sábado, 29 de outubro de 2016

projétil

líria porto

qual bala de chumbo penetrou-me o peito
alojou-se profundo e embora não sangre
carrego o peso de um amor sem saída

*

Nenhum comentário:

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog