quinta-feira, 8 de novembro de 2018

perambeira

líria porto

o tempo –– esse sorrateiro
faz seu trabalho diário
com alguma sutileza
(uma ruga aqui outra ali
uns fios de cabelo branco
olhos sem brilho riso amarelo
corpo rechonchudo)
até que um dia o espelho
(ou uma fotografia)
revela-nos o declínio
:
daí por diante
um susto por minuto

*

Nenhum comentário:

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog