domingo, 31 de outubro de 2010

gooooooooooooooooooooooolll

líria porto



!!!
!!!!!!
!!!!!!!!!!!!
!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

viva o brasil
viva o povo brasileiro


*

bafômetro

líria porto

pergunto ao santo
um tanto tonto
se é faz de conta
a autoimagem

jorge responde
:
é tatuagem
a lua e eu
bebemos vinho

(cai do cavalo
pois perde ponto
na montaria)

*

sábado, 30 de outubro de 2010

amarelinha

líria porto

céu inferno céu inferno
menininha estica o pulo
e bate a cabeça
na nuvem

*

militante

líria porto


se ganhar por um voto é o meu
que retém a vontade de dois

brilha-me
            a estrela

voilà

*

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

neném

líria porto

não sei se pelo cheiro ou pela inocência
o chorinho soa como um sino um canto
um hino
                                   um querer bem

*

molho pardo

líria porto

afio a navalha corto-te a jugular
aparo teu sangue numa tigela cozinho tua carne
e te sirvo à cabidela

*

ceia

líria porto

a nudez lateja debaixo do vestido
o marido chega as vontades pulsam
e ana corta cebolas

*

íntegro

líria porto

tem si-
do o que o par-
tido não pede
:
inteiro

*

rio

líria porto

vida - ida sem volta
da nascente à foz

*

formiga

líria porto

venenosa cortadeira
carnívora qualquer tipo
vive de migalha mas
quer tudo

(a fome maior que a barriga)

*

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

foice

líria porto

casca estirada 
chegada a minha hora 
nada mais a fazer
lacrem a tampa do esquife
para eu não fugir

*

veneno

líria porto

certa - andava no trilho
veio a ratazana
           roer-lhe a linha
:
a sanha arranha a aranha
ferro

*

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

freirinha

líria porto

borboleta no casulo
segura-se a todo custo
para não perder o hábito

*

terça-feira, 26 de outubro de 2010

panela de pressão

liria porto 
pedra cimento brita
uma sopa bem pesada
pra matar a gulodice



(na marmita do peão
apenas sal e farinha)

*

chuá

líria porto

a chuva encharca o chão
o choro enxurra
                          a alma

*

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

presságio

líria porto

há horas que te manda embora
noutras já voltou atrás

(comerás do pão que a diaba amansou
frito)

*

belô

líria porto

cidade pra todo canto
para toda melodia
cidade para a poesia
para o pranto
o acalanto
:
capital
         de min(as)

*

domingo, 24 de outubro de 2010

ímpio

líria porto

igreja tem sino
devoto tem sina

eu?
    nem sinal

*

roda mundo

líria porto

voltas e revoltas rasguei a camisa
andei sobre espinhos com bandeiras roxas
e pés em carne viva

*

linha de fogo

líria porto

na orla dos ricos guaritas
e homens armados com fuzis e revólveres

na orla dos pobres viaturas
e homens armados com fuzis e revólveres

*

sábado, 23 de outubro de 2010

estalo

líria porto

o verso gelado
sem sangue
sem vísceras
da boca pra fora
é só exercício

vício

(troque traque por foguete)

*

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

existencial

líria porto




neste mundão de teu deus
somos formigas – umas doceiras
outras cortadeiras

*

o sol me cega

líria porto

a lua tira cisco do meu olho
faz compressa de nuvem
e cura minhas perebas
:
com_paixão
                de estrela

*

estropiados

líria porto


era seu apoio
sua bengala

então ele a_traiu
e amou muleta

*

pirose

líria porto

um vulcão dentro do estômago
em plena erupção

uma lava que o queima
dia e noite noite e dia
:
azia

*

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

concepção

líria porto


se o sol tomasse a lua como noiva
nasceriam sóis e luas a granel
e no mundo haveria tanto brilho
e veríamos o sol doce e a lua
de mel

*

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

medição

líria porto

meço o que faço com a régua do horizonte
e tudo fica tão pequeno que os erros
não me massacram

*

terça-feira, 19 de outubro de 2010

novela

líria porto


magricela
meio matusquela
tem erisipela
a pele amarela
remela nos olhos
porém para ela
aquela donzela
era filha
             e bela

*

aniversário

líria porto

muitas décadas
e a cabeça repleta de (a)luares

(flecha em câmara lenta)

pássara depressa
                        mas dá tempo

*

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

mãe de leite

líria porto

após a segunda guerra
outubro uma sexta-feira
décimo nono dia
meia-noite e meia
ninguém me contou – eu sei
foi da lua cheia
o peito que mamei

*

domingo, 17 de outubro de 2010

consciência

líria porto

não pensem – são miudezas
as tristezas que o assolam

rugas sulcam-lhe a pele
pesada é a sina do pobre

mamãe repetia incansável
o sol é de todos nós

*

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

liberta

líria porto

voar pela janela
como ana cristina césar
e sem deixar pegadas
achar o céu
na terra

*

exceção

líria porto

o galo o cachorro
o canário o padeiro o padre
o sino a empregada a chaleira
a mãe o pai o menino
o automóvel a buzina
a rua a escola
o vendeiro
a loja

(cidade em polvorosa)

morgana espreguiça-se
mas só sairá da cama com o sol
a pino

*

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

extrem_idades

líria porto

o amor apagou
e o fogo que nos consumia
é fumaça e cinza

(esfria chove
não temos luvas
nem meias)

*

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

bomba

líria porto

balão de pele delicada
que o amor cutuca cutuca

cu
    tu
       ca

(coração não bate
apanha)

*

terça-feira, 12 de outubro de 2010

poetar é impreciso

líria porto

a prece
a terra
a flor
erótica
e nua

os versos
     de adélia

*

: férias conjugais

líria porto

lua míngua
nuvem acumula tensão
desaba torós

sol escapole
vai pro polo norte
por seis meses
:
quero variar
o cardápio

*

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

à toa

líria porto

o pensamento voa
desliza qual canoa pelo cio afora
aporta no teu corpo roça tua boca
vadia entre os fios
                       do teu bigode

*

domingo, 10 de outubro de 2010

brabeza

líria porto

olhos cravados na fera
pronunciou entredentes
q u i e t a

ela murchou num repente
pôs o rabinho entre as pernas
e saiu de fininho

*

cerca

líria porto

entra se quiseres - o cão fica de fora
só entro se for com ele
:
não neste território

*

sábado, 9 de outubro de 2010

passarim

líria porto

eu amo mario quintana
e desse amor quase brisa
nasceu um verso pequeno
com duas asas na bunda

*

gene_a_lógica

líria porto


vó maria tão franzina
teve um montão de filhos
e um punhado de netos

eu - a segunda de nove
da prole de minha mãe
um exército de primos
e filhas em profusão
:
sementes viram floresta
maria luiza veio - e francisco
está na trilha

(viva)

*

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

fogo na roupa

líria porto

na idade média
morreria na fogueira

em idade avançada
solto chispa

*

rubra

líria porto

remar rumo à rima
como a derrama
das romãs

*

bruta

líria porto

a chuva esmurrou a parede a vidraça
parecia uma doida com pedras e chutes a arrombar
nossa casa

*

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

à floresta

líria porto

a farra dos bichos
os nichos do verde

canoa no rio
a vara de pesca

sem rima sem pressa
viver de_vagar
:
volver

*

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

nenhuma poesia

líria porto

murmúrio nas ruas
milhares de bocas
vozes graves agudas
palavras
        palavras
               palavras

eu
sozinha           

*

lábil

líria porto



tem sido
sadomasoquismo – boca
e cigarro

*

terça-feira, 5 de outubro de 2010

coisa de passarim

líria porto

na ponta d'antena
captam ondas do infinito
pro canto ficar bonito

*

¿donde estas corazón?

líria porto

sumiu de mim de tal jeito
suspeito haver algo grave
:
trava no esquerdo do peito
segredo debaixo de chave

*

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

(l)eito

líria porto

tremor arrepio transbordamento
o rio passou dos limites
depois retomou o traçado
e seguiu a corrente

(prisioneiro das margens)

*

domingo, 3 de outubro de 2010

amar é pouco

líria porto

o outro existe - com e apesar
das nossas precisões

*

nós

líria porto


um poeta sem versos é tão triste
quanto o rio seco

*

sábado, 2 de outubro de 2010

maria santa

líria porto

meio lua meio nua
usava blusa rasgada
a pele fina bonita
quem visse aquela menina
sentia pena
rezava

treze catorze anos
olhos imensos candura
um porco a espreitava
um dia arrombou-lhe o corpo
e conspurcou sua alma

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog