quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

avoada

líria porto

carreguei tuas penas até me cansarem as asas
e só sosseguei a carcaça depois que as amputei
(não as asas – as tuas penas)
precisei muita coragem pois eu te amava
e era aérea
:
cabeça de borboleta

*

Nenhum comentário:

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog