quinta-feira, 31 de maio de 2012

arrego

líria porto

peço a lua que me ajude a fazer verso
ela se recusa diz que é musa e não
poeta

*

lábia

líria porto

colocá-las lado a lado
alinhavá-las poli-las
empolá-las

(palavras palavras palavras)

conluio conclave
coligação lereia lero-lero
blá blá blá

*

quarta-feira, 30 de maio de 2012

rusga

líria porto

é um chuvisqueiro
tudo vai passar
logo o sol retorna
e esse frio na alma
que nos incomoda
que nos traz tristeza
vira a experiência
sempre necessária
para que se aprenda
o valor das coisas
que nos são caras

*

aviãozinho

líria porto

voa verso
ultrapassa a nuvem 
roça o azul
puxa o pezinho de um anjo
faz estrepolia

*

bulling

líria porto

aquele que nos machuca
se não for advertido poderá se divertir
às nossas custas e pelas nossas
costas

*

sesta

líria porto

o silêncio não combina
com a arruaça da vidraça

ela fecha a cortina
e na paz da penumbra
nada mais a deslumbra

dorme
mas não sonha

*

domingo, 27 de maio de 2012

frappé

líria porto

nem bem nem mal nem bom ou ruim
não cheira nem fede não queima
nem gela

(é o morno que nos imobiliza)

*

sábado, 26 de maio de 2012

samaritana

líria porto

o forasteiro chegou
chorava como criança
tirei-lhe as botas
o chapéu
puxou-me então para a cama
chamou-me por outro nome
consolei-lhe a viuvez

quando adormeceu
abri a sua carteira
peguei o que me devia
deixei o motel

parti para outro programa – desta feita
uma mulher

*

sexta-feira, 25 de maio de 2012

doutrina

líria porto

bem fiz em matar as missas
as aulas de religião
pássaros não são felizes
dentro de gaiolas

*

toc toc toc

líria porto

como quando vai doer
perguntas que não se calam

a vida dá passos largos
caminha de salto alto

tão apressada
pra quê?

*

quinta-feira, 24 de maio de 2012

fantasmas

líria porto

companhia companhia companhia
frente à ideia fixa forrou as paredes
com espelhos

(a casa encheu-se de assombrações)

*

quarta-feira, 23 de maio de 2012

rosa

líria porto

caminho de pedra e espinho
também tem perfume e pétala
:
respira fundo

*

bando

líria porto

as andorinhas
entoam a mesma nota
decidem a mesma rota
arribam-se vão para os trópicos
na própria companhia

*

placa

líria porto

emparedar o coração
um tijolo outro outro
depois só passar reboco
quero ver quem entra
:
fechado pra balanço

*

piçarras

líria porto

cerro os olhos e os cirros
surrupiam meu sorriso

*

terça-feira, 22 de maio de 2012

lord

líria porto

pegou amor por si mesmo
diz-se celibatário
solteirão bem resolvido
bem vestido perfumado
gosta de viver sozinho
bebe vinho lê bons livros
ouve jazz música clássica
mais não sei –– não mo permite

falar em mulher não fala
mas também não tem amigo
:
terá ele alguma tara?

*

segunda-feira, 21 de maio de 2012

folgado

líria porto

chega de manso não pede licença
e logo se deita em tua cama

tu te serves no lanche na janta
no café da manhã

um dia ele parte nem se despede
e fala mal da comida

*

vergonha

líria porto

cada qual desempenha seu papel
vez por outra um vexame um papelão
uma nódoa no currículo

*

quinta-feira, 17 de maio de 2012

do café

líria porto

a água não alcance a fervura
e manterás o sabor
e o aroma

*

rubor

líria porto

para o tímido
ser o foco das atenções
é um suplício

(apaguem os holofotes
e acendam velas)

*

vate

líria porto

campeia-os arrebanha-os
conduz versos ao poema com o zelo
de um pastor

(o cajado é uma caneta)

*

terça-feira, 15 de maio de 2012

tentação

líria porto

querer eu quero –– não posso
o moço é um poço de problemas
e eu fujo de encrenca
como do diabo

*

camuflagem

líria porto

a verdade é dura direta
como um soco no fígado
uma topada na pedra

a mentira é macia sinuosa
e por isso é que ela nos enrola
que mentimos a nós mesmos

*

ser_tão

líria porto

sem rio e sem mar
(pernas plantadas no chão)
a língua chega a trincar
:
a secar a saliva

*

segunda-feira, 14 de maio de 2012

busca

líria porto

no matagal do teu peito
afundei os dedos
cavouquei intensamente
e não achei enraizado
nenhum coração

*

sonhadora

líria porto

passarinhos a distraem
arrancam-na das páginas do livro
e seus olhos voam

es_tudo pede atenção
mas ela não consegue – é mais avoada
que a borboleta

*

domingo, 13 de maio de 2012

debilidade

líria porto

tem um olho na nuca um na testa
vê o passado o futuro mas no momento
é cego

*

súmula

líria porto

proseio em verso e deixo suspensos
dois pensamentos

*

socorro

líria porto

ajuda-me mãe
a apressar o passo
fortalecer os braços
para que eu possa aliviar
os sofrimentos e tristezas
dos meus filhos

*


sábado, 12 de maio de 2012

mensageiro

líria porto

o zunir do vento
lá de longe traz recados
diz das coisas que não vemos
do mar das ondas das conchas
das belezas que só sei
por ouvir dizer

*

pelos

líria porto

como um gato no tapete
eu ronrono nos seus braços
espreguiço no seu peito
o prazer aqui é mato

*

sexta-feira, 11 de maio de 2012

insaciável

líria porto

não faço tudo que quero
não posso tudo que faço
igual buraco sem fundo
eu atravesso esse mundo
sem chapéu e sem sapato

*

aberto

líria porto

vasculho o horizonte - os olhos até ardem
não consigo distinguir a linha que separa
o céu do mar

o céu é o mar?

*

maria-fumaça

líria porto

eu olho tu olhas nada vejo não me vês
nós ficamos separados e a fuligem que nos cerca
tem o peso do adeus

*

quinta-feira, 10 de maio de 2012

revoada

líria porto

francisquinho aperta o passo
sai correndo atrás dos pombos
eles voam  voam raso
compreendem a brincadeira
e o menino dá risadas cria asas
vai com o bando

(os meus olhos voam junto
olhos cor de folha seca)

*

purpurina

líria porto

jamais será uma estrela
não tem pontas e seu brilho
fincou lá longe – na infância

*

cena

líria porto

tão tristes e vagos quanto uma casa vazia
os olhos da dona sentada no pátio do asilo
em dias de visita

*

árido

líria porto

o medo – esse camelo
transporta para a nossa existência
o deserto

*

quarta-feira, 9 de maio de 2012

duração

líria porto

a vida levou-lhe a infância
o riso os melhores sonhos
deixou-o só e tristonho
a esperar moça caetana

*

terça-feira, 8 de maio de 2012

de_cantar

líria porto

deixar o cansaço escorrer até os pés
e mudar o passo

caminhar sem olhar para trás
sob o risco de virar estátua

*

meteoro_lógico

líria porto

trinta degraus abaixo de zéfiro
o galo tosse e a cotovia canta rouco
toma antibiótico

*

segunda-feira, 7 de maio de 2012

desconselhos

líria porto

menina menina
não pintes a cara
não uses decotes
não sejas tão fácil
diziam-lhe as tias

fez tudo o que quis
faz tudo o que quer
e continua na área

*

recesso

líria porto

o morno da água o cheiro bom
o corpo limpo livre do suor
a toalha o pijama os chinelos
a sopa a cama
:
boa noite amor
sonha com os anjos

*

sábado, 5 de maio de 2012

condão

líria porto

não creio nem descreio – crio
faço o fio virar laço o barco virar navio
e trago para brincar um punhado
dos meus filhos

*

pega-pega

líria porto

a lua cheia de maio
mais bonita do que nunca
a brincar de esconde-esconde
a correr de nuv'em nuvem

eu caminho ela caminha
pisca pisca depois some
sou um pobre vagabundo
um qualquer morto de fome

venham todos para a rua
vem francisco vem malu
a vovó ficou maluca
maluquez de mameluca

achei

*

sexta-feira, 4 de maio de 2012

dia chuvoso

líria porto

fazia tudo o que faço
mas ontem caiu no bueiro
e eu segui na enxurrada

*

quinta-feira, 3 de maio de 2012

espaço

líria porto

moro comigo e adoro
ninguém me chateia
ninguém dá palpite

só mesmo a do espelho
(e se deixo)

*

tédio

líria porto

corpo ancorado em extremos
porta trancada janelas abertas
olhos semicerrados
mãos cruzadas sobre o peito
finge-se de morta

e a morte ali
à espreita

*

enfado

líria porto

vazar no braquiado sumir no mato
nunca mais aparecer

(a não ser numa tela de cinema
como pombajira ou algo que o valha)

é querer demais?

*

vingança

líria porto

os dentes da escavadeira
morderam a montanha o verde o ouro
o ferro
:
tomara fique banguela

*

quarta-feira, 2 de maio de 2012

olho

líria porto

em torno da íris um arco branco
perguntam-lhe - catarata - ela responde
se for já não salta faz cem anos

*

xeque-mate

líria porto

juro - eu juro
nesta armadilha eu não caio
o banco que me espere bem sentado
nenhum deles terá lucro
por minha conta

*

terça-feira, 1 de maio de 2012

têmporas

líria porto

reflexos da lua fazem a sesta
esperam o passar do tempo numa rede
a vida em seu corpo não tem pressa

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog