segunda-feira, 29 de junho de 2020

a dança

líria porto

a vida fosse um tango
e mal não haveria que me conduzisses
mas viver é um bailado solo
:
eu me vire
tu te conformes

*

domingo, 28 de junho de 2020

bagunceiro

líria porto

o vento
ô moleque malcriado
chuta a porta espalha o cisco
faz de mim gato
e sapato

*

aterrissagem

líria porto

o tempo como uma águia
voa rápido vai tão longe
todos nós em suas garras

quando chega a nossa hora
entrega-nos a um paraquedas
que não se abre

*

sexta-feira, 26 de junho de 2020

carnívoro

líria porto

o louva-a-deus é voraz
devora sem piedade
moscas baratas passarinhos
serpentes gafanhotos mariposas
borboletas joaninhas grilos
lagartixas
e prefere comê-los
vivos

(em nome de deus
o diabo)

*

registro

líria porto

no fatídico ano de 2020
um tal corona vírus
–– pelo conluio e/ou omissão das autoridades constituídas ––
contaminou e matou milhões de homens e mulheres
e sepultou em covas comuns
–– sem a presença da família e dos amigos ––
suas pobres carnes

*

quinta-feira, 25 de junho de 2020

apartamento 903

líria porto

estou numa bolha
e dentro dela
a orquídea a cebola
o fogão a panela
os livros os papéis
as notícias da morte
a cama as cobertas
a saudade dos netos
e o tempo que passa
inexorável
:
no espelho
uma velha

*

afazeres

líria porto

se penso que sou minha escrava
estou muito enganada

faço o que quero
quando quero
como quero
e se não ficar do meu agrado
eu me dane

*

domingo, 21 de junho de 2020

peleja

líria porto

ao nascer sobrevivi
pra viver –– muitos tropeços
e morrer ninguém garante
possa haver algum
sossego

*

sábado, 20 de junho de 2020

crateras

líria porto

o dedo podre do chefe
seleciona auxiliares
entre os piores canalhas
com eles promove estragos
e transforma nossa pátria
num terrível cemitério

*

quinta-feira, 18 de junho de 2020

sonetinho pandêmico coletivo

líria porto

deitar ao relento
cobertos por terra
sob o olhar da estrela
nosso sono eterno

última aventura
sequer algum plano
e na companhia
dessa gente estranha

(tal qual fosse guerra
todos condenados
à morte sumária

uma pá de cal
a terra por cima
a gente debalde)

*

tititi

líria porto

tal cobra venenosa
a língua bipartida
da maledicência

*

quarta-feira, 17 de junho de 2020

dona de casa

líria porto

nunca foi uma brastemp
não almejava ser máquina
nem modelo para nada
tinha medo de robôs
e desprezo por maridos
esses ladrões
de energia

*

segunda-feira, 15 de junho de 2020

dos pesos e desmedidas

líria porto

rica
bonita
talentosa
e a outra
dio santo
desamada
desprovida

) vário
é o desígnio
do adeus (

*

nativa

líria porto

se eu for enterrada
plantem um ipê amarelo
sobre a cova rasa

se me cremarem
depositem-me as cinzas
aos pés da sibipiruna

*

baixo clero

líria porto

em nome de deus
a mando do diabo
a caquética política
veste farda

(brasil
velório coletivo
sepultamento em massa)

*

sábado, 13 de junho de 2020

enfermos

líria porto

quando a vida mastiga os corpos
a morte tem piedade

*

fernando

líria porto

quisera alisar a tua calva
deixar que teus bigodes me fizessem cócegas
trair-te com teus heterônimos

*

sexta-feira, 12 de junho de 2020

con_finados

líria porto

o acampamento
é bom por uns tempos
quebras a rotina
expandes o espírito
mas a volta aos trilhos
por mais necessária
ela acaba sendo
o teu caminhar
sobre a navalha
:
estás por um f(r)io

*

quinta-feira, 11 de junho de 2020

muralhas

líria porto

em nome do progresso
os homens plantam prédios
caixotes de concreto
empilham as janelas
estendem as paredes
impedem nossos olhos
de irem além
do nariz

(de pouco em pouco
um rato come
       meu horizonte)

*

sexta-feira, 5 de junho de 2020

homilia

líria porto

a pomba gorducha
da dona beata
armava a garrucha
do senhor vigário
que todo domingo
lá na sacristia
comia-a e louvava
a ave maria

*

quarta-feira, 3 de junho de 2020

seirabeira

líria porto

a flor que outra flor me trouxe
tão rubra quão seus cabelos
aquela veio em buquês - a outra
é a mãe do pedro

*

contraponto

líria porto

sou maria vai co'as ostras
sempre à procura das pérolas
as legítimas –– tão difíceis
não as outras
feitas em laboratório
como os falsos democratas
(oportunistas golpistas)
que ora formam manadas
travestem-se de patriotas
e assinam manifestos
depois de terem apostado
no que há de pior
mais nefasto
ao futuro e ao país

(nós os conhecemos
e não é de hoje
:
golpeiam os trabalhadores
retiram-lhes os direitos
não hesitam em usá-los
- desempregá-los -
ou apertar-lhes o cinto
em nome da economia
e do mercado)

*

terça-feira, 2 de junho de 2020

calma

líria porto

jacarés no alagado
dormem - parecem pedras
a água se move ao lado
as asas da borboleta

nuvens passam
lavam o azul

*

desfile

líria porto

do alto da sua pose
a girafa me desdenha
não sou como aquela moça
que brilha na passarela
que passa como se fosse
a mais bonita gazela
a rainha do universo

*

sopro

líria porto

o vento
é o fio condutor
do frio

*

fome

líria porto

ante a frieza
a poesia congela
não tem comida na mesa
só esse grito
na goela

*

haicai

líria porto

a lua crescente
igual papoula amarela
plantada na treva

*

haicai

líria porto

luas perambulam
flutuam na escuridão
atrás dos planetas

*

desmito-o

líria porto

comparo nero com naro
e sem pôr a mão no bolso
taco fogo no ignaro

*

musical

líria porto

as lâminas da persiana
(qual teclado de piano)
dedilhadas pelo vento

*

displicência

líria porto

empurra co'a barriga
depois perde a cabeça
e paga alto preço
pela preguiça
:
está sempre
em dívida

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog