quinta-feira, 17 de março de 2016

outono-me

líria porto

já não se via o horizonte
havia nuvens cinzentas
o dia era quase noite
uma noite sem estrelas
:
ajudo o vento co'a chuva
enxugo o céu e o sol
devolvo o azul a meus filhos
a meus netos

*

Nenhum comentário:

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog