sábado, 31 de julho de 2010

torrão

líria porto

caminha caminha caminha
alcança o destino mas fica onde estava

um rio não larga as origens
embora se perca nas águas salgadas

a sede do rio
não cede

*

sexta-feira, 30 de julho de 2010

pânico

líria porto

um tsunami no peito
um terremoto nas pernas

o sangue vira sorvete e os nervos
fios elétricos

*

quinta-feira, 29 de julho de 2010

cor_tina

líria porto




eu queria ver a lua sobre o_mar
fiquei horas e mais horas à janela
pois a lua se escondeu atrás da nuvem
ela pensa como eu ser muito antiga
e não deixa que a vejam refletida
:
bobice
          ô lua vaidosa

*







a poeta hercília fernandes e eu (condecorada) na festa de 51 anos do bar do ferreirinha em caicó - rn

quarta-feira, 28 de julho de 2010

inquietude

líria porto

balouça o mar
desde tão longe
não tem sossego
onda após onda

escuto o mar
os seus segredos
o mar não para
não toma tento

vigio o mar
fico à espreita
deixo minh'alma
quarar n'areia

e voo e volto
por mim ficava
porém só durmo
dentro de casa

*

classe econômica

líria porto

dentro de um turbo barulhento
transportados como carga
ou gado de corte

(pau-de-arara aéreo)

*

terça-feira, 27 de julho de 2010

um cheiro pra pituleira

líria porto

vou voltar a caicó
e não vou só

vou chamar de novo a lia
vou levar as outras filhas
meus amigos minha neta
vou de carro de carroça
vou a pé de bicicleta
e se jeito não houver
quando eu morrer retorno
nas asas de um coleirinha
:
e vou pra fazer meu ninho
bem maciinho bem fofo
frente ao bar do ferreirinha

ah
se voo

*

sexta-feira, 23 de julho de 2010

escrita

líria porto

palavra / quisera destravar
a boca / salivar no céu
da língua / dizer-te
dos obstáculos

calada cega surda concreta absurda abstrata
puta

*

quinta-feira, 22 de julho de 2010

afogados

líria porto

omar me quer
a sua língua
lânguida quente
lambe-me os pés

omar me pede
não se contenta
toca-me as pernas
alcança o ventre

omar se atreve
roça-me o peito
suga-me a boca
o pensamento

amar oh mar
ô morte
       l e n t a

*

quarta-feira, 21 de julho de 2010

o raio de um cajado

líria porto

o pastor de nuvem
apascenta a tempestade

a um quarteirão do mar
o amar aberto

a disposição
                e a recusa

*

no ar

líria porto

o mundo
imenso colchão branco sob o firmamento
e nós – sentados quietos calados afivelados
lombrigas solitárias de um pássaro 
metálico

*

terça-feira, 20 de julho de 2010

eu já vi pedra avoar

líria porto

direto da mão da doida à cabeça do incauto
o sangue foi para o espaço
:
planeta mártir

*

cinema

líria porto

levo tua ausência a um passeio
fico tão triste
:
the end

*

perplexo

líria porto

ante a montanha eu me abismo
cismo que sou ave – voo do sopé ao cume
ao meu pé de árvore

*

sol_ferino

líria porto

o suor sertanejo
assenhoreado de sol
secou/sapecou a serra
e salgou a cepa

*

segunda-feira, 19 de julho de 2010

a doida

líria porto

perdeu uns parafusos
as porcas - agora se arruela
em_pregos sem ponta

*

se eu sumir num potiguar

líria porto

asas de metal
ir a natal ver
o mar

depois ser_tão
caicó festa de sant'ana
pituleira ferreirinha bibica
chico doido (nina rizzi lavínia)
itans seridó
serra de borborema
ruas e calçadas
          de moacy cirne
          de hercília
de anna de santana

plantar cactus n'alma
saudades
           desconhecidas

*

domingo, 18 de julho de 2010

amore

líria porto

:
não desponto sem nós

*

larinha amaral

líria porto

azul escuro
com um toque de laranja
anja - bonita que dói

*

sábado, 17 de julho de 2010

família

líria porto

nas savanas nas florestas
fêmeas criam filhotes
sem traumas

(papai / mamãe
isso é invenção
do capital)

*

inseparáveis

líria porto



agarrada a meus pés
sabedora dos meus passos e paradas
a imitar-me – incansável – gesto a gesto
a seguir-me tão calada tão discreta
por curvas e botecos
:
com(o) a minha sombra
                        estou só(bria)

*

la mala educación

líria porto

já vi de tudo na vida
e nada me surpreende
o ovo choca a galinha
o sapo engole a serpente

o rato assusta o gato
o gato rosna pro cão
o cão foge de fininho
e se esconde no porão

esse mundo está virado
ficou de pernas pro ar
pai e mãe curvam a cabeça
deixam o pirralho mandar

quem pariu mateus o embale
ensina o velho ditado
eu não quero nem saber
desse tirano mimado

já avisei minha prole
não caio nesta esparrela
ainda está por nascer
quem me acerte a canela

(santa paciência)

*

sexta-feira, 16 de julho de 2010

abusada

líria porto

fico brava fico puta
madame bate panela
logo ela que só tem
bolsas louis vuitton

(na favela mora emília
que usa bolsa família)

*

gigolô

líria porto

este cara
é-me tão caro
:
custa-me os olhos
da cara

*

quinta-feira, 15 de julho de 2010

quis ser meu dono

líria porto

adoro cabelo comprido
:
se gostas
deixa o teu crescer
deves ficar bonito
que eu prefiro o meu assim
curto
         curtíssimo

*

mudo de casa

líria porto

dizias-me
esmalte vermelho e batom
não são de bom tom

(então não uses
:
eu abuso)

*

feitiço

líria porto

uma lua branca doida
daquelas que bebem olhos
exasperam santos anjos
mastigam nossos pilares
enlouquecem a espécie
provocou-me a noite toda
fez-me uivar igual um lobo
rolar de um lado a outro
arranhar-me a rósea pele
esvair-me à tua espera

*

matadouro

líria porto

vida corte
sorte víbora
morte
          saíra

dor que mói
não tem remédio

*


(saíra - ave de plumagem colorida e brilhante)

quarta-feira, 14 de julho de 2010

desabono

líria porto

não me despedi
já foste
e naquele dia
tão lá longe
nem disseste
a_deus
:
em meus ombros
chumbo


*

aquecimento

líria porto

leste oeste
ergam os braços
:
peguem o sol em cima
tragam o sol pra baixo
(ao menos um pedaço)

) a lua fica em minas (

*

hors-concours

líria porto

fulano de tal era o amante
que toda mulher queria
nariz de corvo dedos de polvo
língua de enguia
:
fulano de tal era o máximo
nem precisava o cachimbo

*

parafusos pe(r)dem porcas

líria porto

giram giram giram
e seus eixos corroídos
fazem-nos trepidar
perder o equilíbrio

*

terça-feira, 13 de julho de 2010

quem me deu me (a)tirou

líria porto

a vida tem
                d
                  e
                s
               e
                n
                  l
                a
                  c
                e
                 s

:
tem ciladas

*

bicudos não se beijam

líria porto

um de um lado
um do outro
e no meio
beira o espelho
um profundo
tão estreito
:
esse abismo

*

impotente

líria porto

o que nos dá pesar
não há como medir
:
é triste sentir pena
de não ter asas

*

segunda-feira, 12 de julho de 2010

sintomas

líria porto

um rubor na pele
algum calafrio

à_testa a febre
o suor tão frígido
:
descambo

*

carrasco

líria porto

se queres atingi-la em cheio
basta um telefonema
:
teu veneno
na veia

*

domingo, 11 de julho de 2010

invisibilidade

líria porto

deslizar pela vida
igual a canoa no rio
em dias
          de neblina

*

sábado, 10 de julho de 2010

noturno em dó maior e semitons

líria porto

jovens oblíquas pestanas postiças
perfume de ontem

*

sexta-feira, 9 de julho de 2010

caçapa

líria porto

o
paço
alguns
passos
v
á
r
i
o
s
sempre
no
ritmo
da
f
i
l
a
:
vou guardar a bicicleta
vou andar em linha reta
vou ficar muito quieta
vou dizer à minha neta
sou a bola
da
v
é
s
p
e
r
a

*


quinta-feira, 8 de julho de 2010

para um osso duro de roer

líria porto

corpo é casca deferida

*

cococoricó

líria porto

qual galinha choca
quieta sobre um verso
espero que ele bique
trinque a minha casca
dê sinal de vinda

*

das contradições

líria porto

teus olhos fundos me arrasam
:
nada é muito
e é pouco

*

dique-me

líria porto

o que fazer da poesia
que não poça

*

o menino

líria porto

olhos d'água
pés na terra
fogo no rabo
ar de sedução

*

quarta-feira, 7 de julho de 2010

mudança de hábito

líria porto

eu malhava em ferro frio
e a cada vez que batia
gemia o ferro
eu te amo eu te amo
eu te amo

(meu amor não se importava)

então eu me liquefiz
virei poça lamacenta
despenquei colina abaixo
rumo ao lago assoreado
das pessoas tristes

(mas porém eu reagi)

fui malhar na academia
mudei bem o visual
se aquele amor não me quis
good bye amore mio
vou cantar alto e bonito

(numa outra freguesia)

*

mamãe era um beija-flor

líria porto

no leito de morte perguntava
quem quer beijo?

(pairamos todos órfãos)

*

correspondência

líria porto

desabotoar o peito
acolher o outro - sem sê-lo

*

ávidos

líria porto

um tanto quanto de espanto
um certo desassossego
alguma porção de abismo
alguma (des)ilusão

*

terça-feira, 6 de julho de 2010

elos

líria porto

a palavra é ponte
entre mim e o mundo

para atravessá-la
posso demorar

ela é sobre o mar

*

saia in_justa

líria porto

será que serve dona
:
claro mia fia
pé de pobre num teim tamãe

*

sapatos de centopeia

líria porto

inutilidades dão-nos a ilusão de ter
:
quartos de despejo são prisões de ventre
sopro dentro de balões

(coração vazio é buraco
                              sem fundo)

*

segunda-feira, 5 de julho de 2010

pássara

líria porto

a alma quer partir
quer ir embora

corpo é gaiola

*

a_gente é multidão

líria porto

eu me assino
eu me ensino
assassino-me
toco o sino
faço o hino
bato pino

) dina/mito-me (

*

infarto

líria porto

pendurada por um fio
tecia qual uma aranha
a sua própria armadilha

andava sobre o arame
naquela poça de sangue
naquele mal de família

no coração uma lâmina
a dor profunda tacanha
um punhal

o desenlace

*

domingo, 4 de julho de 2010

:

líria porto

a multidão
solitária
tem mil olhos
e nenhum
         coração

*

à janela

líria porto



todos os dias
na mesma página
 outras palavras



no mesmo cenário
outros pássaros



na mesma fresta
outra alegoria

*

entre minhas pedras

líria porto

de pensar rio
sinto cócegas
fio alegre
:
tem nome de peixe
e fartos bigodes

*

sábado, 3 de julho de 2010

o maestro

líria porto

não pia
:
ao ruflar as asas
faz solfejar todos os pássaros

(vez em quando saltita)

*

perigo

líria porto

florinhas saltam como bailarinas
arriscam-se  vão cair em cima
das calçadas quentes onde a gente
pisa

*

sexta-feira, 2 de julho de 2010

maturidade

líria porto

ao despedirem-se os dias
como se cada momento fosse o instante final
os pores de sol tornam-se gloriosos

a preparar-nos para os últimos delírios
o fogo dos nossos beijos a vibração dos nossos corpos
o calor das nossas palavras

a outonal caminhada na direção do ocaso

*

ex_posto

líria porto

perde o rumo
quebra o eixo
e o vento
atrapalha-o

pede um imã
quer um jeito
rejuntar
sua limalha

) triste sina
ou má sorte
revirar
o cu pro norte (

*

quinta-feira, 1 de julho de 2010

la gioconda

líria porto

lagarta encasulada
atada ao desejo
precisou de asas

atrás do rosto ambíguo
sonrisa melancolica
frisson no corpo rijo

*

em_pacará

líria porto

o sol saiu
a lua não dorme
continuará ali
em fiada de azul
:
a cara virada

*

nós nus

líria porto

distanciamo-nos da nascente
achegamo-nos às marés
:
ao embalo
                do (a)mar

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog