quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

vampiro

líria porto

percorreste-me as veias
as artérias
conheceste-me os capilares
bebeste até o sangue das minhas regras
depois me abandonaste – morta-viva
fizeste-me à sombra
dos teus pés

(roubei-te os caninos)

*

Nenhum comentário:

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog