quinta-feira, 13 de agosto de 2020

13 de agosto

líria porto


o mundo de ponta cabeça
a gente de pernas pro ar
se desistir me enfraqueço
se resistir quebro a cara

eu vou do quarto pra sala
eu volto da sala pro quarto
o corredor me espiona
parado no meio da casa

preciso ter paciência
fazer desfazer remendar
já sei – a vida tem preço
e a hora do verso
é no caos


*

quarta-feira, 12 de agosto de 2020

incompleta

líria porto


cristalinos e amígdalas
vesícula apêndice um rim
útero ovários memória
equilíbrio juízo paciência
alguns dos dentes

:
faltam-me uns pedaços
nem por isso sou vazia


*

monotonia

líria porto

ontem pareceu-me domingo
hoje parece-me também
se amanhã for domingo
– sequência de dias inúteis –
o eixo do mundo emperrou
ou eu morri
e não sei

*

desgosto

líria porto


meus versos já foram doces
e até apimentados
depois se tornaram azedos
e estes versos amargos
são o retrato falado
de um tempo de fel na boca
dissabor
saliva grossa


*

profundidade

líria porto


uns passam ao largo
não prestam atenção
olham e não veem
outros atêm-se aos detalhes
percebem as linhas
as nervuras
perguntam interessam-se
querem saber mais


*

segunda-feira, 10 de agosto de 2020

extermínio

líria porto


se eu fosse autoridade
mandasse em alguma coisa
fazia plantar quaresmeiras
ou talvez pés de ipê roxo
onde houvesse covas rasas
(ou pelo menos no entorno)
pra que ninguém se esquecesse
que num tempo em minha pátria
(2020 - ano da pandemia)
existiu um desgoverno
(da cloroquina ao ozônio)
que não assistiu seu povo
permitiu e incentivou
que houvesse morte
em massa

*


sábado, 8 de agosto de 2020

bumerangue

líria porto


eu que amei doidos e putas
brumas e tempestades
confesso que nesta vida
também eu fui bem amada


*

fura-buxo

líria porto


a morte antecipada
de uma das suas flores
revelou-lhe o que sabia
não tinha nenhum preparo
para perdas prematuras
pras ciladas do destino
metido a inverter a ordem
:
esperasse a sua vez


*

sexta-feira, 7 de agosto de 2020

tom conselheiro

líria porto


segundo meu alter ego
poetas são tristes
(ou mal-humorados)
clamam da vida
do sofrimento
não riem de si
falam o menos possível
(e de preferência
mantêm silêncio)

mandei-o à merda
e agora na dúvida
(sou libriana)
:
fiz mal
ou fiz bem?


*

insônia

líria porto


eu era boa de cama
deitava e dormia

a pandemia bagunçou
meu lençol


*

quinta-feira, 6 de agosto de 2020

desprezíveis

líria porto

os ricos são péssimos
(os homens de bem)
só têm compromisso com o lucro
e reservam ao resto do mundo
seu asco veneno
e dejetos

(os podres de ricos)

*

vergonha

líria porto

o cheiro de amônia na cama e na alma
mamãe e os demais a chamarem-me mijona
eu tinha vontade morrer mas o sonho era maior
e crescer
a saída possível

terça-feira, 4 de agosto de 2020

agora

líria porto

o antes já se foi
e o depois
quem garante?


*

sexta-feira, 31 de julho de 2020

falastrão

líria porto


quem não diz a verdade
rasura tanto as palavras
e depois remenda-as


(mal 
e porcamente)


*

responsabilidades

líria porto

as palavras  quase todas
pesadas medidas adequadas
funcionam como carimbo
são ferros que marcam o gado

*

dona dona

líria porto


engoliu a voz
guardou as palavras consigo
e pedia com os olhos
e agradecia com sorrisos
e a partir desse dia
só falou por escrito


*


empatia

líria porto

cada qual – plural e singular
multiplica-se ou se divide conforme
a circunstância

*

quarta-feira, 22 de julho de 2020

legado

líria porto

minha mãe me deixou de herança
uma asa extirpada de anjo
e uma dor nas costas

essa dor se me monta à cacunda
e é sem dó que me finca
a espora

*

terça-feira, 21 de julho de 2020

inferioridade

líria porto

era um homem pequenino
com intensa preferência
por mulheres grandes
:
nem olhava o caráter
a personalidade
bastava-lhe a altura
a largura
os peitos e a bunda
grandes

um dia
foi esmagado
pelo bico do sapato
de alguma madame

*

quinta-feira, 16 de julho de 2020

incompletude

líria porto

era um sonho recorrente
talvez mesmo um pesadelo
na subida do colégio
com uniforme impecável
e livros a tiracolo
perceber os pés descalços
e não haver tempo hábil
pra voltar
              pra prosseguir

*

sexta-feira, 10 de julho de 2020

limites

líria porto

a vida
um corredor
melhor
quanto mais largo

*

quinta-feira, 9 de julho de 2020

parceiro

líria porto

é que aqui o vento urra
e eu que adoro o vento
mais e mais o estimulo
urra vento urra muito
que estou a ficar surda
:
e aí o vento zune

(zune
e uiva)

*

regressão

líria porto

o poeta nasce velho
demonstra sabedoria
já maduro ele adolesce
apaixona-se pela lua
passa o tempo
passa o vento
re_conhece a meninice
engatinha até as nuvens
suga as tetas da montanha
olha tudo com espanto
mergulha no próprio
umbigo

*

quarta-feira, 8 de julho de 2020

moça-velha

líria porto

a flor regateira
na beira da estrada
que sobe o barranco
nem pede licença
que nasce ali mesmo
na chuva
na seca
é a flor predileta
dos filhos da terra
e dos andarilhos

*

segunda-feira, 29 de junho de 2020

a dança

líria porto

a vida fosse um tango
e mal não haveria que me conduzisses
mas viver é um bailado solo
:
eu me vire
tu te conformes

*

domingo, 28 de junho de 2020

bagunceiro

líria porto

o vento
ô moleque malcriado
chuta a porta espalha o cisco
faz de mim gato
e sapato

*

aterrissagem

líria porto

o tempo como uma águia
voa rápido vai tão longe
todos nós em suas garras

quando chega a nossa hora
entrega-nos a um paraquedas
que não se abre

*

sexta-feira, 26 de junho de 2020

carnívoro

líria porto

o louva-a-deus é voraz
devora sem piedade
moscas baratas passarinhos
serpentes gafanhotos mariposas
borboletas joaninhas grilos
lagartixas
e prefere comê-los
vivos

(em nome de deus
o diabo)

*

registro

líria porto

no fatídico ano de 2020
um tal corona vírus
–– pelo conluio e/ou omissão das autoridades constituídas ––
contaminou e matou milhões de homens e mulheres
e sepultou em covas comuns
–– sem a presença da família e dos amigos ––
suas pobres carnes

*

quinta-feira, 25 de junho de 2020

apartamento 903

líria porto

estou numa bolha
e dentro dela
a orquídea a cebola
o fogão a panela
os livros os papéis
as notícias da morte
a cama as cobertas
a saudade dos netos
e o tempo que passa
inexorável
:
no espelho
uma velha

*

afazeres

líria porto

se penso que sou minha escrava
estou muito enganada

faço o que quero
quando quero
como quero
e se não ficar do meu agrado
eu me dane

*

domingo, 21 de junho de 2020

peleja

líria porto

ao nascer sobrevivi
pra viver –– muitos tropeços
e morrer ninguém garante
possa haver algum
sossego

*

sábado, 20 de junho de 2020

crateras

líria porto

o dedo podre do chefe
seleciona auxiliares
entre os piores canalhas
com eles promove estragos
e transforma nossa pátria
num terrível cemitério

*

quinta-feira, 18 de junho de 2020

sonetinho pandêmico coletivo

líria porto

deitar ao relento
cobertos por terra
sob o olhar da estrela
nosso sono eterno

última aventura
sequer algum plano
e na companhia
dessa gente estranha

(tal qual fosse guerra
todos condenados
à morte sumária

uma pá de cal
a terra por cima
a gente debalde)

*

tititi

líria porto

tal cobra venenosa
a língua bipartida
da maledicência

*

quarta-feira, 17 de junho de 2020

dona de casa

líria porto

nunca foi uma brastemp
não almejava ser máquina
nem modelo para nada
tinha medo de robôs
e desprezo por maridos
esses ladrões
de energia

*

segunda-feira, 15 de junho de 2020

dos pesos e desmedidas

líria porto

rica
bonita
talentosa
e a outra
dio santo
desamada
desprovida

) vário
é o desígnio
do adeus (

*

nativa

líria porto

se eu for enterrada
plantem um ipê amarelo
sobre a cova rasa

se me cremarem
depositem-me as cinzas
aos pés da sibipiruna

*

baixo clero

líria porto

em nome de deus
a mando do diabo
a caquética política
veste farda

(brasil
velório coletivo
sepultamento em massa)

*

sábado, 13 de junho de 2020

enfermos

líria porto

quando a vida mastiga os corpos
a morte tem piedade

*

fernando

líria porto

quisera alisar a tua calva
deixar que teus bigodes me fizessem cócegas
trair-te com teus heterônimos

*

sexta-feira, 12 de junho de 2020

con_finados

líria porto

o acampamento
é bom por uns tempos
quebras a rotina
expandes o espírito
mas a volta aos trilhos
por mais necessária
ela acaba sendo
o teu caminhar
sobre a navalha
:
estás por um f(r)io

*

quinta-feira, 11 de junho de 2020

muralhas

líria porto

em nome do progresso
os homens plantam prédios
caixotes de concreto
empilham as janelas
estendem as paredes
impedem nossos olhos
de irem além
do nariz

(de pouco em pouco
um rato come
       meu horizonte)

*

sexta-feira, 5 de junho de 2020

homilia

líria porto

a pomba gorducha
da dona beata
armava a garrucha
do senhor vigário
que todo domingo
lá na sacristia
comia-a e louvava
a ave maria

*

quarta-feira, 3 de junho de 2020

seirabeira

líria porto

a flor que outra flor me trouxe
tão rubra quão seus cabelos
aquela veio em buquês - a outra
é a mãe do pedro

*

contraponto

líria porto

sou maria vai co'as ostras
sempre à procura das pérolas
as legítimas –– tão difíceis
não as outras
feitas em laboratório
como os falsos democratas
(oportunistas golpistas)
que ora formam manadas
travestem-se de patriotas
e assinam manifestos
depois de terem apostado
no que há de pior
mais nefasto
ao futuro e ao país

(nós os conhecemos
e não é de hoje
:
golpeiam os trabalhadores
retiram-lhes os direitos
não hesitam em usá-los
- desempregá-los -
ou apertar-lhes o cinto
em nome da economia
e do mercado)

*

terça-feira, 2 de junho de 2020

calma

líria porto

jacarés no alagado
dormem - parecem pedras
a água se move ao lado
as asas da borboleta

nuvens passam
lavam o azul

*

desfile

líria porto

do alto da sua pose
a girafa me desdenha
não sou como aquela moça
que brilha na passarela
que passa como se fosse
a mais bonita gazela
a rainha do universo

*

sopro

líria porto

o vento
é o fio condutor
do frio

*

fome

líria porto

ante a frieza
a poesia congela
não tem comida na mesa
só esse grito
na goela

*

haicai

líria porto

a lua crescente
igual papoula amarela
plantada na treva

*

haicai

líria porto

luas perambulam
flutuam na escuridão
atrás dos planetas

*

desmito-o

líria porto

comparo nero com naro
e sem pôr a mão no bolso
taco fogo no ignaro

*

musical

líria porto

as lâminas da persiana
(qual teclado de piano)
dedilhadas pelo vento

*

displicência

líria porto

empurra co'a barriga
depois perde a cabeça
e paga alto preço
pela preguiça
:
está sempre
em dívida

*

quarta-feira, 27 de maio de 2020

auriga

líria porto

a vida é uma égua
que puxa minha carroça
a morte maneja as rédeas

*

sexta-feira, 22 de maio de 2020

esvaziamento

líria porto

tão sem poesia
meu verso
arremedo de ironia e medo
ao arrepio da letra
faz silêncio

*

a odontóloga

líria porto

a moça
com todo o aparato
tal qual astronauta
no meu céu da boca
sondava as crateras
por onde caminha
a dor
:
achou-a
num
canal
estreito

*

machão

líria porto

há uma espécie de gajo
que puxa o saco do chefe
desconsidera as mulheres
escraviza os subalternos
e mora dentro
                     do armário

*

cautela

líria porto

negaram o mar aos mineiros
em compensação
além das montanhas
dos campos
temos queijo goiabada
fogão de lenha
e poupança

*

domingo, 17 de maio de 2020

origem

líria porto

eu já sabia
o endereço
da avó maria
mas lá não ia
sua pobreza
me incomodava
e eu morava
naquele bairro
de gente besta
onde as pessoas
ignoravam-me
por eu ser preta

*

sábado, 16 de maio de 2020

elas

líria porto

às divas os divãs
às marias o fogão
o tanque
a pia

*

comunicado

líria porto

tu não sabias –– pois saibas
quem me cura da agonia de viver
é a poesia

*

16 de maio

líria porto

partiu malu
à segunda década
(definitiva)
entrou menina
(maricota)
sairá mulher
(maria luiza)
autônoma
dona absoluta
dos seus dias
:
beijos
meu amor
(da vovozinha)
sê feliz

*

quinta-feira, 14 de maio de 2020

bunda lelê

líria porto

amigos me seguem
um vírus me persegue
filhas e netos telefonam-me
porém quem me faz companhia
(livros lápis papel poesia)
é esse mau jeito acidulce
de fazer piadinha

*

terça-feira, 12 de maio de 2020

incompreensível

líria porto

sou a ovelha grega da família
o que digo ninguém entende

*

in_capaz

líria porto

em tudo fui leiga
legal umas vezes
noutras ilegal
da morte sei pouco
da vida quase nada
nem o necessário
pra sobrevivência

*

segunda-feira, 11 de maio de 2020

haicai

líria porto

em tempos de vírus
com o coração nas mães
saudades dos filhos

*

apelo

líria porto

façamos de conta
que o baile é de máscaras
e dancemos sem par
por enquanto

*

perversos

líria porto

têm bílis nas veias
têm sangue nos olhos
veneno entre os dentes
e seus descendentes
e seus aderentes
têm ódio desprezo
pelo saber a ciência
e os pobres

seu deus
o dinheiro

sua intenção
o extermínio

até quando?

*

sábado, 9 de maio de 2020

delícia

líria porto

orquídeas assim
tão brancas
lembram-me flores de coco
doce que mamãe fazia
com a fruta in natura
fatiada bem fininha
numa plaina

açúcar água as fitas
até dar ponto de bala
depois com a colher de pau
batia-as bem e pingava-as
na mesa de mármore

*

per si

líria porto

um vírus emparedou-nos
estamos dentro de casa
prisioneiros de nós mesmos
guardiões do próprio cárcere

(quem não trabalha não come
quem suja limpa)

*

sexta-feira, 8 de maio de 2020

apocalipse

líria porto

num ano bissexto
(o ano da besta)
um ser turbulento
além da doença
dor e sofrimento
causou a desgraça
a pobreza a tristeza
de um povo inteiro
então sepultado
(verde e amarelo)
sem reza sem bênção
em cova rasa

*

quarta-feira, 6 de maio de 2020

insaciável

líria porto

dom juan tinha uma tara
além de encher a cara
depois de esgotar a vara
entre as pernas das mulheres
dormia de cor-de-rosa
com um lindo baby doll
colado em algum marmanjo
que usasse barba
e bigode

*

terça-feira, 5 de maio de 2020

entrelinha

líria porto

puta que me pari
parto sem dor

*

sexta-feira, 1 de maio de 2020

haicai

líria porto

janela da sala
meia lua no horizonte
papoula amarela

*

quinta-feira, 30 de abril de 2020

beco

líria porto

saio da avenida
para cair na esbórnia

quarta-feira, 29 de abril de 2020

confinamento

líria porto

levei tão ao pé da letra
isso de ficar em casa
a rua é outro planeta
irei só paramentado
(armadura emu escafandro)
pra evitar a mortalha

*

sexta-feira, 24 de abril de 2020

farda

líria porto

o vírus veste verde
tem ventosas cor-de-rosa
patente de capetão

*

vagalhão

líria porto

os velhos os avós as viúvas
e o vírus voraz a vogar suas veias
a vergar-lhes as vértebras

*

quinta-feira, 23 de abril de 2020

tantã

líria porto

faltam-lhe parafusos
ou talvez sobrem minhocas
naquela caraminhola

*

quarta-feira, 22 de abril de 2020

apagão

líria porto

tão ocos quanto a cabeça
os fios dos seus cabelos
sem pigmento

*

terça-feira, 21 de abril de 2020

luxo

líria porto

o arco-íris sobre os ombros
vez em quando enrolo-o ao pescoço
faço um turbante serve-me de canga
cubro minhas vergonhas

quem tem um arco-iris
pode sentir-se
afortunado

*

domingo, 19 de abril de 2020

pílulas

líria porto

poesia também é remédio
ora doce ora amargo
pra quem lê
pra quem escreve

*

coleta

líria porto

caetana bate à porta
eu lhe digo –– vai-te embora
teu lugar não é aqui
daqui não saio nem morta
vai buscar o indevido
que deve estar lá na rua
a espalhar epidemia

*

sexta-feira, 17 de abril de 2020

viagem

líria porto

se eu pudesse
botava o pé na lua
andava entre as crateras
da face oculta

*

quinta-feira, 16 de abril de 2020

indigesta

líria porto

sonhei que era a baronesa
servida à mesa do barão
:
ele me comia e lambia os beiços
sugava dos meus peitos
suco de limão

*

pores de sol

líria porto

as janelas da minha juventude
da maturidade e da velhice –– todas elas viram
o crepúsculo

*

quarta-feira, 15 de abril de 2020

poda

líria porto

a ponta da minha pena
mais parece um bisturi

*

desembarque

líria porto

evito-a mas não fujo dela
nem me agarro demais à vida
irei quando chegar a hora
porém acho um desperdício

*

aperto

líria porto

minha vida
um fusquinha vermelho
que eu mesma dirijo
:
sou tantas em mim
que mal nos cabemos
no espaço restrito

(necessito limusine
ou trem nos trilhos)

*

horizontal

líria porto

a cama me acolhe me acalma
em seu aconchego é que chego
lá dentro da alma
:
em sonho

*

terça-feira, 14 de abril de 2020

papai

líria porto

luana é a rosa
luana é a flor de abóbora
luana é a menina dos olhos
do poeta babão

*

nudistas

líria porto

o casal de velhos
a jogar peteca
o bilau e a mama
não paravam quietos

*

domingo, 12 de abril de 2020

puto

líria porto

não posso pisar na poça
nenhum passo
meu pai – possesso
impõe-se
portanto preciso
de uns pés de pato
e paciência

*

sábado, 11 de abril de 2020

oral

líria porto

quem tem boca vai a roma
mas também vai a paris
ao subúrbio ao dentista
ao restaurante
ao bar da esquina
ou simplesmente sorri
fala canta lambe declama
beija
boceja
pragueja
xinga cospe
mostra a língua

*

óbito

líria porto

morte matada ou morrida
nas gripezinhas da estrada

*

noz

líria porto

coração é castanha
e a pele
            casca dura

*

tromba-d'água

líria porto

para não chorar
rio-me
oceano-me
evaporo-me
desabo
cúmulo-nimbo
temporal

*

noz

líria porto

coração é castanha
e a pele
casca dura

*

quinta-feira, 9 de abril de 2020

falta

líria porto

menino
tua ausência
faz barulho
principalmente
aos domingos

*

noitada

líria porto

dei de perder o sono
porém de olhos fechados
eu permaneço na cama
engano o anjo da guarda
:
ele adormece eu escapo
vou vadiar co'os diabos

*

segunda-feira, 6 de abril de 2020

infelizes

líria porto

quem eu quero não me serve
quem espero não me alcança
e assim prosseguimos
sozinhos
:
não nos contentamos
com os medíocres

*

domingo, 5 de abril de 2020

desapontamento

líria porto

a vida se tornou
uma frustrante esteira
elétrica

a gente anda corre
sua cansa e não sai
do lugar

*

nariz

líria porto

vulcão de lava homicida
carregada de vírus

*

eleva_dor

líria porto

a caixa que me sobe
do térreo ao nono andar

a caixa que me desce
do céu para o inferno

a caixa é uma escada
sem degrau

(a caixa federal)

*

duração

líria porto

nasceu homem / alma de homem
nasceu mulher / alma de mulher

nasceu homem / alma de mulher
nasceu mulher / alma de homem

nasceu sem alma
quis ser a mulher do rei
o homem da rainha
quis ser mais do que era
ter mais do que tinha

nasceu
tem que morrer

*

sexta-feira, 3 de abril de 2020

estranha

líria porto

moro de parede meia com dona esquisita
eu de cá do espelho –– ela de lá

*

passatempo

líria porto

eu olho a nuvem passar
as suas formas humanas
uma cabeça sem corpo
um velho parece morto
o perfil de uma mulher

eu olho a nuvem passar
e ela aos poucos se encorpa
fica cinzenta disforme
em pouco cai –– chuvarada
fecho a janela e a porta

escuto a chuva chover

*

providência

líria porto

quando o diabo aparece
é um deus nos acuda

*

confinamento

líria porto

meu olhar pula a janela
circula entre nuvens ruas e avenidas

os olhos acomodam-se nas órbitas
ocultam-se detrás das pálpebras
consolam-se pelas páginas dos livros
já não olham noutros olhos

*

quinta-feira, 2 de abril de 2020

limpos

líria porto

prafrentex moderninha
(minissaia batom rímel)
namorava todo mundo
mas fumante –– impossível
a cabeça tonteava
o estômago dava embrulhos
tinha inveja das amigas
das irmãs que conseguiam
baforadas de fumaça
elegância de atrizes

(no vexame do passado
os pulmões sem nicotina)

*

quinta-feira, 26 de março de 2020

justiceiro

líria porto

o corona vírus
mata mais homens que mulheres
(quase três quartos)

talvez ele pretenda
purificar a espécie – entregar-nos
o comando

deixará alguns jovens reprodutores
muitas mulheres férteis
e as crianças

*

sexta-feira, 20 de março de 2020

cela

líria porto

ninguém entra ninguém sai
e quem fica sente medo
pra vencer esta guerrilha
contra o vírus
o mau governo
cada qual se organize
realize o que precisa
e ajude seu vizinho
sem invadir-lhe
as paredes

*

desmandos

líria porto

crimes de responsabilidade
afronta aos poderes
defesa da ditadura e dos torturadores
envolvimento com a milícia
queima de arquivos
ataques aos indígenas
preconceito racial
misoginia
homofobia
entreguismo
ignorância
difusão de fake news
má administração do recurso público
desmonte da educação da cultura
do estado de direito
desrespeito à população pobre
à democracia
:
que mais???

*

fantasia

líria porto

se eu esperasse um príncipe
seria o desencantado

*

haicai

líria porto

água cristalina
a descer por entre as pedras
o rio em seu leito

*

confinamento

líria porto

um vírus vira do avesso
razões de azar e de sorte
as crianças têm mais chance
velhos somos noves fora

(passei ferrolho na porta)

*

passagem

líria porto

os barcos de caronte
sem canoeiro e sem
viv'alma
:
chegaremos
à terceira 
margem?

*

chiqueiro

líria porto

em circo
e circunstâncias
à porta do palhaço
o vírus circulava
passava dos limites
rasgava a carta magna

*

encontro

líria porto

eu não ignoro a morte
também não lhe dou muita bola
olho-a sem muito interesse
ela igualmente me olha

(alguma espécie de flerte
um dia marcamos
a hora)

*

invisibilidade

líria porto

dor tão doída
gemido concreto
na pança da pedra
:
cólica dos muros
lamento na panela
dos famintos

(

todo cuidado é pouco

líria porto

se o vírus vier
minha porta estará fechada
mas porém tem uma fresta
(uma fera?)
por onde penetram
as pragas

*

abatimento

líria porto

igual
peru de véspera
:
síndrome vasovagal
labirintite
ansiedade
queda de pressão
acabrunhamento
ou a garrafa de cachaça
que de ontem para hoje
perdeu conteúdo?

*

segunda-feira, 16 de março de 2020

isolamento

líria porto

nosso novo hábito
que nem freiras na clausura
sem visitas íntimas

*

castigo

líria porto

uma dor danada
na ponta do dedo médio
o malcriado mantém-se ereto
no punho fechado
:
tem um grão do inferno
dentro da falange

*

domingo, 15 de março de 2020

quarentena

líria porto

de costas para o sol
de cara com a minha sombra
entendo a solidão

*

haicai

líria porto

logo de manhã
roupa branca no varal
cheiro de lavanda

*

sábado, 14 de março de 2020

capetalismo

líria porto

um diabo irresponsável
a comandar os desmandos
:
o demônio é tão perverso
que só quer alimentar sua tara por dinheiro
sua gana por vantagem
e lucro

*

quinta-feira, 12 de março de 2020

es_fera

líria porto

a terra em volta do sol
a lua em torno da terra
só de pensar entro em órbita
fico zonza fico tonta
pois sei – a terra é redonda
no formato de uma bola
não de um disco
de vinil

*

segunda-feira, 9 de março de 2020

cloaca

líria porto

as galinhas botadeiras
têm o cu arregaçado
e ainda existe o galo
tão inoportuno

(ô derrota)

*

d'angola

líria porto

as galinhas do pau oco
vestem roupas pintadinhas

*

estação

líria porto

na mocidade
inquietudes brabas
aquele riscado prévio

agora
o que vier é lucro
e o que não vier
paciência
:
(tivemos o bastante)

*

mulher

líria porto

um dia por ano
não é homenagem
é ofensa

*

haicai

líria porto

a goela do galo
trombeta da escuridão
surta à madrugada

*

sábado, 7 de março de 2020

viagem

líria porto

aprendi a ler sozinha
(mulheres não deveríamos)
e tudo que descobri
era maior que minhas pernas
meu coração e meus olhos
:
sentada
livro no colo
num pulo só
do polo sul
ao polo norte

(ao infinito)

*

sexta-feira, 6 de março de 2020

bem feito

líria porto

andava atrás de ti
seguia-te por todo canto
porém quando desistiu
ficaste incomodado
:
então pediste imploraste
passaste a admirá-la
não te deu
colher de chá

*

sábado, 22 de fevereiro de 2020

astros

líria porto

sol luminoso
lua iluminada
dias e noites
no infinito
do palco

*

boxe

líria porto

o vento ruge
o sol abaixa o facho

o vento abranda
e o sol volta com tudo

*

haicai

líria porto

sobre o rio negro
qual barquinho de papel
a lua crescente

*

luto

líria porto

a viúva chora
usa um manto de graúna
durante o velório

*

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

alvo

líria porto

o branco é predador
captura as cores todas
travestido de pureza

*

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

nêmesis

líria porto

a deusa da vingança e da justiça
aja exemplarmente contra o mito
e seus sinistros

(é questão de tempo)

*

terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

sobrecarga

líria porto

o marido os nove filhos
(desjejum almoço jantar
merenda dever de escola)
os cuidados com a casa
roupas limpas e passadas
as quitandas de domingo
pamonhas
mingau de milho
as visitas da família
dos amigos do meu pai
os hóspedes
um café atrás do outro
pia sempre abarrotada
(e amor e carinho
e gentileza)

entre escrava e heroína
como é que aguentava
como e quando conseguia
os crochês e os bordados
:
teria varinha mágica
sabia fazer milagre?

*

domingo, 16 de fevereiro de 2020

cova

líria porto

eu vou eu venho
eu quero eu tenho
porém o futuro
é igual um furo
um buraco negro
que engole tudo
(até a insolência)

*

bailado

líria porto

entre o berço e a tumba
é que a vida dança

*

pêndulo

líria porto

o mesmo coração
ora ama ora odeia
ora ama ora odeia

*

combinação e anágua

líria porto

marizete dorme com márcia
era casada com jackson
apanhou sofreu demais
não quer mais saber de macho

as duas se acertam
uma gosta de arroz
a outra de feijão
acrescentam a farofa
a salada o ovo frito
e vão vivendo

estão juntas já faz tempo

*

sábado, 15 de fevereiro de 2020

bola de vidro

líria porto

com o dólar a cinco reais
(eu sempre me antecipo)
confesso-lhes
:
não terei um puto

*

espuma

líria porto

adolescente
arrogante e magricela
perguntei ao médico
o que era bom para a memória
(achava-me aluada)

não comprei o remédio
encorpei-me
mas ainda hoje
lembro-me da resposta
"levedo de cerveja"

velha
com a cabeça aos cacos
pergunto-lhes humildemente
:
quantos copos
latas ou garrafas
e de qual marca?

*

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020

desmonte

líria porto

quanto mais me descontruo
melhor me preparo
para o túmulo

a catástrofe

líria porto

a meio metro um do outro
falamo-nos pelas pontas dos dedos

nossa língua – o esquizofrenês
bipartida como a das víboras
espalha xingatórios palavras vazias
notícias sem fundamento

hoje em dia idiotas são ministros
e não temos onde esconder a cara

nossa sala de visitas
é um velório

*

malícia

líria porto

o cadáver
mergulhado
em sangue
:
no palácio
o cardápio
era frango
ao molho
pardo

*

domingo, 9 de fevereiro de 2020

lacre

líria porto

irei irás – todos nós
se nasceu está fadado
:
quem fez fez
quem não fez perdeu a chance

*

contratempo

líria porto

o corpo
morada provisória
irrisória
deteriora-se
piora com o passar dos anos
e não se presta a reformas

*

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

haicai

líria porto

a chuva fininha
tamborila na vidraça
canções de niinar

*

pele de galinha

líria porto

eu tenho mãos muito velhas
as minhas são mais antigas
que as mãos da avó
de eva

*

inundação

líria porto

a chuva da temporada
não chegou em pingos gotas
veio em baldes em bacias
em tanques e caixas d'água
atirados de uma vez
como rios caudalosos
rios verticais

*

sábado, 1 de fevereiro de 2020

períodos

líria porto

infância boa
adolescência maçante
maturidade árida

a velhice é outra espécie
de meninice

*

quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

(des)ocupação

líria porto

sucedem-se os dias
rugas se aprofundam
o mundo abre vagas
pra substitutos

(a fila
          caminha)

*

sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

extração

líria porto

um grão brotou-lhe à cabeça
queria fincar raiz
grãos existem para a terra
pensamentos são etéreos
nasceram para ser livres

*

sábado, 18 de janeiro de 2020

e agora josefa?

líria porto

com ou sem vontade
vamos todas para o inferno
nem laura nem beatriz escapam

[inspirado na poesia de Carlos Drummond de Andrade]

(para o livro sem pecado não tem salvação) pensão

líria porto

antes chegava sem jeito
pedia licença sentava-se
só depois de algum tempo
ficava nu

agora já vem sem roupa
come o que vê pela frente
(cru e cozido)

não agradece
                   nem paga

*

(para o livro sem pecado não tem salvação) mal-agradecido

líria porto

cuspiu n'eu
na prata que comeu

*

quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

subterrâneos

líria porto

debaixo da pele
nos recônditos do corpo
desejos vontades incômodos

*

pestana

líria porto

o cochilo no sofá
tão ou mais revigorante
que a noite inteira
na cama

*

quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

abusador

líria porto

desce-lhe o pau de todas as formas
com a língua com o braço
e com o próprio

*

sábado, 11 de janeiro de 2020

irmãs

líria porto

os hábitos de algodão
das freiras do meu colégio
mais alvos que suas almas
assombravam o dormitório
do internato

*

sexta-feira, 10 de janeiro de 2020

natimorto

líria porto

meio século depois
ainda agora pergunto-me
teria sido um bom filho
um homem correto
justo?

*

segunda-feira, 6 de janeiro de 2020

helena

líria porto

as mulheres belas
admiradas por gregos e troianos
envelhecem tristonhas
:
as mulheres feias
nunca alimentaram a ilusão
do eterno

*

economia

líria porto

rica podre de rica
–– cofre engolidor de moedas ––
sovina qual mão de vaca

*

domingo

líria porto

cama e chuva - perfeita sintonia
a gente se irmana com a coberta
o travesseiro e a preguiça

*

escuridão

líria porto

é ter uma paixão secreta
sem ao menos saber por quem

*

extensão

líria porto

nas costas nos joelhos nas juntas
as dores próprias dos velhos
ressoam como calúnias

*

(para o livro sem pecado não tem salvação) aventura

líria porto

fiz
gostei
não me arrependo
farei outras vezes
se encontrar parceiros
à altura
:
ninguém se arrisca
por qualquer um

*

terça-feira, 31 de dezembro de 2019

lentamente

líria porto

há quem se consuma em fogo alto
(eu me cozinho em banho-maria)

*

segunda-feira, 30 de dezembro de 2019

(para o livro sem pecado não tem salvação) ceia

líria porto

é quando alguém te come
da cabeça aos versos

*

domingo, 29 de dezembro de 2019

ossada

líria porto

o esqueleto que mora em mim
saúda o esqueleto de todo mundo

no fundo no fundo
somos muito parecidos

(pra quê orgulho?)

*

sábado, 28 de dezembro de 2019

(para o livro sem pecado não tem salvação) assim

líria porto

que nem abacaxi
gostosa e difícil
de descascar

*

clímax

líria porto

a língua lâmbida
vai pela pelve
tão de_vagar
chega num ponto
que a dona sobe
pelas paredes
(nem sabe como)
depois despenca

*

autodestruição

líria porto

começas pela ingesta de açúcares
amidos suspiros gorduras
aperitivos bebidas laticínios
(a ilusão das delícias)
e empurras teu corpo disforme
hipertenso
para o fundo do poço
e entalas
qual fosses rolha
e morres de medo
e desgosto

*

sexta-feira, 27 de dezembro de 2019

grandioso

líria porto

amor
nosso par
era ímpar

*

dosagem

líria porto

tudo é bom com parcimônia
sal açúcar bebida pimenta fritura
sexo

*

corte

líria porto

a morte é bruta abrupta
como um rapto –– um coito
interrompido

*

bisturi

líria porto

daqui por diante
a ponta da minha pena
será cortante

*

irresponsabilidade

líria porto

foi fazendo tudo errado
do pior jeito possível
quando deu co'os burros n'água
pôs a culpa em deus no diabo na mulher
e até nos filhos

(o pudim 
de cachaça)

*

terça-feira, 24 de dezembro de 2019

o poeta

líria porto

com tesão
compulsoriamente
versos bons versos ruins
porém nada é desabafo
válvula de escape
hipocrisia

escreve como quem morre
e ressuscita

*

definição

líria porto

espírito natalino
é próprio o espírito do porco
com maçã na boca

*

segunda-feira, 23 de dezembro de 2019

de amor e gigolagem

líria porto

homens de mãos calejadas
fecundam a terra
que lhes agradece e dá-lhes
–– qual mulher amorosa ––
arroz com feijão
frutas flores
e fartura

homens estéreis
egoístas
incendeiam as matas
as florestas
violentam os rios
tentam explorar a terra
transformá-la em prostituta

*

domingo, 22 de dezembro de 2019

revestimento

líria porto

vou bordar minha mortalha
(só morro depois)
preciso aprender esse ofício
porém não me enterrem com ela
(um lençol serve)
guardem-na como relíquia
ou livro escrito
em papiro

*

idiotia

líria porto

oh terra plana
cercada de (ô)laivos
por todas as bandas

*

presságios

líria porto

quem diz que poeta alucina
não sabe –– a nossa sina
é pressentir e entoar

*

errante

líria porto

não vi o cometa halley
(esperei muito por ele)
porém vi um meteoro
uma bola incandescente
do tamanho de um farol
despencar ante estes olhos
(que a terra vai devorar)
e deixar desgovernado
traçado no céu aberto
um rastro trêmulo

*

sábado, 21 de dezembro de 2019

mudanças

líria porto

descendo de macaco
subindo para humano
encontro-me no ponto
da (r)evolução

*

sexta-feira, 20 de dezembro de 2019

meia-tigela

líria porto

amava o marido
com o amor possível
tal como as mulheres
que nutrem paixões
pelo chefe

(nem lá e nem cá
foi feliz)

*

segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

balcão

líria porto

a velhice e a juventude trocaram
cólica por dor nas costas
e nas juntas

*

filha

líria porto

se eu morrer de propósito
por fraqueza ou covardia
eu te imploro –– não desistas
toma meu lugar e pune
o algoz
o inimigo

*

domingo, 15 de dezembro de 2019

vampiras

líria porto

ervas daninhas
subterrâneas malignas
invadem nossos jardins
tentam sugar das raízes
a beleza o vermelho
o perfume

(começo meio
e fim)

*

(para o livro sem pecado não tem salvação) incompatibilidades

líria porto

teus penhascos meus abismos
tu não me tapas os buracos –– eu não ascendo
a teus píncaros

*

toupeira

líria porto

pensa norte vai pro sul
e assim –– sem direção
da c'os burros n'água

(toda hora
uma topada)

*

sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

haicai

líria porto

as goelas dos galos
espetam a madrugada
seus agudos dardos

*

impertinente

líria porto

pirralha punha o dedo
na ferida dessa gente

*

solavanco

líria porto

acima da nuvem
abaixo do azul
a estrada vácuo
da aeronave

*

retorno

líria porto

dei de me cansar
e hoje só quero
ficar na rede
aninhar meus netos
rever a lua
e as estrelas

(amanhã eu volto a falar mal
do governo)

*

fotografia

líria porto

a nuvem passa ligeira
eu a congelo num click
nunca mais seria a mesma
se passasse em brancas nuvens

*

acenos

líria porto

toda hora a cena muda
toda hora a cena fala
toda hora a cena grita
toda hora a cena cala

*

(des)conforto

líria porto

a pele dos velhos
frouxa para o corpo
como roupa larga

*

em cruz ilhada

líria porto

meu passo sem mim
mau passo que assim
conduz-me a lugar algum

*

reflexão

líria porto

deixou-te
pode ser que um dia volte
vais querê-lo?

o contexto agora é outro
nós ficamos diferentes
era bom
porém nem sempre
o que foi tão atraente
sobrevive à distância

(o tempo vira as páginas)

*

domingo, 8 de dezembro de 2019

fumante

líria porto

poluía-me até a alma
mas eram tão bonitas as baforadas
os anéis de fumaça

*

paixão

líria porto

fio desencapado
plugado em alta
voltagem

*

poliglota

líria porto

muitas línguas em sua boca
a sua língua na minha

*

sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

{[( )]}

líria porto

entre parentes
colchetes e chaves
resolvo impertinências

*

deus do céu

líria porto

prometeu-me
a melhor comida
que jamais teria

(cumpriu a promessa)

mordeu meus lábios
lambeu-me os mamilos
fez tremer-me as carnes

(fui pro paraíso)

*

quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

arrogância

líria porto

um olhar de paisagem
incapaz de ver alguém

*

filhas

líria porto

flores de cacto
não se machucam
com espinhos

*

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

saci

líria porto

o moleque
o seu pé de vento
vai na disparada
esparrama o cisco
e as folhas secas
da dona que varre
a porta de casa

*

espeto

líria porto

bem ou mal passado
ovo acebolado ovo à milanesa
ovo a cavalo

*

medalha

líria porto

o único lugar
a condecorar-me
(tive esta honra)
foi o bar do ferreirinha
em caicó

(sertão do rio grande do norte)

*

sozinha

líria porto

tem a própria companhia
das muitas que a habitam
dos seus livros dos seus grilos
das perguntas que se faz
dos amigos virtuais
(e imaginários)
e dos seus próprios fantasmas

(não se sente solitária)

*

domingo, 1 de dezembro de 2019

sacrifício

líria porto

a vida
esse calvário
(uma coroa de espinhos)
a gente se crucifica
sangra por dentro
por fora
ao ponto do autoextermínio
do alívio que não vem
:
ninguém nos sabe

*

sexta-feira, 29 de novembro de 2019

rachadinha

líria porto

as sementes
renasceram
floresceram
mas cadê?

onde há gente
distraída
ladrão entra
tem vantagem

é preciso
faro fino
atenção
e muita guarda

que o diabo
esse canalha
anda solto
fica à espreita

as algemas?
necessárias

*

assassinos

líria porto

sociopatas facínoras
começam por torturar e matar pequenos seres
(passarinhos filhotes de bichos)
e o fazem com requintes
de crueldade

crescem sem amar nada e ninguém
sem se importar com a dor do outro
e ainda se divertem

*

suficiência

líria porto

o que te dar se tens tudo
até a mim tu me tens
e eu que já tenho um pouco
preciso de nada além

*

bipolar

líria porto

chove chove chove
(um frio do cão)
e na manhã seguinte
a cara mais deslavada
céu azul de brigadeiro
clima tropical
:
curitiba
forno ou freezer?

*

terça-feira, 26 de novembro de 2019

troféu

líria porto

quando um rio
atravessa a vida
de um menino
esse ribeirinho
de alma encharcada
que nasceu à margem
aprende o ofício
dos antepassados

sua intimidade
com aquelas águas
cresce a cada dia
como o cardume
ou o peixe grande
que ele traz à barca

*

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

lar doce largo

líria porto

aos que vivem na sarjeta
os moradores de rua
algum sonho
um abrigo
o luar
uma estrela vermelha
um prato de comida

*

oroboro

líria porto

o poeta faz o verso
o verso fá-lo poeta

*

sábado, 23 de novembro de 2019

palhaço

líria porto

quem chorei fui eu
ainda o riso nos lábios

*

desaforada

líria orto

falou-me poucas e boas
falei-lhe muitas e péssimas

*

passo a passo

líria porto

amo devagar
desamo aos poucos
não sou dos arroubos
nem das paixões
:
um dia percebo
está maduro
ou podre

*

sexta-feira, 22 de novembro de 2019

arribação

líria porto

a gente fica velha
tudo branqueia
cabelos pentelhos cílios
sobrancelhas

(periquitas
depenadas)

*

velhice

líria porto

ao pentear a vasta cabeleira
fiquei a me lembrar do passear das nuvens
sobre o azul das tardes frias

*

quinta-feira, 21 de novembro de 2019

servidão

líria porto

o galo canta três vezes
daqui a pouco o pão quente
a chaleira apita
:
avante cambada
a lida espera e o gerente
é capitão do mato

*

haicai

líria porto

escravo da escrita
escreve ao som da chibata
verso compulsivo

*

curioso

líria porto

aprendo
ou deixo
quieto

não sou de fuçar
no que não entendo

*

anzol

líria porto

a sereia
saiu d'água
sem escamas

o seu rabo
mais bonito
ancas vastas

os cabelos
quais as ondas
revoavam

os seus olhos
duas iscas
para o náufrago

*

sábado, 16 de novembro de 2019

coitados

líria porto

dizia-se solitário
mesmo em minha companhia
(eu me sentia culpada)

quando partiu fiquei bem
jamais me senti sozinha
e nunca mais permiti
que pusessem sobre meus ombros
o peso dos seus vazios

*

quinta-feira, 14 de novembro de 2019

uns e outros

líria porto

quem pensa
tem incerteza
pesquisa estuda
buscca alternativa
esclarece dúvidas
obtém respostas
acende a luz

quem não pensa faz besteira

*

quarta-feira, 13 de novembro de 2019

suplicantes

líria porto

os olhos do mendigo
sua eloquência muda
envergonham-me
sinto culpa

*

irmandade

líria porto

o zezinho
a maricota
um mastiga
o outro arrota

a irmã e o irmão
um casal de filhos
para o sim
e para o não

(amigos para sempre)

*

metamorfose

líria porto

sou a que sou
já fui outras

saí do casulo
e desfolho

*

século

líria porto

o tempo passa ligeiro
deixa o vento para trás
salta no despenhadeiro
dair por diante
no ensejo
poucos vivem pra contar

*

garfo e faca

líria porto

não sou boazinha
sou amarga azeda
salgada picante
e vez em quando
docinha

*

(para o livro sem pecado não tem salvação) marido

líria porto

quando me perturbas
sinto essa vontade
de ficar viúva

*

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

sentimentos

líria porto

quais raízes
de uma planta
aprofundam-se
lentamente
coração adentro

*

turismo

líria porto

praias contornadas
pela tarja preta do descaso

*

quarta-feira, 6 de novembro de 2019

oscilações

líria porto

crepúsculos desestabilizam-me
aprofundam meus abismos
procuro o caminho de casa
em busca de paz
e equilíbrio

durante a aurora
eu sou mais eu

*

súplica

líria porto

o diabo aparece
é um deus nos acuda
tem reza tem prece
pedido de ajuda
:
zeus zeus
por que me abandonaste?

*

acalanto

líria porto

nascida do útero
a poesia alimenta-se nas tetas
dessas bruxas travestidas
de poetas

*

domingo, 3 de novembro de 2019

pedágio

líria porto

o amor
não se dá a nós
de mão beijada

*

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

(para o livro sem pecado não tem salvação) mulheres

líria porto

temos rimas internas
rimos no meio das pernas

*

coach coach

líria porto

entre os cambitos do arvoredo
e as moitas de capim passa
um corguinho

*

domingo, 27 de outubro de 2019

haicai

líria porto

bolha de sabão
o sonho do povaréu
a pele do mundo

*

manipulação

líria porto

o fascismo farta-se
de fisiologismos filosofias
falcatruas e falsos
moralismos

*

sexta-feira, 25 de outubro de 2019

(para o livro sem pecado não tem salvação) recrutamento

líria porto

todo dia os anúncios
homens solteiros à cata de mulheres
fiéis

fosse o contrário
alistava-me

*

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

sedução

líria porto

aliciador chega de manso
diabo disfarçado
de anjo

*

domingo, 20 de outubro de 2019

tiroteio

líria porto

se o mar não está para peixe
o rio está por um fio

*

trapo

líria porto

a poesia crônica
essa do dia a dia
muitas vezes se desfia
e torna roto o poema
:
a gente faz o remendo

*

sexta-feira, 18 de outubro de 2019

despertar

líria porto

o raio de sol
o canto do galo
espinhos que espetam
o escuro do quarto

*

licor

líria porto

igual jenipapo
quanto mais enruga a pele
melhor o apuro do espírito

*

quinta-feira, 17 de outubro de 2019

alcance

líria porto

entre janelas e portas
prefiro as primeiras –– elas me dão
a paisagem
:
as portas me atiram à sarjeta

*

viagem

líria porto

morar no alto
é estar sempre a bordo de um voo
imóvel

*

terça-feira, 15 de outubro de 2019

jardim da infância

líria porto

anita nader
a primeira professora
uma turca tão bonita
uma princesa árabe

*

segunda-feira, 14 de outubro de 2019

delícia

líria porto

das boas coisas da vida
algumas são amargas –– jilós
por exemplo

*

conclusão

líria porto

não sei quando não sei onde
nem ao menos sei de quê
só sei que é inevitável

*

incertezas

líria porto

quanto tempo viverei
uns dez anos talvez menos
quando muito um pouco mais
no carnaval na quaresma
ou até no mês que vem

(se for hoje
é que deu zebra)

*

análise

líria porto

nós de libra
damos nós
em pingos
d'água

*

domingo, 13 de outubro de 2019

conclusão

líria porto

não sei quando não sei onde
nem ao menos sei de quê
só sei que é inevitável

*

segunda-feira, 7 de outubro de 2019

desjuízo

líria porto

amar alguém
não é aprová-lo
reprová-lo
é não o julgar

*

amigo

líria porto

quando vieres
dize-me com antecedência
prefiro estar disponível
sem compromissos
na agenda


*

ranços

líria porto

eu era boa poeta
tinha alegria leveza
meu verso ficou sarcástico
repleto de ironias
se um dia tornar-se cínico
jogo a caneta no lixo
compro agulha de crochê

*

quarta-feira, 2 de outubro de 2019

haicai

líria porto

folhas da mangueira
tenras rosadas cheirosas
logo de manhã

*

terça-feira, 1 de outubro de 2019

chumbo grosso

líria porto

viver é muito estranho
é muito estanho –– é do tamanho
possível

*

mês

líria porto

outubro envelheço
pago com rugas as rusgas
do tempo

*

competição

líria porto

mais duradouros que as pétalas
são os espinhos das rosas
as suas unhas secretas
para atingirem as flores
que façam algum sucesso
ou tenham melhor perfume

*

quinta-feira, 26 de setembro de 2019

(para o livro sem pecado não tem salvação) messalina

líria porto

tal como a mulher de césar
eu fui –– pareci honesta
mas cansei
:
pulei a cerca

*

quarta-feira, 25 de setembro de 2019

fecundação

líria porto

a chuva borrifa
o cheiro o mormaço
e atiça a libido

*

surto

líria porto

não se cutuca a loucura
com vara curta

*

à prova

líria porto

sexo frágil uma ova
mulheres vivem mais
e pior

*

fecundação

líria porto

a chuva borrifa
o cheiro o mormaço
e atiça a libido

*

gracinha

líria porto

o ratinho
preto claro
tem um nome
camundongo
se pudesse
eu pegava
pra criar
na minha casa

as orelhas
redondinhas
o focinho
afilado
tem bigodes
olhos vivos
e o rabo
bem comprido
:
ele é lindo

(estou apaixonada)

*

segunda-feira, 23 de setembro de 2019

anarruga

líria porto

o tempo passa
a pele amarrota

* líria porto

o gato

líria porto

olhos verdes
acesos
à espreita
do peixe
do rato
do passarinho

um passo
um pulo
e zás
no papo

*

domingo, 22 de setembro de 2019

apagão

líria porto

a tardinha cai
guardo os olhos na bainha
e a noite desaba

*

raio

líria porto

parece o céu tem um nervo
um fio desencapado

*

rimas

líria porto

palavras ariscas são pegas no laço
poetas se arriscam –– expõem-se
ao fracasso

*

literalmente

líria porto

cócegas gargalha
salta dá seus pulos
obediente anda nos trilhos
linda é boniteza
e alegria sorri

*

preparo

líria porto

pênis / pintos
atletas de tênis
moleques 
de estilingue

*

divã

líria porto

fase oral mal resolvida
rói as unhas chupa dedo
faz o gozo do analista

*

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

frustração

líria porto

sonhava com metro e oitenta
e noventa quilos

casou-se com um curto
e grosso

*

ó céus

líria porto

apática
patética
antipática
coitadinha
boazinha
vítima

(tem gente que não vira o disco)

*

grandeza

líria porto

um pensamento para a estrela que cai
mil sentimentos para a que resiste

*

momento

líria porto

poderia ter tentado outras
mas sou a que estou
e esta me abasta

*

compulsivo

líria porto

nos dias úteis
nos inúteis também
se não é vício
o que é?

*

rito

líria porto

fechado o corpo
para nunca mais
entrar em cena

*

dúbio

líria porto

não sei se por sadismo ou ironia
o mesmo que nos faz chorar
faz-nos cócegas

*

fecal

líria porto

versos nanicos
poemas marrons
dia sim dia não

*

combinação

líria porto

trazes o fogo
a carne eu dou

*

território

líria porto

o que homens conversam no bar
futebol mulheres política
falam bem falam mal dos vizinhos
dos problemas com a chefia
o que há de comum entre amigos
quais as queixas
os desvios?
:
nas cadeiras do bar existem imãs?

*

delírio

líria porto

a porta do armário
e nos veios da madeira
as silhuetas

começa o movimento
é um bando de mulheres
(ouço-lhes o cochicho)
:
elas somos esta
em antigas e recentes
reencarnações

*

melagomania

líria porto

sou girassol
flor gigante
o sol me segue
sabe da minha
importância

*

nos conformes

líria porto

coração à esquerda
à direita fígado
sangue vermelho
e verde pra bílis
:
cu sexo e umbigo ao centro
(sem cor determinada)

*

além

líria porto

aquela viagem
sem bagagem passaporte
é própria a passagem

*

sequestro

líria porto

o brasil tomado de assalto
a bolsa e a vida –– e somos todos
reféns

*

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

(para o livro sem pecado não tem salvação) mosqueteiros

líria porto

um não me atraía
outro me trairia
e o outro
eu cheguei tarde

(ainda bem houve
um quarto)

*

absoluta

líria porto

todo bolha é meio pulha
mas não abala nem pilha
a abelha

(zangões que se cuidem)

*

quimeras

líria porto

achamos que perdemos
o que nunca foi nosso
iludíamo-nos

(chegam
roçam-nos
deixam-nos cheiros
arranhões
e vão-se
sem despedidas)

*

segunda-feira, 9 de setembro de 2019

haicai

líria porto

qual fosse papoula
essa lua no horizonte
uma flor laranja

*

agressões

líria porto

eu sei tu sabes eles ignoram
o que as mulheres sofremos

*

o peso

líria porto

quem vai transportar-me a carcaça
quem vai segurar minhas alças
quem vai buscar minhas cinzas
e por lá me soltar?
:
eu nomeio os quatro genros

*

guimbas

líria porto

as palavras que trago
na ponta do lapso
ou viram poema
ou fracasso

*

domingo, 8 de setembro de 2019

da infância

líria porto

os voos que eu dava
os sonhos que eu tinha
de um dia ser grande
e que a felicidade
ao alcance dos dedos
(e do estômago)
jamais me faltasse

*

sexta-feira, 6 de setembro de 2019

miscelânea

líria porto

vira e mexe
a gente amarrota o passado
e embrulha o presente

o futuro?
sei lá

*

sexta-feira, 30 de agosto de 2019

sangue

líria porto

doo-me em cada quina
em cada esquina –– doo-me
do verbo doer

*

loucos

líria porto

quem vive à beira da luxúria
precisa da cumplicidade
de outros

*

desejos

líria porto

elos de um outro tempo
em que nossos corpos se pediam
e havia impedimentos sérios

*

segunda-feira, 26 de agosto de 2019

rebojo

líria porto

moinhos de vento
moinhos de dentro
remoinhos
:
rastilhos
vestígios
de sempre

*

terça-feira, 20 de agosto de 2019

(para o livro sem pecado não tem salvação) sádico

líria porto

com uma pinça
capinava meus pentelhos
vez por outra eu gemia
ai ai
ele dava uma lambida
:
meu amor achava um meio
de brincar com a dor alheia

*

sábado, 17 de agosto de 2019

mundana

líria porto

perdeu os seus sonhos nas sombras da noite
perdeu a pureza no covil dos homens

*

(para o livro sem pecado não tem salvação) sem rodeio

líria porto

igual égua insubmissa
quem quiser montar meu lombo
prepare o corpo pra queda

*

transparência

líria porto

tão bela
quanto a palavra
libélula

*

os primos

líria porto

havia um clima
(no ar nos olhares)
e também tinha uma placa
(imaginária)
onde estava escrito "pare"
(antes que fosse tarde)
e um dos dois perdesse
o freio

*

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

foro íntimo

líria porto

uns homens preferem homens
mulheres querem mulheres
e todos –– homos e héteros
temos direitos deveres
pagamos taxas impostos
e merecemos
respeito

*

quinta-feira, 15 de agosto de 2019

traste

líria porto

assim chegou nesse mundo
pequena frágil indefesa
igual filhote de rato

a mãe olhou-a assustada
embrulhada num farrapo
a abocanhar sua teta

o pai resmungou –– maria
eu queria um filho macho
e tu me dás outra fêmea

*

formigueiro

líria porto

eu vou prender num pen drive
a sanha da minha pena –– tanta letrinha pequena
a sonhar asas de águia

*

(para o livro sem pecado não tem salvação) condenação

líria porto

entre minhas pernas
cabelos versus pentelhos
acendia os cigarros
fazia anéis de fumaça
e eu –– fumante passiva
enchia os pulmões de vício
amarelava os joelhos

(de amor também se morre
de amor e de porre)

*

(para o livro sem pecado não tem salvação) fendas

líria porto

os plurilábios das mulheres
(grandes pequenos médios)
entreabertos como pétalas
às formas oblongas
:
batons
dedos
línguas
pênis

*

ruços

líria porto

as dores que atacam os flancos dos velhos
não têm piedade dos nervos dos músculos
nem das vísceras

os ossos se esbarram uns nos outros e os gases
fazem barulho

somos todos pangarés

*

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

sismos

líria porto

a lua treme
sim –– na lua tem lunamotos
e nenhuma gravidade
:
a lua tem certos modos
e destroços que flutuam

*

trash

líria porto

em dias de ir à privada
o homem de vida pública
(baixo clero)
manda avisar à cambada
que coma pouco
e faça o 02
às terças quintas
e sábados

(o 01 co'as milícias
o 03 na baixada)

*

maldade

líria porto

governo cruel
mina a alegria do povo
a porca miséria

*

aninha

líria porto

a sainha de anarruga
uma blusinha de malha
vestiam-lhe a juventude
e aquela simplicidade
somada à sua alegria
às belas formas do corpo
atraíam os olhares
dos homens velhos
e moços

*

pele

líria porto

cetim seda
algodão anarruga
linho rústico e em breve
para o forro do meu corpo
tão somente
o couro

*

reentrâncias

líria porto

grandes e pequenos lábios
emolduram a gruta
que as mulheres resguardam
e os homens disputam

*

quinta-feira, 8 de agosto de 2019

torturador

líria porto

ele não ilustra nada
pelo contrário –– ultraja a história
do nosso país
:
ulstra é um crápula
como quem o reverencia

*

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

a sete chaves

líria porto

tu que me sabes de cor e salteado
não conheces nem metade
do que sou (in)capaz

(escondemos
até de nós mesmos
nossas lacunas
e inconsistências)

*

equação

líria porto

o passado já se foi
o futuro ainda virá
e agora é sempre agora
embora já não seja

*

anoitece

líria porto

nos mil céus da minha janela
o tempo que apaga o sol
espera a lua
pendura as estrelas
e escurece a tela

*

haicai

líria porto

barcaça de luz
navega na escuridão
a lua crescente

*

miragem

líria porto

qual um camelo atravesso
o deserto da existência

alegrias e tristezas
sobem-me às corcovas
e conduzem as rédeas

a passos lentos
com areia nos olhos
busco um oásis

(rumino os dias
e os pensamentos)

*

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

. bis_coito

líria porto

falo para uma
falo para todas

*

quarta-feira, 31 de julho de 2019

aporrinhação

líria porto

a cloaca da galinha
arrombada por um ovo

coitadinha coitadinha
todo dia um parto novo

vem o galo –– ideia fixa
pra mais uma rapidinha

todo galo
é um estorvo

(todo machista)

*

espasmos

líria porto

um leão ruge em meu ventre
estraçalha-me as tripas
parece que estou enferma
revolução das lombrigas

*

cardápio

líria porto

veio o marido
quis fazer filho comigo
recusei-me

vi o vizinho na esquina
ele me olhou de tal jeito
sorri e desde esse dia
só penso em ter
um menino

*

chifre na cabeça de cavalo

líria porto

não sei quando não sei como
nem ao menos sei porquê
mas se procurar
eu acho

*

potência

líria porto

mulher nunca foi sexo frágil
jamais precisou de ereção
esse desespero

*

ruína

líria porto

imenso o desmonte
e sob os escombros
a prata da casa

(não haverá amanhãs)

*

mulher maravilha

líria porto

doutor
se torcida valer
vou parir uma rosa

para alegria da mãe
a cria nasceu
sem saco

*

descarga

líria porto

tal como
a água
que gira
no fundo
do vaso
e empurra
a merda
pro esgoto
a morte
se limpa
da vida

*

involução

líria porto

a gente nasce
cresce envelhece
vira criança de novo
volta pra dentro do ovo
e se aninha no colo
dos filhos

*

hipertenso

líria porto

se infartasse em minha cama
seria vexame pra mim
e pra madame

*

ermitão

líria porto

o que não espero de mim
não posso esperar de ninguém
eu sou de pouca visita

*

(im)potência

líria porto

poder eu posso
porém não devo e não vou
expor as tuas fraquezas

*

estupidez

líria porto

pior que tosco
pior que rude
pior que grosso
pior que tudo
o boquirroto
que não segura
sua estultice

*

sexta-feira, 26 de julho de 2019

(para o livro sem pecado não tem salvação) ineficácia

líria porto

maridos são homens bons
pelo menos no começo

com o passar dos anos
usamo-os como remédio
pra aplacar a solidão

funcionam como placebo

*

quinta-feira, 25 de julho de 2019

. paroquianos

líria porto

comer hóstia
e beber da água benta
para aplacar o desejo
que nos tira a paz
de espírito

*

. confissão

líria porto

eu teria sido puta
na maior boa vontade
faltaram-me os atributos
e também alguma audácia

(sempre achei as putas lindas
mas só faço amor de graça)

*

segunda-feira, 22 de julho de 2019

rabo entre as pernas

líria porto

pela porta que entrei eu saio
e há a porta dos fundos
por onde fogem os trânsfugas
os que desertam
e têm culpa

*

oportunistas

líria porto

assim são uns patriotas
quais aves de arribação
se faz bom tempo eles vêm
(comem filé mignon)
na tempestade se vão

(e de longe nos criticam)

*

domingo, 21 de julho de 2019

companhia

líria porto

um bailinho à tarde
a saia de roda
a blusa de cor
xalinho nos ombros
perfume batom
sapatos de salto
e um cavalheiro
só para dançar

(não pise no calo
não pegue no pé)

*

oferendas

líria porto

dê_lírios à amada
abraços beijos
orgasmos

*

debilidade

líria porto

com os anos
tão diferentes das máquinas
que têm vontade de ferro
os ossos ficam mais frágeis
as engrenagens se emperram
alguma peça se quebra
e capengamos

*

delícia

líria porto

trancinhas de queijo
de boas lembranças
lambuzam-me a infância
em doces de leite

*

em outubro

líria porto

vou precisar da banqueta
para estirar minhas pernas
depositar o cansaço
das setenta e quatro velas
e espero que as almofadas
também me aqueçam
as canelas

a bengala eu já tenho
herdei-a do velho pai
que há de ancorar-me
os passos

*

sábado, 20 de julho de 2019

haicai

líria porto

nas malhas do inverno
a lua sangra amarelo
e o sol de resguardo

*

fuga

líria porto

dormir cedo acordar tarde
espichar o sono de tal forma
que a extensão da noite se pareça
à duração da morte

*

drible

líria porto

dei-me um bolo
e qualquer dia desses
pulo fora de mim

*

quinta-feira, 18 de julho de 2019

arminha

líria porto

o braziu
foi encoberto
]sumiu do mapa[
em primeiro
de janeiro
de dois miu
e dezenove
:
moves
moves fora
assauto

*

labirinto

líria porto

zumbidos e silvos
abelhas e cobras
o grilo no ouvido
o mundo que gira
e o voo sem volta
revolve-me as tripas

(sou um caracol
um ser esquisito
carrego nas costas
o rito da vida
o peso da carga
e a gosma)

*

segunda-feira, 15 de julho de 2019

lua crescente

líria porto

um caiaque uma canoa
uma boca sorridente –– abertura
de um parêntese

*

esconderijo

líria porto

no paiol do inconsciente
ferramentas de defesa
e acusação

*

domingo, 14 de julho de 2019

o sonho

líria porto

esta nossa outra vida paralela
revela-nos quem nos tornamos
nossos desejos e anseios
de um jeito simbólico
sem precisar referir-se
aos fatos recentes

*

(para o livro sem pecado não tem salvação) transição

líria porto

ao tirar o sutiã tirava os peitos
o recheio todo feito de algodão
precisava ser mulher de qualquer jeito
o seu corpo foi fazer revolução

começou por arrancar aqueles pelos
que habitavam suas pernas sua cara
e deixou que lhe crescessem os cabelos
e vestiu roupa de flor –– a que sonhara

já não era decassílabo o soneto
muito menos o heroico alexandrino
travestiu-se de mulher algo divino

caminhava pelos becos pelo gueto
como fosse a mais bela das rainhas
e ostentasse uma coroa com espinhos

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog