domingo, 4 de outubro de 2015

ilusão de ótica

líria porto

aos setenta anos
ultrapassadas as bordas
a pele não nos contém
despencamos sobre os ossos
necessitamos escoras
a memória tem espasmos
os olhos ficam aquém
porém velhos são os outros
aqueles que já sopraram
oitenta noventa velas
e perderam o fôlego

(estou velha –– não me tratem por idosa
não empurro o tempo co'a barriga)

*

Nenhum comentário:

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog