quarta-feira, 25 de julho de 2007

trêmula

líria porto

chuva
tarde cinzenta
calafrio
:
igual girassol
vivo à cata
de luz

de calor

*

assad abrahão porto

líria porto

um nome assim tão bonito
um homem assim tão bonito
um afeto assim tão bonito
partiu um dia do líbano
veio morar no brasil
e foi meu padrinho/avô

*

orfandade

líria porto

peito murcho
desmame precoce
olhos caídos
braços imensos
vácuo no estômago
fome
abandono

*

quinta-feira, 19 de julho de 2007

almofariz

líria porto

o rei – um leão
tinha filhos sem estirpe
:
cobranças comparações
e os moços perdem
a excelência

*

terça-feira, 17 de julho de 2007

houve um olhar

líria porto

o crepúsculo cobre-me os ombros
corro para casa

a tarde cerra as pálpebras
as noites prolongam-se

então estendo os braços
tento alcançar o amanhã

*

segunda-feira, 16 de julho de 2007

bem-te-vi

líria porto

o sol acorda de pantufas
pisa manso no chão da manhã

o galo estica o canto
meu amor pula da cama
:
tem café tem pão
tem queijo minas

*

sábado, 14 de julho de 2007

purificação

líria porto

aquele momento mágico
seguinte ao ápice do gozo
eleva-nos aos altares
ficamos anjos de novo

quem inventou a maldade
sentiu inveja em dobro
não há culpas nem pecados
nesses milagres de alcova

fomos amados
amamo-nos

xô satanás xô

*

sexta-feira, 13 de julho de 2007

preocupação

líria porto

tragédias catástrofes desastres hecatombes
para de me procurar entre os escombros

*

quinta-feira, 12 de julho de 2007

egoísta

líria porto

não te aprumam minhas rimas
não te arrimam minhas brumas

*

flagrante

líria porto

a lua vem de_vagar
quer pegar o sol no pulo

*

apetite

líria porto

à mesa
embaraçam-se as pernas
e emoções vêm à tona

sem pudor nem pejo
olhares gulosos

*

triste

líria porto

chove fino
choro grosso

molho o rosto
perco a rima

dói-me o corpo
e por cima

o amor
              foi-se

*

dama-da-noite

líria porto

sol posto
ela perfuma o corpo e floresce
uma vez por ano

*

terça-feira, 10 de julho de 2007

convite

líria porto

o passado não se faz presente
o futuro é lá na frente
pode ser agora?

*

domingo, 8 de julho de 2007

fome

líria porto

garras a escavar-nos
a puxar-nos dentro
pelo avesso do ser
e do sentir

*

aproveitadores

líria porto

amáveis no início
mostram-se até amorosos
enquanto nos sugam

depois mandam-nos embora
já não temos serventia

*

aquela casa

líria porto

quintal árvores córrego
panelinhas de argila asas
sol céu luar cruzeiro do sul
vizinhos livros amigos
irmãos recém-nascidos
amores brincadeiras
enxurrada
barquinhos de papel
paz alegria infância
mocidade

rua paissandu
44

*

sexta-feira, 6 de julho de 2007

inusitado

líria porto

viver é bom mas cansa
então a gente se senta
e aguenta uns tempos

de repente o genro diz
(nunca foi tão delicado)
minha sogra era uma santa
e encomenda as flores

*

absurdo

líria porto

dormir sob o viaduto
ou no banco do jardim
sem cobrir o corpo
sem forrar a barriga
com um prato de sopa
é inadmissível

*

quinta-feira, 5 de julho de 2007

chefete

líria porto

ele é ele
e azar daquele
que ousar ousar
que quiser querer
que pedir aumento
que se ausentar
que se estrebuchar
que usar cocar
que olhar além

quem empinar o nariz
não for puxa-saco
não rastejar
a ordem é
: cortem-lhe a cabeça

*

inconsciente

líria porto

eu de ti já não sou qualquer fumaça
pensava que também te esquecera
vieste-me nos sonhos desta noite
rugas no rosto corpo cansado
cabelos gris

tu me sussurravas tão de perto
falavas que morrias de saudade
jamais me amaste assim
nos velhos tempos

*

terça-feira, 3 de julho de 2007

vinha

líria porto

poeira vento secura
nada de novo no bronze

os olhos ardem-me e as uvas
são mais promessas
que sonhos

*

segunda-feira, 2 de julho de 2007

a lava ver_de amar_ela

líria porto

trinta e nove graus
pus no nariz e na goela
lenços de papel

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog