terça-feira, 30 de outubro de 2018

piedade

líria porto

a poesia nos console
alimente-nos agasalhe-nos
e que um dia reviva
a minha pátria

(difícil para os pobres –– a fome tem pressa
e beleza não enche barriga)

*

capitulação

líria porto

tratar o inimigo
como adversário
é ato político
ou ingenuidade?

(pois tenha má sorte
o que nos deseja
formigas na boca
na ponta da praia)

não vou à guerra
com estilingue

*

abrigo

líria porto

sei de antemão
vou levar pontapé
então meu amigo
vou querer um lugar
no teu coração

*

mordaça

líria porto

se não houver confiança
se precisar a censura
deixaremos às crianças
a bolha da ignorância?

(não vou suportar olheiros
dizer adeus também dói
mandarei fotografias
e umas poucas linhas tortas)

*

da sutileza

líria porto

e quando a poesia pousar no vazio
deixar que ela nos preencha

*

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

pajelança

líria porto

hoje é dia de sal grosso
de tirar o urucubaca
o azar o ziquizira
de lavar a alma e o corpo
fumar cachimbo da paz
invocar nossos xamãs
nossos anjos nossa força
acender incenso vela
vestir-nos de confiança
virar o voto do povo
salvar a democracia


(nós vermelhos somos bruxos)

*

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

arranca-rabo

líria porto

sem remo sem rima sem rumo
sem romance –– essa ramela

*

armadilha

líria porto

a estrada se estreita
transforma-se em trilha
em arapuca

*

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

. selo

líria porto

no auge da exuberância
a orquídea abre as pernas

ao final da trajetória
tão pudica tão discreta

a orquídea fecha as pétalas
e se recolhe

*

in_fluência

líria porto

não posso deter o rio
mas posso vê-lo passar
e me encantar com o ruído
o movimento das águas
imaginar-me a segui-lo
ir com ele para o mar

*

ignorância

líria porto

não tenho ideia de mola
de bola de cola
de sola
de quem esfola meu couro
e sequer imagino
quem controla o sino
no entanto assino
um cheque em branco
ao gestor do destino
e para ser franco
acho-me o máximo

*

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

à luz

líria porto

todo dia pairo versos
uns a fórceps
outros sem nenhuma
contração

*

reflexão

líria porto

um espelho
se nos revelasse
não a cor da pele
dos olhos dos cabelos
(a aparência externa)
mas traduzisse para nós mesmos
de forma irrefutável
nossos mais profundos e pérfidos
sentimentos
:
nossos ódios e invejas

*

dentro de mim mora um banjo e um atabaque

vale-tudo

líria porto

na vala
a velha
ovulava
vileza
e volúpia

*

a decisão

líria porto

a estrada é bipartida
uma nos leva à montanha
outra conduz-nos ao abismo

*

interesses

líria porto

o anti-petismo é a explicitação do sentimento
excludente e escravocrata dos egoístas
do homem branco que só pensa nos seus pares
e no próprio umbigo

*

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

fim

líria porto

a gente nasce
cresce adolesce
amadurece e morre
que falece é rima
muito pobre

*

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

atenção

líria porto

madrugada — não há viv'alma
o único movimento é a luz intermitente
do semáforo

*

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

misóginos

líria porto

vós — nascidos de mulher
quais filhos de chocadeira
oh desalmados

*

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

cotidiano

líria porto

um mau governo muda muito pouco
(e até para melhor)
a rotina dos ricos
que continuarão suas vidas luxuosas
com caviar e vinhos finos
iate carros novos
joias roupas caras viagens
depósitos em paraísos fiscais
longas temporadas no estrangeiro
e filhos nas melhores escolas

um mau governo é catastrófico
para os filhos dos trabalhadores
dos pobres dos miseráveis
sempre dependentes de trabalho
salário e políticas públicas

*

terça-feira, 2 de outubro de 2018

lealdade

líria porto

aos pés da dona um vira-latas
tem mais coragem que toda a guarda
da rainha elizabeth

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog