sábado, 31 de maio de 2014

osso duro

líria porto

os olhos vazados da morte
o corpo descarnado o riso permanente
a morte parece fraca mas dela
ninguém escapa

*

Nenhum comentário:

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog