sábado, 11 de fevereiro de 2017

repartir o pão

líria porto

não choveu –– senti certo alívio
cansei-me do céu chorar
lágrimas de crocodilo

(soubesse o céu o que é justo
quanto dói a escassez
chovia no sertão)

*

Nenhum comentário:

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog