sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

alvo

líria porto

o branco é predador
captura as cores todas
travestido de pureza

*

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

praga

líria porto

que nêmesis
a deusa da vingança e da justiça
aja exemplarmente contra o mito
e seus sinistros

(é questão de tempo)

*

terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

sobrecarga

líria porto

o marido os nove filhos
(desjejum almoço jantar
merenda dever de escola)
os cuidados com a casa
roupas limpas e passadas
as quitandas de domingo
pamonhas
mingau de milho
as visitas da família
dos amigos do meu pai
os hóspedes
um café atrás do outro
pia sempre abarrotada
(e amor e carinho
e gentileza)

entre escrava e heroína
como é que aguentava
como e quando conseguia
os crochês e os bordados
:
teria varinha mágica
sabia fazer milagre?

*

domingo, 16 de fevereiro de 2020

cova

líria porto

eu vou eu venho
eu quero eu tenho
porém o futuro
é igual um furo
um buraco negro
que engole tudo
(até a insolência)

*

bailado

líria porto

entre o berço e a tumba
é que a vida dança

*

então

líria porto

os corações não têm pêndulos
amam e odeiam ao mesmo tempo

*

combinação e anágua

líria porto

marizete agora dorme com lolô
era casada com jackson
apanhou sofreu demais
não quer mais saber de macho

as duas se acertam em tudo
uma gosta de feijão a outra de arroz
acrescentam a farofa a salada o ovo frito
bife não –– é muito caro

estão juntas já faz tempo
que amor que alegria
que amizade

*

sábado, 15 de fevereiro de 2020

bola de vidro

líria porto

com o dólar a cinco reais
(eu sempre me antecipo)
confesso-lhes
:
não terei um puto

*

espuma

líria porto

adolescente
arrogante e magricela
perguntei ao médico
o que era bom para a memória
(achava-me aluada)

não comprei o remédio
encorpei-me
mas ainda hoje
lembro-me da resposta
"levedo de cerveja"

velha
com a cabeça aos cacos
pergunto-lhes humildemente
:
quantos copos
latas ou garrafas
e de qual marca?

*

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020

desmonte

líria porto

quanto mais me descontruo
melhor me preparo
para o túmulo

a catástrofe

líria porto

a meio metro um do outro
falamo-nos pelas pontas dos dedos

nossa língua – o esquizofrenês
bipartida como a das víboras
espalha xingatórios palavras vazias
notícias sem fundamento

hoje em dia idiotas são ministros
e não temos onde esconder a cara

nossa sala de visitas
é um velório

*

malícia

líria porto

o cadáver
mergulhado
em sangue
:
no palácio
o cardápio
era frango
ao molho
pardo

*

domingo, 9 de fevereiro de 2020

lacre

líria porto

irei irás
todos nós

se nasceu está fadado
e não haverá reencontros
:
quem fez fez
quem não fez
perdeu a chance

*

contratempo

líria porto

o corpo
morada provisória
irrisória
deteriora-se
piora com o passar dos anos
e não se presta a reformas

o corpo
amontoado de carne pele e ossos
estorvo

*

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

haicai

líria porto

a chuva fininha
tamborila na vidraça
canções de niinar

*

pele de galinha

líria porto

eu tenho as mãos muito velhas
as minhas são mais antigas
que as mãos da avó
de eva

*

inundação

líria porto

a chuva da temporada
não chegou em pingos gotas
veio em baldes em bacias
em tanques e caixas d'água
atirados de uma vez
como rios caudalosos
rios verticais

*

sábado, 1 de fevereiro de 2020

períodos

líria porto

infância boa
adolescência maçante
maturidade árida

a velhice é outra espécie
de meninice

*

quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

(des)ocupação

líria porto

sucedem-se os dias
rugas se aprofundam
o mundo abre vagas
pra substitutos

(a fila
          caminha)

*

sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

extração

líria porto

um grão brotou-lhe à cabeça
queria fincar raiz
grãos existem para a terra
pensamentos são etéreos
nasceram para ser livres

*

sábado, 18 de janeiro de 2020

e agora josefa?

líria porto

com ou sem vontade
vamos todas para o inferno
nem laura nem beatriz escapam

[inspirado na poesia de Carlos Drummond de Andrade]

pensão

líria porto

antes chegava sem jeito
pedia licença sentava-se
só depois de algum tempo
ficava nu

agora já vem sem roupa
come o que vê pela frente
(cru e cozido)

não agradece
                   nem paga

*

mal-agradecido

líria porto

cuspiu n'eu
na prata que comeu

*

quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

subterrâneos

líria porto

debaixo da pele
nos recônditos do corpo
desejos vontades incômodos

*

pestana

líria porto

o cochilo no sofá
tão ou mais revigorante
que a noite na cama

*

quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

abusador

líria porto

desce-lhe o pau de todas as formas
com a língua com o braço
e com o próprio

*

sábado, 11 de janeiro de 2020

irmãs

líria porto

os hábitos de algodão
das freiras do meu colégio
mais alvos que suas almas
assombravam o dormitório
das internas

*

sexta-feira, 10 de janeiro de 2020

natimorto

líria porto

meio século depois
ainda agora pergunto-me
teria sido um bom filho
um homem correto
justo?

*

segunda-feira, 6 de janeiro de 2020

helena

líria porto

as mulheres belas
admiradas por gregos e troianos
envelhecem tristonhas
:
as mulheres feias
nunca alimentaram a ilusão
do eterno

*

economia

líria porto

rica podre de rica
–– cofre engolidor de moedas ––
sovina qual mão de vaca

*

domingo

líria porto

cama e chuva - perfeita sintonia
a gente se irmana com a coberta
o travesseiro e a preguiça

*

escuridão

líria porto

é ter uma paixão secreta
sem ao menos saber por quem

*

extensão

líria porto

nas costas nos joelhos nas juntas
as dores próprias dos velhos
ressoam como calúnias

*

aventura

líria porto

fiz
gostei
não me arrependo
farei outras vezes
se encontrar parceiros
à altura
:
ninguém se arrisca
por qualquer um

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog