domingo, 31 de janeiro de 2016

o equilibrista

líria porto

sobre a linha do equador
pendia para um lado
e outro
:
ia de sombrinha

*

caracoles

líria porto

a lesma mora em si mesma
e só namora quem tem
casa própria

*

a lombriga

líria porto

ao ultrapassar o corpo
leva consigo o fedor
do que habita
nas tripas

*

sábado, 30 de janeiro de 2016

longe

líria porto

onde o céu e a terra se encontram
num pontinho do horizonte
existe um pote de ouro
onde se guarda
a infância
:
ali nasce o arco-íris

*

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

engaiolados

líria porto

laje de concreto
portas com travas de segurança
e com grades nas janelas
não devíamos sentir pânico

(a prisão
é o medo)

*

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

erva daninha

líria porto

finquei os pés no terreno
criei raiz e cresci
sou daqui – planta nativa
só a morte me arranca
ou a enxada do juiz

*

o turista

líria porto

vai à igreja
olha imagens altares velas
mas depois vai ao mercado
comprar jurubebas pimenta
cerveja

*

palafitas

líria porto

a morte te exilou de mim
chorei o amazonas e todos
os seus afluentes

(rio dos momentos
que passamos juntos)

*

manequim

líria porto

a garça
é uma graça
elegância
postura
e o charme
daquelas
que passam
pra lá
e pra cá
nas passarelas

*

haicai

líria porto

belém do pará
milhares de asas balançam
o borboletário

*

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

das marés

líria porto

ficar é faca
e finca

partir é alquebrar-se

igual o mar
ir e vir
perder o sossego
a paz
que não há

*

deda e eu

líria porto

irmãs quase siamesas
nasci logo depois dela
uma anja uma diaba
vou pro inferno ela pro céu
tenho rabo ela tem asas

*

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

o desconhecido

líria porto

a onda vem dou um pulo
a areia me foge dos pés
nada é seguro
:
nem o chão da nossa terra

*

degelo

líria porto

passei décadas inteiras
sem um poema sequer
de repente a poesia
abre a cancela e sou vítima
desta avalanche
sem trégua

*

refúgio

líria porto

bem à hora do crepúsculo
sinto uma falta uma angústia
um furo dentro da alma
que só melhora e alivia
quando retorno
pra casa

*

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

gastura

líria porto

sem que se feche a moleira
o pai não pega o menino
esse é um bom pretexto
bem conheço um pai
omisso

*

imã

líria porto

o que mais quer é sossego
o que mais tem é tormenta
diz-me que já não aguenta
mas procura confusão

*

das ilusões

líria porto

em tempo de vacas magras
de escassez de capim
fugir de casa é bobagem
o pasto doutras paragens
pode ser muito mais caro
e o daqui não é ruim

*

a bagagem

líria porto

o que levarei na mala
senão a minha nudez
a esperança de encontrar-te
ao menos mais uma vez
pra dizer-te – vou pra marte
amar-te foi o mais belo
que podia acontecer-me
:
até breve

*

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

aguaceiro

líria porto

pedi tanto que chovesse
a seca foi tão severa
que mesmo quando exagera
espero que a nuvem pingue

*

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

remorso

líria porto

o silêncio
é o resumo
do maltrato

*

miséria

líria porto

fincada na boca do estômago
a fome é feia

*

popularidade

líria porto

bacalhau salmão robalo
atum linguado surubi – mas não sei
vender meu peixe

fazem sucesso na praça
sardinhas e lambaris

*

domingo, 17 de janeiro de 2016

tosca

líria porto

o mato cresce com força
e sem ânimo para a capina
eu vivo detrás das moitas

vizinhos murmuram pros filhos
cuidado co'a velha doida
ela come meninos

a comunista

*

primitiva

líria porto

como veio ao mundo
sem roupa sem nada
a índia é feliz
banhando no rio
catando a comida
um peixe uma fruta
o filho agarrado
à cacunda

*

despovoada

líria porto

nasci para quatro paredes
numa cidade fantasma

*

bipolar

líria porto

a tristeza o abocanha
sem razão explícita
mastiga-o e engole o suco
da sua alegria

só melhora quando vira
um mijo feliz

*

sábado, 16 de janeiro de 2016

para se manter no ar um passarinho pena

lealdade

líria porto

cometemos um deslize
fomos para a cama juntos
:
jamais falamos no assunto
continuamos amigos

*

quem não chora não manda

ao largo

líria porto

não peço e não dou conselhos
nem ao menos sei quem sou
a mim me serve a medida
:
prendam-me em camisa de flor

*

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

espelhados

líria porto

nós
rés um ao outro
pele com pele
olho no olho
:
quero
queres

*

palavras não nascem por geração espontânea

esguicho

líria porto

versos eu enxugo lágrimas eu bebo
mas a poesia –– ah –– esta eu deixo
jorrar

*

sem rapapés

líria porto

não faço planos
ajo diante dos fatos
mas não sou desprevenido
tenho um pano de fundos
e mantenho limpa
                    a fachada

(o ovo no cu da galinha)

*

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

assim

líria porto

não tem desculpa amarela
não tem barriga me dói
para eu saber se és sincero
preciso olhar nos teus olhos

*

compulsão

líria porto

madame abusou
alargou os limites
derrubou cercas
e pagou caro
:
bem mais
que a mesada

*

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

a amante

líria porto

nem muito sol
nem muita sombra

nem a ponta nem a casca
o miolo

um vagão
não a locomotiva

fora da mira
na zona de conforto

*

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

signo de virgem

líria porto

ressonava
dona vinha estender a cama

olhava-a arrumar a colcha
uma duas três mil vezes
puxá-la pelas pontas
esticá-la
procurar a perfeição

(as exigências
tornaram-nos distantes)

*

representação

líria porto

a vida é uma novela com cenas toscas
atores ruins e un grand finale

*

dor e amor

líria porto

o rumo que a rima arruma
não é de rama ou de remo
o rumo que arruma a rima
é de perdição
:
um arremedo de arrimo
um arremate

*

bilhete

líria porto

poema é resumo
do que não tenho palavras nem coragem
pra dizer pessoalmente

*

sábado, 9 de janeiro de 2016

garoa

líria porto

invernou
agora a chuva é miúda
coada em peneira fina

*

malina

líria porto

fechava os olhos
cruzava os dedos
dizia entredentes
cafifa do sapo seco
e não tinha desafeto
e não tinha adversário
que escapasse
da praga

*

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

bote

líria porto

tão de serpente
que até hoje não sarei
do susto

*

tira dentes

líria porto

a barriga
do carrasco
roncava
:
nem ruga
nem arrependimento

*

abusada

líria porto

fico brava fico puta
madame bate panela
logo ela que só usa
bolsas louis vuitton

(na favela mora emília
com sua bolsa família)

*

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

em tempo

líria porto

estumar o cão –– açulá-lo
até que se trucide a prepotência

*

nós

líria porto

filhos degredados de laços espúrios
bastardos

*

crocodi-lo

líria porto

não por mim
nem por ti
chorou
para as câmeras
o ator
das intenções
ocultas

(o tio sam)

*

cavalinho de troia

líria porto

ouro incenso mirra
menino quer é brinquedo
isso é presente
de grego

*

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

exasperado

líria porto

eu não dormi nessa noite
mais parecia um zumbi
a procurá-lo no escuro
nas sombras que se moviam
meu sono estaria onde?

vi de tudo
loucos ladrões mortos-vivos
mas nenhum sonho
ou cochilo

*

desvalores

líria porto

a bolsa cai lá na china
no mundo instala-se o caos
os ricos ficam mais ricos
os pobres mais miseráveis

(diabo é o capital – diabo
e deus)

*

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

tropical

líria porto

a manga
(muito mais que a maçã)
na boca de uma serpente
faria adão trair deus
e fugir alegre
do éden
(com linha amarela entre os dentes)
:
ele e eva

*

domingo, 3 de janeiro de 2016

cafajeste

líria porto

achou-a um violão
então violou o seu corpo
e a difamou

*

a água

líria porto

cavouca insiste
dá a volta faz a curva acha o rumo
e pinga

*

perdida

líria porto

em resumo
sei de nada
sumo

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog