sábado, 7 de maio de 2016

no olho da outra

líria porto

levaste-me para tua casa
(como num sequestro)
trataste-me como à tua mulher
depois saíste para encontrá-la
deste qualquer desculpa

(odiei trocar de papel)

*

Nenhum comentário:

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog