sábado, 23 de março de 2019

simples

líria porto

a felicidade cabe
em duas sacolas de plástico
(um pouco de arroz
um quilo de feijão
um de farinha
carne moída
ovos
um punhado de jiló e o leite
dos meninos)

*

quinta-feira, 21 de março de 2019

por quê?

líria porto

nas pupilas da infância
pontos de interrogação

*

reacionários

líria porto

no submundo da direita
acumulam-se ódios preconceitos
violência intolerância egoísmo
maldade ignorância
ambição
e um jeito de fazer política
que privilegia os ricos
e dá cobertura
a bandidos

*

quarta-feira, 20 de março de 2019

involução

líria porto

os pobres ficam mais pobres
os tristes muito mais tristes
os homens de bem
bem piores

*

finitude

líria porto

puta que me pari
eu não sou de ferro
nem de pedra nem de aço
:
e carne apodrece

*

terça-feira, 19 de março de 2019

vassalagem

líria porto

abrir as pernas
rastejar lamber as botas
essa é nova ordem

*

ansiedades

líria porto

dorme e come
mais do que precisa
mas às vezes
perde o sono
:
já a fome
esta aumenta
desmedidamente

(todo obeso
é um tanto depressivo
alimenta as carências
com petiscos
guloseimas)

*

segunda-feira, 18 de março de 2019

malcriadez

líria porto

o galinho garnizé
canta grosso em sua casa
mas aqui pia fininho
depenei as suas asas

*

sábado, 16 de março de 2019

dúbia

líria porto

sem vocação para esposa
sem audácia para amásia
pintou e bordou debaixo
dos panos

nunca foi santa –– sequer foi diaba
(jogou nos dois campos)

*

haicai

líria porto

nos dias chuvosos
o sol chega de pantufas
pisa de_vagar

*

neguinha

líria porto

de tanto sol nos cambitos
as canelas da menina
parecem gravetos

*

osmose

líria porto

o passarinho
na hora do bote
deu asas à cobra

*

sexta-feira, 15 de março de 2019

vovó

líria porto

sem embalagem original
exposta ao vento
à poeira
peças bambas e gastas
fissuras na base
funcionamento precário
:
uma antiguidade

*

quinta-feira, 14 de março de 2019

haicai

líria porto

a hora da angústia
quando sobe a escuridão
e o sol desaparece

*

haicai

líria porto

o batalhão marcha
todo ele de uniforme
mugido de gado

*

haicai

líria porto

no meio do mato
o canto da seriema
num dia de março

*

cuidados

líria porto

na juventude
seguimos distraídos
no piloto automático

na velhice
assumimos o comando
pois até acaso
puxa-nos o tapete

*

haicai

líria porto

a lua crescente
na beirada do horizonte
papoula amarela

*

quarta-feira, 13 de março de 2019

coitadinhos

líria porto

apropriam-se da dor
não consideram que todos sofremos
uns mais uns menos

*

do pau oco

líria porto

apontam nos outros suas próprias taras
e acoitam bandidos debaixo da toga
e do martelo

*

renovação

líria porto

igual cobra e cigarra
vez por outra mudo
a casca

*

lobisomem

líria porto

qual fosse um cachorro
farejava-lhe as nádegas
as costas a nuca
depois penetrava-a
e uivava pra lua

*

de onde menos se espera

líria porto

quando o céu desabou
e deus ficou sem teto
nenhum santo o acolheu
nenhum devoto
:
deus só encontrou abrigo
no quinto dos infernos

*

superação

líria porto

engolir o choro
engasgar-se com o soluço
perder o ar por instantes
mas depois dormir
de bruços

*

feminicídio

líria porto

foi moça muito bonita
as pernas eram colunas
as seios iguais colinas
os cabelos –– cachoeira
e seus olhos de topázio
cor das águas cristalinas
fecharam-se para sempre
:
violência masculina

*

janela

líria porto

eu sou a minha morada
é nela que me encantoo
e vejo passar a banda

*

terça-feira, 12 de março de 2019

machão

líria porto

chama a mulher de patroa
trata-a como empregada

*

fidelidade

líria porto

não foram tantos os homens
teve um mais um mais um
mais um mais outro
e cada um deles
único

*

baco

líria porto

o bico no beco
a boca no buraco

*

trampo

líria porto

careço de um banho
pra sem correria
de cabeça fria
peitar a chefia
matar o leão

*

haicai

líria porto

último suspiro
passarim deitou as asas
para descansar

*

foice

líria porto

tal como um dia ela veio
a poesia se foi
abandonou-me à deriva
sem norte ou rumo
sem rima
à mercê de ideias fixas
de só fazer ironia
escrever versos por vício
evitar morrer à míngua

*

segunda-feira, 11 de março de 2019

haicai

líria porto

último suspiro
passarim deitou as asas
para descansar

*

sexta-feira, 8 de março de 2019

resistência

líria porto

eu tinha os dias contados
vivi bem mais que podia
dei navalhada na morte
passei rasteira na vida

*

deslize

líria porto

o que fizermos agora
(sem compromisso)
será assunto só nosso
:
não contarei ao marido
não contarás à senhora

*

maria da penha

líria porto

quem sei de mim só eu dentro
desse corpo tão cansado
de lavar passar varrer
cozinhar cuidar da casa
e ter que abrir as pernas
para quem não me respeita
e me espanca e me trai
e ainda me ameaça
se eu disser qualquer palavra
se eu contar para alguém

(basta)

*

noli me tangere

líria porto

romeu romeu
eu sou minha
tu és teu
e nem a cobra me leva
a comer a maçã
que eva comeu
a menos
que eu esteja
afim

(e a fim)

*

quarta-feira, 6 de março de 2019

recuerdos

líria porto

de mim / de ti
dos nossos laços
:
de nós nem tanto
não houve amarras

*

sexta-feira, 1 de março de 2019

caríssimo

líria porto

se não queres que eu seja quem sou
o incômodo é teu e não meu
resolve contigo as pendências
que não me pertencem
:
depois volta
(ou não)

*

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

ideologias

líria porto

(de uns tempos pra cá
e daqui por diante
dentre os parentes
desconfianças)

*

sexo forte

líria porto

o menino que eu gerava
nos recantos do meu útero
recusou-se a vir ao mundo
enforcou-se com o umbigo
e outros dois
do mesmo jeito
sangraram antes do tempo
:
as meninas foram quatro
elas sim –– vieram à luta

*

faro

líria porto

podia ter te beijado mais
melhor cheirado a tua boca
farejado teus pés tuas mãos
a nuca a virilha as axilas
teus pelos
impregnado a lembrança
com o teu suor
qual fosse a tua esponja
toalha fronha
ou lençol

podia ter-te guardado
nas narinas

*

uterina

líria porto

a lua menstrua leite
de quatro em quatro semanas
enquanto esvazia as tetas
(o úbere?)
a lua fica minguante

*

o freguês

líria porto

wilmondes tinha as pernas tortas
e o apelido alicate

da cintura para cima
wilmondes era bonito
era boa a sua voz

a sua baixa estatura
devida ao arco das pernas
afastava-o das moças

wilmondes procurava as putas
no bordel era feliz

*

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

luto

líria porto

o substantivo me cobre de preto
o verbo me tinge de vermelho

*

blefe

líria porto

tornei-me poeta fajuto
sem poesia
:
charlatei-me aos poucos

(luto pela liberdade
luto pelo brasil)

sou poeta
tarja preta

*

domingo, 24 de fevereiro de 2019

haicai

líria porto

no fundo do armário
a bengala do meu velho
à minha espera

*

ser mulher é sangrar além das regras




sábado, 23 de fevereiro de 2019

haicai

líria porto

as nuvens gorduchas
cachorrinho serelepe
com seu pelo fofo

*

ledoca

líria porto

uma espécie de rainha midas
tudo que ela toca vira ouro
pedaços de tecido ou linha transmudam-se em renda
qualquer punhado de farinha é pão de ló

*

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

percepção

líria porto

a presença do ausente
é bem mais notada
que a do assíduo

*

força

líria porto

já fui mais tu
hoje sou muito mais eu
e não peço desculpa

*

grave

líria porto

o verso em greve
tem o gosto agridoce / agrotóxico
das agruras

*

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

granizo

líria porto

na noite que mamãe virou estrela
era lua cheia e fazia frio
toquei suas mãos seus dedos
e o gelo que me cobriu
jamais derreteu

*

terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

recato

líria porto

a viúva
o fecho eclair na vulva
só abre de vez em quando

*

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

rabicho

líria porto

onde eu vou a lua vai
tal qual fosse a minha sombra
eu tropeço a lua cai
vai no vácuo do meu tombo

*

sábado, 9 de fevereiro de 2019

desnaturada

líria porto

tive um menininho que não chorava
então eu me esquecia dele
não lhe dava de mamar

das raras vezes que o trouxe ao seio
não sabia ao menos se o leite secara

(um dia
vi-o abocanhar a verruga
do corpo doutra mulher
uma dona estéril
:
sobreviveu lambendo
a própria baba)

o nome dele?
não lembro

*

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

barragem

líria porto

pensamentos me escravizam
martelam minha cabeça
talvez por isso os escreva
pra que desaguem qual rio
para que não me enlouqueçam

*

lagarta

líria porto

assim eu me anulo
encarcero asas e cores
dentro do casulo

*

adn

líria porto

a pilha de genes
todos nós –– uns sobre os outros
traços de família

*

dolorosa

líria porto

mágoa é uma ferida
que a gente cavouca
e não cicatriza

*

canetada

líria porto

a justiça do momento
ela é surda e fala fino
só escuta as testemunhas
de acusação
:
pra quê provas meu amigo
se a sentença já era tida
como certa e líquida?

(ninguém ouve a voz dos pobres)

*

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

cifrão

líria porto

barrar a lama
conter o barro
ninguém se engane
gana por lucro
isso é que vale
:
isso é que mata

*

mariana

líria porto

coveiros sepultam cadáveres
quem enterra gente viva
é a vale

*

decolagem

líria porto

dar um passo atrás
dimensionar o caminho
e depois tomar impulso

*

vale tudo

líria porto

um lucro a mais
um descuido a menos
e a gente morre na lama

*

mudança

líria porto

minha filhinha
raspa do tacho
maior que eu
vai pr'alemanha
e a saudade
antes da hora
cava buraco
desse tamanho
na minha entranha

*

sucursal

líria porto

cerca viva nos separa
(tua mulher os teus filhos)
não tens vergonha na cara
e nem eu tenho juízo

*

miúdos

líria porto

as abelhas colhem pólen
fazem mel de graça

(os homens fazem cera
e cobram os olhos
da cara)

*

tropeço

líria porto

a pedra no meu caminho
e sou eu a atrapalhá-la

á quem de fato acredite
que viemos a esse mundo
apenas pra criar caso

*

condição

líria porto

quando o sol baixar a bola
inicio a caminhada

*

pantanal

líria porto

nada ali é só aquilo
tudo é muito mais

(um olho no peixe
outro no jacaré
ou no tuiuiú)

*

lambança

líria porto

lavai a lama
sobre mariana
sobre brumadinho
:
lá vai a lama
no rio

*

tpm

líria porto

enquanto a lua menstrua
o sol vê estrelas

*

movimento

líria porto

tenho a cabeça
repleta de redemunhos
ideias que dançam soltas
ao sabor do pé de vento

*

ovo virado

líria porto

aqui nasci cresci e morrerei
mesmo que não queiram
(sou brasileira da gema
e da clara)

*

confidências

líria porto

a laranjeira
não revela ao limoeiro
segredos de doçura

*

cãs

líria porto

chumaços de algodão
alguma espécie de nuvem
cabelos de neve

*

cadavérica

líria porto

a manequim segue rija
olhos fixos - inumana
qual estátua que caminha
com balanço no quadril
e cara de morta-viva

*

linhagem

líria porto

vovó tinha os pés no chão
sabia coisas terrestres

vovô cavalgava nuvens
laçava a lua as estrelas

o tio –– pobre o meu tio
apenas a ver navios

(eu sou
um nobre
plebeu
fazedor
de versos)

*

domingo, 27 de janeiro de 2019

haicai

líria porto

numa perna só
passarinho manquitola
salta para o voo

*

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

hippie

líria porto

lá atrás da goiabeira
tinha um macho lindo de olhos azuis
que confundi com jesus

*

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

enjoo

líria porto

doçura
demais
causa
náusea

*

perturbação

líria porto

o ruído cobre as palavras
e o silêncio

*

ramalhete

líria porto

dias a mais
dias amenos
amai-vos
amemo-nos
nunca é demais
cristais
crisântemos
minas gerais

*

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

duração

líria porto

quanto mais é pouco
ainda assim é vida

*

pressa

líria porto

calcar espora no lombo de pégaso
atravessar o azul no galope
chegar ao céu

*

domingo, 13 de janeiro de 2019

necessidades

líria porto

o que o dinheiro compra
supre o corpo –– não a alma
tão dada a exigências

*

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

perigos

líria porto

não tenho medo da morte
e também não tenho pressa
eu temo mesmo é a vida
que nos esfola
atropela
dia e noite
noite e dia

*

...

líria porto

não acredito no poder de fogo
mas creio fielmente no poder
do afago

*

perdição

líria porto

os olhos movediços do amor
são labirintos

*

pancada

líria porto

aos meninos tudo azul com bolinhas
da mesma cor

às meninas
a cor do hematoma?

*

miau

líria porto

para não acordar o gato
ao levantar-me cortei
a ponta da coberta

*

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

operação

líria porto

a bolsa é federal
e quando o sul não funciona
a cabeça definha

*

cangote

líria porto

a outra face da lua
(os chineses a conhecem)
tão repleta de crateras
a face oculta
não mira a terra
fica a olhar o infinito
e no mar
mergulha o brilho

*

seleção

líria porto

tem gente boa no mundo
muito melhor do que nós
tem gente ruim nesse mundo
muito pior

*

ceia

líria porto

caviar filé mignon
castanhas champanhe vinhos
na mesa de muita gente
que sequer vale
o que come

(ao povo trabalhador
arroz feijão com farinha
churrasquinho de linguiça
macarrão
sangue de boi)

*

intimidade

líria porto

só mesmo no travesseiro
enxugo todas as lágrimas
derramo sonhos inteiros

*

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

amor

líria porto

rabisco teu nome nos muros
nas portas vãos e paredes
escrevo-o com pregos agulhas
ou com pontas de alfinetes
:
teu nome são garatujas

*

domingo, 6 de janeiro de 2019

harmonia

líria porto

o líder
como um maestro
manuseia a batuta
e sem tocar instrumentos
movimenta o som das ruas
com a perícia e a beleza
das orquestras
sinfônicas

*

importâncias

líria porto

havia um avô pobre
e um tio rico

amávamos o nosso avô
o tio não frequentávamos
era frio desprezível
abusador de crianças
violento co'as mulheres

na verdade
rico era o avô
coração de ouro

o tio era paupérrimo
desprovido de valores

*

sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

guia

líria porto

ainda que a lua míngue
há de restar-nos a estrela

*

enquanto

líria porto

vestidos de arco-íris
espada e flores nas mãos
meninos / meninas caminham
direitos iguais é o limite
antes depois
e durante

*

prudência

líria porto

eu jogo todas as fichas
na poesia e no verso
não sou de prosa compadre
comigo as palavras falam
a_penas o necessário

*

bacacheri

líria porto

caminho por aqui
não sei bem onde
as ruas são bonitas
arborizadas
enquanto suportar
esse cansaço
as pernas seguirão
até o parque

*

fases

líria porto

no jogo do perde e ganha
mantenho-me do lado certo
não chego nem perto daqueles
que ora são vencedores

(a lua míngua
mas enche)

*

fantoche

líria porto

a dona do dono da bola
move os cordéis quanto phode
e faz carinha de santa

*

plural

líria porto

uma 
outra
tantas
branca 
morena
preta
índia
mestiças
:
todas

*

ao zangão

líria porto

disse-lhe a fêmea
não me venhas com palavras melosas
isso eu faço de cor

*

pretensiosos

líria porto

não queiram agradar a todos
já nos disse um velho lobo –– a unanimidade
é burra

*

guia

líria porto

ainda que a lua míngue
há de restar-nos a estrela

*

bijus

líria porto

nas primeiras horas
a lua a estrela –– as joias
da aurora

*

ego

líria porto

o poeta –– esse crápula
nem a palavra o contenta
nem a ins_piração

*

azul rosa azul

líria porto

atenuo a tristeza
com esquecimentos
apagões
distrações momentâneas

fatos recentes
envolvem-se em nuvens
neblina
morte súbita

(eu tenho a cor do hematoma)

*

boxe

líria porto

meu santo é fraco
forte é o meu diabo

*

esferográficos

líria porto

os pobres têm sangue azul
como a tinta da caneta bic

*

olheiras

líria porto

as pintas do panda
em torno dos olhos
cansaços da vida
enormes
enormes

*

sub judici

líria porto

o soldadinho de chumbo
defendia a pátria e na guerra
perdeu uma perna

julgaram-no
:
esse saci de farda
vai cumprir prisão perpétua
amargar na solitária

*

haicai

líria porto

os oportunistas
da cor do camaleão
e da lagartixa

*

sábado, 29 de dezembro de 2018

ilha

líria porto

poesia é estilhaço
fragmento de estrela
floco de neve
lasca de espelho
nós na madeira

*

peça rara

líria porto

desde muito pequenina
um lápis bem apontado
fazia sua alegria

atrás da ponta as palavras
no papel ou nas paredes
em qualquer canto
da casa

*

sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

crime

líria porto

mantive um amor reprimido
jamais traduzido em palavras
embora por anos a fio
rondasse o destinatário

o meu amor tão bonito
por mim desprovido de asas
(matei-o por asfixia)
vagou por aí
                   qual fantasma

*

quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

vida boa

líria porto

dormi como a pedra
sonhei como a pedra
de bruços
no fundo do rio
num dia de sol
com a água a roçar
minhas costas

*

turbulência

líria porto

bacadas sacolejo
as estradas do ar
têm buracos

*

difamação

líria porto

uma dor aguda –– bem ali
no fim da calúnia

*

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

autoria

líria porto

palavras não nascem
por geração espontânea

*

quando eu morrer vou virar entrelinha

puff

líria porto

a vida vai como um rio
(não tem retorno)
e ao chegar à vazante
e ao livrar-se das margens
entregar-se à imensidão
desintegra-se

*

particular

líria porto

as nuvens 
quais tartarugas
atravessam o azul
do meu céu 

*

antídoto

líria porto

a humildade infiltrada
na alma de qualquer um
é capaz de impedir
o mofo próprio dos tolos
detentores das certezas
das crenças absolutas

*

domingo, 16 de dezembro de 2018

-><-

líria porto

o espelho
baralha meus lados
e eu me vejo
                  avesso

*

desalento

líria porto

meu querido presidente
meu amado camarada
essa gente te condena
sem provas nem evidência
a esta cela solitária

todo o povo brasileiro
nós também cumprimos pena
sem honra e sem trabalho
e a morte nos acena
de lá da ponta da praia

*

sábado, 15 de dezembro de 2018

sonho

líria porto

esta outra vida paralela
que desperta enquanto durmo

*

inglória

líria porto

na dilatação do dia
a missão de botar ovo
(cacarejo cacarejo)
voo raso
o da galinha

*

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

espírito natalino é próprio o espírito do porco com maçã na boca

código

líria porto

quando ele dizia
saudade de comer goiaba
ela abria as pernas

*

bilboquê

líria porto

a vida é um brinquedo
dos mais antigos do mundo

sobe com dificuldade
na maioria despenca
quando acerta é pau
no cu

*

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

haicai

líria porto

tal como um arauto
a atravessar a cidade
o canto do galo

*

obscuridades

líria porto

em toda família existe
um cadáver no armário
uma história triste
ou escabrosa
guardada a sete chaves

um canalha uma ladra
um assassino
um tio que roubou a mãe
um pai que arrombou a filha
uma traição à pátria

(ninguém é melhor ou pior)

*

domingo, 9 de dezembro de 2018

sísifo

líria porto

a vida segue igual chumbo
e com o peso do dumbo
ninguém consegue voar

*

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

o brasil

líria porto

já andou de pires na mão
mas depois calçou sapatos
foi à escola à faculdade
tratou dos dentes da saúde
viajou de avião
mudou de cara

agora a coisa piora
é um país arrogante
embora empobrecido

(não demora ser faminto
pedir esmola de novo
abaixar o facho)

*

projeto

líria porto

ovelhas seguem o pastor
cabritas pulam a cerca
há quem queira ser boneca
eu só quero ser eu mesma

*

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

morro

líria porto

daqui pra lá tudo bem
de lá pra cá obstáculos
até parece que a serra
mais se inclina quando eu
ao fim do dia preciso
retornar pra minha casa

*

sábado, 1 de dezembro de 2018

rotina

líria porto

vou e volto
quando chego tranco a porta
tenho apego à solidão

*

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

autoestima

líria porto

plantar uma rosa
sem gostar de espinhos

suprimir da flor
detalhes de origem

é muita maldade

(mulheres perfeitas
seres vulneráveis)

*

solstício

líria porto

na mais escura das noites
quando o futuro ruiu
o sol pensou desistir
porém havia outros seres
por eles acordou
e ainda brilha

*

terça-feira, 27 de novembro de 2018

extremos

líria porto

só sabe da chuva
quem tem pouca chuva
ou viu a inundação

*

segunda-feira, 26 de novembro de 2018

criação

líria porto

tu tens um primo que é pote
a tua irmã é uma bilha
és filho da mesma lama
que inundou mariana

meus parentes são os símios
micos-leão macacos-prego
chipanzés orangotangos
zezim e maricotinha

fui feita em milhões de anos
fizeram-te em sete dias

*

traços

líria porto

o que temos de melhor e de pior
acentua-se com o passar dos anos

*

maledicência

líria porto

seres rastejantes
suas línguas bipartidas
destilam veneno

*

domingo, 25 de novembro de 2018

haicai

líria porto

cocorococóoooo
o galo faz um escândalo
todo mundo acorda

*

sábado, 24 de novembro de 2018

oferenda

líria porto

a maria vai co'as ostras
e quando volta traz pérolas

*

a viagem

líria porto

a primeira etapa
rápida e confortável
foi de avião

seguimos de ônibus
com toda a bagagem
pela rodovia

por fim
vamos de carroça
para o precipício

*

insight

líria porto

queridas martha e mirthes
ninguém se livra da morte com merthiolate
emplastro e cataplasma

quando muito pode-se adiá-la
com vida ao ar livre boa alimentação
e  ginástica

(cuidado com cigarro bebida
solidão tristeza whatsapp
e facebook)

*

jorge

líria porto

o céu despenca e quem pensa
que tem lugar nessa barca
tira o cavalo da lua

(os ratos tomaram conta)

*

sexta-feira, 23 de novembro de 2018

censurados

líria porto

o silêncio se agarra à nossa sombra
e nos amarra e nos prende às lembranças
de um tempo de recesso e exceção

*

regras

líria porto

sangue desperdiçado
jogado fora do corpo
nos anos férteis

deus –– se existe
é misógino e machista

*

sedação

líria porto

na hora da minha morte
quero estar presente 

*

mexeriqueiras

líria porto

mostraram pra deus e o mundo
todas as frutas maduras

*

pico

líria porto

tomei o lugar da vovó
no topo da lista da morte
ninguém ultrapassa essa risca
:
não se escala o everest
sem corda

*

quinta-feira, 22 de novembro de 2018

um a um

líria porto

tal como matasse piolhos
o minuto estoura os segundos
entre as unhas

*

ocupação

líria porto

as horas passam o tempo
com os minutos no colo e os segundos
no bolso

*

impertinência

líria porto

velhice –– implicância da vida
com a infância e a juventude

*

antigamente

líria porto

preparar o arroz o feijão
o frango
fazer o doce de leite
e com areia do rio
lustrar o alumínio
até que apareça
um espelho

*

pinguela

líria porto

as nossas idas e vindas
em busca de equilíbrio
pra atravessar essa vida
que é uma espécie
de rio

(e não tem retorn
o)

*

plástico bolha

líria porto

como se matasse piolhos
o minuto estoura os segundos
entre as unhas

*

cisma

líria porto

velhice –– implicância da vida
com a infância e a juventude

*

tática

líria porto

os dias e as noites caminham
com os minutos no bolso
como se fossem pedrinhas
miolos de pão
:
assim retornam à trilha
e treinam o sol
e a lua

*

quarta-feira, 21 de novembro de 2018

origem

líria porto

natural de mim
nascida em estado
de êxtase

*

medo

líria porto

esse frio úmido
atravessa o osso
enferruja o espírito

*

terça-feira, 20 de novembro de 2018

exigências

líria porto

quem eu quero não me serve
quem espero não me alcança

*

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

ensinamentos

líria porto

meus filhos teus filhos
nossos filhos
educados para quê
para enfrentar cataclismos
com altruísmo coragem
ou para serem egoístas
cuidarem do próprio umbigo
ficarem em cima do muro
lavarem as mãos?

*

domingo, 18 de novembro de 2018

ioiô

líria porto

nem bem me manda embora
dá um passo atrás e me traz
de volta

*

pecados da carne

líria porto

toda vez que sente fome
joga-a na chapa quente
sapeca-a de um lado
doutro
come-a –– mesmo que sangre
e depois palita os dentes

*

ambição

líria porto

querer eu quero
poder eu posso
porém não devo
por egoísmo
lesar o próximo

*

arquivo

líria porto

se boto a boca no mundo
se conto tudo que sei
não vai sobrar vagabundo
que viva acima da lei

*

sábado, 17 de novembro de 2018

dogma

líria porto

é deus acima do estudo
e a gente na ignorância

*

revelações

líria porto

dia após dia
meses e meses
todas as vezes
durante os anos
vi-me no espelho
sem diferença
fui sempre a mesma
desde a infância
porém nas fotos
tantas mudanças
troco de couro
troco de casca
tal como as cobras
e as cigarras

(canto e sibilo)

*

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

palavras são bumerangues

maré

líria porto

desfaz as pegadas
engole os vestígios
das idas e vindas
dos passos na praia
e quando amanhece
são novos o vento
o sol e a areia

(o mar é antigo)

*

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

classe média

líria porto

no elevador do prédio
fragrâncias mistas confrontam-se
saturam o ambiente e provocam enjoo

*


guardiã

líria porto

se maria vai co'as ostras
maria vai co'a pérolas

*

pimenta

líria porto

boca suja –– nem tártaro
nem mau hálito
:
só palavrões

*

assaz

líria porto

sino sinistro
em nome de deus
serve o diabo

*

desdobramento

líria porto

se eu precisar
apagar a velha
acendo o farol

*

natalino

líria porto

papai noel é um saco
de risadas assombrosas
quinquilharias e gastos

*

domingo, 11 de novembro de 2018

das garantias

líria porto

a vida é vária
a gente varia verseja viaja
vocifera
e continua vulnerável

a morte
segura
definitiva
salta
no vazio

*

sábado, 10 de novembro de 2018

ainda que à tardinha

líria porto

as minas de minas
o belo horizonte
os campos gerais

a cara de esfinge
aquém da neblina
de costas pro mar

*

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

perambeira

líria porto

o tempo –– esse sorrateiro
faz seu trabalho diário
com alguma sutileza
(uma ruga aqui outra ali
uns fios de cabelo branco
olhos sem brilho riso amarelo
corpo rechonchudo)
até que um dia o espelho
(ou uma fotografia)
revela-nos o declínio
:
daí por diante
um susto por minuto

*

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

fardo

líria porto

carrego essa pessoa
que pesa como um presságio
com a força dos meus ossos
e endosso suas palavras
embora duvide um pouco
de parte do que me fala
:
nasci vou morrer com ela
nessa pele que me cabe

*

terça-feira, 6 de novembro de 2018

bagunça

líria porto

meu quarto é meu quanto
onde santo e diabo só entram
com a minha permissão

já os anjos (esses capetinhas)
fazem o que querem e conseguem
driblar a vigilância

*
o amor é volátil 
sólida é a nossa solidão

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

sóror

líria porto

durante a missa
o recato
mas na sacristia
o pau comia

*

domingo, 4 de novembro de 2018

onde não se pode pensar alto 
tudo é rasteiro

para pedro

líria porto

pretos pobres prostitutas
precisamos preparar-nos
psicóticos no poder
(pente-fino pros piolhos)
podem nos perseguir
:
os pequenos os párias os poetas
os professores

*

sábado, 3 de novembro de 2018

é preciso peito para abrir as pernas 
e dar-se ao respeito

contorno

líria porto

toda sombra é modelo exclusivo
afeita à imagem e semelhança

*

machucados

líria porto

quais metralhadoras
feriram-me a alma e o corpo
virou cicatriz

*

sexta-feira, 2 de novembro de 2018

centelha

líria porto

luz ia luz vinha
luzia com duas pedras
acendia o fogo

*

ferramentas

líria porto

formão martelo alicate
sapatos de madeira
e um pé de ferro
para moldar os calçados
para fixar as solas
meu vizinho sapateiro
(boca cheia de tachinhas)
seu joaquim barbosa
(amado por dona jovem)
trabalhava dia e noite
era um homem pobre

*

baião de dois

líria porto

o toque o cheiro a pele
sussurros ao ouvido
igual arroz feijão
igual pão com linguiça

*

vizinhos

líria porto

intimidade é um misto
de confiança e afeto
e tudo pode ser dito
apesar da diferença
de credo e opinião

(sem empatia
ficamos restritos
aos cumprimentos
ao sobe e desce
do elevador)

*

alvejar

líria porto

botei ferver minhas fronhas
e depois vou perfumá-las –– quem sabe
clareio os sonhos e apago os pesadelos
que hoje em dia me avassalam

*

quinta-feira, 1 de novembro de 2018

aproximação

líria porto

os passos de lã da minha avó
ninguém ouvia –– antes sentíamos o seu cheiro
de sabão feito de cinzas

*

resiliência

líria porto

necessito a resistência das orquídeas
que florem e sobrevivem às condições
mais inóspitas

*

terça-feira, 30 de outubro de 2018

piedade

líria porto

a poesia nos console
alimente-nos agasalhe-nos
e que um dia reviva
a minha pátria

(difícil para os pobres –– a fome tem pressa
e beleza não enche barriga)

*

capitulação

líria porto

tratar o inimigo
como adversário
é ato político
ou ingenuidade?

(pois tenha má sorte
o que nos deseja
formigas na boca
na ponta da praia)

não vou à guerra
com estilingue

*

abrigo

líria porto

sei de antemão
vou levar pontapé
então meu amigo
vou querer um lugar
no teu coração

*

mordaça

líria porto

se não houver confiança
se precisar a censura
deixaremos às crianças
a bolha da ignorância?

(não vou suportar olheiros
dizer adeus também dói
mandarei fotografias
e umas poucas linhas tortas)

*

da sutileza

líria porto

e quando a poesia pousar no vazio
deixar que ela nos preencha

*

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

pajelança

líria porto

hoje é dia de sal grosso
de tirar o urucubaca
o azar o ziquizira
de lavar a alma e o corpo
fumar cachimbo da paz
invocar nossos xamãs
nossos anjos nossa força
acender incenso vela
vestir-nos de confiança
virar o voto do povo
salvar a democracia


(nós vermelhos somos bruxos)

*

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

arranca-rabo

líria porto

sem remo sem rima sem rumo
sem romance –– essa ramela

*

armadilha

líria porto

a estrada se estreita
transforma-se em trilha
em arapuca

*

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

selo

líria porto

no auge da exuberância
a orquídea abre as pernas

ao final da trajetória
tão pudica tão discreta

a orquídea fecha as pétalas
e se recolhe

*

in_fluência

líria porto

não posso deter o rio
mas posso vê-lo passar
e me encantar com o ruído
o movimento das águas
imaginar-me a segui-lo
ir com ele para o mar

*

ignorância

líria porto

não tenho ideia de mola
de bola de cola
de sola
de quem esfola meu couro
e sequer imagino
quem controla o sino
no entanto assino
um cheque em branco
ao gestor do destino
e para ser franco
acho-me o máximo

*

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

à luz

líria porto

todo dia pairo versos
uns a fórceps
outros sem nenhuma
contração

*

reflexão

líria porto

um espelho
se nos revelasse
não a cor da pele
dos olhos dos cabelos
(a aparência externa)
mas traduzisse para nós mesmos
de forma irrefutável
nossos mais profundos e pérfidos
sentimentos
:
nossos ódios e invejas

*

dentro de mim mora um banjo e um atabaque

vale-tudo

líria porto

na vala
a velha
ovulava
vileza
e volúpia

*

a decisão

líria porto

a estrada é bipartida
uma nos leva à montanha
outra conduz-nos ao abismo

*

interesses

líria porto

o anti-petismo é a explicitação do sentimento
excludente e escravocrata dos egoístas
do homem branco que só pensa nos seus pares
e no próprio umbigo

*

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

fim

líria porto

a gente nasce
cresce adolesce
amadurece e morre
que falece é rima
muito pobre

*

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

atenção

líria porto

madrugada — não há viv'alma
o único movimento é a luz intermitente
do semáforo

*

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

misóginos

líria porto

vós — nascidos de mulher
quais filhos de chocadeira
oh desalmados

*

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

cotidiano

líria porto

um mau governo muda muito pouco
(e até para melhor)
a rotina dos ricos
que continuarão sua vidas luxuosas
com caviar e vinhos finos
iate carros novos
joias roupas caras viagens
contas correntes em paraísos fiscais
longas temporadas no estrangeiro
e filhos nas melhores escolas

um mau governo é catastrófico
para os filhos dos trabalhadores
dos pobres dos miseráveis
sempre dependentes de trabalho
salário e políticas públicas

*

terça-feira, 2 de outubro de 2018

lealdade

líria porto

aos pés da dona um vira-latas
tem mais coragem que toda a guarda
da rainha elizabeth

*

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

veloz

líria porto

o tempo galopa faísca derruba-nos
enquanto a gente pisca

*

pétalas de márua

lítia porto

as flores da cunhada
a primavera
as boas coisas
queridas
surgem como cascata

*

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

sedução

líria porto

qual linguiça na grelha
a fedelha provoca os homens
com sua pele de bronze
estirada na areia

*

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

facho

líria porto

a luz invade os escuros
passa debaixo da porta
salta as janelas os muros
arromba todos os furos
a luz não cabe >>>>>>>>
>>>>>>>>>>>onde mora

*

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

poema para zita

líria porto

tal como as orquídeas
floriu no abandono
não criou raiz
viveu agarrada
(e dependente)
a sugar homens
que nada entendem
de flor

*

virgens

líria porto

fechadas em noz
a_penas come a castanha
quem rompe o lacre

o prazer não é instantâneo
só chega às bem lambidas
e mastigadas

*

haicai

líria porto

escola infantil
a algazarra das crianças
ultrapassa os muros

*

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

solidariedade

líria porto

se eu olhar para o mundo
e só vir a minha dor
só sentir meu sofrimento
pensar que eu sou o único
algo estará muito errado
pois meu irmão também chora
sente fome sede frio
pode precisar de mim
como eu preciso dele

*

do cabaço

líria porto

não guarda qualquer lembrança
da perda da virgindade — teria sido traumática
ou tão somente uma transa?

*

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

haicai

líria porto

lágrimas das mães
das avós e das crianças
o sal do oceano

*

terça-feira, 18 de setembro de 2018

parasita

líria porto

os desejos da ameba
circunscritos ao que ela conhece
não passam dos intestinos

*

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

bote

líria porto

abrires o bucho da víbora
não vai reduzir-lhe uma gota
da maldade e da peçonha

*

domingo, 16 de setembro de 2018

chucrute

líria porto

se eu mudar para a alemanha
sem conhecer a cultura
sem falar o idioma
não quiser comer repolho
e não gostar de salsicha
o que vou fazer da vida?

melhor ficar por aqui
onde tem muita lambança
injustiça preconceito
salafrários vivem à solta
o salário é mixuruca
mas tem arroz tem feijão
farofa queijo linguiça
cachaça caipirinha
meus compadres
meus amigos
sol aceso
céu azul

(vou ser feliz de novo)

*

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

passos

líria porto

não vou te arrastar para a minha causa
prefiro ir sozinha — não quero me sentir responsável
por tua (in)felicidade
:
se eu quebrar a cara
cato meus cacos
e prossigo

*

haicai

líria porto

qual barca de luz
atravessa a escuridão
a lua crescente

*

descoragem

líria porto

homens não pedem divórcio
(a não ser que já tenham se organizado
com outra mulher)
no entanto fazem o diabo
e nos infernizam
até que tomemos
nós mesmas
a iniciativa

*

esperança

líria porto

dias a mais dias amenos
de paz e sossego — de envelhecer
sem aflição

*

equívoco

líria porto

tu me desejavas mal
querias-me como serva
não como mulher

*

perene

líria porto

o meu amor morreu e ainda penso nele
não sinto interesse por nada dessa espécie
por mais que eu quisesse matar o sentimento
meu velho coração é tolo imprudente
repete não e não — garante que é pra sempre
nasceu pra ser eterno

*

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

haicai

líria porto

qual barca de luz
atravessa a escuridão
a lua crescente

*

quarta-feira, 5 de setembro de 2018

borrão

líria porto

matar a memória é passar o apagador
numa história escrita a giz
:
a história do meu país

*

haicai

líria porto

toda a passarada
na algazarra matinal
céu azul celeste

*

descarte

líria porto

nosso lixo é nossa intimidade
cabe a nós mesmos botá-lo fora

*

terça-feira, 4 de setembro de 2018

mastite

líria porto

frágil como o bebê em seu seio
a mãe recém-nascida

*

dúbio

líria porto

a boca do vento
sopra minhas dores
mas às vezes quer
mordê-las

*

luzia

líria porto

a musa do museu
morreu duas vezes

*

dúbio

líria porto

a boca do vento
sopra minhas dores
mas às vezes morde-as

*

instáveis

líria porto

num mundo de consumo
tudo é descartável
até as pessoas

*

domingo, 2 de setembro de 2018

marco

líria porto

sem nos distanciar dos princípios
aproximamo-nos do fim

*

cobranças

líria porto

o reflexo do espelho
olha-me tão severo
e não é isso que espero
:
olhasse-me com indulgência
alguma cumplicidade

*

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

apoio

líria porto

se não for bom se não der certo
acena assobia faz um gesto
e eu irei

*

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

credibilidade

líria porto

eu tive tenho e terei
grilos a teu respeito
embora saibas e afirmes
que por pequenos deslizes
(inúmeros)
não deva ser tão severa

(confiança
é igual
cristal)

um olho fechado
um aberto

*

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

tirana

líria porto

o frio da morte perpassa meu corpo
chegou minha hora não quero partir
preciso de um prazo para as despedidas
a morte implacável me arranca da vida
aparta meu corpo do espírito

*

crepúsculo

líria porto

o sol ofusca tudo e num repente
baixa o farol

*

haicai

líria porto

logo de manhã
a galinha cacareja
promete omelete

*

vitimização

líria porto

autopiedade é um sentimento narcisista
que nos impede de acudir a dor do outro — de compreender
o sofrimento da humanidade

(oh céus
oh vida
oh azar)

*

terça-feira, 28 de agosto de 2018

retumbante

líria porto

o eco da tua ausência
reverbera como um berro
a romper-me os tímpanos

*

quinta-feira, 23 de agosto de 2018

balofa

líria porto

a meia lua anda cheia de tanta falta
e de achar-se assim — tão feia — engorda
a olhos vistos

*

flash

líria porto

minha orquídea floriu no abandono
(muito mais generosa que eu)

*

vaticínio

líria porto

se essa lua se essa lua fosse em minas
eu comia-a eu comia-a
com goiabada

*

abandono

líria porto

se essa lua se essa lua fosse minha
não deixava não deixava o sol
magoá-la

*

crush

líria porto

mais que a mulher do próximo
eu amo o próximo — esteja perto
ou distante

*

cuidado

líria porto

ao fitares um desafeto
fá-lo com força e fúria
ou desvia o olho

*

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

farfalho

líria porto

após a idade fértil
a dor forte o infarto
a furtiva vontade
de afirmar-se
viva

*

autoextermínio

líria porto

nunca foi um poeta medíocre
de repente caiu na mesmice
o que era para ser um rochedo
derreteu-se qual pedra de gelo
e alagou o seu verso
que sina

(foi assim que morreu)

*

origem

líria porto

um avô português
outro árabe
:
amei mais o deserto
ainda assim amo
o mar

*

veneno

líria porto

não me dou em conta-gotas
dou-me em dose única

*

terça-feira, 21 de agosto de 2018

efêmera

líria porto

embolo a tristeza
enfio-a no bolso
(não que a esqueça)
vou assim mesmo
o caminho é longo
se perco esse tempo
sequer posso ver
a cor das flores

*

amargos

líria porto

a ditadura da felicidade
obriga-nos a rir como palhaços

*

urnas

líria porto

no centro cu e umbigo
à direita fígado à esquerda
coração

*

competição

líria porto

tu e eu –– a gente juntos
vai dar ruim eu sei que vai
tens mania de grandeza
eu não sei ficar atrás

*

presença

líria porto

bêbada de ti
quando partires
quem vai me curar
da ressaca?

*

vastidão

líria porto

as tias paternas
filhas do avô português
(duas viúvas duas solteiras)
passaram a vida inteira
da igreja pra casa
da casa pra igreja
em dias de chuva
e de sol

as tias maternas
filhas do avô árabe
(afora a madrinha)
gostavam de pito
e baralho

(entre quibe e bacalhau
amei o mar e o deserto)

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

pessoa

líria porto

na terceira o meu desejo
na primeira a tara do outro
(vez em quando sou sincera)

*

beagá

líria porto

a avenida do contorno
demarca o miolo
do girassol

*

memória

líria porto

imersa em poeira e neblina
viro menina outra vez

*

minhocuçu

líria porto

dei do outro lado
foderam-me à cabeça

*

hospital

líria porto

no corredor
a dor anda devagar
ou vai de maca

*

capotamento

líria porto

há quem culpe os outros
eu assumo o desastre que sou
e tento me emendar

*

domingo, 19 de agosto de 2018

tumba

líria porto

morte
irmã mais velha de morpheus
dormiu e não acordou

*

sábado, 18 de agosto de 2018

explosivos

líria porto

paranoicos psicopatas transtornados
deprimidos bipolares eufóricos neuróticos
puritanos assassinos suicidas fanáticos
violentos borderlines
:
nitroglicerina

*

auto-avaliação

líria porto

eram muitos eram tantos
todos quanto se disseram santos
foram os piores demônios

*

cortejo

líria porto

a morte segue sorridente
como fosse contente morrer
voar sem levar o corpo

*

louça

líria porto

meia lua
cuia de leite
:
o gatinho vira os olhos
lambe os bigodes
e mia

*

cinquenta semitons

líria porto

nesse joguinho de compadres
eles se tratam bem

puxam a cadeira pra comadre
falam sobre nulidades

ignoram solenemente
quem possa confrontá-los

tentam esconder
que são canalhas
:
enganam a quem?

*

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

fel

líria porto

a voz doce de dona tão amarga
leva-me a crer que raquel
não lia

*

particular

líria porto

depois de ter sido a rainha
ele queria que eu fosse
a putinha dele

para tanto
eu tinha outros homens

*

putre_fato

líria porto

urubu usa toga
e torce pra carne
virar carniça

*

brancas de neve

líria porto

floriam as jabuticabeiras
e na esteira do tempo seus olhos
adocicavam

*

maria fumaça

líria porto

bem na passagem do trem
entre os batentes
em silêncio
tem a semente do tempo
que a gente era contente
por qualquer coisa

(tomara chova)

*

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

das coisas mal resolvidas

líria porto

dez anos após a separação
depois de girar mundo casar-se outra vez
foi à casa da ex-mulher buscar suas tralhas
e - magoadíssimo - deixou-lhe um bilhete
:
jogaste minhas coisas fora
tu me jogaste no lixo

(o que os homens esperam das mulheres?)

*

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

miúdo

líria porto

a noite embala-me o sono
embrulha-me em manto escuro
sussurra ou faz silêncio
:
o berreiro continua
eu tenho medo de monstro


*

cheguei tarde para o poema

líria porto

distraí-me com o casamento
a criação das filhas
a política
por pouco eu não deixava
a página virgem

*

sábado, 11 de agosto de 2018

mala e cuia

líria porto

eu vou embora de mim
não agora — fico mais um pouco
mas quando chegar minha hora
tomara eu tenha um lugar
para cair morto

*

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

pau a pau

líria porto

traiu-me
dei-lhe o troco

para mim ficamos quites
para ele eu o ofendi

*

terça-feira, 7 de agosto de 2018

confidências

líria porto

aqueles segredos guardados a chave
que mal nos lembramos depois de umas décadas
teriam acabado com alguns casamentos
se eles ou elas soubessem

*

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

atropelamento

líria porto

a asa da minha rua
atravessa o meu verso
sem olhar o movimento
das palavras
:
de repente
uma freada

*

drama

líria porto

só saro quando gozo a minha dor
que é a de uma gota no oceano

*

maria das dores

líria porto

doem-me os músculos
as junções dos ossos
os cabelos as sobrancelhas
os olhos os cílios
os pentelhos
os nervos o sangue as veias
as vísceras a saliva a língua
os dentes

sou um saco de pancadas
uma almofada de alfinetes
:
doo pra cacete

*

domingo, 5 de agosto de 2018

guerra

líria porto

gente sem qualquer escrúpulo
dizimou a minha terra
empunhei flecha e borduna
amolei as minhas facas
pra defender o que resta
e estou disposta a tudo
desistir até do verso
para vencer essa luta

*

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

natimorto

líria porto

viveu nove meses em meu ventre
enforcou-se nas cordas do corpo
e não viu o mundo
:
seria o meu filho
um bom homem?

*

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

caramujo

líria porto

fujo de mim já faz tempo
fingir é um meio eficaz
chegar à foz é um tormento
pra quem tem medo 
de (a)mar

*

arábico

líria porto

o pó preto a água fumegante
o cheiro da casa de minha avó
e a sorte no fundo da xícara

*

precipitação

líria porto

cônscio da própria finitude
o ancião teve insônia e se exasperou
com os passos lentos do destino
:
saltou do viaduto

*

questão de tempo

líria porto

em breve o olhar dos velhos
encontrará os meus olhos

irei de xale e bengala
tomar o banho de sol

e quando as filhas os netos
vierem para a visita

eu quero estar bem bonita
para contar-lhes a história

(a mesma história de sempre)

*

terça-feira, 31 de julho de 2018

casal

líria porto

podes posso
tudo quanto fosse nosso
casa carro conta no banco
trabalho negócios
liberdade de ação de pensamento
direitos e deveres
sem privilégio de sexo
sem submissão ou diferença

*

sábado, 28 de julho de 2018

compensação

líria porto

com o passar dos anos 
a alma remoça e a gente reinventa
a infância

rosto

líria porto

não vou preencher os vãos
continuarei com os válidos os abismos
e os labirintos

*

bomba

líria porto

meu coração não espera
além do quê sempre teve
válvulas veias artérias
e um lugar certo
à esquerda

*

sexta-feira, 27 de julho de 2018

idade

líria porto

primeiro você senta
depois você tenta
não levanta mais

*

delírio

líria porto

um homem sentado
na beira da laje
lá do outro lado
mirava a vidraça
olhava meu quarto

tirei o agasalho
a saia a blusa
a roupa de baixo
o pobre diabo
comia-me viva

deu-me calafrio
fiquei cabisbaixa
vesti o pijama
deitei-me na cama
nem fui mais à rua

(não fosse tarado
talvez esperasse
apenas o eclipse)

*

quinta-feira, 26 de julho de 2018

lacuna

líria porto

sonhei contigo
subia pelas paredes
havia nenhuma rede
caí em mim

faz tempo que não te vejo
faz tempo que não te beijo
faz tempo

*

alcance

líria porto

ao se olhar o horizonte
nosso olhar perde de vista
a cadeia de montanhas
ultrapassa o entendimento
de que não exista limites
para se chegar tão longe

*

estrume

líria porto

a vaca come o capim
o homem come a vaca
o verme como o homem
a terra come o verme
e tudo retrocede
ao zero da estaca

*

estrume

líria porto

a vaca come o capim
o homem come a vaca
o verme como o homem
a terra come o verme
e tudo retrocede
à estaca zero

*

controle

líria porto

 de lhes dar remédio
apagar seu fogo fazê-los autômatos
é mais cômodo controlar os loucos
a deixar que façam
a revolução

*

tarumirim

líria porto

no entorno de mim
as montanhas
mais belas que elas
as gente

*

coice

líria porto

o que faz um bruto?
olhe pelo buraco
da ferradura

*

lula

líria porto

quem não te quer presidente
os ricaços os ruralistas os banqueiros
os egoístas os privilegiados os entreguistas
os que desdenham a pátria
negociam até a alma
favorecem as elites
(daqui e de fora)
e os analfabetos políticos
que desconhecem a história
da exploração dos pobres
do massacre de que são vítimas

os trabalhadores os patriotas
estes estão contigo e te esperam
em brasília

*

haicai

líria porto

miolo da noite
no fundo da escuridão
olho arregalado

*

haicai

líria porto

miolo da noite
lá no fundo bem no fundo
olho arregalado

*

naco

líria porto

ninguém sabe de tudo
ninguém sabe de nada
entre uns e outros
um pouco
de cada

*

a santa

líria porto

perdeu a cabeça
manteve o cabaço

*

ouro preto

líria porto

cheia a lua cheia
mergulhada no vazio
eu com essa trouxa de roupa
e sem sabão

*


mel

líria porto

bebê-lo meu filho
é tão belo quanto engolir
o sol

*

urnas

líria porto

vós que amais dias amenos
preparai-vos para a luta
a disputa é desigual

(os ricos ficam contudo
os pobres resistem)

*

brecha

líria porto

a viuvinha
não quis outro homem
até o sétimo dia

após a missa
uns pobres diabos
entraram na fila

*

quem sabe?

líria porto

entregues a nós mesmos
estaríamos em boas mãos?
:
tenho dúvidas

*

perigo

líria porto

a gente vai — segue em frente
procura o melhor caminho
obedece as leis
vem a carreta de um bêbado
passa por cima

*

desmedida

líria porto

quanto vento será necessário
para polir as pedras esculpir as montanhas
balançar o oceano transportar as lembranças

*

ingenuidade

líria porto

dizias-me
danças de baby doll
no meu coração

que tolice

para tal aventura
eu jamais usaria
tanta roupa

*

à matriz

líria porto

o teu homem
que eu quis meu
deitou-se comigo
mas me advertiu
seu amor era teu
para sempre

então sê feliz
o teu homem
é um bom homem
e sou borboleta
pronta pra outros
voos

*

quando eu morrer vou virar entrelinha

* líria porto

juiz moro

líria porto

cobra com asa
mesmo numa solitária
jararaca voa

*

esgrima

líria porto

foice a infância
a juventude
porém co’a pele lanhada
restam a saúde
a coragem
pra enfrentar vicissitudes
passar rasteira na morte
até que ela triunfe
que dela
ninguém se safa

*

adiamento

líria porto

tecer a nossa mortalha
com palavras tão espessas
pra que a morte se distraia
e nos tire da cabeça

(pelo menos por uns tempos)

*

resistência

líria porto

chumbo trocado não dói
se o amor é mais forte

*

variações

líria porto

tem gente que não vale o que come
tem gente que não vale o que caga
tem gente que planta
no vale

*

cobra

líria porto

eu trago faca na bota — se me atacas reajo
só mato em legítima defesa

*

mercador

líria porto

em nome de deus
com cara de anjo
essa gente faz
o diabo

*

estopim

líria porto

dão-me chumbo derretido
cuspo bala de canhão

*

domingo, 15 de julho de 2018

giganta

líria porto

farta nos sentimentos nos gestos
prole numerosa marido exigente
exímia cozinheira
trabalheira redobrada
minha mãe ainda achava tempo
para as colchas de crochê e os bicos
em panos de prato

*

sábado, 14 de julho de 2018

pés juntos

líria porto

o inverno a entrar pelos poros
congelar-nos os ossos condenar-nos
inocentes
:
já não temos lenha

(mais inferno é a lei
dos homens)

*

quinta-feira, 12 de julho de 2018

dona dona

líria porto

setenta e tantos anos
com tudo que tem direito
flacidez cabelos brancos
excesso de peso e rugas
ironia malcriadez
boca suja
e um pouco de poesia
para compensar o medo
dos tempos que vêm
de roldão

*

quarta-feira, 11 de julho de 2018

grávida

líria porto

a vida –– ávida
é dúvida e é dádiva

*

processo

líria porto

adio protelo postergo procrastino
faço vistas grossas  –– empurro co'a barriga
e no fim do prazo disparo o gatilho

o tiro?
na mosca

*

terça-feira, 10 de julho de 2018

banzo

líria porto

a áfrica na pele
a tristeza nas vísceras

*

domingo, 8 de julho de 2018

agudo

líria porto

teu silêncio
entrou por um ouvido
saiu pelo outro
:
perfurou-me
os tímpanos

*

mulheres

líria porto

às onze em ponto
mamãe chamava meu pai
que destampava as panelas
servia-se
comia rapidamente
e retornava ao batente

depois dele a meninada
e mamãe nem se lembrava
de pôr comida pra ela

(poucas vezes
vi mamãe sentar-se à mesa
almoçar junto com todos)

*

na goela

líria porto

palavras que coagulam
matam-nos por asfixia

*

confiança

líria porto

eles quebram a gente cata
tenta juntar o que resta
montar um mosaico
um lugar ainda belo
onde se possa retomar as rédeas
criar nossos filhos e netos
e viver sem miséria

*

sábado, 7 de julho de 2018

alternância

líria porto

passarinhos –– já pra árvore
é hora de recolhermo-nos
o sol detrás das montanhas
agora é vez dos morcegos

*

sexta-feira, 6 de julho de 2018

reações

líria porto

todos sentimos à boca
o gosto amargo do golpe
há quem engole o veneno
quem simplesmente
devolve-o

*

primeira vara

líria porto

o doutor cheio de panca
de pança e falcatrua
(malas de bagulho)
continua livre

(quem governa para os pobres
perseguido por golpistas
trancafiado sem provas
é preso político)

*

quarta-feira, 4 de julho de 2018

haicai

líria porto

no meio do céu
a lua feita a compasso
hóstia consagrada

*

segunda-feira, 2 de julho de 2018

sedução

líria porto

a poesia requebra pra mim
depois diz por aí que a assedio
na verdade –– ela e eu –– dois vadios
damos trela um ao outro e esse rolo
faz-nos cúmplices

*

obra

líria porto

mais criativos
que o ovo e o útero
impossível

*

revolta

líria porto

na queda da pastilha
não sobrou garganta
ou gargalhada

*

plenilúnio

líria porto

a lua
etérea diáfana
a perder toda a matéria
diluir-se na neblina
já virou ideia fixa
na cabeça dos poetas
e por mais que se desfaça
marca presença
imprime-se

*

haicai

líria porto

a lua esfarela
qual fosse hóstia ou beiju
feitos de farinha

*

francisco

líria porto

nome de gente grande
é grande o menino
de sete anos
:
o que ele fala eu transcrevo
num trevo de quatro folhas

*

romance

líria porto

o amor nos distrai
só vemos o outro –– traímo-nos
dissolvemo-nos ao ponto
de esquecer de nós mesmos
dos nossos anseios
e sonhos
:
deixamos de ser o sujeito
tornamo-nos objeto
utilitário

*

terça-feira, 26 de junho de 2018

prendam-me em camisa de flor

proteção

líria porto

nunca disse que te amo
nem vou dizer –– o que sinto
sinto muito
não será usado
contra mim

*

o telefonema

líria porto

(se quem atende é a madame
melhor dizer –– é engano)

alô
quem fala?
com quem tu queres falar?
contigo mesmo doutor
é que morro de saudades

és tu?
custo a crer
eu penso em ti tempo todo

(e tudo voltou à tona
o sentimento as lembranças
o amor do cão
da cadela)

*

frustrações

líria porto

e quando chega a noite
devora o dia contido
e bebe além da conta
e come mais que
a barriga

*

domingo, 24 de junho de 2018

privilégios

líria porto

eu posso tu podes –– eles não
por esta razão não devemos
enquanto houver um
à margem

*

pão fresco

líria porto

ele vinha camuflado
óculos jaqueta boné
olhava de um lado
doutro
(passos rápidos)
entrava –– trancava a porta
dirigia-se a meu quarto
e só então mais tranquilo
beijava-me e se despia

após umas duas horas
vestia tudo de novo
saía meio fugido
passava na padaria
aquela perto da praia
(para apagar as pegadas)
e voltava para casa

sexta-feira, 22 de junho de 2018

de espuma

líria poro

aba marítima
cheia de garças
bendita sois
entre as mais belas
bendito é o mar
o céu a brisa
e as águas

*

o maestro

líria porto

procurei-o por toda banda
ele tocava a orquestra

*

intimidade

líria porto

em toda a sua extensão
(do focinho ao rabo)
os cães são sensíveis
a afagos

*

ioiôs

líria porto

as nuvens que o vento leva
as nuvens que o vento traz
tais quais esses pensamentos
que vão e voltam
e não param

há nuvens que evaporam
há pensamento esquecido
e nuvens de tempestade
e pensamento suicida

*

pretextos

líria porto

em nome de deus
o diabo faz guerra

*

afins

líria porto

melhor amiga é a irmã
nascida doutra barriga

melhor amigo é o amor
com quem jamais
casaremos

*

goooooooolpe

líria porto

e não é bola
é bala
camisa verde amarela
pedra quadrada
que invade como petardo
e abala
a democracia

*

dividida

líria porto

pode ficar com a bola
eu sei brincar de outra coisa

*

quinta-feira, 21 de junho de 2018

na escuridão

líria porto

as estrelas brilham
como piscam os vagalumes
:
quem acende as luzes?

*

domingo, 17 de junho de 2018

quem?

líria porto

então eu pergunto
quem vai traduzir a minha alma
se não para o sânscrito
para o português
da padaria

*

ultimátum

líria porto

entre ti e ela
escolhi a cadela

*

contrassenso

líria porto

o corredor
ilhado por paredes e portas
permanece parado

*

sábado, 16 de junho de 2018

na moita

líria porto

a lua –– sorriso de monalisa
está a aprontar alguma

*

sexta-feira, 15 de junho de 2018

a viagem

líria porto

um astronauta
virá me buscar
de raio ou cometa
para outra galáxia
onde estão meu pai
minha mãe
minha avó
e todos aqueles
que viraram
estrelas

*

quinta-feira, 14 de junho de 2018

bisonho

líria porto

os pesadelos soltos
e o sonho preso

*

terça-feira, 12 de junho de 2018

marido

líria porto

pega outra faca e colabora
pica o chuchu descasco a abóbora
e a gente chega junto

*

à foz

líria porto

vou-me como um rio
que sabe o percurso
de memória

*

haicai

líria porto

o galo madruga
arromba o portão do dia
com muito barulho

*

segunda-feira, 11 de junho de 2018

a_deuses

líria porto

uma partida a mais
um parto a menos
quiçá um aborto

*

êxtase

líria porto

bêbada
sem uma gota de álcool
de vida mesmo de espanto
do labirinto descompensado
que é a existência

*

domingo, 10 de junho de 2018

sintonia

líria porto

a vida
canal de te ver
saiu do ar

(perdemos a concessão)

nem voz nem imagem
de ti eu só tenho
um ruído

(e o chuvisco)

*

quinta-feira, 7 de junho de 2018

do mato

líria porto

ganhei uma pena verde
para escrever meu verso
não careço de caneta
a tinta tiro da veia
:
eu sou contra o progresso
contra o comércio
e o dinheiro

*

fingimento

líria porto

quero crer que o crocodilo
sente como crocodilo
coisas muito diferentes
das coisas que a gente sente
:
crocodilo é crocodilo
gente eu não sei
quem é

*

desperdício

líria porto

elas têm tudo
muito mais que tudo
e não acho justo
(têm boa índole)
que elas se tornem
seres insensíveis
de coração duro
:
todas as crianças
podem ser levadas
ao bem e ao mal

*

fuzuê

líria porto

a passarada alvoroça
as madrugadas
na roça

*

o déspota

líria porto

acusa julga e prende
e nem precisa haver crime

*

cadeado

líria porto

amor és a senha
contigo entro saio –– abro e fecho
o cadeado

*

haicai

líria porto

primeiro de junho
um avião risca o céu
rastros de fumaça

*

surrupio

líria porto

há mãos que dão
mãos que tiram

a que assina os decretos
é a mão do larápio

*

censura

líria porto

tenho estado
tenho sido
abduzido pelo sistema
que me faz calar o bico
abafar meu sentimento

*

vício

líria porto

há quem lute para escrever
eu luto para não escrever
isso é uma cachaça

*

rodízio

líria porto

quando a água se evapora
ela sobe forma a nuvem
e o bom da novidade
é que um dia a nuvem chove
rega o chão e enche o rio

o sol volta –– recomeça
seca o excesso de umidade
e remoça a floresta

*

quarta-feira, 30 de maio de 2018

na ponta do lapso

líria porto

já vivi mais de três quartos
na verdade quatro quintos
sei que a parte derradeira
(por certo a mais difícil)
pode ser interrompida
a qualquer momento

*

terça-feira, 29 de maio de 2018

ceticismo

líria porto

entre minhas coxas
cochichas o nome das outras
não me incomodo
:
todo amor é provisório

(quando dura muito
é carma)

*

salvo-conduto

líria porto

se não para a morte
necessito um passaporte
para a loucura

*

segunda-feira, 28 de maio de 2018

umbigo

líria porto

dei de matutar
entregue a milhões de grilos
de falar com meus mamilos
que o centro da barriga
é o poço da vaidade
frequentado por lombrigas
e por egos incapazes

*

cuidados

líria porto

na casa da bisavó
debaixo do filtro de barro
uma bacia esmaltada
aparava os pingos d'água

*

ranhuras

líria porto

nesta altura dos meus dias
não me permito frescuras

ciscam em torno dos meus olhos
milhões de pés de galinha

*

ru(s)gas

líria porto

as garras do tempo
afundam as ranhuras
na pele dos homens
e das mulheres

*

domingo, 27 de maio de 2018

estações

líria porto

na primavera
a infância

no verão
a juventude

no outono
homens maduros

no inverno
arribação

*

sexta-feira, 25 de maio de 2018

revisão

líria porto

meu amor gostava dela
e deve ser gente boa
a moça que eu desprezo

confesso minha fraqueza
por defeito do meu ego
detestar uma pessoa

*