segunda-feira, 15 de outubro de 2018

selo

líria porto

no auge da exuberância
a orquídea abre as pernas

ao final da trajetória
tão pudica tão discreta

a orquídea fecha as pétalas
e se recolhe

*

in_fluência

líria porto

não posso deter o rio
mas posso vê-lo passar
e me encantar com o ruído
o movimento das águas
imaginar-me a segui-lo
ir com ele para o mar

*

ignorância

líria porto

não tenho ideia de mola
de bola de cola
de sola
de quem esfola meu couro
e sequer imagino
quem controla o sino
no entanto assino
um cheque em branco
ao gestor do destino
e para ser franco
acho-me o máximo

*

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

à luz

líria porto

todo dia pairo versos
uns a fórceps
outros sem nenhuma
contração

*

reflexão

líria porto

um espelho
se nos revelasse
não a cor da pele
dos olhos dos cabelos
(a aparência externa)
mas traduzisse para nós mesmos
de forma irrefutável
nossos mais profundos e pérfidos
sentimentos
:
nossos ódios e invejas

*

dentro de mim mora um banjo e um atabaque

vale-tudo

líria porto

na vala
a velha
ovulava
vileza
e volúpia

*

a decisão

líria porto

a estrada é bipartida
uma nos leva à montanha
outra conduz-nos ao abismo

*

interesses

líria porto

o anti-petismo é a explicitação do sentimento
excludente e escravocrata dos egoístas
do homem branco que só pensa nos seus pares
e no próprio umbigo

*

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

fim

líria porto

a gente nasce
cresce adolesce
amadurece e morre
que falece é rima
muito pobre

*

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

atenção

líria porto

madrugada — não há viv'alma
o único movimento é a luz intermitente
do semáforo

*

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

misóginos

líria porto

vós — nascidos de mulher
quais filhos de chocadeira
oh desalmados

*

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

cotidiano

líria porto

um mau governo muda muito pouco
(e até para melhor)
a rotina dos ricos
que continuarão sua vida luxuosa
com caviar e vinhos finos
iate carros novos
joias roupas caras viagens
contas correntes em paraísos fiscais
longas temporadas no estrangeiro
e filhos nas melhores escolas

um mau governo é catastrófico
para os trabalhadores
para os filhos dos pobres
sempre dependentes de trabalho
salário e políticas públicas

*

terça-feira, 2 de outubro de 2018

lealdade

líria porto

aos pés da dona um vira-latas
tem mais coragem que toda a guarda
da rainha elizabeth

*

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

veloz

líria porto

o tempo galopa faísca derruba-nos
enquanto a gente pisca

*

pétalas de márua

lítia porto

as flores da cunhada
a primavera
as boas coisas
queridas
surgem como cascata

*

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

sedução

líria porto

qual linguiça na grelha
a fedelha provoca os homens
com sua pele de bronze
estirada na areia

*

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

facho

líria porto

a luz invade os escuros
passa debaixo da porta
salta as janelas os muros
arromba todos os furos
a luz não cabe >>>>>>>>
>>>>>>>>>>>onde mora

*

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

poema para zita

líria porto

tal como as orquídeas
floriu no abandono
não criou raiz
viveu agarrada
(e dependente)
a sugar homens
que não entendiam
de flor

*

virgens

líria porto

fechadas em noz
a_penas come a castanha
quem rompe o lacre

o prazer não é instantâneo
só chega às bem lambidas
e mastigadas

*

haicai

líria porto

escola infantil
a algazarra das crianças
ultrapassa os muros

*

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

solidariedade

líria porto

se eu olhar para o mundo
e só vir a minha dor
só sentir meu sofrimento
pensar que eu sou o único
algo estará muito errado
pois meu irmão também chora
sente fome sede frio
pode precisar de mim
como eu preciso dele

*

do cabaço

líria porto

não guarda qualquer lembrança
da perda da virgindade — teria sido traumática
ou tão somente uma transa?

*

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

haicai

líria porto

lágrimas das mães
das avós e das crianças
o sal do oceano

*

terça-feira, 18 de setembro de 2018

parasita

líria porto

os desejos da ameba
circunscritos ao que ela conhece
não passam dos intestinos

*

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

bote

líria porto

abrires o bucho da víbora
não vai reduzir-lhe uma gota
da maldade e da peçonha

*

domingo, 16 de setembro de 2018

chucrute

líria porto

se eu mudar para a alemanha
sem conhecer a cultura
sem falar o idioma
não quiser comer repolho
e não gostar de salsicha
o que vou fazer da vida?

melhor ficar por aqui
onde tem muita lambança
injustiça preconceito
salafrários vivem à solta
o salário é mixuruca
mas tem arroz tem feijão
farofa queijo linguiça
cachaça caipirinha
meus compadres
meus amigos
sol aceso
céu azul

(vou ser feliz de novo)

*

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

passos

líria porto

não vou te arrastar para a minha causa
prefiro ir sozinha — não quero me sentir responsável
por tua (in)felicidade
:
se eu quebrar a cara
cato meus cacos
e prossigo

*

haicai

líria porto

qual barca de luz
atravessa a escuridão
a lua crescente

*

descoragem

líria porto

homens não se separam
(a não ser que já tenham organizado a vida
com outra mulher)
no entanto fazem de tudo
para que tomemos a iniciativa

*

esperança

líria porto

dias a mais dias amenos
de paz e sossego — de envelhecer
sem aflição

*

equívoco

líria porto

tu me desejavas mal
querias-me como serva
não como mulher

*

perene

líria porto

o meu amor morreu e ainda penso nele
não sinto interesse por nada dessa espécie
por mais que eu quisesse matar o sentimento
meu velho coração é tolo imprudente
repete não e não — garante que é pra sempre
nasceu pra ser eterno

*

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

haicai

líria porto

qual barca de luz
atravessa a escuridão
a lua crescente

*

quarta-feira, 5 de setembro de 2018

borrão

líria porto

matar a memória é passar o apagador
numa história escrita a giz
:
a história do meu país

*

haicai

líria porto

toda a passarada
na algazarra matinal
céu azul celeste

*

descarte

líria porto

nosso lixo é nossa intimidade
cabe a nós mesmos botá-lo fora

*

terça-feira, 4 de setembro de 2018

mastite

líria porto

frágil como o bebê em seu seio
a mãe recém-nascida

*

dúbio

líria porto

a boca do vento
sopra minhas dores
mas às vezes quer
mordê-las

*

luzia

líria porto

a musa do museu
morreu duas vezes

*

dúbio

líria porto

a boca do vento
sopra minhas dores
mas às vezes morde-as

*

instáveis

líria porto

num mundo de consumo
tudo é descartável
até as pessoas

*

domingo, 2 de setembro de 2018

marco

líria porto

sem nos distanciar dos princípios
aproximamo-nos do fim

*

cobranças

líria porto

o reflexo do espelho
olha-me tão severo
e não é isso que espero
:
olhasse-me com indulgência
alguma cumplicidade

*

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

apoio

líria porto

se não for bom se não der certo
acena assobia faz um gesto
e eu irei

*

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

credibilidade

líria porto

eu tive tenho e terei
grilos a teu respeito
embora saibas e afirmes
que por pequenos deslizes
(inúmeros)
não deva ser tão severa

(confiança
é igual
cristal)

um olho fechado
um aberto

*

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

tirana

líria porto

o frio da morte perpassa meu corpo
chegou minha hora não quero partir
preciso de um prazo para as despedidas
a morte implacável me arranca da vida
aparta meu corpo do espírito

*

crepúsculo

líria porto

o sol ofusca tudo o mais e num repente
baixa o farol

*

haicai

líria porto

logo de manhã
a galinha cacareja
promete omelete

*

vitimização

líria porto

autopiedade é um sentimento narcisista
que nos impede de acudir a dor do outro — de compreender
o sofrimento da humanidade

(oh céus
oh vida
oh azar)

*

terça-feira, 28 de agosto de 2018

retumbante

líria porto

o eco da tua ausência
reverbera como um berro
a romper-me os tímpanos

*

quinta-feira, 23 de agosto de 2018

balofa

líria porto

a meia lua anda cheia de tanta falta
e de achar-se assim — tão feia — engorda
a olhos vistos

*

flash

líria porto

minha orquídea floriu no abandono
(muito mais generosa que eu)

*

vaticínio

líria porto

se essa lua se essa lua fosse em minas
eu comia-a eu comia-a
com goiabada

*

abandono

líria porto

se essa lua se essa lua fosse minha
não deixava não deixava o sol
magoá-la

*

crush

líria porto

mais que a mulher do próximo
eu amo o próximo — esteja perto
ou distante

*

cuidado

líria porto

ao fitares um desafeto
fá-lo com força e fúria
ou desvia o olho

*

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

farfalho

líria porto

após a idade fértil
a dor forte o infarto
a furtiva vontade
de afirmar-se
viva

*

autoextermínio

líria porto

nunca foi um poeta medíocre
de repente caiu na mesmice
o que era para ser um rochedo
derreteu-se qual pedra de gelo
e alagou o seu verso
que sina

(foi assim que morreu)

*

origem

líria porto

um avô português
outro árabe
:
amei mais o deserto
ainda assim amo
o mar

*

veneno

líria porto

não me dou em conta-gotas
dou-me em dose única

*

terça-feira, 21 de agosto de 2018

efêmera

líria porto

embolo a tristeza
enfio-a no bolso
(não que a esqueça)
vou assim mesmo
o caminho é longo
se perco esse tempo
sequer posso ver
a cor das flores

*

amargos

líria porto

a ditadura da felicidade
obriga-nos a rir como palhaços

*

urnas

líria porto

no centro cu e umbigo
à direita fígado à esquerda
coração

*

competição

líria porto

tu e eu –– a gente juntos
vai dar ruim eu sei que vai
tens mania de grandeza
eu não sei ficar atrás

*

presença

líria porto

bêbada de ti
quando partires
quem vai me curar
da ressaca?

*

vastidão

líria porto

as tias paternas
filhas do avô português
(duas viúvas duas solteiras)
passaram a vida inteira
da igreja pra casa
da casa pra igreja
em dias de chuva
e de sol

as tias maternas
filhas do avô árabe
(afora a madrinha)
gostavam de pito
e baralho

(entre quibe e bacalhau
amei o mar e o deserto)

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

pessoa

líria porto

na terceira o meu desejo
na primeira a tara do outro
(vez em quando sou sincera)

*

beagá

líria porto

a avenida do contorno
demarca o miolo
do girassol

*

memória

líria porto

imersa em poeira e neblina
viro menina outra vez

*

minhocuçu

líria porto

dei do outro lado
foderam-me à cabeça

*

hospital

líria porto

no corredor
a dor anda devagar
ou vai de maca

*

capotagem

líria porto

há quem culpe os outros
eu assumo o desastre que sou
e tento me remendar

*

domingo, 19 de agosto de 2018

tumba

líria porto

morte
irmã mais velha de morpheus
dormiu e não acordou

*

sábado, 18 de agosto de 2018

explosivos

líria porto

paranoicos psicopatas transtornados
deprimidos bipolares eufóricos neuróticos
puritanos assassinos suicidas fanáticos
violentos borderlines
:
doideira de mundo

*

auto-avaliação

líria porto

eram muitos eram tantos
todos quanto se disseram santos
foram os piores demônios

*

cortejo

líria porto

a morte segue sorridente
como fosse contente morrer
voar sem levar o corpo

*

louça

líria porto

meia lua
cuia de leite
:
o gatinho vira os olhos
lambe os bigodes
e mia

*

cinquenta semitons

líria porto

nesse joguinho de compadres
eles se tratam bem

puxam a cadeira pra comadre
debatem sobre nada

ignoram solenemente
quem possa confrontá-los

tentam esconder
que são canalhas
:
enganam quem?

*

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

fel

líria porto

a voz doce de dona tão amarga
leva-me a crer que raquel
não lia

*

particular

líria porto

depois de ter sido a rainha
ele queria que eu fosse
a putinha dele

para tanto
eu tinha outros homens

*

putre_fato

líria porto

urubu usa toga
e torce pra carne
virar carniça

*

brancas de neve

líria porto

floriam as jabuticabeiras
e na esteira do tempo
os olhos adocicavam

*

maria fumaça

líria porto

bem na passagem do trem
entre os batentes
em silêncio
tem a semente do tempo
que a gente era contente
por qualquer coisa

(tomara chova)

*

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

das coisas mal resolvidas

líria porto

dez anos após a separação
depois de girar mundo casar-se outra vez
foi à antiga residência comunicar à mulher
que mandaria um caminhão buscar as tralhas
que não levara na mudança –– e ficou magoadíssimo
ao saber que nada mais havia

deixou-lhe um bilhete
jogaste minhas coisas fora
tu me jogaste no lixo

(o que os homens esperam das mulheres?)

*

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

miúdo

líria porto

a noite embala-me o sono
embrulha-me em manto escuro
sussurra ou faz silêncio
:
o berreiro continua
eu tenho medo de monstro


*

sufoco

líria porto

cheguei tarde para o poema
distraí-me com o casamento
a criação das filhas
a política
por pouco eu não deixava
a página branca
intata

*

sábado, 11 de agosto de 2018

mala e cuia

líria porto

eu vou embora de mim
não agora — fico mais um pouco
mas quando chegar minha hora
tomara eu tenha um lugar
para cair morto

*

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

pau a pau

líria porto

traiu-me
eu apenas dei-lhe o troco

para mim ficamos quites
para ele eu o ofendi

feri-lhe a honra
o orgulho

*

terça-feira, 7 de agosto de 2018

confidências

líria porto

aqueles segredos guardados a chave
que mal nos lembramos depois de umas décadas
teriam acabado com alguns casamentos
se eles ou elas soubessem

*

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

atropelamento

líria porto

a asa da minha rua
atravessa o meu verso
sem olhar o movimento
das palavras
:
de repente
uma freada

*

drama

líria porto

só saro quando gozo a minha dor
que é a de uma gota no oceano

*

maria das dores

líria porto

doem-me os músculos
as junções dos ossos
os fios de cabelo sobrancelha
cílios pentelhos
os nervos o sangue as veias
a saliva a língua os dentes
qual um saco de pancadas
uma almofada
de alfinetes
:
doo pra cacete

*

domingo, 5 de agosto de 2018

guerra

líria porto

gente sem qualquer escrúpulo
dizimou a minha terra
empunhei flecha e borduna
amolei as minhas facas
pra defender o que resta
e estou disposta a tudo
desistir até do verso
para vencer essa luta

*

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

natimorto

líria porto

viveu nove meses em meu ventre
enforcou-se nas cordas do corpo
e não viu o mundo
:
seria o meu filho
um bom homem?

*

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

caramujo

líria porto

fujo de mim já faz tempo
fingir é um meio eficaz
chegar à foz é um tormento
pra quem tem medo 
de (a)mar

*

arábico

líria porto

o pó preto a água fumegante
o cheiro da casa de minha avó
e a sorte no fundo da xícara

*

precipitação

líria porto

cônscio da própria finitude
o ancião teve insônia e se exasperou
com os passos lentos do destino
:
saltou do viaduto

*

questão de tempo

líria porto

em breve o olhar dos velhos
encontrará os meus olhos

irei de xale e bengala
tomar o banho de sol

e quando as filhas os netos
vierem para a visita

eu quero estar bem bonita
para contar-lhes a história

(a mesma história de sempre)

*

terça-feira, 31 de julho de 2018

casal

líria porto

podes posso
tudo quanto fosse nosso
casa carro conta no banco
trabalho negócios
liberdade de ação de pensamento
direitos e deveres
sem privilégio de sexo
sem submissão ou diferença

*

sábado, 28 de julho de 2018

compensação

líria porto

com o passar dos anos 
a alma remoça e a gente reinventa
a infância

rosto

líria porto

não vou preencher os vãos
continuarei com os válidos os abismos
e os labirintos

*

bomba

líria porto

meu coração não espera
além do quê sempre teve
válvulas veias artérias
e um lugar certo
à esquerda

*

sexta-feira, 27 de julho de 2018

idade

líria porto

primeiro você senta
depois você tenta
não levanta mais

*

delírio

líria porto

um homem sentado
na beira da laje
lá do outro lado
mirava a vidraça
olhava meu quarto

tirei o agasalho
a saia a blusa
a roupa de baixo
o pobre diabo
comia-me viva

deu-me um calafrio
fiquei cabisbaixa
vesti o pijama
deitei-me na cama
nem fui mais à rua

(não fosse um tarado
talvez esperasse
apenas o eclipse)

*

quinta-feira, 26 de julho de 2018

lacuna

líria porto

sonhei contigo
subia pelas paredes
havia nenhuma rede
caí em mim

faz tempo que não te vejo
faz tempo que não te beijo
faz tempo

*

alcance

líria porto

ao se olhar o horizonte
nosso olhar perde de vista
a cadeia de montanhas
ultrapassa o entendimento
de que não exista limites
para se chegar tão longe

*

estrume

líria porto

a vaca come o capim
o homem come a vaca
o verme como o homem
a terra come o verme
e tudo retrocede
ao zero da estaca

*

estrume

líria porto

a vaca come o capim
o homem come a vaca
o verme como o homem
a terra come o verme
e tudo retrocede
à estaca zero

*

controle

líria porto

 de lhes dar remédio
apagar seu fogo fazê-los autômatos
é mais cômodo controlar os loucos
a deixar que façam
a revolução

*

tarumirim

líria porto

no entorno de mim
as montanhas
mais belas que elas
as gente

*

coice

líria porto

o que faz um bruto?
olhe pelo buraco
da ferradura

*

lula

líria porto

quem não te quer presidente
os ricaços os ruralistas os banqueiros
os egoístas os privilegiados os entreguistas
os que desdenham a pátria
negociam até a alma
favorecem as elites
(daqui e de fora)
e os analfabetos políticos
que desconhecem a história
da exploração dos pobres
do massacre de que são vítimas

os trabalhadores os patriotas
estes estão contigo e te esperam
em brasília

*

haicai

líria porto

miolo da noite
lá no fundo bem no fundo
olho arregalado

*

naco

líria porto

ninguém sabe de tudo
ninguém sabe de nada
entre uns e outros
um pouco
de cada

*

degola

líria porto

a santa perdeu a cabeça
mas manteve o cabaço

*

ouro preto

líria porto

cheia a lua cheia
mergulhada no vazio
eu com essa trouxa de roupa
e sem sabão

*


mel

líria porto

bebê-lo meu filho
é tão belo quanto engolir
o sol

*

urnas

líria porto

vós que amais dias amenos
preparai-vos para a luta
a disputa é desigual

(os ricos ficam contudo
os pobres resistem)

*

brecha

líria porto

a viuvinha
não quis saber de outro homem
até o sétimo dia

depois da missa
mesmo pobre o diabo
conseguiu lugar
na fila

*

quem sabe?

líria porto

entregues a nós mesmos
estaríamos em boas mãos?
:
tenho dúvidas

*

perigo

líria porto

a gente vai — segue em frente
procura o melhor caminho
obedece as leis
vem a carreta de um bêbado
passa por cima

*

desmedida

líria porto

quanto vento será necessário
para polir as pedras esculpir as montanhas
balançar o oceano transportar as lembranças

*

ingenuidade

líria porto

dizias-me
danças de baby doll
no meu coração

que tolice

para tal aventura
eu jamais usaria
tanta roupa

*

à matriz

líria porto

o teu homem
que eu quis meu
deitou-se comigo
mas me advertiu
seu amor era teu
para sempre

então sê feliz
o teu homem
é um bom homem
e sou borboleta
pronta pra outros
voos

*

quando eu morrer vou virar entrelinha

* líria porto

juiz moro

líria porto

cobra com asa
mesmo numa solitária
jararaca voa

*

esgrima

líria porto

foice a infância
a juventude
porém co’a pele lanhada
restam saúde e coragem
pra enfrentar vicissitudes
passar rasteira na morte
até que ela triunfe
que dela ninguém
escapa

*

adiamento

líria porto

tecer a nossa mortalha
com palavras tão espessas
pra que a morte se distraia
e nos tire da cabeça

(pelo menos por uns tempos)

*

resistência

líria porto

chumbo trocado não dói
se o amor é mais forte

*

variações

líria porto

tem gente que não vale o que come
tem gente que não vale o que caga
tem gente que planta
no vale

*

cobra

líria porto

eu trago faca na bota — se me atacas reajo
só mato em legítima defesa

*

mercador

líria porto

em nome de deus
com cara de anjo
essa gente faz
o diabo

*

estopim

líria porto

dão-me chumbo derretido
cuspo bala de canhão

*

domingo, 15 de julho de 2018

giganta

líria porto

farta nos sentimentos nos gestos
prole numerosa marido exigente
exímia cozinheira
trabalheira redobrada
minha mãe ainda achava tempo
para as colchas de crochê e os bicos
em panos de prato

*

sábado, 14 de julho de 2018

pés juntos

líria porto

o inverno a entrar pelos poros
congelar-nos os ossos condenar-nos
inocentes
:
já não temos lenha

(mais inferno é a lei
dos homens)

*

quinta-feira, 12 de julho de 2018

dona dona

líria porto

setenta e tantos anos
com tudo que tem direito
flacidez cabelos brancos
excesso de peso rugas
ironia malcriação boca suja
e um pouco de poesia
para compensar o medo
dos tempos que vêm
de roldão

*

quarta-feira, 11 de julho de 2018

grávida

líria porto

a vida –– ávida
é dúvida e é dádiva

*

processo

líria porto

adio protelo postergo procrastino
faço vistas grossas  –– empurro co'a barriga
e no fim do prazo disparo o gatilho

o tiro?
na mosca

*

terça-feira, 10 de julho de 2018

banzo

líria porto

a áfrica na pele
a tristeza nas vísceras

*

domingo, 8 de julho de 2018

agudo

líria porto

teu silêncio
entrou por um ouvido
saiu pelo outro
:
perfurou-me
os tímpanos

*

mulheres

líria porto

às onze em ponto
mamãe chamava meu pai
que destampava as panelas
servia-se
comia rapidamente
e retornava ao batente

depois dele a meninada
e mamãe nem se lembrava
de pôr comida pra ela

(poucas vezes
vi mamãe sentar-se à mesa
almoçar junto com todos)

*

na goela

líria porto

palavras que coagulam
matam-nos por asfixia

*

confiança

líria porto

eles quebram a gente cata
tenta juntar o que resta
montar um mosaico
um lugar ainda belo
onde se possa retomar as rédeas
criar nossos filhos e netos
e viver sem miséria

*

sábado, 7 de julho de 2018

alternância

líria porto

passarinhos –– já pra árvore
é hora de recolhermo-nos
o sol detrás das montanhas
agora é vez dos morcegos

*

sexta-feira, 6 de julho de 2018

reações

líria porto

todos sentimos à boca
o gosto amargo do golpe
há quem engole o veneno
quem simplesmente
devolve-o

*

primeira vara

líria porto

o doutor cheio de panca
de pança e falcatrua
(malas de bagulho)
continua livre

(quem governa para os pobres
perseguido por golpistas
trancafiado sem provas
é preso político)

*

quarta-feira, 4 de julho de 2018

haicai

líria porto

no meio do céu
a lua feita a compasso
hóstia consagrada

*

segunda-feira, 2 de julho de 2018

sedução

líria porto

a poesia requebra pra mim
depois diz por aí que a assedio
na verdade –– ela e eu –– dois vadios
damos trela um ao outro e esse rolo
faz-nos cúmplices

*

obra

líria porto

mais criativos
que o ovo e o útero
impossível

*

revolta

líria porto

na queda da pastilha
não sobrou garganta
ou gargalhada

*

plenilúnio

líria porto

a lua
etérea diáfana
a perder toda a matéria
diluir-se na neblina
já virou ideia fixa
na cabeça dos poetas
e por mais que se desfaça
marca presença
imprime-se

*

haicai

líria porto

a lua esfarela
qual fosse hóstia ou beiju
feitos de farinha

*

francisco

líria porto

nome de gente grande
é grande o menino
de sete anos
:
o que ele fala eu transcrevo
num trevo de quatro folhas

*

romance

líria porto

o amor nos distrai
só vemos o outro –– traímo-nos
dissolvemo-nos ao ponto
de esquecer de nós mesmos
dos nossos anseios
e sonhos
:
deixamos de ser o sujeito
tornamo-nos objeto
utilitário

*

terça-feira, 26 de junho de 2018

prendam-me em camisa de flor

proteção

líria porto

nunca disse que te amo
nem vou dizer –– o que sinto
sinto muito
não será usado
contra mim

*

o telefonema

líria porto

(se quem atende é a madame
melhor dizer –– é engano)

alô
quem fala?
com quem tu queres falar?
contigo mesmo doutor
é que morro de saudades

és tu?
custo a crer
eu penso em ti tempo todo

(e tudo voltou à tona
o sentimento as lembranças
o amor do cão
da cadela)

*

frustrações

líria porto

e quando chega a noite
devora o dia contido
e bebe além da conta
e come mais que
a barriga

*

domingo, 24 de junho de 2018

privilégios

líria porto

eu posso tu podes –– eles não
por esta razão não devemos
enquanto houver um
à margem

*

dom juan

líria porto

ele vinha camuflado
óculos jaqueta boné
olhava de um lado
doutro
(passos rápidos)
entrava –– trancava a porta
dirigia-se a meu quarto
e só então mais tranquilo
beijava-me e se despia

após umas duas horas
vestia tudo de novo
saía meio fugido
passava na padaria
e retornava à casa
(pão fresco para a família)

sexta-feira, 22 de junho de 2018

de espuma

líria poro

aba marítima
cheia de garças
bendita sois
entre as mais belas
bendito é o mar
o céu a brisa
e as águas

*

o maestro

líria porto

procurei-o por toda banda
ele tocava a orquestra

*

intimidade

líria porto

em toda a sua extensão
(do focinho ao rabo)
os cães são sensíveis
a afagos

*

ioiôs

líria porto

as nuvens que o vento leva
as nuvens que o vento traz
tais quais esses pensamentos
que vão e voltam
e não param

há nuvens que evaporam
há pensamento esquecido
e nuvens de tempestade
e pensamento suicida

*

pretextos

líria porto

em nome de deus faz-se as guerras
em nome de deus
o diabo

*

afins

líria porto

melhor amiga é a irmã
nascida doutra barriga

melhor amigo é o amor
com quem jamais
casaremos

*

goooooooolpe

líria porto

e não é bola
é bala
camisa verde amarela
pedra quadrada
que invade como petardo
e abala
a democracia

*

dividida

líria porto

pode ficar com a bola
eu sei brincar de outra coisa

*

quinta-feira, 21 de junho de 2018

na escuridão

líria porto

as estrelas brilham
como piscam os vagalumes
:
quem acende as luzes?

*

domingo, 17 de junho de 2018

quem?

líria porto

então eu pergunto
quem vai traduzir a minha alma
se não para o sânscrito
para o português
da padaria

*

ultimátum

líria porto

entre ti e ela
escolhi a cadela

*

contrassenso

líria porto

o corredor
ilhado por paredes e portas
permanece parado

*

sábado, 16 de junho de 2018

na moita

líria porto

a lua –– sorriso de monalisa
está a aprontar alguma

*

sexta-feira, 15 de junho de 2018

a viagem

líria porto

um astronauta
virá me buscar
de raio ou cometa
para outra galáxia
onde estão meu pai
minha mãe
minha avó
e todos aqueles
que viraram
estrelas

*

quinta-feira, 14 de junho de 2018

bisonho

líria porto

os pesadelos soltos
e o sonho preso

*

terça-feira, 12 de junho de 2018

marido

líria porto

pega outra faca e colabora
pica o chuchu descasco a abóbora
e a gente chega junto

*

à foz

líria porto

vou-me como um rio
que sabe o percurso
de memória

*

haicai

líria porto

o galo madruga
arromba o portão do dia
com muito barulho

*

segunda-feira, 11 de junho de 2018

a_deuses

líria porto

uma partida a mais
um parto a menos
quiçá um aborto

*

êxtase

líria porto

bêbada
sem uma gota de álcool
de vida mesmo de espanto
do labirinto descompensado
que é a existência

*

domingo, 10 de junho de 2018

sintonia

líria porto

a vida
canal de te ver
saiu do ar

(perdemos a concessão)

nem voz nem imagem
de ti eu só tenho
um ruído

(e o chuvisco)

*

sintonia

líria porto

a vida
o canal de te ver
saiu do ar

(perdemos a concessão)

nem voz nem imagem
de ti eu só tenho
um ruído

(e o chuvisco)

*

quinta-feira, 7 de junho de 2018

do mato

líria porto

ganhei uma pena verde
para escrever meu verso
não careço de caneta
a tinta tiro da veia
:
eu sou contra o progresso
contra o comércio
e o dinheiro

*

fingimento

líria porto

quero crer que o crocodilo
sente como crocodilo
coisas muito diferentes
das coisas que a gente sente
:
crocodilo é crocodilo
gente eu não sei
quem é

*

desperdício

líria porto

elas têm tudo
muito mais que tudo
e não acho justo
(têm boa índole)
que elas se tornem
seres insensíveis
de coração duro
:
todas as crianças
podem ser levadas
ao bem e ao mal

*

fuzuê

líria porto

a passarada alvoroça
as madrugadas
na roça

*

o déspota

líria porto

acusa julga e prende
e nem precisa haver crime

*

cadeado

líria porto

amor és a senha
contigo entro saio –– abro e fecho
o cadeado

*

haicai

líria porto

primeiro de junho
um avião risca o céu
rastros de fumaça

*

surrupio

líria porto

há mãos que dão
mãos que tiram

a que assina os decretos
é a mão do larápio

*

censura

líria porto

tenho estado
tenho sido
abduzido pelo sistema
que me faz calar o bico
abafar meu sentimento

*

vício

líria porto

há quem lute para escrever
eu luto para não escrever
isso é uma cachaça

*

rodízio

líria porto

quando a água se evapora
ela sobe forma a nuvem
e o bom da novidade
é que um dia a nuvem chove
rega o chão e enche o rio

o sol volta –– recomeça
seca o excesso de umidade
e remoça a floresta

*

quarta-feira, 30 de maio de 2018

na ponta do lapso

líria porto

já vivi mais de três quartos
na verdade quatro quintos
sei que a parte derradeira
(por certo a mais difícil)
pode ser interrompida
a qualquer momento

*

terça-feira, 29 de maio de 2018

ceticismo

líria porto

entre minhas coxas
cochichas o nome das outras
não me incomodo
:
todo amor é provisório

(se durar muito tempo
então é carma)

*

salvo-conduto

líria porto

se não para a morte
necessito um passaporte
para a loucura

*

segunda-feira, 28 de maio de 2018

umbigo

líria porto

dei de matutar
entregue a milhões de grilos
de falar com meus mamilos
que o centro da barriga
é o poço da vaidade
frequentado por lombrigas
e por egos incapazes

*

cuidados

líria porto

na casa da bisavó
debaixo do filtro de barro
uma bacia esmaltada
aparava os pingos d'água

*

ranhuras

líria porto

nesta altura dos meus dias
não me permito frescuras

ciscam em torno dos meus olhos
milhões de pés de galinha

*

ru(s)gas

líria porto

as garras do tempo
afundam as ranhuras
na pele dos homens
e das mulheres

*

domingo, 27 de maio de 2018

estações

líria porto

na primavera
a infância

no verão
a juventude

no outono
homens maduros

no inverno
arribação

*

sexta-feira, 25 de maio de 2018

revisão

líria porto

meu amor gostava dela
e deve ser gente boa
a moça que eu desprezo

confesso minha fraqueza
por defeito do meu ego
detestar uma pessoa

*

pulguenta

líria porto

a cachorra chama vida
é vira-lata –– a cadela

de me ver abana o rabo
e também me lambe as mãos

(vez por outra
rosna)

*

suspiros

líria porto

não vou engordar –– eu me proponho
e talvez até emagreça
se conseguir estancar a agonia
que me faz devorar
guloseimas

*

quinta-feira, 24 de maio de 2018

delator

líria porto

índio pinto pequeno
usa dedo indicador
para constranger
a tribo

*

quarta-feira, 23 de maio de 2018

leve

líria porto

voar como um pássaro
suportar o peso do corpo
não –– melhor borboleta
apenas bater as pétalas
mesmo que o voo não atinja
as alturas

hoje 
como um leque
só quero
abanar as flores

segunda-feira, 21 de maio de 2018

ser_tão

líria porto

deus é o próprio mandachuva
fosse justo olhava todos igualmente
não haveria seca nem miseráveis
:
deus é o patrão
o que protege os b(r)ancos

*

domingo, 20 de maio de 2018

elite

líria porto

brancos de almas pardas
cagam e disfarçam seu ranço
com perfume francês

*

sexta-feira, 18 de maio de 2018

equívocos

líria porto

de costas para a luz
projeta-se a sombra
e não se vislumbra
o porvir

*

quinta-feira, 17 de maio de 2018

dádiva

líria porto 

a vida
esse visgo
a gente se apega
ainda que doa
a vida é bela

*

quarta-feira, 16 de maio de 2018

deprimidos

líria porto

a tristeza que perdura
ela mina nossas crenças
reduz-nos a temperatura
transforma-nos em molambos
(mortos-vivos)
atirados para os cantos
sem presente
sem futuro

*

terça-feira, 15 de maio de 2018

contágio

líria porto

quando a vontade de nada
domina a mente e o corpo
a gente fica doente
exposta às bactérias

(e não adianta remédio
onde há indiferença)

*

segunda-feira, 14 de maio de 2018

cognome

líria porto

chamavam-me sardinha
(as pintinhas no nariz)
e eu lavava o rosto
com água de arroz
na esperança de apagar
o apelido

*

domingo, 13 de maio de 2018

dona mundina

líria porto

minha mãe
filha de árabe
submissa ao marido
(um português das arábias)
um dia teve alzheimer
não obedeceu mais ninguém
nem doutor
nem enfermeira
e até falou palavrões

(meu pai
revirou
na cova)

*

distribuição de renda

líria porto

aos pobres
escola casa comida
e sobretudo
um casaco de lã
para o inverno

*

sábado, 12 de maio de 2018

chantagem

líria porto

a vida é submissa
ao bordão da morte
:
ou dá
ou desce

*

sicrano

líria porto

passou e me deu garupa
seguimos à encruzilhada
apeei tomei meu rumo
ele foi pra outro lado
:
jamais o esquecerei
onde estará?

*

sexta-feira, 11 de maio de 2018

oblíquo

líria porto

igual a torre de pisa
eu tombo até certo ponto
mas não desabo

*

terça-feira, 8 de maio de 2018

movimento

líria porto

faço graça tiro sarro
mas sou tímida
e sou triste

isso não muda nada
a terra gira

*

extermínio

líria porto

tudo nos conformes
não haverá nenhum pobre
no tucanistão

serão removidos
ossos destroços e co'as cinzas
serão pintados os muros

(câmaras de gás
bananas de dinamite
o inferno é o limite)

*

boca suja

líria porto

comprei pimentas
malagueta e de cheiro
mais pela cor
que pela ardência

(ardidas me lembram
palavrão)

*

apaga_dor

líria porto

quando meu pai morreu
mamãe ficou apática
quando minha irmã morreu
(sua filha caçula)
mamãe se esqueceu de tudo
(até de quem era)
e mergulhou
na própria
finitude

*

decorativo

líria porto

furtivo –– o traidor
não vale um real furado
mas acumula milhões

*

predição

líria porto

a trombeta anuncia liberdade
será este um anjo enganador
a passar mel na boca
dos incautos?

*

poetinha

líria porto

o sol é farol a lua lanterna
eu vejo esse mundo com duas antenas
a interna e a externa

(igual um menino)

*

domingo, 6 de maio de 2018

sombra

líria porto

aporto
tu cais
eu rio
me aterras
eu sonho
despertas-me
:
por amor
deixa-me
em paz

*

inexorável

líria porto

a velhice tem cheiro de mofo
aparência do que é descartável
todos querem a presença do novo
ao velho lhe resta
a eternidade

(o destino da musa
é o museu)

*

sábado, 5 de maio de 2018

mulherada

líria porto

vovó maria
mãe da minha mãe
disse à minha irmã
–– minha neta
dê cá tua neta ––
a na festa de oitentanos
entraram enfileiradas
cinco gerações

*

sexta-feira, 4 de maio de 2018

crepuscular

líria porto

beber teu sangue até te deixar azul
beijar teu sol na boca –– sujar-me
de batom

*

reino animal

líria porto

nem pobre nem rica
mulher branca –– classe média
dependente do marido
tratada como titica
a oprimir negros e índios
e assimilar as maldades
das quais ela própria
é vítima

*

madame mim

líria porto

nem anjo nem santa tampouco diaba
mulher como tantas não manda
recado

*

pressão

líria porto

coração de mulher bate
coração de homem espanca
melhor seria tentassem
recordar qual o compasso
do coração das crianças

*

no ringue

líria porto

um vírus pôs-me a nocaute
ainda farejo a lona
(golpe baixo)
de longe escuto a contagem
porém acabou meu fôlego

(jesus me abane)

*

quarta-feira, 2 de maio de 2018

os carrascos

líria porto

mataram dona marida
depois enjaularam o urso
(nossa aurora boreal)
numa cela solitária
(espécie de sepultura)
no polo norte
onde qualquer convívio
é quase impossível
e a noite dura
seis meses

*

terça-feira, 1 de maio de 2018

testículo (pequeno teste)

líria porto

olho no olho –– de igual para igual
machão não tolera atrevimentos

*

mordaças

líria porto

a palavra presa
o grito calado
o berro na goela
a dor de garganta
o pé no pescoço
a vida de servo

*

quinta-feira, 26 de abril de 2018

tio sam

líria porto

melânia é mulher constrangida
pudera –– topou passar sua vida
do lado de um imbecil

*

terça-feira, 24 de abril de 2018

pouco

líria porto

eu não te basto
não nasci para isto
nem para secar teus caminhos
nem para alagá-los
cada um tem sua sina

*

cólica

líria porto

a dor vem do sul
passa pelo útero e chega
na cacunda

*

>>>>

líria porto

não sei quem oi
não sei quem ai
só sei que ou
que im
que irás

*

haicai

líria porto

o guarda de trânsito
o som agudo do apito
fere nosso ouvido

*

sexta-feira, 20 de abril de 2018

aposentadoria

líria porto

não rio tanto
tu deságuas chegas à foz
eu sou temporário

*

persuasão

líria porto

se eu perder a fé no poder das palavras
eu –– que estraçalho vírgulas e reticências
entrego os pontos

*

preso político

líria porto

e ao sepultá-lo
numa solitária
tentam apagar
a luz que alumia
a voz que acende
a esperança

*

quinta-feira, 19 de abril de 2018

banzo

líia porto

a tristeza alaga os olhos
basta piscar ela pinga
uma gota
outra
outras
misturam-se à coriza

(saudade
é sal
na saliva)

*

quarta-feira, 18 de abril de 2018

sou maria vai co'as ostras e co'as pérolas

obstinação

líria porto

podem me furar os olhos
tapar-me a boca os ouvidos
cortar-me as asas
uma coisa não consigo
saber preso meu amigo
(vítima de injustiça)
e não fazer nada

*

domingo, 15 de abril de 2018

haicai

líria porto

aurora e crepúsculo
portais do dia e da noite
entrada e saída

*

combate

líria porto

poesia me perdoe
nesse momento de angústia
ameaça sacrifícios
só posso encontrar beleza
nas ações da resistência
porquanto palavras vãs
são disfarce covardia
de pessoas coniventes
com a barbárie
a injustiça

*

sexta-feira, 13 de abril de 2018

vermelha

líria porto

cabeça ruça coração russo
sou toda maiakovski

*

execução

líria porto

a mão do juiz é a mão do algoz
que puxa o gatilho

*

quinta-feira, 12 de abril de 2018

tesouro

líria porto

guardei dentro do porquinho
uma fortuna

não –– não eram moedas
era a infância

*

ainda que à tardinha

líria porto

quando a corja forja um crime
incrimina um inocente
inocenta os criminosos
acorda quem não concorda
com a corda no pescoço

*

quarta-feira, 11 de abril de 2018

inquietação

líria porto

cabeça no travesseiro
e lá vem o pesadelo ocupar lugar
do sonho

*

terça-feira, 10 de abril de 2018

descabimentos

líria porto

quem matou marielle
deixou pólvora deixou rastro e continua
impune

condenaram um grande líder
sem provas e sem crime –– prenderam-no
numa solitária

(assim a justiça a polícia a política
a canalha)

*

segunda-feira, 9 de abril de 2018

picadeiro

líria porto

ando em círculo
e ao fechar-se o cerco
desse minicirco
sou palhaço e mágico
:
eu sou brasileiro
e desequilibro
sangro e sobrevivo
na própria desgraça

*

domingo, 8 de abril de 2018

uvas verdes

líria porto

deitava comigo e eu sabia
ele amava a sua mulher

por mim tudo bem –– eu não tinha ninguém
nem queria

*

guerrilha

líria porto

tornei-me a mulher-bomba
explosivos no peito –– no coração
tic-tac-tic-tac-tic-tac

*

sábado, 7 de abril de 2018

piedosamente

líria porto

sinos tambores
a pele preta da terra
santa efigênia
senhora do rosário
são benedito
áfrica
moçambique
ervas ancestrais
saravá
meu pai

(eu –– ateu
rezo por lula
pelo brasil)

*

quarta-feira, 4 de abril de 2018

relacionamento

líria porto

folgo em saber que o fogo continua aceso
a rotina –– quando muita –– reduz
a labareda

*

a cama

líria porto

em minha canoa
atravesso a noite
os sonhos na proa

*

terça-feira, 3 de abril de 2018

direitas

líria porto

mulheres
mirem-se no espelho de amélias marcelas
carminhas
respaldem o grande
o rico homem branco
e nem pensem nas marielles nas beneditas
nas jandiras
estas devem ficar nas senzalas
caladas e debaixo de relho

(as que falem por pobres e pretos
silenciamos à bala)

*

maré

líria porto

da favela –– mulher
e viram a cor da pele?

a metidinha
atreveu-se a fazer leis
a denunciar
falar alto

pensou que seria fácil?
não foi
não é

mas não se preocupem
a negrinha já não existe
:
e não se fala mais nisso

*

haicai

líria porto

de manhã a lua
tresnoitada esmorecida
igual mulher dama

*

spiritus

líria porto

sinto saudades de mim
dum tempo que não havia
eu era outra pessoa
e uma ancestral antiga
descendente da avó símia
trouxe-me ao século vinte
para acertar comigo
umas pendengas
umas dívidas

*

segunda-feira, 2 de abril de 2018

lacre

líria porto

por mais que te abras
escondes de ti e do mundo
as tuas vergonhas

*

do amante

líria porto

se me perguntares
o que faço em tua cama
não saberei responder
eu amo a minha mulher
mas aqui é meu oásis

*

o fracasso

líria porto

michael trêmulo
golpista e sem habilitação
com sua bagagem de quinhentas merrecas
assumiu o volante do furgão verde amarelo
repleto de boias frias
e sem condições para dirigi-lo
freou nas retas
derrapou nas curvas
invadiu os barrancos
e jogou o furgão
no abismo

*

domingo, 1 de abril de 2018

pólen

líria porto

não tenho concentração
vivo bambo das pernas
sem miolo
perdido entre as pétalas
e o perfume
de seres efêmeros

*

sexta-feira, 30 de março de 2018

marielle

líria porto

morreu duplamente
(tiro e calúnia)
e haverá outras mortes
se não se punir
os assassinos

(muita gente na mira
muitos combatentes)

quinta-feira, 29 de março de 2018

a_corda

líria porto

o homem –– animal irracional
caminha a passos largos
para o autoextermínio

*

segunda-feira, 26 de março de 2018

indiferença

líria porto

a lua cresce
(muda de fase de forma)
e o sol
que nem olha para ela
não sabe o que está perdendo
ela –– uma grande mulher
ele um velho rabugento

*

futrica

líria porto

ao invés de falar da pessoa
falo com a pessoa –– sem
diz-que-diz

(ou então me silencio)

*

da obra

líria porto

pelo avesso do crivo
avalio a bordadeira

*

mea maxima culpa

líria porto

esse tal de facebook
é uma casa de caboclo
uma grande arapuca
e o pior é que vicias
perdes tempo e tu podias
realizar tantas coisas

(mas tu te inutilizas
viras massa de manobra
precisas só das curtidas
não da importância
das horas)

*

sábado, 24 de março de 2018

do amor

líria porto

então me perguntas
como ousas e eu te digo
quem ousa é meu coração
:
só lhe ouço as batidas

*

quinta-feira, 22 de março de 2018

utopia

líria porto

tu ele eu e nós todos
condenados a morrer
(é um desígnio)
viveríamos melhor e mais felizes
se além de respeitar as diferenças
lutássemos por sonhos
coletivos

*

quarta-feira, 21 de março de 2018

a infância

líria porto

a inocência a pureza
deixadas ao deus-dará
voltaram com outras roupas
mas não perderam
a essência

*

caluniar é matar com palavras

terça-feira, 20 de março de 2018

haicai

líria porto

a lua embaçada
aquela réstia de luz
coberta de nuvem

*

segunda-feira, 19 de março de 2018

implacável

líria porto

a cada dia uma baixa
em nossa tropa de amigos
igual estátua de sal –– não vou
nem fico

*

sexta-feira, 16 de março de 2018

tocaia

líria porto

de morte morrida
seria duro aceitar
porém de morte matada
bem na metade da vida
a alma fica à deriva
até que prendam
os culpados

*

quinta-feira, 15 de março de 2018

ponteiros

líria porto

acordo repleta de boas intenções
(as más aparecem após o crepúsculo)

*

escrita

líria porto

na ponta da flecha a palavra
na mira teus olhos teus óculos
tuas lentes teu cérebro tua pele
teu sangue
as pontas dos teus dedos
e o peito aberto

*

digitais

líria porto

sou o que escrevo e o que fica
nas entrelinhas

*

apatia

líria porto

sem força ou ação
sentada no banco
só pega no tranco
movida a empurrão

*

terça-feira, 13 de março de 2018

a crista

líria porto

galos brigam mandam trepam –– divertem-se com outras frangas
galinhas botam chocam cacarejam e cuidam dos pintos
:
é a lei do galinheiro e não são coincidências
todas as semelhanças

(o justo é folgado?)

*

quarta-feira, 7 de março de 2018

integridade

líria porto

metade da laranja sou eu
a outra metade também
inclusive sementes casca
azedume

*

terça-feira, 6 de março de 2018

bodas

líria porto

no início são rosas
que se despetalam
ficam os espinhos

(muitos se separam)

os resignados
põem flores de plástico
até no jardim

(e a morte os junta
no mesmo jazigo)

*

segunda-feira, 5 de março de 2018

olhares

líria porto

a lua lá
o sol ali

ela mais linda
que o girassol

o sol é bi?

*

óbito

líria porto

romantismo ou pieguice
eu quero morrer o coração
(falhei e disse)

*

após

líria porto

dou mole dás duro
depois desmilingues-te
e viras pro canto
e me ignoras

*

domingo, 4 de março de 2018

competição

líria porto

daqui pra longe
de lá pra cá
perguntas onde
eu te esclareço
lá na distância
não tem parada
(só tem estrada)
a gente anda
a gente corre
a gente cansa
e quando chega
tem que voltar

*

barro e pedra

líria porto

tem gente doída
que chora e reage
qual fosse ferida
e ainda sangrasse
sob a cicatriz

tem gente durona
não verte uma lágrima
nem em carne viva

*

quinta-feira, 1 de março de 2018

tobogãs

líria porto

nasci em terras planas
mas sou montanhosa
gosto das grutas das curvas
dos aclives declives penhascos
precipícios
dos segredos dos mistérios
do que existe debaixo dos panos
dentro das minas das grotas
do percurso entre o topo
e o fundo

*

da transparência

líria porto

não sei do começo
da sequência
do que veio antes ou depois
do que há no momento
e o que vejo é vão é opaco
é o buraco
é um zero à esquerda do cifrão
e não fede nem cheira

*

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

chita

líria porto

tecido pano fazenda
dá no mesmo dá na mesma
meio metro faço o laço
metro e meio –– a vestimenta

*

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

mistérios

líria porto

da vida sei pouco da morte ainda menos
só sei que uma e outra agem combinadas
o que uma começa
                                 a outra arremata

*

domingo, 25 de fevereiro de 2018

é osso

líria porto

para não se apaixonar
arranjou um e mais um
e mais outros
deitou-se com todos
e no fim
enfarada de homens
arranjou um cachorro
que só come
filé mignon

*

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

a abelha

líria porto

reina
cuida da colmeia
produz mel e cera –– precisa de ferrão

(dane-se o zangão)

*

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

culinária

líria porto

a clara ficou morena
a gema quase marrom
eu taco fogo no ovo
e tudo muda de tom

*

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

dor

líria porto

sina de galinha
botar ovo é penoso
um parto por dia

*

barcarola

líria porto

a lua afunda
vai carregada de nuvem
naufraga na escuridão

*

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

feijão com arroz

líria porto

poucos adjetivos
nenhuma pontuação ou letras maiúsculas
(quando muito um travessão)

(rimas em ão dão-me alergia
rimas em ar –– nem pensar)

*

sábado, 3 de fevereiro de 2018

resistência

líria porto

rocei seu braço
achei-o fino
de homem fraco
:
engano meu
era mais forte
que eu

*

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

monogamia

líria porto

periquito e periquita
um namoro do barulho
tanto apego tanto arrulho
tanto apupo
e as bicadas tão maciças
doem mais que traição

*

frígida

líria porto

a cor azul cinza
no tom dos olhos gelados
da mariazinha
:
em seu corpo teso
nenhum ai nenhum gemido
nenhum arrepio

*

limiar

líria porto

entre a vida e a fantasia
a linha tênue
–– espécie de corda bamba ––
por onde vai o poeta
com a sombrinha
de frevo

*

domingo, 28 de janeiro de 2018

bi

líria porto

periquita quer periquito
periquito procura outro galho
pensa em mudar de vida
dessa vez quer
papagaio

*

no cu do mundo

líria porto

dezembro m'irrita
desencapa-me os nervos
a chuva maciça as ruas lotadas
a grana tão curta
(compras induzidas)
não saio da toca
por nada

*

paraíso

líria porto

eva comeu a cobra
adão comeu
a maçã

*

invisibilidade

líria porto

o nosso
o couro da parede do muro
do quarteirão do bairro da cidade
do estado do país do continente
e por fim
a crosta do mundo

(nós
dentro do bulbo
como a gema da cebola
na réstia do universo)

*

cratera

líria porto

o que o verso insinua
está no inverso –– no avesso
da lua

*

o sovina

líria porto

a olhar para baixo
cerzir meias vigiar moedas
evitar buracos prevenir-se da chuva
jamais viu estrelas ou mirou
horizontes

*

escambo

líria porto

ofereci-lhe meus quartos
meus terços metades
e não pude negar
nem cu e nem nádegas
a quem me deu tudo
sem nada pedir
ou cobrar

*

serralheria

líria porto

o esmeril come o ferro
o ferro –– macho –– resiste
chega a soltar faísca
e geme
:
fica afiado o espeto
perfeito para o churrasco
a queima da carna
a brasa

*

abandono

líria porto

insustentável solidão
a das viúvas de marido
vivo

*

sede

líria porto

a pressa do rio
vontade de (a)mar
seguir aos tropeços
livrar-se das margens
vagar noutras plagas
lambuzar-se de sal
sumir de si mesmo
deixar-se beber
naufragar

*

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

linda

líria porto

a mamãe
bem mais doce que papaia
a sua pele de pêssego
ou de maçã
como queiram
a mamãe é fera livre
quando se trata
dos filhos

*

in_tranquilidade

líria porto

minha cabana de taipa
não tem tranca não ter cerca
tão somente a vira-lata
(ótima companhia)
e eu

a mansão do magnata
tem muralha tem guarita
câmeras de segurança
quatro pitbuls
dois buldogues
carros blindados
motoristas
guarda armado até os dentes
e gente trêmula

*

moreno

líria porto

esperavas-me no saguão
e tua camisa branca
tive ímpetos de manchá-la
com batom

*

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

soberano

líria porto

o corpo –– qual gaiola –– trancafia
toda a nossa dor e sofrimento
só o pensamento voa livre
e não há polícia nem juízes
que o condenem ao cárcere
ao exílio
:
nosso pensamento é quem governa
nosso pensamento é quem preside

*

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

fruta

líria porto

cravo os dentes
e nem precisava
de força
:
a polpa é macia

*

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

desejo

líria porto

tentávamos não nos trair
nós nos atraíamos –– havia algo nos corpos
alguma espécie de imã

*

domingo, 21 de janeiro de 2018

haicai

líria porto 

a lua crescente
qual foice no firmamento
ceifa a escuridão

*

novos tempos

líria porto

nossas verdades e dúvidas
antes gravadas na testa
são tatuadas na nuca

*

sábado, 20 de janeiro de 2018

perseguição

líria porto

os vãos do desespero
espero não nos alcancem

*

oportunista

líria porto

nem direita
nem esquerda
(aí que mora o perigo)
ele é coluna
do meio

*

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

dos donos do apito

líria porto

a justiça não é cega
nem surda
nem muda
é mouca vesga arbitrária
faz que não vê 
que não ouve
fala mais que o necessário
protege os apaniguados
e persegue o povo

(de olho na mídia)

*

domingo, 14 de janeiro de 2018

bigode

líria porto

meu amor parece um cacto
é espinhento e dá flor
o seu recato um disfarce
a rondar a minha boca

*

códigos

líria porto

o son(h)o vem de pantufas
passa ferrolho nas pálpebras
caminha olhos adentro
percorre nossos lugares
de montanhas tão disformes
repletas de espinheiros
o córrego
(massa cinzenta)
e o dialeto
que ninguém entende

*

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

con_traste

líria porto

o pai era fraquinho
fraco da cabeça
fraco dos ossos
fraco das pernas
(falava grosso)

a mãe –– fortíssima
levava nas costas
o casamento
(instituição falida)
a família
e um sobrenome
que não era seu
(piava fino)

*

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

baque

líria porto

na curva do vento
aposto no abismo e atiro no espaço
o que nem era vida

(precipito-me)

*

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

salto

líria porto

na curva do vento
cotovelo no barranco
frio na barriga
:
por pouco eu morria

*

barranco

líria porto

água dura em terra mole
tanto bate que desaba

*

gajo

líria porto

hás de ter um meio
de partir o quarto
sem rezar o terço
ou ficar de quinta
para sexta-feira

*

cena

líria porto

último ato
da peça que a vida nos prega
ao soprar as vel(h)as e cerrar
as cortinas

*

chagas

líria porto

coração imenso –– culpa
do barbeiro

*

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

novelo

líria porto

quem nos enrola
aparentemente em silêncio
mas com todo o seu palavrório
é o pensamento

*

politicagem

líria porto

acordos conchavos
de deus e o diabo
governam o mundo

corrompem subornam
prometem não cumprem
(e nós somos cúmplices)

*

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

palavrão

líria porto

a forma da palavra
a quantidade das letras
não o conteúdo

(mal intencionados
mudam o sentido das coisas)

*

braveza

líria porto

enfrento o medo
olho-o no fundo do olho
até lhe faço careta
:
chego a tremer
a sentir as pernas bambas
mas fico firme
não deixo que me domine
que me esmague a cabeça

*

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

cadentes

líria porto

comovê-las como as velas
que choram enquanto
iluminam

*

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

simplórios

líria porto

sem glória reconhecimento
sequer à espera da morte
vivem porque nasceram
e sem pretensões maiores

*

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

afável

líria porto

o fato é que a vida é fogo
o fato é que a vida é afago afeto
aflição

*

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

dicionário

líria porto

pedacinhos encaixados uns nos outros
as letras as palavras
páginas inteirinhas sem parágrafos
sem espaços entre uns e outros
um calhamaço um volume
denso

*

cara e coroa

líria porto

diante de um de outro
eu dizia as mesmas coisas
amava os dois igualmente

porém um deles se foi

por incrível que pareça
perdi completo o interesse
pelo amor que me sobrou

domingo, 17 de dezembro de 2017

despenhadeiro

líria porto

a carga pesa nas curvas
engorda o arquivo das mortes
por descuido

*

poluídos

líria porto

consumimos água potável
vertemos água salobra
:
assim é o corpo

*

critério

líria porto

a trégua da chuva
(chão fofo macio)
a capina

(capim tão bonito
esse fica)

*

agronegócio

líria porto

ao separarmos o joio do trigo
apartamos inimigos ou favorecemos
o lucro?

*

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

no copo

líria porto

ali no jardim
abelhinha bebe leite
café da manhã

*

pança

líria porto

quatro mulheres habitaram-me a barriga
mais o menino enforcado
e os dois que sangraram ainda
sem sexo

(o útero os ovários
joguei-os aos cachorros
e dei de parir versos
–– palavras minúsculas ––falar bobagem
e  meter-me
              na política)

*

haicai

líria porto

quais saias rodadas
penduradas no varal
as flores de abóbora

*

sábado, 9 de dezembro de 2017

suporte

líria porto

amante é uma espécie de escora
aquela tabua_zinha atrás dos porta-retratos
nas fotos da família

*

trincheira

líria porto

olho na mira
dedo no gatilho
tiro de letra

*

praga

líria porto

tucano depenado
foi com muita sede
ao pó

*

domingo, 3 de dezembro de 2017

jeitos

líria porto

o melhor o pior
e o que fazemos
por comodismo

*

sábado, 2 de dezembro de 2017

poderes

líria porto

os cães ladram
os ladrões como cachorros
comem o osso e a carne

*

mimetismo

líria porto

pois que dona lagartixa
fica da cor do ambiente
é verde quando convém
(por enquanto tece a rede)
porém se alia a golpista
faz discurso oportunista
e tenta enganar as gentes
:
quem cai na teia é mosquito
ou turista na política
não sou cobaia
meu bem

(que a carapuça lhe sirva)

*

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

divergências

líria porto

a perfeição tem defeito
é desumana com o resto
por mais que eu faça
que eu queira
ela me aponta algum erro
faz-me sentir incompleta

*

domingo, 26 de novembro de 2017

restos

líria porto

definham-se os desejos
sobram-nos o espinho da rosa
e a espinha do peixe

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

artifício

líria porto

bebo sol
(cápsula gelatinosa)
para proteger os ossos
e ficar mais forte

(d'ouro a pílula
bebo vitamina)

*

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

eva's

líria porto

morde-a
sente o sabor da fruta
estala a língua e agora
sabe o que adão sentiu

(a culpa foi da cobra)

*

laboratório

líria porto

uma e outras vezes
na busca do acerto
cometi muitos erros
virei-me do avesso
e esse jeito arcaico
quase imperdoável
de quebrar a cara
levou-me ao buraco
pra catar os cacos
fazer um mosaico
das experiências

*

terça-feira, 21 de novembro de 2017

demora

líria porto

a espera
do que flor
dura mais
que a prima
vera

*

prematuramente

líria porto

pichei as paredes do útero da minha mãe
(palavras de protesto na placenta)
e nasci aos berros

levei tapa na bunda
foi assim que vim ao mundo

*

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

logro

líria porto

sempre-viva morreu
senti-me enganada
fui ao procon
e nada

*

grafite

líria porto

as paredes têm-me ouvido
já os muros dizem tanto
que os proibiram

*

linda

líria porto

feita de ébano
sorriso de marfim
assim é melanina
:
belíssima

*

haicai

líria porto

gotinhas de chuva
trêmulas –– presas às plantas
janela da sala

*

gari

líria porto

depois da chuva
o sol vem de sola
passa rodo –– seca
a rua

*

farol

líria porto

a poesia nos ajude
a reencontrar a liberdade
ainda que à tardinha

*

machismo

líria porto

o sol esconde o brilho
da estrela dalva

*

domingo, 19 de novembro de 2017

jurássica

líria porto

sou do tempo da pedra lascada
do nabucodonosor do matusalém
e doutros brotinhos

*

perversidade

líria porto

decepar-lhe as asas
com foice sem corte

condená-lo à sorte
da vida sem voos

proibir-lhe o canto
sequestrar-lhe a voz

forçá-lo a partir
de uma vez por todas

sem direito a nada
sem olhar pra trás

*

abrigo

líria porto

útero placenta
cordão d'umbigo
líquido amniótico
:
primeiro território

*

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

desdém

líria porto

fosses ficasses –– pouco mudaria
tuas presenças ausentes não são
companhia

*

(im)perfeições

líria porto

não quero rosas sem espinhos
venham com pétalas perfume
e orvalho

*

terça-feira, 14 de novembro de 2017

eixo

líria porto

percorre-me a coluna
uma dor aguda
com seus pés de pedra
:
esfacela-me as vértebras
e o orgulho

*

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

tanto

líria porto

menos que o máximo
mais que o mínimo
o necessário

*

perenes

líria porto

homens são como antúrios
podem cair-lhes as folhas
não a florescência

*

operário

líria porto

trilho caminhos difíceis
nasci para quebrar pedras alargar atalhos
cobri-los com paralelepípedos

*

pressão

líria porto

precisamos parecer felizes
mesmo quando o caos se instala e o mundo
vem abaixo?

*

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

descrédito

líria porto

verdadeira_mente 
quem diria –– o que ela sente 
toda a gente desconfia

*

sombra

líria porto

na ânsia de encontrar um amor
desdenhou o amor-próprio

*

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

tigre de bengala

líria porto

preciso pretendo
não tenho vigor

o tempo governa meu corpo
põe freio nas pernas reduz
minhas forças

(não me esperes)

*

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

mulher

líria porto

a lua atrás da cerca
metida dentro das galhas
a lua de tantas lendas
passava por entre as fendas
com sua luz emprestada

*

bagagem

líria porto

sonhei que perdera amá-la
e comia tamarindo

sabores azedo e amargo
enquanto levava a vida

(nem pensava em desistir)

*

fartura

líria porto

haja sal onde a língua
homens e gado tenham pasto
e o capim viceje

*

bagagem

líria porto

sonhei que perdera amá-la
e comia tamarindo

sabores azedo e amargo
enquanto levava a vida

(nem pensava em desistir)

*

di_vagar

líria porto

terceira idade
melhor idade
e nem bobagens
desse calibre
:
velhice mesmo
nenhum disfarce
e nem neblina
para o meu tempo
de liberdade
de ir comigo
para a fronteira
e de mãos dadas
com a bengala
da vida

(eu não sou vítima)

*

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

in_coerências

líria porto

lá no miolo do sonho
entre fatos muito antigos
e aflições do momento
medos desconhecidos
cacos do inconsciente

começo a puxar o fio
associar os detalhes
e tudo salta tão vivo
como se fosse num filme
da sessão da tarde

*

domingo, 5 de novembro de 2017

cu

líria porto

minério não dá duas safras
uns poucos colhem a riqueza
e a nós nos resta
o buraco

*

pá de cal

líria porto

já se escreveu sobre tudo
sobre nada
em prosa verso canção
então por que não desisto
insisto em buscar a palavra
que me leve às galáxias
à implosão do infinito
ao auto-extermínio?

*

sábado, 4 de novembro de 2017

deuso

líria porto

tornei-me meu personagem –– sou ficção verdadeira
acredito piamente em toda e qualquer bobagem
que invento sobre mim

*

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

páreo

líria porto

para justificar o embate
rival tem que ter cabedal
estar preparado pra luta
:
ganhar ou perder é do jogo
vencer fraco é covardia

*

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

puta velha

líria porto

tão bruta essa vida
essa luta insana
por sobrevivência

uns vendem o corpo
uns vendem a alma
(não tem salvação)

*

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

despeito

líria porto

quem nunca pulou a cerca
atire a primeira pétala

*

de_floração

líria porto

hímen complacente
eternamente virgem (e pecadora)
assim a poesia

*

imbróglios

líria porto

palavras que encolho
palavras que me escolhem
como garfo colher
uma faca

*

estigma

líria porto

as mulheres velhas
com os peitos murchos
anulam o sexo
ou quaisquer vestígios
de libido

cuidam dos netos
honram o falecido
frequentam as missas
rezam ladainhas
fazem crochê

e engordam a bunda

*

duas voltas

líria porto

maria vai co'as ostras
e seus colares
de pérolas

*

domingo, 29 de outubro de 2017

dependência

líria porto

quando às vezes perco os óculos
(na verdade perco os olhos)
eu –– mais cega do que nunca
vagueio pelos escuros
descarrilho
perco o rumo
do próprio pensamento

*

sábado, 28 de outubro de 2017

longevidade

líria porto

azeitar as engrenagens
massagear sentimentos

*

valores

líria porto

já vi cachorro e menino
fuçavam latas de lixo
dormiam sob a marquise

(gatos se viram sozinhos
perambulam nos telhados
caçam pássaros e ratos)

bezerros porcos cavalos
esses têm letras no couro
os donos não se descuidam

*

paralela

líria porto

perdi a mão para o verso
ando dispersa vazia
sequer escuto o chamado
que me faz a poesia

*

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

fantasia

líria porto

às vezes penso –– sou ilusão
do meu pensamento
:
miragem

*

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

identificação

líria porto

pensei-me lua
(romântica etérea estéril)
mudei de ideia –– eu sou a terra
(suas circunstâncias de fauna flora
altas temperaturas seca devastação
e conflito)
:
eu sou o mundo

*

domingo, 22 de outubro de 2017

antiguidade

líria porto

motor à manivela pintura avariada
assim devagarinho igual
um calhambeque
:
venci
a estrada

*

príncipes

líria porto

os sapos vêm para o beijo
os sapos voltam pro brejo

*