domingo, 17 de janeiro de 2016

tosca

líria porto

o mato cresce com força
sem ânimo para a capina
eu vivo detrás das moitas

vizinhos murmuram pros filhos
cuidado co'a velha doida
pois ela come meninos

a comunista

*

Nenhum comentário:

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog