quinta-feira, 22 de agosto de 2013

transpiração

líria porto

sem nenhuma ideia nova
nenhum verso no gatilho
eu me ponho atrás da porta
ajoelho sobre o milho

sinto o sangue escorrer
e como alguém que menstrua
trago à luz – num parto a fórceps
um arremedo de lua

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog