terça-feira, 20 de janeiro de 2015

a moça

líria porto

igual flor que despetala
(mal-me-quer mal-me-quer)
na sala tira os sapatos
joga a bolsa no sofá
arranca a blusa a saia
a calcinha o sutiã
larga tudo no assoalho
depois vai até a cozinha
bebe um baita copo d'água
pega a faca
e corta o pulso

*

Nenhum comentário:

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog