sexta-feira, 29 de setembro de 2017

cascatas

líria porto

ouvir a canção das águas
seu murmúrio seu chiado
mirar as nuvens que caem
gota a gota num sussurro
conduzirmo-nos à outra margem
desse rio caudaloso
(escandaloso)
que é a vida
com seus berros com seus urros
seus silêncios absurdos
sua essência
sua mágica

*

umbanda

líria porto

preto-velho
sábio terno paciente
dá amor fé esperança
a seus filhos
:
bença pai
bença vovô

*

estupidez

líria porto

tudo incerto tudo dúvida
tudo é nada e nada é tudo
que nos resta

*

haicai

líria porto

estrada de terra
passarinhos borboletas
e ninguém à vista

*

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

ganidos

líria porto

dói aqui dói ali
acolá
a dor não vai embora
tu te acostumas com ela
a cadela te lambe te morde
arreganha-te os dentes
abana-te o rabo
parece rir
fazer-te companhia

*

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

haicai

líria porto

noite sem sonho
vazio de verso –– treva
oco de poesia

*

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

manutenção

líria porto

dar não dou
se der não posso tomar
mas empresto e pego
de volta

(quem precisar)

*

manto

líria porto

escrevo sobre tudo e nada
e quando a palavra recua
fico nua e descalça

*

pancada

líria porto

é que amo palavras descabidas
encontros vocálicos proparoxítonas
antônimos e acentos graves

*

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

coração

líria porto

é dois
é um
o amor
o ódio
na mesma
vala
comum

*

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

balbúrdia

líria porto

nas vésperas da primavera
periquitos maritacas
deixam os ocos das árvores
e farfalham suas asas
como fossem folhas verdes

*

haicai

líria porto

lua escandalosa
a desnudar-se nas dunas
da nossa memória

*

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

anarruga

líria porto

a roupa velha
qual fosse a minha pele
dá-me o conforto que quero
sem muito apelo de sexo
necessidade de ferro
amarrotada a contento

*

domingo, 3 de setembro de 2017

privilégios

líria porto

a vida passa depressa
ainda assim nos dá tempo
pra desfrutar nossos netos
pra rabiscar e ler versos
pra observar o universo
para ficar na internet
jogar palavras ao vento
:
reclamar de quê?

*

sábado, 2 de setembro de 2017

frequência

líria porto

toda hora
noite sim noite não
semanalmente
uma vez por mês
por semestre
no reveillon
e já faz tanto tempo
que até deu teia
de aranha

*

gato escaldado

líria porto

meus fracos me fortalecem
(o que me atrai jogar-me-ia
no buraco)
:
paixão é arapuca

*

com licença

líria porto

abram alas lavem o sol
lá vem vindo a primavera
e as flores na passarela
vão precisar de holofote

*

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

de(s)coração

líria porto

o sol bateu forte no vermelho
(cor que adoro)
tornou-o cor-de-rosa
(cor que detesto)
então fecho os olhos
e rebusco na memória
os bons e velhos tempos

*

bom-dia

líria porto

dormir cedo
acordar de madrugada
ler outros poetas
e ouvir o galo

*

meninice

líria porto

benzinho
hoje eu te diria
que gostei de ti
bolinhas infinitas
e até debaixo d'água
porém naquele dia
tive tanta raiva
cismei que tu sorrias
pr'alguma sirigaita
então eu menti
disse te odiar
beijei outro menino
ali –– na tua cara
:
foi mal

*

das injustiças

líria porto

há quem se cale
eu falo
mesmo que eu seja falho
não sou nem serei omisso

*

minguante

líria porto

apagou-se a luz do ipê
e quando ele dormiu
ficou ali –– por uns dias
um belo tapete
amarelo

*

visão cega

líria porto

de olhos fechados percebo as minúcias
desvio-me dos obstáculos enxergo o horizonte –– bem além

de olhos
abertos
sequer
vejo
a ponta
do nariz

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog