domingo, 30 de dezembro de 2012

declaração

líria porto

eu amo mario quintana
com ele eu passarinho
voo e vinho

*

sábado, 29 de dezembro de 2012

excelência

líria porto

eu que banhei seu corpo
ao vê-lo engravatado
ao lado desses doutores
seguro o riso
:
ele tem coceiras cócegas
algumas pintas na bunda
medo de rato e barata
e pavor de escuro

*

meia-idade

líria porto

na subida testamos o fôlego
se formos até o topo
será tão grande o esforço
e tão profundo o cansaço
que não teremos mais ânimo
para os afagos
os beijos

*

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

presunção

líria porto

quem nascer no ano da minha morte vai ter uma sorte e um azar
sorte por ocupar o lugar que deixo e me dá muito prazer
e azar em não partilhar comigo o ar que respira

*

trêmula

líria porto

falo digo repito
(tento me convencer)
não tenho medo da morte
embora ela tenha um imã
(tanto quanto a vida)
que me atrai

*

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

pele de cordeiro

líria porto

tomara seja como tu esperas
embora quem te acerque - desconfio
tenha se aproximado com escusas intenções

esta criatura arranca do incauto todo o possível
mastiga-lhe a alma cospe-a com nojo
e ainda fala mal da sua conduta

*

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

época

líria porto

os nossos filhos e filhas 
quais aves de arribação 
chega o natal eles vêm
no ano novo se vão

*

domingo, 23 de dezembro de 2012

esbanjamento

líria porto

coisas caras coram-me perante os miseráveis
que  nus  procuram no lixo
restos de comida

*

tamanho

líria porto

o espaço que ocupamos
não precisava ser mais justo nem mais amplo
que a nossa consciência

*

não te aflijas

líria porto

vou me sentar no arco-íris espiar de lá do alto
tomar conta dos teus filhos dos teus netos
:
esperar-te

*

sábado, 22 de dezembro de 2012

saborosa

líria porto

não poupo o corpo da fruta
cravo-lhe os dentes e como
da casca à semente

*

tentação

líria porto

não darei a alma pro capeta
mas o corpo – vou pensar

*

preguiceira

líria porto

acordo e faço um acordo
com quem ressona a meu lado
quem se levanta por último
arruma a cama e o quarto
:
dei de madrugar

*

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

sobre a lápide

líria porto

bebi a vida num gole
sem enjoo sem engasgo
:
senti-lhe o cheiro o sabor
e jazo aqui – seu bagaço

*

na estação

líria porto

prima_vera fez as malas
guardou as blusas floridas
as sandálias rasteiras
as saias rodadas

prometeu voltar em setembro
como sempre

*

pitonisa

líria porto

este defeito nos olhos as bordas ficam difusas
confundo o real com o sonho e quando observo o mundo
vejo bolas de cristal – faço adivinhações
:
tenho lembranças futuras
mas nada sei do que fui

*

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

escarcéu

líria porto

o sol veio de um lado a lua veio de outro
e lá no meio do céu os dois se esbarram e brigam
ela branca ele amarelo logo no primeiro encontro
:
foi um pandemônio

*

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

ermo

líria porto

meu coração é brejo
onde uns atolam até o pescoço
outros mal sujam a sola do pé

veio um príncipe quis ficar
meu amor coaxa

*

domingo, 16 de dezembro de 2012

passagem

líria porto

no meio do caminho o cipó
no meio do cipó a formiga
no meio da formiga a vida
tão efêmera
tão pó

*

sábado, 15 de dezembro de 2012

boca livre

líria porto

olha a lua
um sorriso
que aumenta
cada dia
vira um ovo
uma bola
depois rola
poesia

*

lavor

líria porto

por mais sorte que haja
não vai cair do céu
nem vai brotar
do nada
:
o que vais conseguir
nascerá dos teus braços
e do teu intelecto

*

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

julgamentos

líria porto

não te posso condenar
eu nada sei de miséria
de filhos famintos

no teu lugar talvez eu
cometesse todos os delitos
pelos quais te julgam

*

fome

líria porto

ao redor da mesa
uma dúzia de olhos enormes
e seis barrigas que roncam

*

graffiti

líria porto

escrevi nas paredes
versos da minha lavra

alguém chamou a polícia?

condenem-me pelo delito
não pela arte

*

rédeas

líria porto

coleira gaiola sapatos casamento ordens repressão
qualquer coisa que me imponha limites
estouro as amarras

*

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

sertão

líria porto

o céu promete chuva
promete mas não cumpre

*

rabo de peixe

líria porto

nunca fui
serei-a?

(sempre
uma dúvida)

*

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

cavalgada

líria porto

na cela do amor
células de ciúme

na sela do amor
a liberdade

*

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

retorno

líria porto

diz-me
espera
e quando eu me volto
ela
incrédula
fala-me quase
sem fôlego
:
bom te saber por perto
é triste o destino das pedras
passamos séculos e séculos
sem que se cumpram
as promessas

*

controle

líria porto

nem fosse pedra
ficava tão quieta

ele passa
seguro o fôlego

(só
o coração
dis_para)

*

enfaro

líria porto

comeu-a a de a a e tanto se satisfez
que cuspiu no prato
:
ingrato

*

domingo, 9 de dezembro de 2012

ô_dores

líria porto

a vida é uma roseira
pétalas efêmeras e espinhos
duradouros

*

des_encontro

líria porto

o tempo nos transforma
e se eu sou outra e se o outro é outro
como manter o mesmo sentimento?

*

sábado, 8 de dezembro de 2012

paladar

líria porto

ora adora ora detesta
e de resto - doce amargo azedo apimentado
conforme a hora

*

atalho

líria porto

para abreviar a vida
atravesso-a na diagonal

*

martelo

líria porto

quer queiras quer não queiras
vou à feira leiloar o nosso amor
quem pagar melhor por ele
vai levar nós dois

vai ficar com a parte
                            que te coube

*             

risco

líria porto

saiu da zona de conforto
e pairou no céu da manhã
:
lua de papel
puta à luz do dia

*

chacina

líria porto

perguntas piadas ciúme
suspeitas insinuações
e foi indiscreto impulsivo
o amor se encolheu
escondeu  sumiu de vez

*

desdém

líria porto

digo que não me interesso e que tampouco me importo
mas não sou sincero – espero consiga encontrar-te
em meu ponto cego

*

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

pentelha

líria porto

cão chupando manga
rebelde a não mais poder
não paguei aqui na terra
a minha prole
                   é de pérola

(escapei de bamba)

*

reconhecimento

líria porto

olho o espelho o que vejo
e a cara velha sem máscara
tem o que espero das caras
:
coragem para enfrentar-se
e um riso sem mágoa

*

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

niemeyer

líria porto

o poeta das curvas
deu asas ao concreto
fez o cimento voar

*

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

laia

líria porto

as pessoas que ele amava
não eram lá essas coisas
mas quando escolheu a mim
que me havia em grande conta
vesti-me da carapuça
tratei de ser mais modesta

*

danada

líria porto

seu olhar de lambe-lambe dá-me água
na boca

(cuspo-a para não sofrer)

*

presságio

líria porto

conquanto tão pequenina
nada soubesse da vida
discernia o que era belo
muito mais que as outras primas
a mãe previa  a menina
não se conforma com pouco
escolhe cor cheiro
brilho
:
feita mulher
é artista

*

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

resguardo

líria porto

a gata pariu e os gatinhos
todos de olhos azuis
mamavam sua energia

a pobre gata ainda fosca
estava muito orgulhosa
com a saúde da prole

eles corriam voltavam
abocanhavam-lhe as tetas
que pareciam vazias

e a gata magra sem forças
sequer provou da comida
que sua dona lhe trouxe

*

despacho

líria porto

constatou  não tem mais jeito
retirou o ponto a vírgula
botou um ponto final

*

miragem

líria porto

eu vi a felicidade lá na linha do horizonte
caminhei para alcançá-la  eu andava ela andava
eu corria ela corria na mesma velocidade

*

sismo

líria porto

o amor foi terremoto
cinco graus na escala richter
não houve desabamento
mas a paixão meu senhor
esta sinto - é tsunami

(arrastou pedras
e pedro)

*

sem gravidade

líria porto

morte é sono profundo
sem sonho nem pesadelo
é livrar-nos desse mundo
do peso do sofrimento

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog