quinta-feira, 26 de novembro de 2020

covarde

líria porto


sua fala grossa
e seu falo fino
agridem mulher
e menino

*

maradona

líria porto


a bola procura seus pés
e a lua cheia lhe diz
conforma-te dona pelota
não chores mais
dom diego agora é meu
e o jogo vai ser
no céu

*

farsa

líria porto

quem dera pudéssemos
ser autor e diretor 
da nossa peça
medíocre

*

eloquência

líria porto

a resposta
do silêncio
é não

*


sorrateira

líria porto

os dias andam de botas
a morte vem de pantufas


despoema

líria porto


pre_ocupo minha mente
com aberrações diárias
sem governo bom pro povo
poesia faz as malas
vai-se embora
pra pasárgada


*

quinta-feira, 12 de novembro de 2020

alienação

líria porto

falemos do tempo
(esse chove não molha)
que política é proibido

*

terça-feira, 10 de novembro de 2020

a comadre

líria porto


da porta pra fora
tímida recatada
da porta pra dentro
só sabe quem entra
(palavras do compadre)


*

mea culpa

líria porto


por teima por rebeldia
afundei-me até os joelhos
naquela lama tóxica
sujei a roda do vestido
saí incólume
imaturo e ingênuo
por me admirares
por gostares de mim
seguiste-me o mau exemplo
mergulhaste de cabeça
:
nem te pedi desculpa

*

incompatíveis

líria porto

o sol penetra no azul
a lua sai à francesa

dissimulado

líria porto

um santo não sente o que sinto
pressente-o mas muda de assunto

*
 

estratégia

líria porto

o nosso abraço furtivo
tentávamos driblar o vírus
e a saudade maldava

*

vinagre

líria porto


as uvas estão verdes
as casadas maduras
e as viúvas
passadas

*

o zangão

líria porto

sem saber que a rainha o observa
ele zumbe em torno da flor
quer seu néctar

*

etapas

líria porto

não sei quando não sei como
nem ao menos sei porquê
porém sei - tudo que nasce
tem começo fim
e meio

*

enigma

líria porto

tranquei-me no quatro
tem uns três dias
mas depois de amanhã
tomo coragem
:
dou um jeito de sair
com duas no bolso
e um na mochila

*

pontaria

líria porto


sempre que tento
acertar no erro
o resultado
é sofrível

*

circustâncias

líria porto


ama a tempestade
a ventania
quem tem teto
e abrigo

*

tabu

líria porto


tem menino que é menina
(e vice-versa)
menina que tem pênis
menino que tem vagina

*

formalidade

líria porto


pergunto por perguntar
respondes por responder
e assunto acaba ali
no silêncio profundo
na intimidade que existe
entre a água e o azeite

*

cotton

líria porto


tão velhinhas quanto minha pele
mais confortáveis que a minha idade
minhas duas camisolas bege
:
gêmeas univitelinas

*
................................................................

cotton

as old as my skin
more comfortable than my age
my two beige sweaters
:
identical twins

*

domingo, 18 de outubro de 2020

novela

líria porto

quando vê o cão
a lua mia
quando vem o gato
a lua late
enquanto os dois brigam
a lua assobia
:
e assim o tempo passa

*

perene

líria porto


a cicatriz do amor
tatuada em nosso espírito
qual marca de nascença

*

escudos

líria porto

a convivência é difícil
a falta dela - mais ainda
é morte em vida
:
ninguém entra ninguém sai
vês tudo pela janela
ou nas telas
da tevê
(atrás da máscara
o possível)

*

trêmula

líria porto

a vida
gota presa na torneira
pinga não pinga

*

extinto

líria porto


não fora um poeta medíocre
de repente caiu na mesmice
e o que era pra ser um rochedo
derreteu-se qual pedra de gelo
alagou o seu verso
sua rima

(foi assim que morreu)

*

temporal

líria porto

aos trinta anos
o sangue fervia nas veias
eu tinha três filhas e havia
um longo caminho
à beira dos setenta e cinco
(quatro filhas quatro genros
dois netos)
a estrada ficou para trás
o sangue anda meio talhado
porém ainda resta
o atalho
(depois da foz
o mar aberto)

*

segunda-feira, 12 de outubro de 2020

mormaço

líria porto


o bafo fedido do diabo
saído do centro da terra
para as bocas de lobo
:
o inferno é aqui

*

boas vindas

líria porto


e venha a chuva
e chegue mansa
e seja farta
preencha os rios
salve a lavoura
viceje o pasto
renove o verde
compense o povo
a flora a fauna

*

proporção

líria porto


um besouro
que crescesse além da conta
e se tornasse mamífero
seria rinoceronte
(mais parecido
impossível)

*

adeus

líria porto

sou daquelas que abandonam o amor
antes da completa decadência

*

aqui e ali

líria porto


por onde olhe vejo rostos
na nuvem nas manchas do azulejo
no amarrotado do lençol
nos nós da madeira
por onde olhe vejo mortos
vozes ainda não ouço
não enlouqueci completamente

* líria porto

impactos

líria porto


quando fiz sessenta anos
falei em voz alta - tenho a idade
da minha avó
semana que vem
quando completar setenta e cinco
vou dizer o quê?

*

rebelião

líria porto

quando os poderosos
aceleram iniquidades
e postergam o essencial
tudo muda cega surda
e atiça o brio

*

terça-feira, 29 de setembro de 2020

demência

líria porto


se eu me perder de mim
nunca mais não me achar
e desistir da procura
vai ver então eu morri
sem sequer mandar aviso

melhor assim
nem vou precisar usar luto

*

domingo, 27 de setembro de 2020

ordenha

líria porto

palavra?
tiro de letra
poesia?
leite de pedra

dona mocinha

líria porto


para amarrar o vovô
não precisou de algemas
e muito menos de corda
para amarrar o vovô
bastou mostrar-lhe os joelhos
e afrouxar o decote

*

sábado, 26 de setembro de 2020

boiadeiro

líria porto


ela pensava nele e ele
na morte da bezerra

*

violão

líria porto

tereza dentro da saia
quase rompia as costuras
tereza dentro da blusa

*



sexta-feira, 18 de setembro de 2020

chilique

líria porto

é que a rosa
tão segura
protegida
por espinhos
descabela
mais que as outras
desespero
sem motivo

*

quinta-feira, 17 de setembro de 2020

a matriarca

líria porto


àquela alma devassa
o corpo virou clausura
:
os que estiveram à altura
viraram cinzas escaras

múmias

*

voo

líria porto

ao chegar a minha hora
parto sem dor e sem fórceps

*

afirmação

líria porto


afora a muita idade
que molesta alguma junta
(quase três quartos de século)
eu tenho boa saúde
e plena capacidade
de me fazer companhia
arrumar minha bagunça
cuidar de mim e das coisas
reclamar do desgoverno
fazer agrado pros netos
e tentar tecer uns versos
:
pois olho
espio
nem sempre enxergo
tenho mais de um ponto cego

*

domingo, 13 de setembro de 2020

níveis

líria porto


os que a ignoram
os que fecham os olhos
os que só a olham com binóculos
os que caminham com ela
e aceitam a morte
como integrante
da trajetória

*

margarida

líria porto


agudos obtusos
jamais um ângulo reto – então
por favor
não me enquadrem
prefiro a forma do circo
da bola da lua
do que é feito em compasso
:
qual uma flor com miolo
que abriu mão
do perfume

*

quinta-feira, 10 de setembro de 2020

furtacor

líria porto


um verso me chama
sonolenta desconverso
viro pro canto cochilo
percebo –– existe um grilo
a zumbir no meu ouvido
abro o olho e só vejo
escuridão

*

domingo, 6 de setembro de 2020

até quando?

líria porto


os silêncios grávidos
de palavras de aplausos
de risadas

*

lui

líria porto


acordar que pesadelo
partiste pra não voltar e no sonho
é que te vejo

*

terça-feira, 1 de setembro de 2020

empatia

líria porto


as paredes
têm-me ouvido
os silêncios
os sussurros
os gemidos

*

segunda-feira, 31 de agosto de 2020

despedida

líria porto


esvai-se pouco a pouco
a minha flor
vou-me a passos largos

*

carência

líria porto


eu tive a alma marcada
com ferro e fogo
por isso rio de lado
trago nos olhos dois lagos
e essa mania de polvo
:
quero um abraço

*

tensões

líria porto


a morte puxa de um lado
a vida de outro
até que a corda rebente
do lado mais fraco

*

isolados

líria porto


durante a pandemia
as dores aparecem a poesia some
e a gente come mais do que devia

*

quinta-feira, 27 de agosto de 2020

lombada

líria porto


outra vez pelas encostas
a dor escala a colina
do sopé até o cume
(do cóccix até a nuca?)
e a velha montanha de guerra
soterra sua postura

*

terça-feira, 25 de agosto de 2020

a minha margem de erro adora pisar em falsos

olhar

líria porto


quem nos mede dos pés à cabeça
tem complexo de inferioridade

*

cético

líria porto

sou o tipo da pessoa
que duvida das certezas
e põe fé nas dúvidas

nocaute

líria porto


o cúmulo da elegância
é um tapa com luva
de pelica

blefe

líria porto

da porta pra dentro um cavalo
da porta pra fora um gentleman
durante o divórcio condenaram-na
mulher infiel –– um homem
tão bacana

*

sexta-feira, 21 de agosto de 2020

ameaçador

líria porto


um vilão invisível
exilou-nos em nossa casa
acorrentou-nos a nós mesmos
afastou-nos dos filhos dos netos
dos amigos
condenou-nos a morrer
sozinhos

*

quarta-feira, 19 de agosto de 2020

cambalhota

líria porto

funciono na vertical
porém se oblíquo da vida
ponho-me na horizontal
espero o âmago animar-se
dou novo salto (i)mortal
e confesso piamente
odeio rima
                 e abacate

*

terça-feira, 18 de agosto de 2020

incógnitas

líria porto


não sei não sabes
pouco sabemos
uns sobre os outros
sobre nós mesmos


domingo, 16 de agosto de 2020

periculosidade

líria porto


seu orlando
o terrível comunista
perseguido pelos militares
preso durante a ditadura
esculpia anjos e rosas de madeira
contava histórias para crianças
e deixava torneiras mal fechadas
para dar de beber 
aos marimbondos


sábado, 15 de agosto de 2020

recanto

líria porto

chegava meio fugido e saía de soslaio
quando eu o devolvia para o recinto do lar

:
eu era só seu oásis


quinta-feira, 13 de agosto de 2020

13 de agosto

líria porto


o mundo de ponta cabeça
a gente de pernas pro ar
se desistir me enfraqueço
se resistir quebro a cara

eu vou do quarto pra sala
eu volto da sala pro quarto
o corredor me espiona
parado no meio da casa

preciso ter paciência
fazer desfazer remendar
já sei – a vida tem preço
e a hora do verso
é no caos


*

quarta-feira, 12 de agosto de 2020

incompleta

líria porto


cristalinos e amígdalas
vesícula apêndice um rim
útero ovários memória
equilíbrio juízo paciência
alguns dos dentes

:
faltam-me uns pedaços
nem por isso sou vazia


*

monotonia

líria porto

ontem pareceu-me domingo
hoje parece-me também
se amanhã for domingo
– sequência de dias inúteis –
o eixo do mundo emperrou
ou eu morri
e não sei

*

desgosto

líria porto


o meu verso já foi doce
e até apimentado
depois se tornou azedo
agora meu verso amargo
é o retrato falado
de um tempo de fel na boca
saliva grossa
dissabor

*

profundidade

líria porto


uns passam ao largo
não prestam atenção
olham e não veem
outros atêm-se aos detalhes
percebem as linhas
as nervuras
perguntam interessam-se
querem saber mais


*

segunda-feira, 10 de agosto de 2020

extermínio

líria porto


se eu fosse autoridade
mandasse em alguma coisa
fazia plantar quaresmeiras
ou talvez pés de ipê roxo
onde houvesse covas rasas
(ou pelo menos no entorno)
pra que ninguém se esquecesse
que num tempo em minha pátria
(2020 - ano da pandemia)
existiu um desgoverno
(da cloroquina ao ozônio)
que não assistiu seu povo
permitiu e incentivou
que houvesse morte
em massa

*


sábado, 8 de agosto de 2020

bumerangue

líria porto


eu que amei doidos e putas
brumas e tempestades
confesso que nesta vida
também eu fui bem amada


*

fura-buxo

líria porto


a morte antecipada
de uma das suas flores
revelou-lhe o que sabia
não tinha nenhum preparo
para perdas prematuras
pras ciladas do destino
metido a inverter a ordem
:
esperasse a sua vez


*

sexta-feira, 7 de agosto de 2020

tom conselheiro

líria porto


segundo meu alter ego
poetas são tristes
(ou mal-humorados)
clamam da vida
do sofrimento
não riem de si
falam o menos possível
(e de preferência
mantêm silêncio)

mandei-o à merda
e agora na dúvida
(sou libriana)
:
fiz mal
ou fiz bem?


*

insônia

líria porto


eu era boa de cama
deitava e dormia

a pandemia bagunçou
meu lençol


*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog