sexta-feira, 17 de junho de 2016

folhetim

líria porto

a ti que me esqueceste
estes mal traçados versos
plenos de recordações
de desejos inconfessos
de um tempo
em que nós nos tínhamos
nas horas mais descabidas
nas sombras da escadaria
ou no elevador do prédio

(tu eras dono de mim
a tua dona era ela)

*

Nenhum comentário:

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog