terça-feira, 10 de maio de 2016

códigos

líria porto

uma vida intensa
quase paralela
à vida dos dias
acontece à noite
enquanto dormimos
sem nenhuma lógica
com espaço tempo
acontecimentos
:
até mortos vivem
dentro do sonho
(e do pesadelo)
e não há distância
e nem paradigma
para o inconsciente

*

Nenhum comentário:

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog