sexta-feira, 27 de julho de 2018

delírio

líria porto

um homem sentado
na beira da laje
lá do outro lado
mirava a vidraça
olhava meu quarto

tirei o agasalho
a saia a blusa
a roupa de baixo
o pobre diabo
comia-me viva

deu-me um calafrio
fiquei cabisbaixa
vesti o pijama
deitei-me na cama
nem fui mais à rua

(não fosse um tarado
talvez esperasse
apenas o eclipse)

*

Nenhum comentário:

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog