sexta-feira, 31 de maio de 2013

depois

líria porto

quis arrancar teus olhos
(ciúmes de outras mulheres)
e quando tudo acabou
disseste-me – foste a única

palavras não me consolam

*

quinta-feira, 30 de maio de 2013

motor

líria porto

tu morres ele morre eu morro
e a terra prossegue
tal como

*

pois eu saio da história para cair na vida

rasto de onça

líria porto

toda vez que vi a morte
rodei sobre os calcanhares
deixei-a para trás

(um dia ela me alcança
empurra-me pelas costas
e eu caio de boca)

*

quarta-feira, 29 de maio de 2013

urbano

líria porto

na cabeça chapéu
sobre os ombros obrigações culpa medo
segredos nos bolsos e entre as pernas
o pau
:
nos pés sapatos
e meias

*

terça-feira, 28 de maio de 2013

cortante

líria porto

tesoura
faca
navalha
língua
palavra
olhar
ou coisa
que valha

*

segunda-feira, 27 de maio de 2013

impertinência

líria porto

a lua penetra pela persiana
entra no meu quarto deita no meu canto
lambe minha pele bole no meu sexo
eu gosto é de homem mas a lua é lésbica
e faz-me passar por constrangimentos

*

domingo, 26 de maio de 2013

inevitável

líria porto

de costas para o sol
todo girassol tem
torcicolo

*

o soldado e a bailarina

líria porto

então nós
tu e eu
somos um
a pulsar
num único
coração 
de chumbo

*

irmãos

líria porto

folhas da mesma árvore
gotas da mesma chuva
dedos da mesma mão
uvas do mesmo cacho
farinha do mesmo saco
vinho da mesma safra
pétalas da mesma flor
espinhos da mesma rosa
letras da mesma palavra
penas da mesma asa
frutos do mesmo amor
tu e eu

*

herança

líria porto

dentre as tralhas cobertas de pó
o entulho
as teias de aranha
o ranço dos avós dos pais e de nós
(agora na linha de frente)
a pesarem sobre os ombros
dos descendentes

*

mistura

líria porto

temos dois lados
a luz e o br’eu
:
um de grandeza
um de egoísmo

*

sábado, 25 de maio de 2013

acordo

líria porto

ele santo ela perdida
um encontro memorável
que de tanto desacerto
acertaram-se e a vida
aparou os exageros
e os filhos que nasceram
foram todos razoáveis

*

imã

líria porto

o homem
que me amansa a alma
atrai-me à cama
como a mosca
e o mel

*

júbilo

líria porto

viver é um risco um traço
um desenho uma pintura
uma partitura

viver é o máximo
criatura

*

quinta-feira, 23 de maio de 2013

saúde

líria porto

a nossa casa maciça
resistiu às intempéries
manteve as paredes íntegras
não estalou as vidraças
só a tinta se desfez
tal como a pele que trinca
quando passamos a vida
debaixo de sol e enxada

*

quarta-feira, 22 de maio de 2013

gato e sapato

líria porto

nuvem inchada de chuva
cutuquei-a com o dedo e um jato
me derrubou

mamãe ficou uma fúria  bem podia ser
como a vovó

*

ocaso

líria porto

entardeço
entardeces
entardece
:
e é belo
e é assustador

*

terça-feira, 21 de maio de 2013

compensação

líria porto

na cabeça vão uns grilos
no ombro esquerdo um canário
no direito eu levo a dor
porisso ando arqueado
mas não infeliz

*

des_graça

líria porto

a cicatriz rente ao nervo
a lesão só por um triz
é  beatriz teve sorte
tristeza não tem limite

*

navalhada

líria porto

no corredor da morte
sorte ou azar - permaneço
incólume

*

segunda-feira, 20 de maio de 2013

pedras sobre pedras

líria porto

demoliram a casa os muros
onde por cinquenta anos
mamãe morou

temo olhar aquela esquina
encontrar a mocidade
prisioneira dos entulhos

*

aventureiro

líria porto

de respirar outros ares
de frequentar outros bares
de vislumbrar outros mares
procurar outros lugares
distanciou-se de min(as)

*

draga

líria porto

tímido ou espião
espreita tudo e todos

olhos baixos ou arregalados
apreende-nos cada detalhe

bebe-nos a (c)alma

*

sábado, 18 de maio de 2013

dieta

líria porto

toda vez que almoço pétalas
janto espinhos

*

sexta-feira, 17 de maio de 2013

inconstitucionalissimamente

líria porto

a menina que falava palavrão
desancava todo mundo
toda vez que falava polissílabas
destroncava sua língua
e meus ouvidos

*

buracos

líria porto

umbigos são lugares cheios de vazio
bocas sem língua sem dentes sem saliva
famintas para tudo que lhes chega à beira

*

quinta-feira, 16 de maio de 2013

paixões

líria porto

o fogo que nos consome
faz-nos sentir-nos vivos

*

terça-feira, 14 de maio de 2013

entraves

líria porto

o cansaço é de ferro – o desânimo
de ferrugem

*

segunda-feira, 13 de maio de 2013

proteção

líria porto

não vou me mudar da beira do abismo
nem fincar estacas e amarrar corda
à cintura

vou é tomar emprestadas as asas dos anjos
sem contudo virar santa

*

fogacho

líria porto

o amor não tem jeito esfrega-se em mim
e eu  velho para sexo – adio outra vez
a aposentadoria

*

sexta-feira, 10 de maio de 2013

defesa

líria porto

os caninos tão agudos
na boquinha do menino
deus nos livre da mordida

súbito ele fica puto
crava os dentes e no susto
chora muito

chora junto

*

quarta-feira, 8 de maio de 2013

mania de grandeza

líria porto

meu teto é o infinito
minha piscina é o mar
os meus cabelos são nuvens
uso fitas de arco-íris
o meu chuveiro é a chuva
o horizonte é onde durmo
e o abajour  a lua 

*

o homem

líria porto

esse bicho é diferente – ele pensa
e o tal do pensamento é agente do bem
e do mal

*

terça-feira, 7 de maio de 2013

virtual

líria porto

ser só pensamento
ir e voltar sem ninguém pressentir

de vagar devagar
divagar

*

elefante

líria porto

grande e desengonçado
quando move as quatro patas e levanta a tromba
as crianças se enternecem e batem palmas

*

jacaré

líria porto

de barriga rastejante e pernas curtas
quando ele abre a boca todo mundo
assusta

*

galinha

líria porto

come milho cacareja bota ovo
mas cai em desgraça e vira
canja

*

ronc ronc

líria porto

todo porco tem rabinho retorcido
e tomada no focinho

*

miudinho

líria porto

a joaninha é um besourinho tímido
e com sardas

*

confronto

líria porto

para se obter o máximo
com o mínimo possível
melhor é nem dizer
:
silêncios podem tudo

*

bola de névoa

líria porto

a vida é um novelo
que a gente enrola enrola enrola
o tempo passa entre os dedos

súbito
o fim
do fio

*

segunda-feira, 6 de maio de 2013

preencher os lábios – só com beijos

desvaidade

líria porto

pés de galinha em torno dos meus olhos
e eu não sei o que é botox

*

domingo, 5 de maio de 2013

fruta

líria porto

nasci flor –– fazer o quê
era macia cheirosa
mas depois quando encorpei
e minha polpa rachou
despertou fome
desejo

uns homens
os mais gulosos
sujaram a boca
os bigodes

*

epílogo

líria porto

então abraço seu vulto
com ele danço uma valsa

o meu amor – esse último
sinto seus braços gelados

eu deito sobre seu túmulo
dormimos juntos

mais nada

*

conforme

líria porto

uns versos são pétalas
outros caule folhas raízes
mas também há os espinhos
na roseira da poesia

*

sábado, 4 de maio de 2013

fases

líria porto

toda hora ela mudava
ora imensa branca cheia
ora um risco um fino traço

o rei sol que se proteja
pode sofrer atentado
contra tanta majestade

(toda lua é bipolar)

*

sexta-feira, 3 de maio de 2013

tórrido

líria porto

sol a pino – qual broca
o raio atravessa a pele
chega a furar
o osso

*

quinta-feira, 2 de maio de 2013

gato e rato

líria porto

abro a cortina a luz entra
salta pra dentro do quarto
o escuro um tanto assustado
corre pro fundo do armário
sabe que a luz é intensa

*

quarta-feira, 1 de maio de 2013

grandeza

líria porto

impressiona-me a generosidade das árvores
sombra flores frutos e o que elas pedem
senão um pouco de água

*

belíssima

líria porto

minha musa é a natureza
a mais incrível artista
nada escapa a seus pincéis
sua tela é o infinito

fauna flora oceanos
o relevo a cor o brilho
tudo assim com tanto esmero
que me deixa comovido

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog