quinta-feira, 29 de maio de 2008

retalhos

líria porto

parecia qualq
uer coisa que
brada e ao mes
mo tempo int
eira embora não
passasse de ped
aços de pap
éis rasg
ados por men
ino desalmad
o antes do te
mpo

*

domingo, 25 de maio de 2008

troca-troca

líria porto

sou vira-folha amor
maria vai com as outras
por quaisquer olhos verdes
caio em tentação

*

lapsos

líria porto

nesgas importantes
somem da memória
e saias de roda
viram saias justas

só a velha lua
fica nova

*

vendaval

líria porto

o vento
vai
vem
volta
vira
revolta-se
revira-se
e vertical
varre
devassa
vilipendia
devasta
devora
o vale
a vila
o verde
a vontade
de
v
i
v
e
r

*

sábado, 24 de maio de 2008

curiosidade

líria porto

amor é dose
paixão overdose

estás bêbado
ou à beirada da morte?

*

quinta-feira, 22 de maio de 2008

ambiental

líria porto

as pedras deitadas no leito do rio
cobrem-se com lençóis d'água
o frio não entra e os peixes
amam-se à vontade

*

terça-feira, 20 de maio de 2008

derrapagem

líria porto

depois da curva uma cruz
e outra depois de outra
assim se fazem as tristezas
as lágrimas copiosas

há tanta coisa bonita
ao longo da vida
ao canto
              dos olhos

pra que pressa?

*

quinta-feira, 15 de maio de 2008

da última vez

líria porto

meu coração sorrateiro
faz canção de bem-te-vi
e ao som de um bolero
no laço do teu abraço
vira flor de sabugueiro
cheiro de mato
capim bravo

com a sede do deserto
pede água chega perto
rodopia tem vertigem
tem inocência de virgem
recebe a ti todo
inteiro

(não desmaiei
eu morri)

*

cadeia

líria porto

a borboleta tão linda
tinha a ilusão de voar
cheirava pólen

disseram que traficava
acharam traço evidente
nas cores das suas asas

condenaram-na  és lagarta
de hoje em diante rastejas
esta é a justiça dos homens
:
arrasta a sentença

*

sexta-feira, 2 de maio de 2008

desencontros

líria porto

a tua e a minha pele
assim como nossas almas
fazem um tal encaixe
que às vezes eu me pergunto
porque o céu nos nega
a eternidade
desta engrenagem

quando não vens
quando me faltas
fico a vasculhar segredos
a entrelaçar meus medos
nos teus recados

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog