segunda-feira, 28 de agosto de 2017

lençol

líria porto

quando tu me vieres ver
eu quero um tecido assim
um azul resto de noite
a resguardar-me a nudez
azul meio transparente
vestido de madrugada
cravado de algum gorjeio
de trinados de murmúrios
azul pecado no cheiro
a recobrir nossos corpos
com perfume antecipado
da manhã que vem surgindo
do amor já tão bem-vindo
a chegar muito atrasado

*

Nenhum comentário:

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog