesia nos ajude
a reencontrar a liberdade
ainda que à tardinha

*

machismo

líria porto

o sol esconde o brilho
da estrela dalva

*

domingo, 19 de novembro de 2017

jurássica

líria porto

sou do tempo da pedra lascada
do nabucodonosor do matusalém
e doutros brotinhos

*

perversidade

líria porto

decepar-lhe as asas
com foice sem corte

condená-lo à sorte
da vida sem voos

proibir-lhe o canto
sequestrar-lhe a voz

forçá-lo a partir
de uma vez por todas

sem direito a nada
sem olhar pra trás

*

abrigo

líria porto

útero placenta
cordão d'umbigo
líquido amniótico
:
primeiro território

*

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

desdém

líria porto

fosses ficasses –– pouco mudaria
tuas presenças ausentes não são
companhia

*

(im)perfeições

líria porto

não quero rosas sem espinhos
venham com pétalas perfume
e orvalho

*

terça-feira, 14 de novembro de 2017

eixo

líria porto

percorre-me a coluna
uma dor aguda
com seus pés de pedra
:
esfacela-me as vértebras
e o orgulho

*

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

tanto

líria porto

menos que o máximo
mais que o mínimo
o necessário

*

perenes

líria porto

homens são como antúrios
podem cair-lhes as folhas
não a florescência

*

operário

líria porto

trilho caminhos difíceis
nasci para quebrar pedras alargar atalhos
cobri-los com paralelepípedos

*

pressão

líria porto

precisamos parecer felizes
mesmo quando o caos se instala e o mundo
vem abaixo?

*

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

descrédito

líria porto

verdadeira_mente 
quem diria –– o que ela sente 
toda a gente desconfia

*

sombra

líria porto

na ânsia de encontrar um amor
desdenhou o amor-próprio

*

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

tigre de bengala

líria porto

preciso pretendo
não tenho vigor

o tempo governa
meu corpo

põe-me freio nas pernas
reduz minhas forças

(não me esperes)

*

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

mulher

líria porto

a lua atrás da cerca
metida dentro das galhas
a lua de tantas lendas
passava por entre as fendas
com sua luz emprestada

*

bagagem

líria porto

sonhei que perdera amá-la
e comia tamarindo

sabores azedo e amargo
enquanto levava a vida

(nem pensava em desistir)

*

fartura

líria porto

haja sal onde a língua
homens e gado tenham pasto
e o capim viceje

*

bagagem

líria porto

sonhei que perdera amá-la
e comia tamarindo

sabores azedo e amargo
enquanto levava a vida

(nem pensava em desistir)

*

di_vagar

líria porto

terceira idade
melhor idade
e nem bobagens
desse calibre
:
velhice mesmo
nenhum disfarce
e nem neblina
para o meu tempo
de liberdade
de ir comigo
para a fronteira
e de mãos dadas
com a bengala
da vida

(eu não sou vítima)

*

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

in_coerências

líria porto

lá no miolo do sonho
entre fatos muito antigos
e aflições do momento
medos desconhecidos
cacos do inconsciente

começo a puxar o fio
associar os detalhes
e tudo salta tão vivo
como se fosse num filme
da sessão da tarde

*

domingo, 5 de novembro de 2017

cu

líria porto

minério não dá duas safras
uns poucos colhem a riqueza
e a nós nos resta
o buraco

*

pá de cal

líria porto

já se escreveu sobre tudo
sobre nada
em prosa verso canção
então por que não desisto
insisto em buscar a palavra
que me leve às galáxias
à implosão do infinito
ao auto-extermínio?

*

sábado, 4 de novembro de 2017

deuso

líria porto

tornei-me meu personagem –– sou ficção verdadeira
acredito piamente em toda e qualquer bobagem
que invento sobre mim

*

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

páreo

líria porto

para justificar o embate
rival tem que ter cabedal
estar preparado pra luta
:
ganhar ou perder é do jogo
vencer fraco é covardia

*

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

puta velha

líria porto

tão bruta essa vida
essa luta insana
por sobrevivência

uns vendem o corpo
uns vendem a alma
(não tem salvação)

*

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

despeito

líria porto

quem nunca pulou a cerca
atire a primeira pétala

*

de_floração

líria porto

hímen complacente
eternamente virgem (e pecadora)
assim a poesia

*

imbróglios

líria porto

palavras que encolho
palavras que me escolhem
como garfo colher
uma faca

*

estigma

líria porto

as mulheres velhas
com os peitos murchos
anulam o sexo
ou quaisquer vestígios
de libido

cuidam dos netos
honram o falecido
frequentam as missas
rezam ladainhas
fazem crochê

e engordam a bunda

*

duas voltas

líria porto

maria vai co'as ostras
e seus colares
de pérolas

*

domingo, 29 de outubro de 2017

dependência

líria porto

quando às vezes perco os óculos
(na verdade perco os olhos)
eu –– mais cega do que nunca
vagueio pelos escuros
descarrilho
perco o rumo
do próprio pensamento

*

sábado, 28 de outubro de 2017

longevidade

líria porto

azeitar as engrenagens
massagear sentimentos

*

valores

líria porto

já vi cachorro e menino
fuçavam latas de lixo
dormiam sob a marquise

(gatos se viram sozinhos
perambulam nos telhados
caçam pássaros e ratos)

bezerros porcos cavalos
esses têm letras no couro
os donos não se descuidam

*

paralela

líria porto

perdi a mão para o verso
ando dispersa vazia
sequer escuto o chamado
que me faz a poesia

*

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

fantasia

líria porto

às vezes penso –– sou ilusão
do meu pensamento
:
miragem

*

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

identificação

líria porto

pensei-me lua
(romântica etérea estéril)
mudei de ideia –– eu sou a terra
(suas circunstâncias de fauna flora
altas temperaturas seca devastação
e conflito)
:
eu sou o mundo

*

domingo, 22 de outubro de 2017

antiguidade

líria porto

motor à manivela pintura avariada
assim devagarinho igual
um calhambeque
:
venci
a estrada

*

príncipes

líria porto

os sapos vêm para o beijo
os sapos voltam pro brejo

*

sábado, 21 de outubro de 2017

meninice

líria porto

largo do quebra pedra
quarteirão de terra batida
onde os circos erguiam a lona
montava-se a roda-gigante
meninos brincavam
(futebol finca bola de gude)
papagaios coloriam o céu
andávamos de bicicleta
e éramos felizes

*

banzo

líria porto

qual coisa
(mercadoria)
sem pertences sem parentes
(apenas as correntes que o prendiam)
obrigaram-no a nove voltas
ao redor da árvore do esquecimento

(a áfrica na pele
a saudade e a tristeza
nas vísceras)

*

latrina

líria porto

capetal federal
os três poderes mais sujos
que pau de galinheiro

*

mar aberto

líria porto

perto a retumbância das ondas
longe o horizonte passa a régua
(nem culote nem calombo)
:
o oceano prossegue

*

contração

líria porto

crases indevidas desperdiçadas
espinhos na minha língua
cuspidas ao deus dará

*

sertão

líria porto

a terra vira farelo
o verde fica amarelo
não nasce feijão
nem milho

*

nervos

líria porto

fios desencapados
por onde escapam
nossas frustrações

*

complexo

líria porto

não sou eu quem não gosta de ti
és tu que não te aceitas pões a culpa em mim
e te fazes de vítima

(compreendo teu sofrimento
mas não vou me desculpar
pelo que não fiz)

*

redução

líria porto

de pequena se torce a menina
até que ela vire sombra

(não corras
fala baixo
fecha as pernas
obedece)

princesinhas são mulheres fracas

*

batismal

líria porto

todo piá é santo
(do pau oco –– bem se diga)
e isso inclui as gurias
que longe dos nossos olhos
também aprontam das suas

o diabo já foi anjo
(barroco)
e até fez xixi
na pia

*

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

pânico

líria porto

ao filho o que tenho
e o que será dele
se eu nada tenho
se o ânimo que havia
sumiu na neblina
do tempo?

a poesia que vejo
em seu corpo pequeno
poderia secar
ou ser arrancada
por mãos invisíveis?

(é que sou infeliz)

*

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

à deriva

líria porto

sem remo sem bússola
procuro o rumo não acho
perdi-me na escuridão
não sei do cruzeiro do sul
nem pra que lado
o sol nasce

*

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

carniça

líria porto

tempos bicudos –– de tucanos
patos aves de rapina e togas
de urubu

*

antigamente

líria porto

houve um tempo que eu usava purpurina
reticências logo após alguma rima

*

espacial

líria porto

pintadinha
a noite tem sardas
estrelinhas

*

abajur

líria porto

lua na janela
igual bola de cristal
com luz de vela

*

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

capenga

líria porto

eu tenho um lado forte
e um lado fraco
o forte segue em frente
o fraco cai no buraco

*

?

líria porto

luz de poste
embaça estrela
e meteoro

*

o preço

líria porto

em nome da harmonia
ceder é omissão
ou covardia?

(culpa remorso
têm peso maior
que a morte)

*

infame

líria porto

setenta e dois anos
de esquerda
sangue tipo a negativo
hipertensa
com excesso de peso
rugas celulite
e estrias
:
bomba-relógio
de efeito tardio

*

haicai

líria porto

crianças na praça
iguais bando de andorinhas
o ruflar das asas

*

terça-feira, 3 de outubro de 2017

luxenta

líria porto

nuvem cinzenta
trovões e raios
a chuva densa
acho que pensa
ser temporal

e chora
e embirra
e encharca
a tarde

*

domingo, 1 de outubro de 2017

fortunata

líria porto

primeiro dos pensamentos
depois teve sorte –– ele era alegre
cavalheiro um lord
gostou do cheiro dos olhos
da cor da pele dos bigodes
amou-o de corpo inteiro
:
e era impotente
o seu homem

*

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

cascatas

líria porto

ouvir a canção das águas
seu murmúrio seu chiado
mirar as nuvens que caem
gota a gota num sussurro
conduzirmo-nos à outra margem
desse rio caudaloso
(escandaloso)
que é a vida
com seus berros
com seus urros
e silêncios

*

umbanda

líria porto

preto-velho
sábio terno paciente
dá amor fé esperança
a seus filhos
:
bença pai
bença vovô

*

estupidez

líria porto

tudo incerto tudo dúvida
tudo é nada e nada é tudo
que nos resta

*

haicai

líria porto

estrada de terra
passarinhos borboletas
e ninguém à vista

*

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

ganidos

líria porto

dói aqui dói ali
acolá
a dor não vai embora
tu te acostumas com ela
a cadela te lambe te morde
arreganha-te os dentes
abana-te o rabo
parece rir
fazer-te companhia

*

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

haicai

líria porto

noite sem sonho
vazio de verso –– treva
oco de poesia

*

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

manutenção

líria porto

dar não dou
se der não posso tomar
mas empresto e pego
de volta

(quem precisar)

*

manto

líria porto

escrevo sobre tudo e nada
e quando a palavra recua
fico nua e descalça

*

pancada

líria porto

é que amo palavras descabidas
encontros vocálicos proparoxítonas
antônimos e acentos graves

*

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

coração

líria porto

é dois
é um
o amor
o ódio
na mesma
vala
comum

*

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

balbúrdia

líria porto

nas vésperas da primavera
periquitos maritacas
deixam os ocos das árvores
e farfalham suas asas
como fossem folhas verdes

*

haicai

líria porto

lua escandalosa
a desnudar-se nas dunas
da nossa memória

*

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

anarruga

líria porto

a roupa velha
qual fosse a minha pele
dá-me o conforto que quero
sem muito apelo de sexo
necessidade de ferro
amarrotada a contento

*

domingo, 3 de setembro de 2017

privilégios

líria porto

a vida passa depressa
ainda assim nos dá tempo
pra desfrutar nossos netos
pra rabiscar e ler versos
pra observar o universo
para ficar na internet
jogar palavras ao vento
:
reclamar de quê?

*

sábado, 2 de setembro de 2017

frequência

líria porto

toda hora
noite sim noite não
semanalmente
uma vez por mês
por semestre
no reveillon
e já faz tanto tempo
que até deu teia
de aranha

*

gato escaldado

líria porto

saber meus fracos
torna-me forte
(ou covarde)

fujo do que me atrai
mas poderia jogar-me
no buraco

(paixão é arapuca)

*

com licença

líria porto

abram alas lavem o sol
lá vem vindo a primavera
e as flores na passarela
vão precisar de holofotes

*

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

de(s)coração

líria porto

o sol bateu forte no vermelho
(cor que adoro)
tornou-o cor-de-rosa
(cor que detesto)
então fecho os olhos
e rebusco na memória
os bons e velhos tempos

*

bom-dia

líria porto

dormir cedo
acordar de madrugada
ler outros poetas
e ouvir o galo

*

meninice

líria porto

benzinho
hoje eu te diria
que gostei de ti
bolinhas infinitas
e até debaixo d'água
porém naquele dia
tive tanta raiva
cismei que tu sorrias
pr'alguma sirigaita
então eu menti
disse te odiar
beijei outro menino
ali –– na tua cara
:
foi mal

*

das injustiças

líria porto

há quem se cale –– eu falo
mesmo que eu seja esse humano falho
não sou nem serei omisso

*

minguante

líria porto

apagou-se a luz do ipê
e quando ele dormiu
eu vi ali –– a seus pés
um belo tapete
amarelo

*

visão cega

líria porto

de olhos fechados percebo as minúcias
desvio-me dos obstáculos enxergo o horizonte –– bem além

de olhos
abertos
sequer
vejo
a ponta
do nariz

*

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

chumbo trocado

líria porto

pesco as palavras ou elas me fisgam
arranco-lhes as escamas ou retiram-me
as tripas

*

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

no travesseiro

líria porto

parece que há goteira
no canto do olho esquerdo
então eu troco de lado
para enganar a mim mesma
aparece a poça d'água
:
ô que saudade mais besta

*

lençol

líria porto

quando tu me vieres ver
eu quero um tecido assim
um azul resto de noite
a resguardar-me a nudez
azul meio transparente
vestido de madrugada
cravado de algum gorjeio
de trinados de murmúrios
azul pecado no cheiro
a recobrir nossos corpos
com perfume antecipado
da manhã que vem surgindo
do amor já tão bem-vindo
a chegar muito atrasado

*

alegria

líria porto

menina sem modos
diriam os antigos
mas quando deu um impulso
e saltou sobre mim
a saia foi à cabeça
e viram sua calcinha
:
eu pensei foi em pipocas
em fogos de artifício

*

robotização

líria porto

o que massacra
é a mesma tecla
que bate bate
que se repete
até que apague
o que sabíamos
faça lavagem
no nosso cérebro
faça a mentira
virar verdade
faça a verdade
virar mentira

*

domingo, 27 de agosto de 2017

canto

líria porto

voo e volto logo
e não perco a chance
de voltar pra casa

aprecio a cama
o sofá na sala
os livros da estante

(sereia de aquário)

*

sábado, 26 de agosto de 2017

touché

líria porto

o substrato dos sonhos
influi sobre meus versos
às vezes versos bisonhos
às vezes golpes
                        de mestre

*

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

riscos e traças

líria porto

fosse o primeiro-menino
nascesse de uma linda mulher
e de um velho decrépito
quem eu seria?

quais influências fariam de mim
um homem de bem ou corrupto?

*

além

líria porto

o outro lado
pode ser tão somente
a sete palmos
do chão

*

rasgos

líria porto

a lua ria no meio da rua
a rua era curva e dentro dela
corria um rio

*

ousadia

líria porto

meu amor nasceu de face
descobriu como era o mundo
decidiu quebrar a cara

*

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

temperamento

líria porto

no cerne
bem no âmago do ser
a seiva que alimenta os sentimentos
(bons e ruins)
que faz florescer os gestos
frutificar as tendências

*

terça-feira, 22 de agosto de 2017

adão

líria porto

eu não sou pedaço de costela
eu sou eva –– carne de pescoço
calcanhar de aquiles
bílis

*

espécime

líria porto

nair era uma pantera
unhas grandes olhos verdes
pele escura
:
meu pai encantou-se por ela
minha mãe sentiu ciúmes

*


segunda-feira, 21 de agosto de 2017

vaia

líria porto

o ovo voa
acerta o alvo
besunta o falso
o desalmado

*

a nuvem

líria porto

sacudiu a bunda
balançou os peitos
rebolou no céu
e pingou
gota nenhuma

*

radar

líria porto

nossa cabeça é pequena
para tanta memória –– tanto
pensamento

há verdades argutas
mentiras graves
certezas que empacam
e dúvidas galopantes

sabes fazer perguntas?

*

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

bilhete

líria porto

amor meu
não me demoro
comigo vai minha sombra
questão mesmo de apego
ela é modelo exclusivo
e não me larga do pé
:
o resto deixo pra trás
não vou precisar mais nada
o caixão não tem gaveta

*

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

no bastidor

líria porto

virei o amor pelo avesso
não tinha nós

*

vice-verso

líria porto

então me dizem
para com isso não insistas
na política não tem poesia
e eu lhes pergunto –– como não
poeta não é cidadão?

(e louvo maiakovski
e bertold brecht)

*

terça-feira, 15 de agosto de 2017

haicai

líria porto

no meio da tarde
a porta bate com força
pontapé do vento

*

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

haicai

líria porto

céu cor de lavanda
o sol chega de_vagar
logo de manhã

*

com amor

líria porto

a vovó mais rica
pode dar presentes
a vovó mais pobre
pode estar presente

(as duas completam
as carências)

*

o sol co'a peneira

líria porto

vez em quando vez em sempre
quase que o tempo inteiro
as mentiras que me digo
são bem convincentes

*

gris

líria porto

para retirar a tinta
que me tingia os cabelos
podei-os rente à raiz

(máquina número três)

*

sábado, 12 de agosto de 2017

súbito

líria porto

assim de chofre
de supetão
(paixão não avisa)
cata-nos a alma
o pensamento
e do penhasco
ao precipício
é só um susto
um arrepio

(e como veio
some de vista)

*

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

percepção

líria porto

nós –– mulheres
relegadas à penumbra
aprendemos a nos esgueirar
a enxergar além do facho
das lanternas

*

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

simplicidade

líria porto

as maritacas
de par em par
numa algazarra
sobre a cidade

então pergunto
felicidade?

*

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

prove_dor

líria porto

em torno do homem
(como a terra ao redor do sol)
arrasta consigo
o pequeno satélite
dependentes em tudo
de luz de calor
e por isso obrigados
à mesma rota
e rotina

*

abuso

líria porto

uns mais uns menos
outros tanto quanto o necessário
no entanto quando é nada
aí também já é demais

*

domingo, 6 de agosto de 2017

redenção

líria porto

a lua feita a compasso
tão parecida a uma hóstia
comungo sua beleza –– salvo-me
por osmose

*

fogo-fátuo

líria porto

falso brilho
glória passageira
decomposição

*


teoria

líria porto

a carga elétrica do besouro
similar à de uma pedra vibradora
é propulsora de voo
e zumbido

(e por falar em besouro
quisera olvidar o que tenho ouvido
o tempo todo)

teoria

líria porto

a carga elétrica do besouro
similar à de uma pedra vibradora
é propulsora de voo
e zumbido

*

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

invernada

líria porto

uma chuva mansa caia sem vacilo
alimente o rio –– dê água
às raízes

*

a luz

líria porto

entra pela greta
e não se prende
entra como a perna fina
da bailarina
:
com sua meia
de seda

*

o coronel

líria porto

duas três quatro meninas
e meu pai queria um macho
quando enfim viu seu reizinho
bradou alto e em bom-tom
vais mandar em todas elas
:
eu –– que tinha uns cinco anos
falei comigo –– mas vai
hein?

*

condicional

líria porto

amas em mim o que aceitas
a minha melhor parte –– esta
tu odeias

*

moira

líria porto

quem inventou a mulher
enfiou-lhe goela abaixo
(pernas adentro)
o silêncio
:
ficamos debaixo dos panos
por séculos e sexo

*

avoengos

líria porto

brinquei muito com vovô
brinco muito com meus netos
tomara tenham os prazeres
que tive e tenho

*

espelho

líria porto

no fundo dos sonhos
reflexos interiores
paisagens reais

*

bumerangue

líria porto

amar amamos sofrer sofremos
não por escolha –– os sentimentos
vêm e vão sem mais
nem menos

*

aceitação

líria porto

abraço-me –– e assim
na tessitura dos braços
transpasso a solidão

*

terça-feira, 1 de agosto de 2017

atropelos

líria porto

a folha seca
quando o vento sopra
quer ser borboleta
voa
mas capota

*

moleque

líria porto

discutir com o vento é perda de tempo
ele sai correndo –– não toma tenência
nem me dá ouvidos

*

emoção

líria porto

como_ver
essa lágrima que não seca
nem despenca?

*

segunda-feira, 31 de julho de 2017

belo horizonte

líria porto

do alto da serra
meus olhos voavam
sobre a cidade

*


houaiss

líria porto

a fêmea do tizio
(negro-azulado)
é pardo-olivácea
vi no dicionário

*


domingo, 30 de julho de 2017

poetastro

líria porto

ruim de prosa ruim de verso
e com o rei na barriga
chama de poesia
o que não passa de emplastro

*

distribuição

líria porto

eu tinha algumas tardes
e todas as noites eram dela
da sua mulher

(mas eu vi estrelas)

*

pessoa

líria porto

madeira de lei
polida com lixa
não necessita
verniz

*

sábado, 29 de julho de 2017

nhô

líria porto

inhondi foi –– eu num sei
saiu pra panhá limão
rodô mundo
:
vortô cum a cara ducinha
duas frozinha na mão

*

nós

líria porto

muitos tantos
no entanto um por vez
que é pra não trocar os nomes

(ou então chamá-los bem)

*

recuerdos

líria porto

dois bererês
um azul um preto
o preto levava os adultos
o azul as crianças

eu tinha medo chorava
sonhava com os defuntos

(outra lembrança
a menina da funerária
a maria-caixão
amiga da sheila prado)

*

malvado

líria porto

mais eu chorasse
menos olhava para mim
dizia-me –– não acredito
lágrimas de crocodilo

(acontece que eu sofria
crocodilo era menino)

*

adeliana

líria porto

vez por outra
a poesia regressa
olho uma pedra
é pão

*

sexta-feira, 28 de julho de 2017

primeira-dama

líria porto

vão-se os anéis
ficam os brincos
colares pulseiras
braceletes gargantilhas
contas-correntes
iates uísques
amantes
juízes

*

brinde

líria porto

minhas tantas peles
ora branca ora preta
ou vermelha ou amarela
eu –– mestiça de nascença
(vinho tinto branco verde)
africana europeia
índia árabe japonesa
sul-americana
:
gente de toda espécie

*

consciência

líria porto

querer eu quero
poder eu posso
não sei se devo

*

leite

líria porto

o líquido branco saído das tetas
na boca das crias completa
o milagre

*

quinta-feira, 27 de julho de 2017

inchaço

líria porto

o que enche nossas bolas é o elogio
o vazio que ultrapassa nossas bordas

*

haicai

líria porto

canoa de luz
flutua na escuridão
a lua crescente

*

inchaço

líria porto

o que enche nossas bolas é o elogio
o vazio que ultrapassa nossas bordas

*

quarta-feira, 26 de julho de 2017

con_junto

líria porto

deixar de banda os poemas
e tocar pistom

*

ira

líria porto

trovões e relâmpagos
os deuses jogaram pedras
chuva de granizo

*

terça-feira, 25 de julho de 2017

haicai

líria porto

de manto e pantufas
o dia chega de manso
:
um frio do cão

*

segunda-feira, 24 de julho de 2017

sustento

líria porto

sá matila e suas filhas
desprovidas de beleza
por destino sem marido
nenhum homem na família
enfrentavam o batente
:
rachar lenha tirar leite
bater pasto plantação
e depois tinha a colheita
que a vida é loteria
que a vida faz desfeita

(preme o pobre
premia o rico)

*

quinta-feira, 20 de julho de 2017

edredom

líria porto

chamá-la mãezinha
faz parte do encanto
minha mãe gigante
imersa em carinho
levava e trazia
no manto no canto
todas as crianças
que sentiam frio
(e eram tantas)
as suas
as da família
as da vizinhança
as desprotegidas
:
mamãe tinha asas grandes

*

quarta-feira, 19 de julho de 2017

o avesso

líria porto

no veludo da voz
a vulnerabilidade dos vassalos
e das vítimas

*

corrupt_ela

líria porto

a mulher do bandido
não basta dizer-se honesta
tem que abrir mão da benesses
renunciar à fortuna
ou então será cumplice

*

terça-feira, 18 de julho de 2017

válvulas

líria porto

não tem causa sem defeito
não tem defeito sem causa
ninguém é o tempo inteiro
a mesma mala sem alça

*

esquecimentos

líria porto

de dentro das entranhas
direto pro cemitério
aborto sonhos
e planos
:
embora no inconsciente
tudo isso me apavora
preciso análise urgente
se não pr'agora
pra ontem

*

maricotinha

líria porto

enfia o nariz em meu nariz
a olhar-me nos olhos sem piscar
e ri tanto
e gargalha
que quase lhe beijo os dentes

*

segunda-feira, 17 de julho de 2017

francamente

líria porto

nasceste para o que não és
julgas-te injustiçado
tens menos do que mereces
em verdade te digo
eu também não quereria
morar na tua pele

*


domingo, 16 de julho de 2017

tentação

líria porto

às vezes chego chegando às vezes chego partindo
outras nem mesmo chego pois que o diabo
                                                                     é lindo

*

força

líria porto

a vida dói –– todavia
é melhor deixar doer

*

interplanetária

líria porto

para marte após a morte
em vida vou pra avenida
rasgaram-me a fantasia
não a bandeira
vermelha

(sangro é no sapatinho)

*

o gari

líria porto

ali é que o porco torce o rabo
nos muros cinzentos –– no apagão
da arte

*

univitelinos

líria porto

iguais em quase tudo
menos nas digitais e na concepção
do mundo

um é um
outro é outro

(gêmeos são indivíduos)

*

sábado, 15 de julho de 2017

desprezo

líria porto

sem teto descamisado
meu coração tem seus méritos
não deve quaisquer afetos
aos tubarões do mercado

*

segunda-feira, 10 de julho de 2017

anúncio

líria porto

dei pra todos
agora empresto
sem juras

é pegar
e largar

*

domingo, 9 de julho de 2017

cotinha

líria porto

não é que lá no asilo
arranjou um namorado
barba branca dedos trêmulos
que longe das cuidadoras
bolinava suas partes
brincava co'as suas tetas

*

validade

líria porto

chegada a tua hora
querendo ou não vais embora
terá vencido seu tempo

*

desaforos

líria porto

bate-boca
queda de braço
isso de medir força

*

fricotes

líria porto

tem gente que me renega
que me acha além da trilha
permitida às mulheres

o que faço?
mando-os à merda
que tratem das suas vidas
tão medíocres
tal o tédio

*

cacete

líria porto

poluídos os poderes
desmantelado o país
corruptos à solta
a nação consumida
:
as panelas?
nenhum pio

*

construção

líria porto

as pedras todas que tive
as dos rins as da vesícula
levaram-me a acreditar
no barro que me fizeram
puseram areia e brita

*

barbitúricos

líria porto

quis dormir dias seguidos
e esquecer tudo o mais
os sonhos foram tão vívidos
(pesadelos?)
alívio foi acordar

*

segunda-feira, 3 de julho de 2017

neguinho

líria porto

gostoso como brigadeiro
passa mel na minha boca
no meu corpo inteiro

*

egoístas

líria porto

números primos
divisíveis só por um
e por si mesmos

*

porões

líria porto

das minúcias dos conluios dos conchavos dos subornos
(con)tratados às escuras por cúpulas
e tubarões

*

privilégios

líria porto

tanto fez quanto tanto faz
tapar o sol co'a peneira ou chover
no molhado
:
os primeiros serão os únicos

*

sábado, 1 de julho de 2017

prudência

líria porto

sei quem és sabes quem sou
porém guardamos reservas
(nem eu mesma me conheço)
e falar a teu respeito
(mal ou bem)
isso é coisa que não vou
(não antes do saco de sal
que devemos comer juntos
debaixo do mesmo teto)

*

sexta-feira, 30 de junho de 2017

o andar da carruagem

líria porto

o arroz o feijão o pão o vinho
as alegrias as tristezas
tudo era repartido
no tempo das grandes famílias

um morria
nasciam outros tantos
aniversários e velórios
eram acontecimentos

hoje em dia
o pai a mãe a filha
e quando muito
mais um

*

egoístas

líria prto

números primos
divisíveis só por um
e por si mesmos

*

segunda-feira, 26 de junho de 2017

definição

líria porto

exercício é aquilo que te fortalece
mas te enche o saco

*

sexta-feira, 23 de junho de 2017

as paixões duram menos que as orquídeas


desinvenção

líria porto

se tudo foi dito
resta ao poeta dizer o mesmo
com outra fórmula

*

inocência

líria porto

segundo malba tahan
santo tomás de aquino cria que um boi voava
mas não acreditava que um frade pudesse mentir

*

tu tu tu tu tu

líria porto

não interfiram na parada
preferível a morte súbita
às dores prolongadas

*

quinta-feira, 22 de junho de 2017

trégua

líria porto

a morte me olhou no olho
ela riu mostrei-lhe a língua
então ela foi embora
mas garantiu –– voltarei

(passei ferrolho na porta
adiei sua visita)

*

terça-feira, 20 de junho de 2017

sem aposentadoria

líria porto

a perereca dá seus pulinhos
ser grisalha não lhe atrapalha
o ofício

*

segredo

líria porto

debaixo do colchão
mais que dinheiro
as lembranças

*

fêmea

líria porto

o ponto finaliza
mas a vírgula muda
o sentido

*

notório

líria porto

cachorro ladrão sem-vergonha
xingava a plenos pulmões
mas foi visto no outro dia
roubando osso

*

reencontro

líria porto

não sei quem vai embora primeiro –– pouco importa
quem se for espera o outro n'alguma quina
de estrela

*

domingo, 18 de junho de 2017

transporte

líria porto

nosso corpo
veículo temporário
igual burro de carga
leva nos balaios
erros e acertos
tristezas e alegrias

*

bazófia

líria porto

combinado coração
eu não vou morrer de câncer
mas de infarto fulminante

não duelo com a vida
quando a morte me quiser
apareça co'a borduna

(quem dera a gente pudesse
ser autor e diretor
da nossa peça medíocre)

*