sexta-feira, 25 de novembro de 2016

regressão

líria porto

o cheiro denso da chuva
penetra minhas narinas
eu volto a ser a menina
que soluça aquele pranto
sem consolo sem alento
que só cessa quando dorme
nos braços de sua mãe

*

Nenhum comentário:

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog