terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

impunidade

líria porto

silêncio espanto
ossadas esquálidas
a lua inquieta e na moita
assassinos

*

Nenhum comentário:

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog